SEGUIDORES DO BLOG




CALENDÁRIO NEGRO - MARÇO

1 – Nasce Ralph (Waldo) Ellison professor e escritor norte-americano, ganhou eminência com seu primeiro romance, “O Homem Invisível”, de 1952 (1913-1994)

2 – Ocorre o primeiro carnaval oficial de escolas de samba do Rio de Janeiro, RJ (1935)
2 – Dia da Mulher Angolana
2 – Aprovada lei proibindo o tráfico de escravos africanos nos Estados Unidos (1807)
2 – Festa Nacional de Marrocos (1956)
3 – O paulista Domingos Jorge Velho assina em Pernambuco, com o governador da capitania, o contrato mediante o qual se dispunha a destruir o Quilombo dos Palmares (1687)
3 – Publicado alvará pelo qual os negros dos quilombos, toda vez que fossem aprisionados, para ser restituídos aos donos deviam ser marcados na espádua com um "F" por meio de ferro em brasa (1741)
3 – Em discurso, o presidente da Bahia, Francisco de Souza Martins afirmou que era necessário "fazer sair do território brasileiro todos os libertos africanos perigosos à nossa tranquilidade" (1835)
3 – Inauguração na cidade do Rio de Janeiro, da Avenida dos Desfiles, popularmente chamada de Sambódromo, hoje por lei denominada Passarela do Samba (1984)
3 – Nasce no Rio de Janeiro o cantor e compositor Jards Anet da Silva - Jards Macalé (1943)

3 – Nasce Jackie Joyner-Kersee, atleta estadunidense, considerada por muitos como a maior atleta feminina da história (1962)

4 – É deferido pela Regência o pedido de deportação dos africanos libertos envolvidos na Revolta dos Africanos ou Revolta dos Malês na noite de 24 e 25 de janeiro (1835).
4 – Nasce em Township, África do Sul, a cantora Mirian Makeba (1934)
5 – Fundação, em Salvador (BA) do Olori Afoxé (1981)

5 – Nasce Chiwoniso Maraire, cantora do Zimbabwe (1976-2013)

6 – Independência de Gana, primeiro país da África Negra a tornar-se independente (1957)
6 – Abolição da escravatura no Equador (1854)
7 – Grande marcha pelos direitos civis, de Selma à Montgomery, liderada por Martin Luther King Jr. (1963)
8 – Nasce no bairro de Periperi, Salvador (BA), o Bloco-Afro Ara Ketu (1980)
8 – Aprovada, na África do Sul a nova Constituição, que aboliu oficialmente o apartheid, regime racista dominado pela minoria branca (1996)

8 – Nasce Neusa Borges, atriz (1941)
9 – Nasce, na cidade de Recife (PE) o cantor e compositor José Bezerra da Silva - Bezerra da Silva (1938)
9 – Nasce, no bairro do Andaraí, Rio de Janeiro, a bailarina Isaura de Assis (1942)
9 – Nasce, em Colina (SP), o poeta Paulo Eduardo de Oliveira, Paulo Colina. Publicou "Fogo Cruzado", "Senta que o Dragão é Manso", participou também da "Antologia Contemporânea da Poesia Negra Brasileira" e "Cadernos Negros" (1950)
9 – Realiza-se, em Petrópolis (RJ), o I Encontro de Franciscanos Negros (1988)
10 – Nasce, em Tubarão (SC), Apolinária Mathias Batista - Mãe Apolinária, fundadora da "Sociedade Caboclos Amigos" em Porto Alegre (RS) (1912)
11 – Nasce, na Praça Mauá (RJ), a atriz Léa Garcia (1933)
12 – Independência das Ilhas Maurício (1968)

13 – Nasce Iziane Castro Marques, jogadora de basquete brasileira (1982)
14 – Nasce na Fazenda Cabaceiras, município de Muritiba (BA), Antônio de Castro Alves, o "poeta dos escravos". É um dos poetas mais populares do país, autor de "Vozes d'África, "Navio Negreiro", "A Cachoeira de Paulo Afonso", "Saudação aos Palmares", "Adormecida" e outros (1847)
14 – Nasce, em Juiz de Fora (MG) o cantor e compositor Sinval Machado da Silva, Sinval Silva, o compositor predileto de Carmem Miranda (1906)
14 – Nasce, em Franca, São Paulo, o artista e político Abdias Nascimento, fundador do TEN – Teatro Experimental do Negro (1914)
14 – Nasce, em Sacramento, Minas Gerais, a escritora Carolina Maria de Jesus, autora de "Quarto de Despejo" (1914)
14 – É lançado em Salvador, Bahia, o jornal O Abolicionista (1871)
14 – Realiza-se, em São Paulo, o I Encontro dos Agentes da Pastoral Negros (1983)

15 – Nasce Cecil Taylor, músico e compositor estadunidense, foi o pianista mais importante do free-jazz (1929)

16 – Surge nos Estados Unidos o Freedom's Journal, o primeiro jornal com temática negra da América (1827)
16 – Nasce em Japaratuba (SE), o artista plástico, Arthur Bispo do Rosário (1911)
16 – Nasce em Montgomery, Alabama, (EUA), o cantor e pianista Nahaniel Adams Coles - Nat King Cole (1919)

17 – Nasce Nathaniel Adams Coles, Nat “King” Cole, um dos mais importantes pianistas de jazz, cantor e compositor do século XX (1919-1965)

18 – Nasce Queen Latifah, cantora, rapper, atriz, compositora, modelo, produtora musical, comediante e apresentadora estadunidense (1970)

18 – Nasce Vanessa Lyn Williams, cantora, atriz e compositora estadunidense, famosa por ter sido a primeira Miss America Negra, em 1983 (1963)

19 – Nasce, em Pateoba (BA), o cantor e compositor José de Assis Valente, autor de inúmeros sucessos como: "Camisa Listada", "Boas Festas" e do samba antológico "Brasil Pandeiro" (1908)
19 – Inicia-se o I Encontro Estadual de Conscientização e Cidadania Negra, no Estado do Rio de Janeiro (1988)
20 – Nasce, no Rio de Janeiro, o ator e cantor lírico, Manuel Claudiano Filho - Claudiano Zani (1926)
21 – Nasce, no Rio de Janeiro (RJ), o radialista, humorista, cronista e compositor Haroldo Barbosa (1915)
21 – Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
21 – Independência da Etiópia (1975)
21 – A polícia sul-africana atira contra um cortejo fúnebre de quinhentas pessoas no bairro negro de Langa, na periferia da cidade de Uitenhage, matando 21 manifestantes. O dia ficou conhecido como "Quinta-feira Sangrenta" (1985)
21 – Independência da Namíbia (1990)
21 – Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial, em memória das vítimas do massacre de Shapeville, na África do Sul (1960)
21 – Zumbi dos Palmares é incluído na galeria dos heróis nacionais (1997)
22 – O explorador negro Alonso Pietro se incorpora à expedição de Cristóvão Colombo (1492)
22 – Nasce em Madureira (RJ), o cantor e compositor Jorge Duílio Lima Menezes - Jorge Benjor, autor de "Chove Chuva", "Cadê Teresa", "África-Brasil (Zumbi)", "País Tropical", "Que Maravilha", entre outros sucessos (1944)
23 – Abolição da escravidão em Porto Rico (1873)

24 - É oficializada a abolição da escravatura na Venezuela (1854)
25 – Proclamação nesta data da libertação final de todos os escravos existentes na Província do Ceará (1884)
25 – Nasce, em Detroit, Michigan Estados Unidos, a cantora Aretha Franklin (1942)
25 – Criação, no Rio de Janeiro do jornal A Voz do Morro (1935)
25 – Nasce Aristides Barbosa, jornalista, educador e ex-militante da Frente Negra (1920)

26 – Nasce Diana Ross, cantora e atriz estadunidense, foi a líder do grupo musical "The Supremes” (1944)

27 – Nasce, numa família de músicos e artistas de Newark, Nova Jersey (EUA), a cantora de jazz, Sarah Louis Vaughan - Sarah Vaughan (1924)

27 – Nasce Luiza Helena de Bairros, socióloga, ativista do do Movimento Negro Unificado e feminista negra (1953)
28 – Nasce, em Cabo Frio (RJ), Antônio Gonçalves Teixeira e Souza, considerado um dos precursores do romantismo e autor do primeiro romance brasileiro: "O Filho do Pescador" (1843)
28 – Fundação, em Pelotas (RS) do Clube Abolicionista (1884)

29 – Nasce Lee ("Scratch") Perry, compositor, cantor e DJ jamaicano, um dos nomes mais destacados da música reggae (1936)

30 – Os homens afro-americanos conquistam direito ao voto nos EUA (1870)

30 – Nasce Maria Bibiana do Espírito Santo, Mãe Senhora, ialorixá do Ilê Axé Opô Afonjá (1900)
31 – Fundação, em Campos, Rio de Janeiro, da Sociedade Emancipadora Campista (1870)

.

Pesquisa personalizada

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Dissertação da UNEB aborda a aplicação da Lei n. 10.639/08 - BA

A PALAVRA E A ESCOLA
NEGOCIAÇÃO E CONFLITO NO TRABALHO COM A LEI 10.639/03 
Deyse Luciano de Jesus Santos

Banca Examinadora:
Gabriele Grossi – UFRB
Sueli Mota – UNEB
Valdélio Santos Silva – UNEB  
 
Lívia Fialho Costa (Orientadora)  
Dia 14 de junho às 15:00 
Auditório do PPGEduc - UNEB (Campus I)

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Somos todas rainhas

A coleção História das Mulheres Negras: Passado, Presente e Futuro possui o objetivo de resgatar, valorizar e divulgar o papel e a importância das mulheres negras na sociedade brasileira, nas Américas e no mundo, pois sua contribuição foi negada na história oficial do Brasil durante anos.

Leia a cartilha através do site: http://afrika.org.br/str-web/ 
 

Biko promove discussão sobre a criança no cotidiano escolar - BA

A Biko celebrando seus 20 anos lhe convida a refletir em :

Falas e silêncios: conversando sobre o racismo, a criança negra e o cotidiano da escola particular

Profa Marilia Carvalho Soares
psicóloga, psicanalista, mestra em Estudos Étnicos e Africanos pela UFBA com a dissertação intitulada:
Relações Raciais e Subjetividades de Crianças em uma Escola Particular na Cidade de Salvador

Quando - 2/6/2012(sabado)
Horario - 14:30
Local - Forte da Capoeira, Largo do Santo Antônio

terça-feira, 29 de maio de 2012

Encontro "A juventude senegalesa e o destino do país: as eleições de 2000 e 2012" - RJ

Casa das Áfricas convida:
Círculo Áfricas: contribuições de intelectuais e artistas africanos no Brasil
 
O Projeto Círculos Áfricas tem como objetivo organizar encontros inspirados no formato dos Círculos de Cultura de Paulo Freire com temáticas ligadas à África e às culturas africanas. Pretende-se contribuir para a discussão sobre a coexistência e da diversidade com foco no diálogo com os artistas, pesquisadores e professores africanos que hoje compõe nossas universidades ou atuam nas diversas modalidades dos espaços culturais no país. Isto nos permite aprofundar conhecimentos sobre África e culturas africanas, respondendo a uma necessidade social e, ao mesmo tempo, contribuindo para o fortalecimento da Lei 10.639/2003. O Círculo Áfricas valoriza as contribuições acadêmicas de nossas universidades e abre o debate com setores da sociedade que teriam dificuldade em acessá-los. Os Círculos Áfricas dá continuidade a uma série de encontros sobre "Estudos africanos no Brasil: memórias de seus protagonistas”.
 
Encontro: A juventude senegalesa e o destino do país: as eleições de 2000 e 2012
Prof. Dr. Alain Pascal Kaly (UFRRJ)
 
A configuração geográfica do Senegal atual data de 1960. Entre 1833 até 1959, o território do atual Senegal era dividido em: “les Quatre Communes” (municípios franceses em território africano) que eram compostos pelas cidades de: Ilha de Gorée, Saint Louis, Dakar e Rufisque. Ao longo deste período, os habitantes destas cidades eram todos franceses e deviam eleger deputados para representá-los na Assembléia Nacional em Paris. A cidade de Saint era a capital da África Ocidental Francesa (AOF) e também era a capital da colônia do Senegal e da Mauritânia. No início do século XX, Dacar passa a desempenhar a mesma função administrativa e a cidade de Saint Louis permaneceu como a capital da colônia do Senegal e da Mauritânia até 1960. O resto do atual país era a colônia do Senegal. De 1833 até a eleição de Blaise Diagne, todos os deputados eleitos eram brancos ou mestiços. A eleição de Blaise Diagne inaugura uma nova era: presença de deputados negros nascidos na África que culminará com a eleição de Leopold Sedar Senghor em 1946 com apoio das autoridades francesas e os chefes das confrarias muçulmanas. A partir de 1960, sem o apoio dos chefes religiosos muçulmanos das confrarias, nenhum senegalês podia ganhar as eleições presidenciais. A importância das autoridades muçulmanas na vida política eleitoral do Senegal perde drasticamente seu peso nas eleições de 2000 quando a juventude ( os cantores de hip hop sobretudo) faz campanha em prol da mudança do regime político.
 
Alain Pascal Kaly Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (1995), mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (1999), e doutorado em Sociologia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2005). Atualmente é professor adjunto do Departamento de História no Instituto de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), e pequisa os seguintes temas: relações raciais, colonialismo, sociedades de castas na África Ocidental, violência, direitos humanos e migrações.
 
Data: 31/05/2012 – 19h30min
Local:  OFICINA CULTURAL OSWALD DE ANDRADE
Rua Três Rios, 363 - Bom Retiro – Metrô Tiradentes
Não é necessário realizar inscrição
Entrada franca

Mapa mostra fluxo de trabalhadores escravos no país

Geógrafo de Prudente produz atlas do trabalho escravo
Perfil típico é de homens, migrantes e analfabetos usados para o desmatamento
[22/05/2012] 

Eduardo Paulon Girardi, professor da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp de Presidente Prudente, é um dos geógrafos autores do Atlas do Trabalho Escravo no Brasil. Escrito juntamente com Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello e Julio Hato, da USP, o material caracteriza pela primeira vez a distribuição, os fluxos, as modalidades e os usos do trabalho escravo no país, nas escalas municipal, estadual e regional. Ouça Podcast.
Segundo o Atlas, o perfil típico do escravo brasileiro do século XXI é um migrante maranhense, do Norte do Tocantins ou do Oeste do Piauí. Também é típico que seja do sexo masculino e analfabeto funcional. Em geral esses trabalhadores são levados para as fronteiras móveis da Amazônia, em municípios de criação recente, onde são utilizados principalmente em atividades vinculadas ao desmatamento.
A obra utiliza fontes oficiais e consolidadas do Ministério do Trabalho e da Comissão Pastoral da Terra e detalha as ocorrências por setores da economia e em todo o território nacional. Atividades relacionadas com pecuária ou carvão vegetal, em certas regiões da Amazônia, estão entre os exemplos de risco muito alto de existência de trabalho escravo.
Além do diagnóstico inédito, o Atlas oferece dois produtos novos para a sociedade brasileira: o Índice de Probabilidade de Trabalho Escravo e o Índice de Vulnerabilidade ao Aliciamento. De acordo com o autor, essas são ferramentas inovadoras e essenciais para gestores de políticas públicas e que podem contribuir expressivamente para o planejamento governamental no combate a essa prática criminosa que ainda é adotada no Brasil. Ele destaca também que, com esses dados, financiadores e empresas podem evitar associações com empresários ligados ao trabalho escravo.
O livro está disponível somente em versão digital no endereço http://migre.me/9bewu. Ele foi lançado pela Amigos da Terra – Amazônia Brasileira, uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP). 

Assessoria de Comunicação e Imprensa

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Programa de Palestras do Prof. Victorien Lavou Zoungbo, Universidade de Perpignan/França - BA

31/05/12 - Nominação da Escravidão e Disputas Políticas: Exemplo da França Comparado ao Brasil 19hs
01/06/12  Heterogeneidade Sócio-Cultural e Literaturas Africanas 

Local:  Auditório Milton Santos, CEAO, Largo 2 de Julho, Centro, Salvador/BA
Horário: 19h.

Dissertação aborda as trajetórias de Beatriz Nascimento e Lélia Gonzalez - BA

Defesa de Dissertação:
Título: "Revisitando os percursos intelectuais e políticos de Beatriz Nascimento e Lélia Gonzalez" 
Autora: Ires Anjos Brito

Banca Examinadora:
Profa. Dra. Florentina Souza (Orientadora/UFBA)
Prof. Dr. Nilo Rosa Santos (UEFS)
Profa. Dra. Angela Figueiredo  (UFRB)

Data: 01 de junho de 2012
Local: Auditório Milton Santos - CEAO (Lgo. 2 de Julho - Centro)
Hora: 15hs

domingo, 27 de maio de 2012

Direito à diversidade na Educação Infantil é tema de encontro - BA

O Projeto Ciranda Reflexiva, promovido pelo Fórum Baiano de Educação Infantil (FBEI), vai debater o tema "Diversidade etnicorracial: como garantir esse direito na Educação Infantil?" - no dia 1º de junho. O encontro será com Flávia Damião e Eduardo Oliveira e está programado para o Auditório I da Faculdade de Educação da UFBA, às 14 horas, com entrada gratuita. Informações pelo e-mail fbei2005@yahoo.com.br 

FONTE: Jornal  A Tarde, 27.05.2012

sábado, 26 de maio de 2012

I Ciclo de Debates Genocídio da Juventude Negra e Lei 11.645\08. Qual o Papel da Educação e dos Educadores? - PB




Local: Mini-Teatro Paulo Pontes do Teatro Municipal Severino Cabral (Campina Grande)
Datas: 04, 11, 18 e 25 de Agosto

Dia 04 de Agosto- 09:00hs
Palestra: juventude negra, genocídio e violência urbana.
Expositora: Vilma Reis- ativista do movimento de mulheres negras, professora da UNEB e Presidenta do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra da Bahia.
Palestra: história dos africanos, luta de classes e cultura afro-brasileira na vida do historiador e líder operário Manuel Querino.
Expositora: Maria das Graças Andrade Leal-professora da UNEB e Doutora em História.

Dia 11 de Agosto- 09:00hs
Palestra: métodos e técnicas para o ensino de história da África, cultura afro-brasileira e indígena na educação.
Expositores: Élio Flores- Doutor em História e professor da UFPB.
Palestra: candomblé, racismo e identidade negra nos meios de comunicação.
Palestrante: Jaime Sodré- professor da UNEB e Doutor em História Social.
Debatedor: José Pereira de Sousa Júnior: professor de História da África da UEPB e Doutorando pela UFPE.

Dia 18 de Agosto- 09:00hs
Palestras: valores civilizatórios africanos e cultura afro-brasileira no currículo escolar.
Educação, juventude negra e lei 11.645\ 08
Expositores: Severino Lepê- historiador, psicólogo, poeta, escritor e ativista do Movimento Negro de Pernambuco.
Marta Almeida: Coordenadora do Movimento Negro Unificado de Pernambuco- MNU.

Dia 25 de Agosto- 09:00hs
Palestra: extermínio da juventude negra, relações de gênero e políticas públicas para a igualdade racial.
Expositores: Cristóvam Andrade- Mestre em Sociologia e professor da UEPB.
Joanice Conceição: Pedagoga, Doutora em Ciências Sociais, Pesquisadora do Programa Nacional de Pós- Doutorado da CAPS, pela Pós- Graduação em Antropologia da UFPB.
Doutora em Ciências Sociais/Antropologia da PUC-SP
Membro do Grupo de Pesquisa Ritual, Festa e Performance
Associada ao Centro de Estudos Africanos - CEA- Lisboa PT;
Associada ao Centro em Redes de Investigação em Antropologia - CRIA – Lisboa PT.

Tempo em Curso "A variável cor nas estatísticas do Ministério do Trabalho e Emprego", Parte II

Prezado leitor e prezada leitora do “Tempo em Curso”.
Enquanto o portal do LAESER não volta ao ar, você pode acessar a edição de janeiro de 2012 do boletim eletrônico mensal de nosso Laboratório no seguinte link: http://www.slideshare.net/laeserieufrj/tempo-em-curso-janeiro-20121
O “Tempo em Curso” é dedicado ao estudo dos indicadores do mercado de trabalho metropolitano brasileiro desagregado pelos grupos de cor ou raça e gênero. A origem dos dados é a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Este número do “Tempo em Curso”, além de dados da conjuntura do mercado de trabalho no período, corresponde à continuidade do estudo especial realizado pelo LAESER, que consiste em uma comparação entre os indicadores do mercado de trabalho gerados pelas estatísticas do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e as bases de dados do IBGE.
Desta vez, foram comparados os indicadores selecionados sobre as desigualdades de cor ou raça no mercado de trabalho formal do país, segundo as bases da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e da Pesquina Nacional por Amostra de Domicílios (IBGE).
Nesse sentido, se de um lado, foi possível verificar que a RAIS, no que tange à variável Raça/cor, possui um viés decorrente de um peso relativo de trabalhadores brancos superior ao da PNAD, por outro lado, apresenta diversas informações que parecem compatíveis, tais como a forma de distribuição dos trabalhadores ocupados com carteira assinada pelo território nacional, pelos setores de atividades e as diferenças salariais verificadas.
Mais uma vez, nós do LAESER, contamos com vosso diálogo, críticas e reflexões.
Marcelo Paixão – Professor do Instituto de Economia da UFRJ; Coordenador do LAESER

quinta-feira, 24 de maio de 2012

UESC promove concurso "História dos afrodescendentes do sul da Bahia" - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

III Encontro Pensando Áfricas e suas Diásporas - MG

Universidade Federal de Ouro Preto
Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB)
Grupo de Estudos sobre Linguagens, Culturas e Identidades (GELCI)

III PENSANDO ÁFRICAS E SUAS DIÁSPORAS
I ENCONTRO DE ANTROPOLOGIA E EDUCAÇÃO
Pensando o Patrimônio Cultural Afro-Diaspórico
MARIANA - OURO PRETO/ MINAS GERAIS
26, 27 e 28/09/2012
1ª Circular

O III Pensando Áfricas e suas Diásporas e o I Encontro de Antropologia e Educação, que têm como tema principal Pensando o Patrimônio Cultural Afro-Diaspórico, são dois eventos concomitantes que pretendem promover a discussão sobre o patrimônio afro-diaspórico em suas mais diversas dimensões, tais como, manifestações culturais, lingüísticas, literárias, filosóficas, performáticas, dentre outras. O evento vem sendo pensado em conjunto com diversos grupos de pesquisa do país que têm como viés as questões étnico-raciais, de gênero e sexualidade, bem como a reflexão sobre a cultura afro-diaspórica.
Nesta circular convidamos pesquisadores para a apresentação de Grupos de Trabalho (GTs) e Sessões Coordenadas (SCs) dentro dos eixos temáticos selecionados para o evento. Poderão apresentar propostas para GTs pesquisadores com titulação mínima de mestres. Para as SCs, incentivamos a inscrição de grupos de pesquisa relacionados à temática do evento.
Seguindo as outras edições do Pensando Áfricas, o que pretendemos é que saiamos do evento com reflexões que não se reduzam apenas à simples certificação para fins curricullates.

PERÍODO DE INSCRIÇÕES:
a) De 21/05/2012 até 28/06/2012 – Inscrições de propostas de Minicursos, GTs e SCs.
Obs.: Os mini-cursos/ oficinas serão ministrados fora do âmbito da UFOP. A intenção é uma maior articulação com a população de Mariana e Ouro Preto.
Resultado: 30 de junho de 2012.
b) De 01/07/2012 até 10/08/2012 – Inscrições para comunicações individuais e
pôsteres.
Resultado: 17/08/2012

TAXAS DE INSCRIÇÃO
Categoria de participação Valor
Ouvinte e Integrantes de Movimentos Negros R$ 10,00
Estudante de graduação e profissional de educação básica R$ 20,00
Estudante de pós-graduação R$ 30,00
Docentes e profissionais de ensino superior R$ 50,00
Apresentação de resumos para todas as modalidades
Os resumos devem ser apresentados com extensão em Word (.doc) e deverão conter:
título da proposta em maiúsculo/negrito, separado por uma linha do nome, titulação e
instituição dos proponentes (não necessariamente instituições de ensino superior).
Extensão mínima de 200 e máxima de 500 palavras, em página A4 (21X29,7 cm), com
letra tamanho 12, fonte Times New Roman, justificado, sem parágrafo e margens de
2,5 cm, espaçamento simples.
*As inscrições deverão ser enviadas para o seguinte email: neab.ufop@gmail.com*
Serão aceitas propostas de Grupos de Trabalhos que estejam relacionados com os
Eixos Temáticos abaixo. Os Eixos Temáticos servem para nortear as propostas mas não
para restringi-las.
1. CORPO, SEXUALIDADES E MASCULINIDADES NEGRAS
2. GÊNERO E CONSTRUÇÕES DE FEMINILIDADES
3. EDUCAÇÃO E RELAÇÕES RACIAIS
4. EDUCAÇÃO PATRIMONIAL AFRO-DIASPÓRICA
5. HISTÓRIA DO NEGRO E DO INDÍGENA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA
6. AS ÁFRICAS E SUAS DIÁSPORAS NA LITERATURA
7. CULTURA, MEMÓRIA E TERRITORIALIDADES URBANAS E RURAIS
8. PATRIMÔNIO MATERIAL E IMATERIAL AFRO-DIASPÓRICO
9. HISTÓRIA E FILOSOFIA AFRICANA E INDÍGENA
10. PRÁTICAS DISCURSIVAS, ALTERIDADES E PERFORMATIVIDADES NEGRAS
11. SAÚDE E QUESTÕES ÉTNICO-RACIAIS NO BRASIL
12. RELIGIOSIDADES AFRICANAS E AFRO-DIASPÓRICAS
13. IDENTIDADES E RECONHECIMENTO DIASPÓRICO
14. ARTES VISUAIS, TEATRO E DANÇA NA DIÁSPORA NEGRA
Quaisquer dúvidas sobre o evento deverão ser encaminhadas para o seguinte endereço: neab.ufop@gmail.com
Mais informações: neabufop.blogspot.com
Organização: GELCI e Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da UFOP

terça-feira, 22 de maio de 2012

Ciclo de palestras "África por África" - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Programação do Seminário de Pesquisadores/as Negros/as do Nordeste - BA

SEMINÁRIO DE PESQUISADORES/AS NEGROS/AS DO NORDESTE


CIÊNCIA E TECNOLOGIA NO NORDESTE: A SAÍDA DA CRISE



O objetivo do seminário é reunir pesquisadores negros do Nordeste com objetivo de discutir as condições atuais das pesquisas no Brasil, tendo em vista apresentar propostas que possam contribuir para a reversão do quadro de desigualdade regional na produção de ciência e tecnologia.
O seminário pretende, assim, interligar e divulgar projetos e iniciativas em torno do debate sobre a produção de conhecimentos na regional Nordeste, buscando estrategias que visem apoio e convênios com instituições de fomento nacionais e internacionais.

PÚBLICO

Professores, pesquisadores, estudantes, ONGs e demais interessados no desenvolvimento da ciência e pesquisa no Brasil e no Nordeste.

 INSCRIÇÕES GRATUITAS



Programação

DIA 24 / maio / 2012
19h                                                                                                                                
CONFERÊNCIA DE ABERTURA
Profa. Dra.Maria de Lourdes Siqueira (UFMA)
Auditório, Módulo V - UEFS

DIA 25 / maio / 2012
9:00 às 12:00 hs
MESA REDONDA
Pesquisa e tecnologia: Bahia, Sergipe, Paraíba
Profa. Dra. Florentina da Silva Souza (UFBA)
Profa. Dra. Rosemere Ferreira da Silva (UFS)
Prof. Dr. Elio Flores (UFPB)

14 às 17:00 hs
MESA REDONDA              
Pesquisa e tecnologia: Ceará, Bahia, Alagoas
Profa. Dra. Joselina Silva (UFCE)
Prof. Ms. Romilson da Silva Souza (UNEB)
Profa. Dra. Nadir Nobrega (UFAL)

DIA 26/maio/2012
9:00 às 11:00 hs
MESA REDONDA
Relação institucional entre a ABPN, coordenações regionais e as associações locais: dilemas e controvérsias
Profa. Dra. Ana Rita Santiago (UFRB)
Profa. Dra. Florentina da Silva Souza (UFBA)
Prof. Dr. Ronaldo Sena (UEFS) – a confirmar
Prof. Dr. Wilson Roberto Matos (UNEB)
Prof. Dr. Nilo Rosa dos Santos (UEFS)

11 às 12 hs
Divulgação da Carta dos Pesquisadores Negros do Nordeste


COORDENADOR

Prof. Dr. Nilo Rosa dos Santos

COMISSÃO ORGANIZADORA

Florentina S. Souza
Letícia Ma. de Souza Pereira
Lilian Almeida dos Santos
Nilo Rosa dos Santos
Romilson Silva Sousa
Rosemere Ferreira da Silva

COMISSÃO CIENTÍFICA

Dra. Florentina da Silva Souza
Ms. Letícia Ma. de Souza Pereira
Dra. Maria de Lourdes Siqueira
Dr. Nilo Rosa dos Santos
Dra. Rosemere Ferreira da Silva
Ms. Romilson Silva Sousa


UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA - UEFS

 24. 25 e 26 de Maio
Feira de Santana – BA
2012

sábado, 19 de maio de 2012

Programação especial marca a Semana da África na TV Brasil

Entre as atrações estão os inéditos Caminhos da Reportagem dedicado a Quilombos e o Rede Jovem de Cidadania sobre Kora Brasil, um encontro sonoro entre instrumentos de cordas de origem africana e a música afro-brasileira. Também voltam ao ar os melhores momentos da primeira temporada da série Nova África e o longa "Mama África", produção brasileira de 2010, dirigida por Alê Braga.

Semana África



Rede Jovem de Cidadania

Kora Brasil. O encontro sonoro entre o instrumento de cordas de origem africana e a música afro-brasileira
Segunda(21) - 17h30

Brasilianas.org

As relações entre Brasil e África. Empresas brasileiras no continente africano e os novos arranjos internacionalizantes
Segunda(21) - 22h

Nova África

A Ilha de Moçambique. Conheça a história da antiga Colônia portuguesa
Segunda(21) - 20h00

Expedições

Quilombo dos Palmares. A história dessa nação, criada por negros fugidos de engenhos e terra de Zumbi, é a atração do Expedições
Terça(22) - 19h30

Nova África

A juventude em Moçambique. Perspectivas de vida dos jovens no país africano
Terça(22) - 20h00

A TV Que Se Faz no Mundo

Senegal. Programas musicais fazem grande sucesso na televisão do país
Quarta(23) - 00h00

Nova África

Zimbábue, que país é esse?. A luta pela posse da terra é um dos conflitos do país
Quarta(23) - 20h00

Nova África

Vida dos Himbas na Namíbia. Um registro da diversidade de paisagens desse território de colonização alemã
Quinta(24) - 20h00

Caminhos da Reportagem

Quilombos. Programa foi até a Bahia, Maranhão e Rio Grande do Sul para mostrar a luta e a resistência dessas comunidades
Quinta(24) - 22h00

Nova África

O Conflito entre Turismo e Ecossistema em Botsuana.. É possível o desenvolvimento sustentável na região?
Sexta(25) - 20h00

Nova África

O Povo San em Botsuana e o Povo Pigmei no Congo. Perseguição cultural e opressão econômica em Ruanda e Uganda
Sexta(25) - 22h00

Programa de Cinema

Mama África. Filmado em dez países do continente, documentário mostra um pouco das muitas Áfricas que o mundo desconhece
Sexta(25) - 22h30

Expedições

Quilombo dos Palmares. A história dessa nação, criada por negros fugidos de engenhos e terra de Zumbi, é a atração do Expedições
Sábado(26) - 16h00

Nova África

O congo moderno e os acampamentos. Programa mostra as riquezas do país assolado pela guerra civil por mais de uma década
Sábado(26) - 20h00

DOC Especial

Nelson Mandela. Um retrato da vida do líder africano e os episódios do fim ao apartheid
Domingo(27) - 22h30

Ver TV

A África no Brasil e o Brasil na África - vistos através da televisão. A realidade e a fantasia de lá e de cá mostradas na TV
Domingo(27) - 17h

sexta-feira, 18 de maio de 2012

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Ciclo de Filmes Etnográficos da UFBA - 25/05

O Ciclo de Filmes Etnográficos da UFBA exibirá, no dia 25 de Maio, das 13-15h, o filme Espelho Nativo.

Sinopse:
A comunidade indígena dos Tremembé protagoniza um documentário que busca, por meio de uma reflexão sobre as relações entre indígenas e a sociedade não-indígena, bem como através da interação dos indígenas com o fazer do documentário, aproximar-se das questões prementes que envolvem o tema da indianidade no estado do Ceará. Habitando o litoral norte do Ceará, os Tremembé lutam para afirmar sua contemporaneidade e assegurar os direitos reservados aos povos indígenas no Brasil. Por muitos anos, tiveram que se esconder para sobreviver à violência, ao extermínio e à invasão de suas terras tradicionais. Hoje, ao contrário, precisam mostrar quem são e reafirmar sua cultura. Nesse sentido, o filme indaga sobre quem são esses índios e como é possível manter uma cultura em meio a um intenso contato com não-indígenas, ao mesmo tempo em que discute que imagem se tem desses índios. Entre lutas e encantamentos, um espelho se abre, e, para além do mero reflexo das imagens, projeta luz e reflexão.

Ficha Técnica
Duração: 52 minutos
Autor e Diretor: Philipi Bandeira
Co-produção: Philipi Emanuel Lustosa Bandeira | Trio Filmes | Fundação de Teleducação do Ceará FUNTELC | ABEPEC - Associação Brasileira de Emissoras Públicas, Educativas e Culturais

Trailer

Candidaturas ao doutorado em Estudos Culturais

sem nome.png

 
O primeiro Programa Doutoral em Estudos Culturais em Portugal, acreditado pela A3ES e adequado ao Acordo de Bolonha, vai abrir o Edital de admissão de candidatos, para o ano letivo de 2012-13, entre 7 e 21 de Maio (http://www.ua.pt/saa).
Fruto de um protocolo de cooperação estabelecido entre as Universidades do Minho e de Aveiro, especificamente através das suas unidades orgânicas Instituto de Ciências Sociais e Departamento de Línguas e Culturas, o Programa funcionará em cada ano numa das Universidades proponentes, em regime rotativo (na edição 2012-2013 funcionará na Universidade de Aveiro).
O 3º Ciclo de Estudos Culturais dirige-se à formação de profissionais nas áreas da criação, promoção, animação, mediação e divulgação cultural, bem como responsáveis por bibliotecas públicas, editoras, centros de produção de informação e de eventos culturais, associações culturais, responsáveis culturais de embaixadas, institutos, fundações, centros culturais, entre outros.
A formação de investigadores nesta área tem, igualmente, como objectivo qualificar especialistas capazes de trabalhar em equipas multidisciplinares na resolução de problemas como o desenvolvimento sustentável, comunicação intercultural, ética empresarial, estudos fílmicos, de género, media, internet, pós-colonialismo, preservação, gestão e promoção do património material e imaterial, criação de públicos, turismo cultural, marketing cultural, políticas culturais, biopoder, biopolítica, genetização do ser humano, imaginário antropotecnológico, etc.
A investigação nesta área procurará ainda responder às necessidades de formação de pesquisadores capazes de produzir investigação em ambientes que exijam a articulação de diversas áreas científicas como Comunicação, História, Geografia, Filosofia, Sociologia, Psicologia, Literatura ou Património, entre outras.
A formação de doutorandos na área dos Estudos Culturais, embora por vezes em áreas concomitantes como é o caso da Literatura, Filosofia, História, Comunicação, Sociologia, Geografia ou Antropologia tem vindo a ser requerida na resolução de questões concretas com que se debatem as populações e poderes públicos (e.g. questões de discriminação social, xenofobia ou nacionalismos, tensões sociais e fraca participação cívica), poderes económicos (criação de museus, festivais, eventos, roteiros turísticos e indústrias culturais em geral) e os mais diversos grupos sociais que pretendem ver reconhecidos modos de representação do mundo, exigindo a legitimação de novas práticas socioculturais.
Este Programa procura ainda estimular a capacidade de desenvolvimento de trabalho autónomo de pesquisa em contextos fortemente multidisciplinares, quer internacionais quer nacionais e locais, o trabalho de leitura e escrita científica, bem como a apropriação e aprofundamento críticos dos conteúdos lecionados.
O Programa Doutoral em Estudos Culturais acolhe estudantes que pretendam desenvolver o trabalho de investigação quer em língua inglesa quer em língua portuguesa.

Para mais informações sobre a estrutura e conteúdo do Curso consulte os sites http://www.ua.pt/dlc/PageText.aspx?id=12010 ou http://www.ua.pt/PageCourse.aspx?id=239&b=1&lg=pt&p=1

A Direcção do Programa,
Moisés de Lemos Martins (moisesm@ics.uminho.pt)
Maria Helena Sousa (helena@ics.uminho.pt)
Anthony Barker (abarker@ua.pt)
Maria Manuel Baptista (mbaptista@ua.pt)

10 organizações Afro-Americanas que você precisa conhecer

A relação entre negros do Brasil e a diáspora africana nunca foi nova.  Na década de 30 jornais negros de São Paulo já traduziam matérias publicadas no Harlem pela organização do líder negro Marcus Garvey. Porém na atualidade torna-se ainda mais necessária a conexão global dos movimentos negros para a superação do racismo e o avanço da luta pela igualdade.

O CORREIO NAGÔ preparou uma lista de organizações negras dos EUA que podem ser parceiras da sua organização, objeto de  pesquisa ou até mesmo servir de exemplo para criação no Brasil de instituições semelhantes.

Confira a lista de 10 organizações negras dos EUA que você precisa conhecer.  

*Com informações do Diversity Best Practices Guide.


Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor (NAACP)
A missão da National Association for the Advancement of Colored People (NAACP), em português, Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor, é assegurar a igualdade política, educacional, social e econômica dos direitos de todas as pessoas e para eliminar o ódio racial e a discriminação racial. A organização, fundada em 1909, é maior  e mais antiga organização de direitos civis dos EU e teve entre seus dundadores o intelectual negro WEB DuBois que editou a revista The Crisis um dos mais antigos periódicos negros dos EUA.  A NAACP é uma das principais organizações negras  atuais dos EUA e teve um papel fundamental no movimento pelos direitos civis na década de 60.
 
Associação de Psicólogos Negros
A The Association of Black Psychologists (Associação de Psicólogos Negros) foi criada para enfrentar as necessidades de apoio entre profissionais do campo da psicologia. O objetivo do grupo é ter um impacto positivo na saúde mental da comunidade Afro-Americana, fornecendo programas, serviços e  treinamento. A Associação de Psicólogos Negros foi fundada em San Francisco em 1968 por um número pequeno de psicólogos negros e hoje é uma organziação independente e autônoma com mais de 1400 membros.
 
Associação Nacional de Jornalistas Negros
A National Association of Black Journalists ou Associação Nacional de Jornalistas Negros, é uma organização de jornalistas, estudantes e profissionais relacionados à mídia que fornece programas de qualidade e serviços para advogados e em nome de Afro-Americanos jornalistas em todo o mundo. A organização realiza anualmente um evento especial onde reconhece os principais jornalistas da comunidade em seu “mural da fama”.  Fundada em 1975, em Washington, DC por 44 jornalistas, a propósito NABJ aoferece programas e serviços em nome de mais de 4 mil  jornalistas negros. A sede nacional da Associação é, no campus da Universidade de Maryland, College Park.
 
National Black Chamber of Commerce (NBCC)
 A Câmara Nacional do Comércio Negro, fundada em Washington, DC, em março de 1993, representa 95.000 Afro-Americanos  proprietario de empresas e luta pelos dirietos de mais de um milhão de afro-americanos empreendedore. Em geral, o poder de consumo do publico negro americano representa uma base de gasto anual de mais de $800 bilhões de dólares. A NBCC tem aproveitado muito do poder destes dólares e fornece uma plataforma única na criação de oportunidades para os que querem fazer negócios dentro dessa comunidade, gerando milhares de empregos. Website - http://www.nationalbcc.org

100 Black Men
Tudo começou em Nova York em 1963, quando um grupo de homens afro-americanos começaram a se reunir para explorar formas de melhorar as condições da sua comunidade. O grupo acabou por adoptar o nome "100 Homens Pretos, Inc." como um sinal de solidariedade. Estes homens imaginaram uma organização que implementasse programas destinados a melhorar a qualidade de vida dos afro-americanos e outras minorias. Hoje, a organização cresceu para mais de 116 capítulos com mais de 10.000 membros que continuam a se esforçar para melhorar a qualidade de vida em suas comunidades e melhorar as oportunidades educacionais e econômicas para os afro-americanos.  Website - http://www.100blackmen.org

Conselho Nacional de Mulheres Negras, Inc. (NCNW)
O Conselho Nacional de Mulheres Negras é um conjunto de organizações de mulheres de origem Africana. Fundada em 1935, a missão do NCNW é conduzir, desenvolver e defender as mulheres negras e orientá-las como sustentar suas famílias e comunidades. NCNW cumpre este propósito através de pesquisas e serviços baseados na comunidade e programas sobre questões de saúde, educação e capacitação econômica nos Estados Unidos e África. Website - http://www.ncnw.org/
 
National Urban League
O National Urban League é uma organização de direitos civis focado no empoderamento econômico das comunidades carentes urbanas. O National Urban League funciona através de 100 filiais locais em 36 estados em Washington D.C. A organização já realizou projetos para melhorar a vida de mais de 2 milhões de pessoas nos Estados Unidos. Hoje, mais de 100 afiliadas locais da National Urban League estão localizados em 35 estados e no Distrito de Columbia. O National Urban League é  da "Coalizão para Acabar com a Violência Armada", que defende o controle de armas nos EUAhttps://www.nul.org

Sociedade Nacional de Engenheiros Negros (NSBE)
A Sociedade Nacional de Engenheiros Negros tem como missão aumentar o número afro-americanos engenheiros para que estes se destacam academicamente, obtendo sucesso profissional e impactando  positivamente a suas comunidade.  A área de engenharia tradicionalmente tem um baixo percentual de negros por razões históricas. Website - http://www.nsbe.org/
 
Organização dos Designers Negros
A Organização dos Designers Negros é uma organização dedicada a promover a visibilidade, a educação, capacitação e interação de seus membros para a compreensão do valor que as perspectivas do design contribuem para a cultura mundial. A Organização dos Designers Negros é a primeira organização nacional dedicada a abordar as necessidades específicas de profissionais negros de design. Website -  http://www.obd.org
 
United Negro College Fund (UNCF)
O United Negro College Fund é a mais antiga, mais bem sucedida e mais abrangente  organização negra de assistência de ensino superior. O UNCF fornece fundos operacionais e serviços para  39  universidades negras e ainda promove bolsas de estudo e estágios para estudantes de cerca de 900 instituições. 
Website  - http://www.uncf.org

V Mostra de Literatura Afro-Brasileira - MG

Atenção para atividade aberta para profissionais da educação, estudantes universitários e interessados na temática

Mesa de debate

Tema: Literaturas Africanas, Afro-Brasileiras e Indígenas - Territórios de Invasão, Assentamento ou Posse

Palestrantes: Professora Dra. Maria Nazaré Fonseca - PUC Minas
                        Escritor Siwê Pataxó
Horáiro: 14 às 17h30
Sarau Afro Literário
Coral Agbara e a Artista Carladréia (recitando poemas) a partir de 18 horas
Local: Instituto de Educação de Minas Gerais

Núcleo de relações Étncio-Raciais e de Gênero GCPF/SMED