SEGUIDORES DO BLOG




CALENDÁRIO NEGRO – DEZEMBRO

1 - O flautista Patápio Silva é contemplado com a medalha de ouro do Instituto Nacional de Música, prêmio até então nunca conferido a um negro. (1901)

1 - Nasce no Rio de Janeiro o compositor Otto Henrique Trepte - Casquinha, integrante da Velha Guarda da Portela, parceiro de Candeia, autor de vários sambas de sucesso como: "Recado", "Sinal Aberto", "Preta Aloirada" (1922)

1 - O líder da Revolta da Chibata João Cândido após julgamento é absolvido (1912)
1 - Todas as unidades do Exército dos Estados Unidos (inclusive a Força Aérea, nesta época uma parte do exército) tiveram suas portas abertas para negros qualificados (1941)
1 - Rosa Parks recusa-se a ceder o seu lugar num ônibus de Montgomery (EUA) desafiando a lei local de segregação nos transportes públicos. Este fato deu início ao "milagre de Montgomery” (1955)
1 - Festa Nacional da República Centro Africana (1960)
2 - Nasce num lar humilde de carpinteiro em Magé, Francisco de Paula Brito. Compôs as primeiras notícias deste que é hoje o mais antigo jornal do Brasil, o Jornal do Comércio (1809)
2 - Dia Nacional do Samba
2 - Nasce em Salvador (BA), o sumo sacerdote do Axé Opô Afonjá, escritor e artista plástico Deoscóredes Maximiliano dos Santos, Mestre Didi (1918)
2 - Inicia-se na cidade de Santos (SP), o I Simpósio do Samba (1966)
2 - Fundação na cidade de Salvador (BA), do Ilê Asipa, terreiro do culto aos egugun, chefiado pelo sumo sacerdote do culto, o Alapini Ipekunoye Descoredes Maximiliano dos Santos, o Mestre Didi (1980)
3 - Frederick Douglas, escritor, eloquente orador em favor da causa abolicionista, e Martin R. Delaney fundam nos Estados Unidos o North Star, jornal antiescravagista (1847)
3 - Numa tarde de chuva, em um bairro do subúrbio do Rio de Janeiro, é fundado o Coletivo de Escritores Negros do Rio de Janeiro. (1988)
4 - Dia consagrado ao Orixá Oyá (Iansã)
4 - 22 marinheiros, revoltosos contra a chibata, castigo físico dado as marinheiros, são presos pelo Governo brasileiro, acusados de conspiração (1910)
5 - Depois de resistir de 1630 até 1695, é completamente destruído o Quilombo dos Palmares (1697)
5 - Nasce em Pinhal (SP) o cantor Otávio Henrique de Oliveira - Blecaute (1919)
5 - Nasce o compositor e radialista Rubem dos Santos - Rubem Confete (1937)
5 - O cantor jamaicano Bob Marley participa do show "Smile Jamaica Concert", no National Hero's Park, dois dias depois de sofrer um atentado provavelmente de origem política (1976)
6 - Edital proibia o porte de arma aos negros, escravos ou não e impunha-se a pena de 300 açoites aos cativos que infringissem a lei. (1816)
6 - Nasce no Rio de Janeiro (RJ) o cantor Jorge de Oliveira Veiga, Jorge Veiga (1910)
6 - Nasce no Rio de Janeiro o cantor Emílio Vitalino Santiago - Emílio Santiago (1946)
7 - Nasce Sir Milton Margai, Primeiro Ministro de Serra Leoa (1895)
7 - Nasce no Rio de Janeiro, o poeta Luís Carlos Amaral Gomes - Éle Semog (1952)
7 - Clementina de Jesus, a "Mãe Quelé", aos 63 anos pisa o palco pela primeira vez como cantora profissional, no Teatro Jovem, primeiro show da série de espetáculos "Menestrel" sob a direção de Hermínio Bello de Carvalho (1964)

8 – Nasce em Saubara/BA, o poeta e ativista do Movimento Negro Jônatas Conceição (1952)
8 - Fundação na Província do Ceará, da Sociedade Cearense Libertadora (1880)
8 - Nasce no Harlem, Nova Iorque (EUA), Sammy Davis Jr., um dos artistas mais versáteis de toda a história da música e do "show buziness" americano (1925)
8 - Nasce no Rio de Janeiro a cantora Alaíde Costa Silveira - Alaíde Costa (1933)
8 - Dia consagrado ao Orixá Oxum
9 - Nasce em São Paulo (SP) o compositor e arranjador Erlon Vieira Chaves - Erlon Chaves (1933)
9 - Nasce em Monte Santo, Minas Gerais, o ator e diretor Milton Gonçalves (1933)

9 – Nasce em Salvador/BA, a atriz Zeni Pereira, famosa por interpretar a cozinheira Januária na novela Escrava Isaura (1924)
10 - O líder sul-africano Nelson Mandela recebe em Oslo, Noruega o Prêmio Nobel da Paz (1993)
10 - O Presidente da África do Sul, Nelson Mandela, assina a nova Constituição do país, instituindo legalmente a igualdade racial (1996)
10 - Dia Internacional dos Direitos Humanos, instituído pela ONU em 1948
10 - Fundação em Angola, do MPLA - Movimento Popular de Libertação de Angola (1975)
10 - Criação do Programa SOS Racismo, do IPCN (RJ), Direitos Humanos e Civis (1987)
11 - Festa Nacional de Alto Volta (1958)
11 - Surge no Rio de Janeiro, o Jornal Redenção (1950)
11 - O Presidente Geral do CNA, Cheif Albert Luthuli, recebe o Prêmio Nobel da Paz, o primeiro a ser concedido a um líder africano (1960)
12 - Nasce em Leopoldina (MG), o cantor e compositor Osvaldo Alves Pereira - Noca da Portela, autor de inúmeros sucessos como: "Portela na Avenida", "é preciso muito amor", "Vendaval da vida", "Virada", "Mil Réis" (1932)
12 - Nasce no Rio de Janeiro, o compositor Wilson Moreira Serra - Wilson Moreira, autor entre outros tantos sucessos de: "Gostoso Veneno", "Okolofé", "Candongueiro", "Coisa da Antiga" (1936)
12 - Independência do Quênia (1963)
13 - Dia consagrado a Oxum Apará, a mais jovem entre todas as Oxuns, de gênio guerreiro
13 - Nasce em Exu (PE), o cantor, compositor e acordeonista Luiz Gonzaga do Nascimento, Luiz Gonzaga (1912)

15 - Machado de Assis é proclamado o primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras (1896)
14 - Rui Barbosa assina despacho ordenando a queima de registros do tráfico e da escravidão no Brasil (1890)
16 - Nasce na cidade do Rio Grande (RS), o político Elbert Madruga (1921)
16 - O Congresso Nacional Africano (CNA), já na clandestinidade, cria o seu braço armado (1961)
17 - Nasce no Rio de Janeiro (RJ)
Augusto Temístocles da Silva Costa, o humorista Tião Macalé (1926)

18 - Nasce em King William's Town, próximo a Cidade do Cabo, África do Sul, o líder africano Steve Biko (1946)
18 - A aviação sul-africana bombardeia uma aldeia angolana causando a morte dezenas de habitantes (1983)
19 - Nasce nos Estados Unidos, Carter G. Woodson, considerado o "Pai da História Negra" americana (1875)
19 - Nasce no bairro de São Cristóvão (RJ), o compositor e violonista Manuel da Conceição Chantre - Mão de Vaca (1930)
20 - Abolição da escravatura na Ilha Reunião (1848)
20 - A Lei n. 7.437, Lei Afonso Arinos inclui, entre as contravenções penais, a prática de atos resultantes de preconceito de raça, de cor, de sexo ou de estado civil, dando nova redação à Lei n 1 390, de 3 de julho de 1951 (1985)
21 - Nasce em Los Angeles (EUA), a atleta Delorez Florence Griffith, Florence Griffith Joyner - Flo-Jo, recordista mundial dos 100m (1959)
22 -
Criado o Museu da Abolição, através da Lei Federal nº 3.357, com sede na cidade do Recife, em homenagem a João Alfredo e Joaquim Nabuco (1957)

23 - Criação no Rio de Janeiro, do Grupo Vissungo (1974)
24 - João Cândido, líder da Revolta da Chibata e mais 17 revoltosos são colocados na "solitária" do quartel-general da Marinha (1910)
25 - Parte do Rio de Janeiro, o navio Satélite, levando 105 ex-marinheiros participantes da Revolta da Chibata, 44 mulheres, 298 marginais e 50 praças do Exército, enviados sem julgamento para trabalhos forçados no Amazonas. 9 marujos foram fuzilados em alto-mar e os restantes deixados nas margens do Rio Amazonas (1910)
25 - Nasce no Município de Duque de Caxias, (RJ), o jogador de futebol Jair Ventura Filho - Jairzinho - "O Furacão da Copa de 70" (1944)
26 -
Primeiro dia do Kwanza, período religioso afro-americano

27 - Nasce em Natal (RN), o jogador Richarlyson (1982)

28 - Nasce na Pensilvânia (EUA), Earl Kenneth Hines, o pianista Earl “Fatha” Hines, um dos maiores pianistas da história do jazz (1903)

29 - Nasce Édio Laurindo da Silva - Delegado, famoso mestre-sala da Estação Primeira de Mangueira (1922)
30 - Nasce
Eldrick Tont Woods, o Tiger Woods, jogador de golfe estadunidense, considerado um dos maiores golfistas de todos os tempos (1975)

31 - Nasce no Morro da Serrinha, Madureira (RJ). Darcy Monteiro, músico profissional, compositor, percussionista, ritmista, jongueiro, criador do Grupo Bassam, nome artístico do Jongo da Serrinha (1932)
31 - Dia dos Umbandistas


.

Pesquisa personalizada

terça-feira, 31 de maio de 2011

Inscrições abertas para o Prêmio Luiza Mahin - SP

(Clique na imagem para ampliá-la)

As ameaças continuam e a comunidade pede socorro!

Por: Ascom Rede Mocambos   
A comunidade quilombola de Batateira, localiza-se na Ilha de Tinharé, nas proximidades da Vila de Garapuá e pertence ao município de Cairu. Como trata-se de uma ilha a natureza ...de sua área é de responsabilidade da União. Os moradores que ocupam essa área estão ali há mais de 100 anos. Tendo toda a ancestralidade comunitária e de parentesco reconhecida pela Fundação Cultural Palmares. Trata-se de uma comunidade de cerca de 30 famílias que sobrevivem em situações precárias, em casas em sua maioria de taipa, palha e madeira. Na comunidade não tem energia elétrica e é desprovida dos principais serviços básicos que qualquer cidadão tem direito   O Conflito nessa comunidade começou em 2009, quando houve a mobilização de pedido de reconhecimento quilombola junto a Fundação Cultural Palmares. A partir daí, passaram a acontecer frequentes visitas à comunidade e com seguidas ameaças do Sr Manoel Palmas Che Filho, filho de um ex-prefeito de Cairu. Em maio de 2010, o conflito teve início quando numa visita do Maneca Ché, como é conhecido, mais cinco policiais fardados e outros homens, todos armados com armas de fogo, diziam ter mandato judicial para estarem ali, além de reforçar as ameaças derrubaram o pier que a comunidade usava como embarque e desembarque.   Depois que a Fundação Palmares expediu a certidão quilombola à comunidade, os seus moradores voltaram a receber novas ameaças, foi quando em 09 de setembro de 2010, Manoel Che Filho invadiu a comunidade com mais 12 homens, entre eles 3 policiais a paisana. Eles chegaram às 7h da manhã e ficaram até às 15h. Nesse período de 8h que permaneceram na comunidade, derrubaram mais 3 casas, atiraram várias vezes pra cima, colocaram resolvers na cabeça de mulheres e adolescentes, xigaram os moradores, colocaram a liderança da comunidade Claudeci numa roda com 12 homens e bateram no seu rosto, ameaçando sua vida, na frente das crianças da comunidade, inclusive seu filho de 5 anos, que tem demonstrado traumas de ter presenciado a violencia com sua comunidade e sua família.   A comunidade acredita que o Sr. Manoel vendeu aquela área para um estrangeiro para que se construa no local um Hotel. A SPU afirma que nem ele nem a comunidade têm o registro de uso da Ilha em questão. Tradicionalmente a comunidade já tem o direito de estar ali, por uma ocupação centenária e ancestral.   O comandante da Polícia Militar de Valença, major José Raimundo Carvalho Pessoa, esclareceu que a atuação ilegal de policiais militares que deram apoio a um dos proprietários da fazenda Tapeirinhas, correu à revelia do Comando da 33ª Companhia Independente da Polícia Militar de Valença. Em depoimento, os policiais denunciados negaram a participação no caso denunciado e recorreram ao direito de falar somente em juízo e na presença do advogado. Não se tem informação que o processo judicial foi aberto.   Em outubro de 2010 foi realizada uma audiência pública organizada pela SEPROMI, que teve como objetivo de ouvir, avaliar e traçar estratégias para solucionar os sucessivos conflitos ocorridos na Comunidade de Batateira. Participaram da audiência autoridades, o pseudo fazendeiro Maneca Che e seus representantes, a sociedade civil representada pelos movimentos de pescadores, Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra, o Conselho Pastoral da Pesca, Quilombolas de outras regiões, Representantes do INCRA, DPE, SPU, Governo do Estado, Prefeitura de Cairu e etc. Há poucos dias, as ameaças retornaram, o pseudo fazendeiro insiste que vai voltar na comunidade e derrubar o resto das casas, a liderança da comunidade vem sendo seguida e ameaçada de morte, as famílias estão apavoradas.   Não existe nenhum advogado assistindo a comunidade, o que gera uma preocupação ainda maior. No último Sábado dia 28 de maio, o Sr. Manuel Che retornou à comunidade com mais 7 homens, novamente fazendo ameaças, alegando possuir uma ordem judicial para não permitir nenhuma construção naquela ilha (mas não mostrou o documento). Na mesma ocasião ele e seu grupo fizeram a derrubada de mais uma casa na comunidade e a ameaça voltar com um grupo de criminosos para aterrorizar e levar tudo abaixo nos próximos dias.   As famílias, em especial as crianças, estão apavoradas. A polícia, apesar de acionada durante nova invasão, só apareceu na comunidade horas depois e em nenhum momento consegue gerar nenhum tipo de proteção à mesma. Todos os indícios e o histórico desses dois anos revelam na verdade uma polícia comprometida com a ação criminosa do pseudo fazendeiro até por que, nenhum criminoso age tão abertamente como esse senhor, e nenhuma autoridade conseguem garantir sua prisão preventiva.   Esse breve texto tem como intuito chamar a atenção dos organismos e instituições estaduais, nacionais e internacionais a respeito da proteção dos direitos humanos, dos direitos das crianças e dos adolescentes, dos afrodescendentes em suas comunidades quilombolas e dos direitos das mulheres:   A comunidade de Batateiras no município de Cairu Bahia não pode ficar sem assistência jurídica!   Um criminoso que faz abertamente esse tipo de ação, deve ter imediatamente sua prisão preventiva efetuada, assim como os seus comparsas! A justiça e a segurança pública precisa funcionar!   A Segurança Pública não pode estar a serviço de criminosos e gananciosos e precisa se comprometer com a proteção dessa comunidade!   Não se pode esperar que mais lideranças padeçam a espera de uma ação efetiva!   O INCRA precisa agilizar o processo de Titulação, Identificação e Demarcação das terras Quilombolas e em especial às comunidades que estão em processo de conflito.   

Conselho Quilombola do Estado da Bahia Rede Mocambos - Núcleo de Formação Continuada do Sul da Bahia

Canal Futura seleciona projetos de documentário

O Canal Futura recebe a partir da próxima segunda-feira, 30, as inscrições para o 2º DOC Futura, pitching que selecionará um projeto de documentário de 52 minutos para coprodução e exibição. Não há delimitação temática e narrativa, mas o canal busca projetos que tratem de assuntos relacionados aos direitos humanos. O projeto vencedor receberá o valor máximo de R$ 110 mil, verba que deve incluir todas as etapas de formatação, conteúdo, pesquisa, direitos autorais, produção, realização e finalização. O público-alvo é livre.

O 1º DOC Futura, que tinha a temática da pobreza, selecionou o projeto “Leva”, da produtora paulista Preta Portê Filmes. A produção, que foi ao ar em maio, abordou a questão do déficit de moradia no Brasil ao mostrar o dia a dia de um prédio habitado por integrantes de movimentos de ocupação urbana da cidade de São Paulo.

O prazo para inscrições é 15 de julho. O edital, com o regulamento e a ficha de cadastro estará disponível no site do Canal Futura (www.futura.org.br).

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Ministra Luiza Bairros aborda Relações Etnicorraciais em audiência pública sobre PL do Plano Nacional de Educação

Nesta quarta-feira (10 de junho), às 14h30, no Plenário 10 do Anexo II da Câmara dos Deputados

A ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros, fará um pronunciamento em audiência pública sobre o Projeto de Lei - PL 8.035/2010 - que aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) para o decênio 2011-2020. A participação da ministra na audiência foi proposta pelo deputado Angelo Vanhoni (PT-PR), relator da Comissão Especial de Análise do PNE (CE/PNE), criada no âmbito da Comissão de Educação, Cultura e Esporte, da Câmara dos Deputados.

FONTE: Notícias SEPPIR 30/05/2011

domingo, 29 de maio de 2011

Abdias do Nascimento será homenageado em Missa de Sétimo Dia - BA

As Secretarias de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e a de Cultura da Bahia (Secult/BA) - através da Fundação Pedro Calmon, a Secretaria Municipal da Reparação (Semur) e a Venerável Ordem Terceira do Rosário de Nossa Senhora dos Homens Pretos convidam amigos e admiradores para a Missa de Sétimo Dia, em sufrágio à alma de Abdias do Nascimento. A missa será realizada na Igreja do Carmo, Centro Histórico de Salvador, na segunda-feira (30), às 9h e contará com a presença da Dra. Elisa Larkin, viúva do primeiro deputado federal afro-brasileiro a dedicar seu mandato à luta contra o racismo.

O ativista Abdias do Nascimento faleceu aos 97 anos, na última terça-feira (24), depois de passar dois meses internado no Hospital dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro, devido a complicações decorrentes de diabetes. Além de ex-deputado e ex-senador, foi precursor do movimento negro no Brasil, se tornando um grande líder na luta dos direitos e representante das conquistas da comunidade negra.

História _ Abdias Nascimento foi artista plástico e professor benemérito da State University of New York. Foi titulado como ‘doutor honoris causa’ pelas Universidades de Brasília (UnB), do Rio de Janeiro (UERJ), Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Universidade do Estado da Bahia (UNEB), em função da militância no combate à discriminação racial. Recebeu diversas premiações, como o Prêmio Unesco em 2001, na categoria Direitos Humanos e Cultura de Paz.

Nascido em Franca (SP), na década de 40, fundou o Teatro Experimental do Negro e o jornal Quilombo, no Rio de Janeiro. Durante o regime militar, exilou-se nos Estados Unidos. No retorno ao Brasil, exerceu mandato de deputado federal entre 1983 e 1987 e de senador de 1997 a 1999, além de ter criado e ocupado nos anos 90, a Secretaria Extraordinária de Defesa e Promoção das Populações Afro-Brasileiras, no governo fluminense.

National Geographic está apoiando projetos de documentários de indígenas

A National Geographic está apoiando projetos de documentários sobre indígenas e culturas minoritárias de todo o mundo que tragam histórias de sua comunidade narradas em primeira pessoa. Os prazos de entrega é  no dia 15 de cada março, junho, setembro e dezembro. O apoio fica entre mil e dez mil dolares.

http://events.nationalgeographic.com/events/all-roads/film/

Rio de Janeiro: concursos terão 20% das vagas para negros


POR FERNANDO MOLICA


Rio - No próximo dia 6, o governador Sérgio Cabral assinará um decreto que destinará 20% das vagas em concursos públicos do Estado para negros e índios. O decreto levará o nome do ex-senador Abdias Nascimento, um dos pioneiros do movimento negro no Brasil e que morreu no último dia 24.
A solenidade terá a presença da ministra-chefe da Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Helena de Bairros. Ela quer que o exemplo do Rio de Janeiro seja imitado por outros estados do País.

Os critériosUma portaria a ser editada pelo governo irá definir os critérios que possibilitarão o uso da cota. No caso da Uerj, vale a palavra dos candidatos, responsáveis por declarar sua cor ou etnia. A reserva de vagas já valerá para os próximos editais do governo do Estado.

RelatóriosA implantação do sistema de cotas será acompanhada pela Secretaria de Assistência Social, que fará relatórios a cada três anos. A possível reserva de vagas em concursos foi anunciada, no dia 11, pela coluna ‘Concursos & Empregos’.

Bazar em prol do Terreiro Ogum de Cariri-Kilombo Kaya - BA

A ASSOCIAÇÃO DALVA MENEZES ROSA DE PRESERVAÇÃO, MANUTENÇÃO E DEFESA DO TERREIRO DE CANDOMBLÉ DE NAÇÃO ANGOLA OGUM DE CARIRI-KILOMBO KAYA PROMOVE UM BAZAR BENEFICENTE.

TEREMOS NO BAZAR ROUPAS, CALÇADOS, BOLSAS, BIJUTERIAS, ETC. E DELICIOSA COMIDA TIPICA BAIANA COMO ACARAJÉ, ABARÁ, DENTRE OUTRAS.

DIA 05 DE JUNHO DE 2011 (DOMINGO)
DAS 09:00 ÀS 17:00 HORAS
LOCAL: PÁTIO DA ESCOLA SANTA TEREZINHA DO CHAME-CHAME - PRÓXIMO AO SHOPPING BARRA.

A SUA PRESENÇA E DE SEUS AMIGOS É MUITO IMPORTANTE, POIS PRECISAMOS
RECUPERAR O TERREIRO E TODA AJUDA É NECESSÁRIA.

AGRADECEMOS,

KUTALA SERGIO PAIXAO
PRESIDENTE

CONTATO, INFORMAÇÕES E DOAÇÕES:
TEL: 71 3017-3370 / 8251-9583 / 9109-9269 / 8149-3278

sábado, 28 de maio de 2011

Identidade étnica e diversidade cultural dos povos indígenas serão discutidas em seminário - RN


De 30 de maio a 2 de junho será realizado o seminário Povos indígenas: identidade étnica e diversidade cultural. O evento acontece no miniauditório do Campus Natal-Central. As inscrições são gratuitas e as vagas são limitadas.
A programação do Seminário contará com mostras de vídeos etnográficos e palestras relacionadas ao tema  identidade étnica e diversidade. Além disso, acontecerá uma exposição fotográfica, cujo foco será o universo social indígena. A exposição estará montada, Bloco B, próximo ao miniauditório.

Através de imagens e informações, que serão apresentadas e exploradas, o seminário tem a intenção de estimular outras formas de pensar e enxergar o indígena. Discutir a pluralidade étnica e abordar o respeito aos povos indígenas, além de apresentar discussões sócio-antropológicas sobre etnicidade, fundamentais para compreensão da condição étnica indígena, fornecendo dados e conhecimentos sobre a presença indígena no Estado do Rio Grande do Norte.
O evento é uma realização dos grupos de pesquisa CASO (Cultura, Arte e Sociedade – IFRN), CIRS (Cultura, Identidade e Representações Simbólicas - UFRN) e conta com a participação do PPGAS (Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social – UFRN).
Programação:
EventoPalestrantes/ParticipantesLocalData e Hora
Conferência de AberturaProfª Drª Maria Rosário de CarvalhoMiniauditórioDia 31/05 às 18h
Lançamento do livro: Negros no mundo dos índios. Imagens, reflexos e alteridadesMaria Rosário de Carvalho, Julie Antoinette Cavignac e Edwin ReesinkMiniauditórioDia 31/05, após a conferência de abertura
Mesa redonda: Discutindo representaçõeso sobre indígenas
Prof. Dr. Edson Silva (UFPE), Ms. Eliana G. Quirino (CIRS/UFRN) e Prof. Dr. Estevão Palitot (UFPB)Miniauditório

Dia 01/06 às 18h
Mesa redonda: A presença indígena no Rio Grande do NorteProfª Drª Julie Antoinette Cavignac, Ms. Jussara Galhardo (Museu Câmara Cascudo-UFRN), Prof. Dr. José Glebson Vieira (UERN), Luciano Falcão (advogado popular)Miniauditório
Dia 02/06 às 18h
Mostra de filmes etnográficosSessões às 10h e às 16hMiniauditórioDias 1 e 2 de junho

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Conselheiro do CNPIR lança Mapa da Intolerância Religiosa - Violação ao Direito de Culto no Brasil - BA

Amanhã (28/05), em Lauro de Freitas, Bahia, com a presença do autor, Márcio Alexandre M. Gualberto, e da Yalorixá Jaciara de Oxum - filha de Mãe Gilda, que faleceu em decorrência de um ato de intolerância religiosa por ela sofrido e que motivou a criação do Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa

O Mapa da Intolerância Religiosa, que conta com o apoio da Coordenadoria Ecumênica de Serviços (CESE), é a primeira sistematização, em nível nacional dos casos de intolerância religiosa ocorridos no país nos últimos 10 anos. Além do caso de Mãe Gilda de Ogum, o Mapa traz casos de intolerância religiosa contra católicos, muçulmanos, judeus, entre outros grupos religiosos, o que demonstra que a intolerância religiosa ocorre no país inteiro e atinge aos mais diversos segmentos religiosos. Márcio Alexandre é membro do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial (CNPIR). Informações: (71) 8748-5214 / 9221-2414

Serviço:

Lançamento do Mapa da Intolerância Religiosa
Dia: 28 de maio de 2011
Local: Ilê Asé Omi Lesi
Horário:10h 
Endereço: Rua Jardim Taubaté, Quadra 7, Lote 127 - Itinga, Lauro de Freitas - CEP 42700-000 - Bahia
 
Comunicação Social
imprensa@seppir.gov.br
Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial - Seppir
Presidência da República
Esplanada dos Ministérios, Bloco A, 9º andar

Prof. Dr. Nilo Rosa no Ciclo de palestras "Preconceito na fala, preconceito na cor" - BA

(Clique na imagem para amplia-la)

Colômbia promove o 2º Encontro Internacional de Mulheres Afro


El año 2011 ha sido declarado por Naciones Unidas como el Año Internacional de la Afrodescendencia y ha sido, además, ratificado por la Organización de Estados Americanos (OEA), lo que hace especialmente significativo el hecho de que sea Colombia, uno de los países de América Latina con una de las más significativas representaciones de comunidades Afro, el país que acoge la realización del II Encuentro Internacional de Mujeres Afro.
 
Según los resultados del censo del año 2005 del DANE, la población colombiana asciende a 41.468.384 personas. De ese total, el 10.6% de la población del país, 4.311.757 personas se auto reconocieron como pertenecientes a las comunidades negras, afrocolombianas, raizales y palenquearas. A pesar de estas cifras oficiales, se estima que esta población es mucho mayor, por lo que las comunidades afrocolombianas han solicitado al Gobierno Nacional realizar estudios post-censales más específicos que muestren la verdadera realidad del país. La importancia de esto ha sido reconocida por el Gobierno Nacional, ya que se han realizados importantes manifestaciones en favor del empoderamiento y la visibilidad de la comunidad afro.
 
En Colombia, el Valle del Cauca es el Departamento con mayor número de personas que se auto reconocen como afrocolombianas. El 27.21% del total de su población, lo que se corresponde con 1.092.169 de personas. En el Valle del Cauca los Municipios con mayor población afro son: Cali, Buenaventura, Buga, Candelaria, Cartago, Dagua, El Cerrito, Florida, Guacarí, Jamundi, Palmira, Pradera, Río Frío, Tulúa, Yumbo y Zarzal. Entre las ciudades del Valle del Cauca, Santiago de Cali es la más poblada y la que mayor número de afrodescendientes reconocidos tiene entre sus vecinos y vecinas: 542.936 personas que constituyen el 26.2% del total de su población, según el censo del año 2005. Además, Cali es la segunda ciudad de América Latina que registra el mayor número de población afro, después de Salvador de Bahía en Brasil. Por estas razones, y por la acogida que desde el Ayuntamiento nos prestan, celebramos en Santiago de Cali el II Congreso Internacional de Mujeres Afro.

Dia da África em São Félix - BA



(Clique nas imagens para ampliá-las)

Consultor para elaboração de material didático História da África

EDITAL Nº 001/2011
Consultor PROJETO 914BRZ1128.2 - História da África  
1. Perfil: 03
2. Nª de vagas:01
3. Qualificação educacional: Formação em Letras, Jornalismo, Educação ou áreas afins.
4. Experiência profissional: Mínimo de 10 anos de experiência em docência da educação básica.
Mínimo de 05 anos de experiência em processos de formação inicial e continuada de professores da educação básica. Experiência na redação de documentos e participação em projetos e pesquisa voltada para a educação na área pública com ênfase em relações étnico-raciais e de gênero.
5. Atividades: 1. Compor a equipe pedagógica para a elaboração do Livro para professores da educação infantil, do ensino fundamental e do ensino médio e para a elaboração do Guia para uso do Livro Síntese da Coleção da UNESCO História Geral da África
2. Contribuir para a análise de textos encaminhados por especialistas, revisando-os e adequando os conteúdos de acordo com a concepção pedagógica estabelecida para cada um dos níveis da educação básica;
3. Participar em reuniões para orientar equipe de especialistas para a elaboração de conteúdos que comporão os produtos que serão desenvolvidos pelos mesmos.
4. Desenvolver proposta e assessorar na definição de concepção e de temas principais para Livro de professores da educação infantil, do ensino fundamental e do ensino médio;
5. Redigir conteúdos para compor Guia de uso do Livro Síntese da Coleção da UNESCO História Geral da África para a formação de docentes da educação básica, incluindo proposta de uso na formação inicial e na formação continuada;
6. Participar no planejamento, desenvolvimento e análise da validação - com a participação de professores da educação básica - do Livro para professores da educação infantil, do ensino fundamental e do ensino médio e na validação do Guia para uso do Livro Síntese da Coleção da UNESCO História Geral da África;
7. Revisar e atualizar conteúdos do Livro para professores da educação infantil, do ensino fundamental e do ensino médio e do Guia para uso do Livro Síntese da Coleção da UNESCO História Geral da África, a partir das sugestões obtidas com o processo de validação;
8. Assessorar na organização da publicação do Livro para professores da educação infantil, do ensino fundamental e do ensino médio e para a publicação do Guia para uso do Livro Síntese da Coleção da UNESCO História Geral da África, incluindo leitura crítica e correção de ajustes de copydesk.
6. Produtos/Resultados esperados: Pagamento mediante relatórios mensais
7. Local de Trabalho: residência
8. Duração do contrato: até 12 meses
Os interessados deverão enviar o CV do dia 24/05/2011 até o dia 28/05/2011 no
edselecao@unesco.org.br, indicando o número do edital e o nome do perfil em que se candidata.
Serão desconsiderados os CVs remetidos após a data limite indicada neste edital.
 
Em atenção às disposições do decreto nº 5.151, de 22/07/2004, é vedada a contratação, a qualquer título, de servidores ativos da Administração Pública Federal, Estadual, do Distrito Federal ou Municipal, direta ou indireta, bem como empregados de suas subsidiárias ou controladas, no âmbito dos projetos de cooperação técnica internacional.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

CEAFRO e Casa de Angola promovem lançamento do mais novo livro de Carlos Moore - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

Cidinha da Silva apresenta KUAMI em sábado especial - RJ


 
4 de junho  - sábado -  às 15 horas

Sábado:  belo dia para conhecer Kuami
lançamento no Rio de Janeiro
Rua Luís Barbosa, 93
Vila Isabel - 21-3042-5671
(referência: Praça Barão de Drumond)
  por Tania Macedo - Professora de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa – USP

Cidinha da Silva mergulha na prosa mais uma vez e traz uma história que nos encharca de poesia ao nos contar sobre o Sereal, “reino das sereias, próximo à pororoca, onde se misturam olhos apascentados pelo rio e outros famintos de mar”.

Cheio de imaginação, musicalidade, situações engraçadas e a segurança de quem sabe onde vai chegar, este novo livro da autora é um presente à inteligência dos leitores.

A história nos fala sobre os amigos Kuami, um elefantinho, e Janaína, uma pequena sereia, que percorrem águas, florestas e também os céus, vivendo numerosas aventuras, na procura por Dara, a mãe de Kuami, aprisionada por fazendeiros.

No caminho de sua busca, acabam ensinando muitas coisas a seus leitores, entre as quais o valor da amizade, a força da perseverança e também o amor que pode vencer muitas barreiras. Mas isso não quer dizer que se trata de uma estória carrancuda ou cheia de “lições de moral”. Não! Pelo contrário, cortada todo o tempo por um humor refinado, que cria situações engraçadas mesmo nos momentos de maior tensão, a história flui e acompanhamos com crescente interesse a procura da mãe do pequeno, mas destemido e amoroso elefantinho.Trata-se, assim, de uma narrativa que será lida com prazer tanto por gente grande como pelos pequeninos, pois se a fantasia e o suspense, sem dúvida, cativarão os jovens leitores e farão com que leiam a história quase sem parar, os adultos encontrarão uma prosa bem elaborada que os deliciará com os achados de linguagem, com a ironia e a sólida construção de personagens.

Ao tecer os fios do maravilhoso - tingidos de africanidade -, com os traços de uma realidade brasileira geralmente deixada à margem, Cidinha da Silva, neste seu livro, nos leva também à reflexão sobre um Brasil que todos precisamos conhecer.

É assim que a música negra brasileira – inclusive o funk de periferia que faz até elefantes voarem -, a nossa paisagem e os saberes tradicionais de nossa gente, mas, sobretudo, a dura realidade do que ocorre nos rincões do país, comparecem no texto a partir de uma focalização poética, mas nem por isso menos comprometida.

Dessa forma, ganha sentido pleno a última frase de Kuami: “vale a pena iluminar a vida.”

Acrescentaríamos que, por tudo isso, “vale a pena ler Cidinha da Silva”.

Tania Macedo – Professora de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa – USP.

Aqui para mais produções de Cidinha

          Rio de Janeiro - 4 de junho, às 15h
          Rua Luís Barbosa, 93, Vila Isabel
          tel.: 21-3042-5671

O livro já foi lançado em São Paulo - 24 de maio, às 19h
Livraria Suburbano Convicto - Rua 13 de Maio, 70, 2º and.  Bela Vista – tel.: 11-2569-9151

Para lançamento em sua cidade, entre em contato com a autora ou com a editora.

FONTE: Memória Lélia Gonzalez

XIX Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba em São Paulo - SP

Banner



Programação

 

21 e 22/06 – terça-feira e quarta-feira

Sala de projeção no Memorial da América Latina
19h - exibição de filmes cubanos

22/06 – quarta-feira

Barra Funda - Atividade de rua: Medicina e revolução PELA VIDA!
Barraca de campanha com atendimento à população e palestras

23/06 – quinta-feira (feriado)

Biblioteca Latino-Americana Victor Civita no Memorial da América Latina

19h - Exibição de documentário do Carlos Pronzato sobre Carlos Calica Ferrer

19h30 - Lançamentos e relançamentos de livros sobre Cuba

20h30 - Autógrafos e Apresentação do grupo musical da AMA ABC e do Canto Libre
Presença de Calica Ferrer, José Mao JR., Mário Augusto Jakobskind e Carlos Pronzato

 

24/06 – sexta-feira

Auditório Simón Bolívar - Memorial da América Latina

9h - Palestra: A importância da Revolução Cubana no marco dos 50 anos da vitória em Playa Girón e a solidariedade internacional
Com a presença de um herói da batalha de Girón e Kenia Serrano Puig, presidenta do Instituto Cubano de Amizade aos Povos.

13h - Oficinas e mini-cursos
Universidade Nove de Julho
História da Revolução Cubana, Sistema educacional em Cuba, Sistema da Saúde em Cuba, Poder Popular e Democracia em Cuba, Lutas antisistêmica na América Latina e a ALBA, Direito Internacional com base no caso dos 5 heróis, Oficina sobre cinema feito nas margens, Oficina de música cubana, A econo-mia cubana, Política Externa de Cuba, Gênero e Sexualidade em Cuba e A identidade da cultura Cubana

 

 

24/06 – sexta-feira - ABERTURA OFICIAL

Auditório Simón Bolívar - Memorial da América Latina

19h - Conferência de Abertura
Conferência com Ricardo Alarcón, Presidente da Assembléia Nacional do Poder Popular de Cuba

Show de Carlinhos Antunes e Orquestra Mundana e Raíces de América
  

25/06 – sábado

Auditório Simón Bolívar - Memorial da América Latina

9h - Palestra: Bloqueio econômico e midiático
Com a presença de Oswaldo Martinéz, presidente da Comissão de Assuntos Econômicos do Parlamento cubano, José Manzaneda, coordenador do site Cubainformación, e um familiar dos 5 patriotas.

13h - Grupos de trabalho
Universidade Nove de Julho
Bloqueio econômico, Bloqueio Midiático, Solidariedade a Cuba, Frentes Parlamentares, Libertação dos 5 patriotas

19h - Encerramento
Universidade Nove de Julho
Ato político de encerramento: mesa composta por representantes organizações nacionais solidárias a Cuba
Festa de confraternização com a bateria das escolas de samba Ilha da Magia, vencedora do carnaval de 2011 em Florianópolis com o tema “Cuba sim, em nome da verdade” e da Unidos da Lona Preta

 

26/06 – domingo

Memorial da Resistência, antigo prédio do DOPS - próx. estação Luz

9h - Visita monitorada ao Memorial da Resistência

Palestrantes e grupos musicais a confirmar


quarta-feira, 25 de maio de 2011

Velório de Abdias Nascimento - RJ

O velório de Abdias Nascimento será nesta quinta-feira (26/05), a partir das 18h na Câmara Municipal de Vereadores do Rio de Janeiro. O corpo sairá de lá na sexta (27/05), 11h da manhã, p/ o Crematório da Santa Casa da Misericórdia no Caju.

Era o desejo de Abdias ser cremado e que as cinzas sejam levadas para a Serra da Barriga, em Alagoas, local do maior centro da resistência negra no Brasil, o Quilombo dos Palmares.

Para aqueles/as que desejam fazer sua última homenagem ao ex-senador, atenção abaixo:

Horários para o velório:
quinta, 26/05: das 18h até às 23h
sexta, 27/05: das 6h da manhã até às 11h

Horário para a cremação:
sexta, 27/05: 13h30 no Crematório da Santa Casa da Misericórdia no Cemitério do Caju

IGH sedia curso sobre História e Culturas Africanas e Afro-brasileiras - BA

O Núcleo de Estudos Africanos e Afro-brasileiros em Línguas e Culturas (Ngealc), vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da UNEB, inicia na próxima quinta-feira (19) o curso de interação dos saberes sobre história e culturas africanas e afro-brasileira.
A aula inaugural vai acontecer das 14h às 18h, na sede do Instituto Histórico e Geográfico da Bahia (IGHB), na Praça da Piedade, centro antigo de Salvador. Os interessados em participar do curso devem apresentar ficha de inscrição e efetuar o pagamento da taxa de R$ 20 no local.
“Esse curso foi solicitado por comunidades de terreiros de candomblé de Salvador, que mostraram interesse em ampliar o conhecimento sobre o continente africano, suas culturas e línguas. Outros temas também serão explorados por especialistas, como os direitos e deveres dessas comunidades e as implicações da intolerância religiosa na Bahia”, explica a professora Hildete Costa, coordenadora do curso.
Estão sendo ofertadas 80 vagas prioritariamente para participantes de comunidades de terreiros. Pesquisadores, estudantes e interessados pelo tema também podem solicitar inscrição.
O curso, que será realizado entre os meses de maio e outubro deste ano, prevê encontros mensais, sempre às quintas-feiras, no IGHB. Literatura africana, arte e tradições afro-brasileiras são assuntos que também serão abordados durante as atividades.
As aulas serão ministradas por professores da UNEB e convidados, a exemplo da coordenadora do Ngealc, Yeda Pessoa de Castro, e da professora aposentada da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Marli Geralda Texeira, primeira docente a lecionar a história da África no estado.
“Vamos transmitir conhecimentos atualizados sobre a África, continente multicultural e multiétnico, que possui 53 países e mais de duas mil línguas. Mostraremos também como os povos africanos escravizados no Brasil se constituíram e como deixaram suas matrizes religiosas em nosso país”, ressalta Yeda.
O curso de interação dos saberes sobre história e culturas africanas e afro-brasileira tem apoio do Coletivo de Entidades Negras (CEN) e da Associação Beneficente Axé Abassá de Ogum.
Informações: Ngealc/Campus I – tel. (71) 3117-2448.

I Semana Acadêmica Africana - PE


(Clique na imagem para ampliá-la)

terça-feira, 24 de maio de 2011

Palestra "Língua portuguesa, poder e diversidade cultural", por José Eduardo Agualusa - BA



 Conversas Plugadas - especial
José Eduardo Agualusa
Língua portuguesa, poder e diversidade cultural

Teatro Castro Alves | 07 de junho | 19h30
Pela primeira vez, um dos mais importantes autores de língua portuguesa da contemporaneidade, o escritor angolano José Eduardo Agualusa, estará em Salvador discutindo sua obra em evento aberto ao público. Ele é o convidado do projeto CONVERSAS PLUGADAS ESPECIAL, que acontece no dia 07 de junho, a partir das 19h30, na sala principal do Teatro Castro Alves, com o tema Língua portuguesa, poder e diversidade cultural.

A intenção do evento é possibilitar o entendimento e a discussão das noções de língua e literatura que gravitam em torno da obra de José Eduardo Agualusa, em especial em trabalhos como Nação Crioula, romance indicado para integrar o vestibular 2012 da UFBA, e Milagrário Pessoal, seu livro mais recente, em que a língua portuguesa no trânsito entre Angola, Portugal e Brasil é a grande personagem. Além destes dois títulos, Agualusa tornou-se conhecido no Brasil pelo livro O Ano em que Zumbi Tomou o Rio, romance cujo espaço narrativo diaspórico articula-se entre Luanda e o Rio de Janeiro em um produtivo exercício de discussão das questões etnicorraciais, e O Vendedor de Passados, no qual o narrador discute o processo de invenção das tradições individuais e coletivas que constituem subjetividades estratégicas no espaço nacional angolano. Além do evento no TCA, o escritor também participa do lançamento de Milagrário Pessoal, no dia 09 de junho, na Livraria Cultura, com uma mesa redonda com professores da Universidade Federal da Bahia e Unijorge.

O CONVERSAS PLUGADAS ESPECIAL com José Eduardo Agualusa é uma realização da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, da Universidade Federal da Bahia (UFBA) - através do Instituto de Letras (ILUFBA) e do PPGLitCult -, e da UNIJORGE, com apoio da Rede Bahia.
A entrada é gratuita, mas é preciso retirar pré-convites no SAC do Shopping Barra ou na bilheteria do TCA até às 19:00 do dia do evento. Entrada sujeita a lotação do Teatro.

SERVIÇO
O que: Conversas Plugadas Especial - José Eduardo Agualusa
Onde: Sala Principal do TCA
Quando: 07 de junho, 19h30
Quanto: Gratuito (retirar pré-convites na bilheteria do TCA ou SAC)
Realização: SECULT/UFBA/Unijorge – Apoio Rede Bahia

Morre Abdias do Nascimento, grande lutador da causa negra

Faleceu nesta manhã de terça, 24, no Rio de Janeiro, o escritor Abdias do Nascimento. Poeta, político, artista plástico, jornalista, ator e diretor teatral, Abdias foi um corajoso ativista na denúncia do racismo e na defesa da cidadania dos descendentes da África espalhados pelo mundo. O Brasil e a Diáspora perdem hoje um dos seus maiores líderes.


A família ainda não sabe informar quando será o enterro. Aos 97 anos, o paulista de Franca passava por complicações que o levaram à internação no último mês. Deixa a esposa Elisa Larkin, o filho e uma legião de seguidores, inspirados na sua trajetória de coragem e dedicação aos direitos humanos.

Abdias do Nascimento (Franca, 14 de março de 1914) é ex-político e ativista social brasileiro.
É um dos maiores defensores da defesa da cultura e igualdade para as populações afrodescendentes no Brasil, intelectual de grande importância para a reflexão e atividade sobre a questão do negro na sociedade brasileira. Teve uma trajetória longa e produtiva, indo desde o movimento integralista, passando por atividade de poeta (com a Hermandad, grupo com o qual viajou de forma boêmia pela América do Sul), até ativista do Movimento Negro, ator (criou em 1944 o Teatro Experimental do Negro) e escultor.
Após a volta do exílio (1968-1978), insere-se na vida política (foi deputado federal de 1983 a 1987, e senador da República de 1997 a 1999), além de colaborar fortemente para a criação do Movimento Negro Unificado (1978). Em 2006, em São Paulo, criou o dia 20 de Novembro como o dia oficial da consciência negra. Recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Universidade de Brasília. É autor de vários livros: "Sortilégio", "Dramas Para Negros e Prólogo Para Brancos", "O Negro Revoltado", e outros.
Foi Professor Benemérito da Universidade do Estado de Nova York e doutor "Honoris Causa" pelo Estado do Rio de Janeiro, grande militante no combate à discriminação racial no Brasil.
Foi casado com Maria de Lurdes Vale Nascimento. Mais tarde casou-se com Genilda Cordeiro. Depois com a atriz Léa Garcia, com quem teve dois filhos, e pela pela quarta vez com a norte-americana Elizabeth Larkin Nascimento, com quem teve um filho.

Biografia de Lima Barreto tem lançamento em Salvador - BA

O escritor paulista Cuti autografa o trabalho e conversa com o público quarta (25/05) no Sarau Bem Black

O escritor paulista Cuti, um dos mais importantes autores e estudiosos da literatura negra brasileira, vem a Salvador lançar seu mais recente trabalho: a biografia Lima Barreto, estudo sobre a vida e obra do escritor carioca. Convidado do coletivo Blackitude, Cuti participa da edição do dia 25/06 (quarta-feira) do Sarau Bem Black no Sankofa African Bar (Pelourinho), quando autografa o trabalho e bate-papo com o público. A programação, gratuita, começa a partir das 19h.


A biografia é o sétimo volume da Coleção Retratos do Brasil Negro, da editora Selo Negro, que destaca nomes significativos da cultura e da militância negra do país. Mestre e doutor em literatura, Cuti analisa a produção de Lima Barreto (1881-1922) e mostra a atualidade dos problemas que ele apontou no início do século XX em contos, crônicas e romances. “Ainda hoje, seus livros travam uma luta contra as forças de exclusão social, muito poderosas no Brasil. Elas interferem na cultura, em especial nas artes, que têm o poder de alimentar nosso imaginário”, afirma Cuti.

Além de falar sobre sua pesquisa, Cuti é o convidado especial do Sarau Bem Black, que acontece todas as quartas no Sankofa African Bar. Na segunda parte do evento, ele sobe ao palco para mostrar alguns de seus poemas, publicados em livros como Poemas de Carapinha (1978), Negroesia (2007) e Poemaryprosa (2009). Cuti, pseudônimo de Luiz Silva, tem 59 anos, foi um dos fundadores da organização literária Quilombhoje e um dos criadores e mantenedores da série Cadernos Negros, que publica poemas de autores negros de todo o país desde os anos 80.

O Sarau Bem Black é coordenado pelo poeta e professor Nelson Maca. Além dos poetas residentes, o microfone é aberto à plateia, para que possa exercitar sua poesia em público. Desde sua inauguração, em setembro de 2009, o sarau conta com a presença constante do Dj Joe, que homenageia, semanalmente, um artista ou conjunto da música negra mundial. Para a edição que recebe Cuti, haverá uma seleção de samba rock, ambientando e dialogando com os poemas declamados.

A agenda de Cuti em Salvador inclui participação na Semana de Letras da UCSal. Ele ministrará o minicurso Literatura Negro-Brasileira, dias 26 e 27, das 8h às 12h, no Campus da Lapa, com inscrições a R$ 10,00. As inscrições já estão abertas no Centro Acadêmico de Letras no Campus da Lapa. Também no dia 27, o escritor segue para o Instituto de Letras da UFBA, onde fecha sua agenda oficial na Bahia num bate papo com alunos cotistas e bolsistas dos projetos Rasuras, PET - Comunidades Populares, e Conexões de Saberes, a partir das 15h.

SERVIÇO
Evento I: Sarau Bem Black – Recital Poético
e lançamento do livro Lima Barreto de Cuti
Quando: 25/05 (quarta-feira), às 19h
Onde: Sankofa African Bar (Pelourinho)
Realização: Blackitude: Vozes Negras da Bahia
Entrada Franca

Evento II: Minicurso “Literatura Negro-Brasileira”
e lançamento do livro Lima Barreto de Cuti
Quando: 26 e 27/05 (quinta e sexta-feira), das 8h às 12h
Onde: Campus Lapa – Auditório / Rua Joana Angélica
Realização: Semana de Letras da UCSal (8119-4890 / 9182-2226)
Inscrição: Centro Acadêmico de Letras / R$ 10,00

Evento III: Bate-papo com alunos cotistas e bolsistas
e lançamento do livro Lima Barreto de Cuti
Quando: 27/06 (sexta-feira), às 15h
Onde: Instituto de Letras da UFBA / Campus de Ondina
Realização: Projetos Rasuras, PET- Comunidades Populares e
Conexões de Saberes (9917.1390)

FICHA
Livro: Lima Barreto – Coleção Retratos do Brasil Negro
Autor: Cuti
Editora: Selo Negro Edições
Preço: R$ 22,00 (128 páginas)

Palestra e lançamento de cartilha sobre Zumbi dos Palmares - BA

 (Clique na imagem para ampliá-la)

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Argélia – 50 anos da morte de Fanon e 45 d’A Batalha de Argel - RJ

O Laboratório de Pensamento Social do CPDOC/FGV (LAPES), convida para a palestra de Arthur Poerner (1939). Poerner é escritor e jornalista carioca, ex-presidente da Fundação MIS/RJ e do Sindicato dos Escritores do Estado. Ex-prof. de Jornalismo da UERJ, trabalhou no Jornal do Commercio, Correio da Manhã, Voz da Alemanha, Pasquim, Istoé, Jornal do Brasil, TV-Globo, membro da ABI e tantos outros. Autor de vários livros, entre eles: O poder jovem: história da participação política dos estudantes brasileiros, na 5ª edição, e o romance Nas profundas do inferno, lançado na Espanha, premiado na Itália.


Data: 27 de maio de 2011, sexta-feira, às 15h
Local: Fundação Getulio Vargas, sala 306, 3º andar
Praia de Botafogo, 190.

Terreiros devem ser tombados ou registrados?

Evento do IPAC com entrada franca no Conselho de Cultura da Bahia acontece no Dia Mundial da África (25.05) instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) desde 1972

Os terreiros de candomblé na Bahia são patrimônios materiais ou imateriais? Eles devem ser tombados – salvaguarda para bens tangíveis – ou registrados – para bens intangíveis? A importância deles está nas suas edificações ou nos símbolos e signos culturais desses espaços sagrados de matriz africana? Essas e outras perguntas servirão de base para o próximo encontro do “Conversando sobre Patrimônio”, projeto do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC), que convida especialistas para discutir importantes temas sobre bens culturais baianos.

Com a temática da "Salvaguarda do Patrimônio Cultural Afro-brasileiro", o encontro acontece nesta quarta-feira, 25 de maio (2011), às 14h no Conselho Estadual de Cultura (Palácio da Aclamação, Av. 7 de Setembro, 1330, Campo Grande/Forte de São Pedro). A entrada é franca e a reunião ocorre para marcar o “Dia Mundial da África” instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) desde 1972

“O reconhecimento oficial da importância da tradição afro-brasileira pelos poderes públicos constituídos é muito recente, já que somente em 1984 o governo federal tombou pela primeira vez na história do Brasil um espaço sagrado de matriz africana”, ressalta o diretor geral do IPAC, Frederico Mendonça.

Um dos maiores expoentes da antropologia brasileira, o professor doutor do Museu Nacional (UFRJ), Gilberto Velho, foi relator do tombamento pelo Iphan/MinC do terreiro de candomblé Casa Branca, em Salvador. Há mais de vinte anos atrás a decisão já foi muito polêmica. “O Iphan geralmente tomba apenas terreiros considerados matrizes, como a Casa Branca, o Bate Folha, o Alaketu, entre outros, e precisamos estudar mais profundamente essas proteções do poder público”, diz Mendonça.

A salvaguarda oficial permite prioridade, do bem tombado ou registrado, nas linhas de apoio financeiro municipais, estaduais, federais ou até internacionais. A dúvida é que existem ou podem ser criados, via decretos estaduais, outras propostas de proteção. No IPAC já existem o tombamento, o registro para manifestações culturais tradicionais, como algumas festas populares, e o registro de lugar, que não tomba o espaço, mas o considera relevante oficialmente. Já em outros estados existem as Áreas de Proteção do Ambiente Cultural (Apacs), como no Rio de Janeiro, utilizadas pela prefeitura para proteger certos bairros ou regiões "descaracterizadas".

Os palestrantes serão os professores doutores da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Fábio Velame e Márcia Santa'anna. Fábio é doutor em Conservação e Restauro, com ênfase em patrimônios imateriais, manifestações culturais e suas relações com arquitetura e cidade, atuando principalmente nos territórios tradicionais e arquitetura étnico-africana e afro-brasileiras, habitação escrava, quilombos, terreiros de candomblé e afoxés, entre outros. Já Márcia é mestre em Conservação e Restauro, doutora em Urbanismo e ex-diretora do Departamento do Patrimônio Imaterial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

O IPAC é responsável pela política pública de preservação e difusão dos bens culturais baianos. As palestras são abertas ao público. Mais informações via telefones 3117-6491 e 3117-6492, ou endereço eletrônico astec.ipac@gmail.com.

Assessoria de Comunicação IPAC – em 22.05.2011 - Jornalista responsável Geraldo Moniz (drt-ba 1498) – (71) 8731-2641. Contatos: (71) 3117-6490, ascom.ipac@ipac.ba.gov.br - www.ipac.ba.gov.br - Facebook: Ipacba Patrimônio - Twitter: @ipac_ba

Lançamento do grupo de pesquisa Griot:: Culturas Populares, Diáspora Africana e Educação na UFBA - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

Jovens, negros e mulheres serão os próximos a conhecer o Plano Brasil sem Miséria

23 de Maio de 2011

Previsto para ser lançado em junho, o Plano Brasil sem Miséria está sendo apresentado pelo governo a integrantes de movimentos sociais. Ao longo da última semana, os representantes de trabalhadores rurais e de movimentos sociais urbanos foram os primeiros a conhecer as diretrizes da política que tem a meta de retirar 16 milhões de pessoas da extrema pobreza até 2014.

Nesta segunda-feira (23) as diretrizes da nova política do governo serão apresentadas a representantes de organizações não governamentais e de movimentos de jovens, negros e mulheres.

Até o final do mês, a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, se reunirão ainda com representantes de sindicatos, do setor industrial, agronegócio e de igrejas.

Nesses encontros, as demandas e sugestões de cada área são ouvidas e poderão ser incluídas no plano. Os representantes de movimentos sociais urbanos, como os de moradia popular, recebidos na última quinta-feira (19), enfatizaram a necessidade de que a construção de casas para famílias pobres ocorra de forma coordenada com a implementação de políticas sociais para atender essas famílias.

“É importante atrelar o combate à pobreza à urbanização das favelas, à construção de moradias, mas não adianta construir casa e não ter ações de combate à miséria junto com a capacitação profissional e ações nas áreas de saúde e educação”, disse a coordenadora da União Nacional por Moradia Popular, Ivaniza Rodrigues, que participou do encontro.

Para Ivaniza, ouvir os movimentos sociais é fundamental para que as medidas sejam bem direcionadas, já que cada segmento tem características específicas. “É importante conversar com os diversos setores. Combater a pobreza não é uma ação isolada do governo. Precisa de participação dos movimentos sociais”, afirmou.

Primeiros a discutir com o governo as linhas gerais do Plano de Erradicação da Miséria, os trabalhadores rurais pediram que o tema do acesso à terra seja central para o combate à pobreza no campo e querem que o texto contemple a necessidade de acelerar o processo de reforma agrária.

Após as reuniões, a ministra Tereza Campello disse que não será difícil acolher as reivindicações recebidas por que a maior parte delas já está contemplada no plano. “A maior parte das questões colocadas têm uma grande aderência com o que nós já estamos propondo”.

O Plano Brasil sem Miséria tem entre as principais metas elevar a renda familiar per capita das famílias que vivem com renda mensal de R$ 70, ampliar o acesso aos serviços públicos, às ações de cidadania e às oportunidades geradas por políticas e projetos públicos.

Fonte:
Portal Brasil
Agência Brasil 

domingo, 22 de maio de 2011

NEPAA inscreve para curso de Cinema Internacional da Afrodiáspora - RJ

O Núcleo de Estudos das Performances Afro-Ameríndias (NEPAA/UNIRIO) promove o curso “Cinema Internacional da Afrodiáspora” entre os dias 24 de maio e 5 de julho, com a Profa. Dra. Irline François, do Goucher College, em Maryland (EUA). As aulas ocorrem todas as terças-feiras das 18h às 21h, na Sala de Audiovisual da Escola de Teatro da UNIRIO (Av. Pasteur, 456, 4º andar, Urca).

O curso traz uma seleção de filmes da afrodiáspora mundial contemporânea produzidos, dirigidos e escritos por homens e mulheres dos Estados Unidos, Caribe e de países da América Latina, Europa e África, nas últimas três décadas. Através da exibição dessas obras e de debates, o curso pretende tratar dos estereótipos que permearam o cinema negro, as políticas antirracismo, as obras de artes diaspóricas, as comunidades imaginadas e as redes transculturais. Também serão abordados temas ligados a comportamento não verbal, iluminação, câmera e técnicas de representação. São oferecidas 60 vagas, e os interessados em participar podem se inscrever gratuitamente pelo e-mail hectorgomes8484@yahoo.com.br até o dia 24 de maio.

Sobre Irline François:

Professora de Gênero, Filme e Literatura Comparada da Goucher College (EUA), Irline François foi premiada pelo Programa Fullbright (Programa de Intercâmbio Educacional e Cultural do Governo dos Estados Unidos da América) para trabalhar como professora visitante do NEPAA. Irline ministra cursos sobre filmes afrodiaspóricos, Movimentos Sociais Latino-Americanos, Literatura Comparada e Literatura e Teoria de Filmes Feministas Transnacionais.

PROGRAMAÇÃO DE FILMES E DEBATES:

Dia 24 de maio: Introdução
Filme: “The Agronomist”
Diretor: Jonathan Demme
Documentário, Cor, 90 minutos, 2005

Dia 31 de maio: “Comunidades francesas transculturais”
Filme: “35 Rums”
Diretor: Claire Denis
Narrativo, Cor, 100 minutos, 2010

Dia 7 de junho: “Renovação do Espírito”
Filme: “Sankofa”
Diretor: HaileGerima
Narrativo, Cor 125 minutos, 1993

Dia 14 de junho: “1935: Sementes do Movimento dos Direitos Civis dos EUA”
Filme: “The Great Debaters”
Diretor: Denzel Washington
Narrativo, Cor 124 minutos, 2008

Dia 21 de junho: “Triangulações de Paternidade, Classe, Raça e Sexualidade”
Filme: “Eve’sBayou”
Diretor: KasiLemmons
Narrativo, Cor, 109 minutos, 2003

Dia 28 de junho: “Fragmentos de uma Vida, História, Política Sexual Negra, Correntes Transculturais”
- Filme: “Looking for Langston”
Diretor: Isaac Julien
Documentário, Preto e Branco, 88 minutos, 2007
- FilmeAlternativo: “Jean-Michel Basquiat: RadiantChild”
Diretor: TamraDavis
Documentário, Cor, 88 minutos, 2010

Dia 5 de julho: Emigrantes duplamente desterrados
Filme: “Mississippi Marsala”
Diretor: Mira Nair
Narrativo, Cor, 118 minutos, 2003

sábado, 21 de maio de 2011

5ª Semana da África - BA


V SEMANA DA ÁFRICA DE 23 A 25 DE MAIO DE 2011
Tema: Bahia: a revisitação das matrizes civilizatórias africanas na diáspora
www.vsemanadaafrica.com.br
PROGRAMAÇÃO

ABERTURA:
Local: Auditória da Reitoria da UFBA – Canela
DIA: 23 de Maio (segunda–feira)
            
17h20–Recepção

18h00– Sessão solene de abertura da Semana da África                
Msc. Augusto Cardoso - Comissão Organizadora
Drª. Reitora  Dora Leal Rosa
             Dr. Fernando Schmidt
Dr. Almiro Sena
Dr. Reitor  Lourisvaldo Valentim
Dr. Marcio Meireles
Dr. Jaime Sodré
Dr. Mamadu Lamarana  

Saudação musical:
Kainã e Luisinho do Jeje 
Srª. Wil Carvalho e Dão – Hino Nacional Brasileiro
Coral do Colégio Estadual Renan Baleeiro
Dudu Rose – Senegal

Palestrante:
            Prof. Dr. Jaime Sodré

DIA 24 DE MAIO (TERÇA–FEIRA)

SESSÕES TEMÁTICAS            
Local: Faculdade de Economia Auditório UFBA – (Praça da Piedade)

MESA – 01
9h00 – 10h30  
Prof. Dr. Ubiratan Castro – Semelhanças Civilizatórias Bahia África 
Prof. Jorge Portugal – A civilização Africana e a Diáspora na Educação 
Profa. Myriam Fraga – A África em Jorge Amado
Prof. Dr. Lívio Sansone – UFBA e Estudantes Africanos
Prof. Dr. Mamadu Lamarana Bari– A experiência Africana na Bahia
Moderadora: Milene de Macedo Sena - Especialista - educação–UFBA
Intervalo: 10h30 11h00

Mesa - 02
11h00 – 12h30 
Profª. Drª. Maria Célia – Museu e a memória civilizatória africana
Dr. Rogério Andrade Barbosa contos tradicionais afro-brasileiros e a Educação
Sra. Cleidiana Ramos – A cobertura jornalística africana na Bahia e no Brasil
Dr. Elias Sampaio – Redes sociais e a civilização Afro-baiana
Dr. Eraldo Moura Costa – A cooperação baiana no campo da saúde para África
Dirceu Martins – Política de ação afirmativa e os estudantes africanos
Prof. Nelson Maca – Hip Hop e Rap numa poética africana
Moderadora: Ardjana F. Rubaldo (Mestranda - Estudo Feminista-UFBA)
        
12h30 – 14h00 – Almoço
Mesa – 03
14h00 – 15h00
Profª. Msc. Vilma Reis – Papel civilizatório das mulheres: África e Bahia
             Dr. Hippolyte Brice Sogbossi - Etnicidade e culturas na África e sua importância na Diáspora.
Drª. Alzira Sousa -
Dr. Ailton Ferreira – SEMUR- Salvador e a ação civilizatória africana
Msc. Victor Insali – África e Direitos humanos 
Moderadora: Cremilde Alves - Mestranda Sociologia
15h0015h30 - Intervalo

SESSÃO DE COMUNICAÇÃO
15h3018h00
            Apresentação de trabalhos pelos estudantes
Moderadora: Lidiane Duarte Varela (Graduanda Odontologia - UFBA)    

DIA 25 DE MAIO
9h00 – 11h30  
            Dr. Rogério Andrade Barbosa – A literatura e contos tradicionais afro-brasileiros e africanos.
            Dr. Juscelino De-gaulle Cunha Pereira – Guiné-Bissau
            Dr. Nirlene Nepomuceno - Universo da diáspora afro-latino-caribenha
            Prof. Msc. Camilo Afonso - Cooperação África e Bahia
            Prof. Dr. Claudio Furtado – Pensamento Africano
            Profª. Drª. Maria de Lurdes Siqueira – Ação civilizatória das mulheres          africanas na Diáspora   

ENCERRAMENTO

15h00
         Apresentação Cultural Africana 
         Dr. Albino Rubin – Intercâmbios Culturais e real cooperação  África Brasil

DIA 28 DE MAIO (sábado)- VILA VELHA - CRIAÇAS
SEMENTE DO FUTURO - GRIOT / GRIÔS
9h00 12h00
       Teatro Monteiro Lobato
       Elias – Mamulengos
       Africanos e Jorge