SEGUIDORES DO BLOG




CALENDÁRIO NEGRO – DEZEMBRO

1 - O flautista Patápio Silva é contemplado com a medalha de ouro do Instituto Nacional de Música, prêmio até então nunca conferido a um negro. (1901)

1 - Nasce no Rio de Janeiro o compositor Otto Henrique Trepte - Casquinha, integrante da Velha Guarda da Portela, parceiro de Candeia, autor de vários sambas de sucesso como: "Recado", "Sinal Aberto", "Preta Aloirada" (1922)

1 - O líder da Revolta da Chibata João Cândido após julgamento é absolvido (1912)
1 - Todas as unidades do Exército dos Estados Unidos (inclusive a Força Aérea, nesta época uma parte do exército) tiveram suas portas abertas para negros qualificados (1941)
1 - Rosa Parks recusa-se a ceder o seu lugar num ônibus de Montgomery (EUA) desafiando a lei local de segregação nos transportes públicos. Este fato deu início ao "milagre de Montgomery” (1955)
1 - Festa Nacional da República Centro Africana (1960)
2 - Nasce num lar humilde de carpinteiro em Magé, Francisco de Paula Brito. Compôs as primeiras notícias deste que é hoje o mais antigo jornal do Brasil, o Jornal do Comércio (1809)
2 - Dia Nacional do Samba
2 - Nasce em Salvador (BA), o sumo sacerdote do Axé Opô Afonjá, escritor e artista plástico Deoscóredes Maximiliano dos Santos, Mestre Didi (1918)
2 - Inicia-se na cidade de Santos (SP), o I Simpósio do Samba (1966)
2 - Fundação na cidade de Salvador (BA), do Ilê Asipa, terreiro do culto aos egugun, chefiado pelo sumo sacerdote do culto, o Alapini Ipekunoye Descoredes Maximiliano dos Santos, o Mestre Didi (1980)
3 - Frederick Douglas, escritor, eloquente orador em favor da causa abolicionista, e Martin R. Delaney fundam nos Estados Unidos o North Star, jornal antiescravagista (1847)
3 - Numa tarde de chuva, em um bairro do subúrbio do Rio de Janeiro, é fundado o Coletivo de Escritores Negros do Rio de Janeiro. (1988)
4 - Dia consagrado ao Orixá Oyá (Iansã)
4 - 22 marinheiros, revoltosos contra a chibata, castigo físico dado as marinheiros, são presos pelo Governo brasileiro, acusados de conspiração (1910)
5 - Depois de resistir de 1630 até 1695, é completamente destruído o Quilombo dos Palmares (1697)
5 - Nasce em Pinhal (SP) o cantor Otávio Henrique de Oliveira - Blecaute (1919)
5 - Nasce o compositor e radialista Rubem dos Santos - Rubem Confete (1937)
5 - O cantor jamaicano Bob Marley participa do show "Smile Jamaica Concert", no National Hero's Park, dois dias depois de sofrer um atentado provavelmente de origem política (1976)
6 - Edital proibia o porte de arma aos negros, escravos ou não e impunha-se a pena de 300 açoites aos cativos que infringissem a lei. (1816)
6 - Nasce no Rio de Janeiro (RJ) o cantor Jorge de Oliveira Veiga, Jorge Veiga (1910)
6 - Nasce no Rio de Janeiro o cantor Emílio Vitalino Santiago - Emílio Santiago (1946)
7 - Nasce Sir Milton Margai, Primeiro Ministro de Serra Leoa (1895)
7 - Nasce no Rio de Janeiro, o poeta Luís Carlos Amaral Gomes - Éle Semog (1952)
7 - Clementina de Jesus, a "Mãe Quelé", aos 63 anos pisa o palco pela primeira vez como cantora profissional, no Teatro Jovem, primeiro show da série de espetáculos "Menestrel" sob a direção de Hermínio Bello de Carvalho (1964)

8 – Nasce em Saubara/BA, o poeta e ativista do Movimento Negro Jônatas Conceição (1952)
8 - Fundação na Província do Ceará, da Sociedade Cearense Libertadora (1880)
8 - Nasce no Harlem, Nova Iorque (EUA), Sammy Davis Jr., um dos artistas mais versáteis de toda a história da música e do "show buziness" americano (1925)
8 - Nasce no Rio de Janeiro a cantora Alaíde Costa Silveira - Alaíde Costa (1933)
8 - Dia consagrado ao Orixá Oxum
9 - Nasce em São Paulo (SP) o compositor e arranjador Erlon Vieira Chaves - Erlon Chaves (1933)
9 - Nasce em Monte Santo, Minas Gerais, o ator e diretor Milton Gonçalves (1933)

9 – Nasce em Salvador/BA, a atriz Zeni Pereira, famosa por interpretar a cozinheira Januária na novela Escrava Isaura (1924)
10 - O líder sul-africano Nelson Mandela recebe em Oslo, Noruega o Prêmio Nobel da Paz (1993)
10 - O Presidente da África do Sul, Nelson Mandela, assina a nova Constituição do país, instituindo legalmente a igualdade racial (1996)
10 - Dia Internacional dos Direitos Humanos, instituído pela ONU em 1948
10 - Fundação em Angola, do MPLA - Movimento Popular de Libertação de Angola (1975)
10 - Criação do Programa SOS Racismo, do IPCN (RJ), Direitos Humanos e Civis (1987)
11 - Festa Nacional de Alto Volta (1958)
11 - Surge no Rio de Janeiro, o Jornal Redenção (1950)
11 - O Presidente Geral do CNA, Cheif Albert Luthuli, recebe o Prêmio Nobel da Paz, o primeiro a ser concedido a um líder africano (1960)
12 - Nasce em Leopoldina (MG), o cantor e compositor Osvaldo Alves Pereira - Noca da Portela, autor de inúmeros sucessos como: "Portela na Avenida", "é preciso muito amor", "Vendaval da vida", "Virada", "Mil Réis" (1932)
12 - Nasce no Rio de Janeiro, o compositor Wilson Moreira Serra - Wilson Moreira, autor entre outros tantos sucessos de: "Gostoso Veneno", "Okolofé", "Candongueiro", "Coisa da Antiga" (1936)
12 - Independência do Quênia (1963)
13 - Dia consagrado a Oxum Apará, a mais jovem entre todas as Oxuns, de gênio guerreiro
13 - Nasce em Exu (PE), o cantor, compositor e acordeonista Luiz Gonzaga do Nascimento, Luiz Gonzaga (1912)

15 - Machado de Assis é proclamado o primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras (1896)
14 - Rui Barbosa assina despacho ordenando a queima de registros do tráfico e da escravidão no Brasil (1890)
16 - Nasce na cidade do Rio Grande (RS), o político Elbert Madruga (1921)
16 - O Congresso Nacional Africano (CNA), já na clandestinidade, cria o seu braço armado (1961)
17 - Nasce no Rio de Janeiro (RJ)
Augusto Temístocles da Silva Costa, o humorista Tião Macalé (1926)

18 - Nasce em King William's Town, próximo a Cidade do Cabo, África do Sul, o líder africano Steve Biko (1946)
18 - A aviação sul-africana bombardeia uma aldeia angolana causando a morte dezenas de habitantes (1983)
19 - Nasce nos Estados Unidos, Carter G. Woodson, considerado o "Pai da História Negra" americana (1875)
19 - Nasce no bairro de São Cristóvão (RJ), o compositor e violonista Manuel da Conceição Chantre - Mão de Vaca (1930)
20 - Abolição da escravatura na Ilha Reunião (1848)
20 - A Lei n. 7.437, Lei Afonso Arinos inclui, entre as contravenções penais, a prática de atos resultantes de preconceito de raça, de cor, de sexo ou de estado civil, dando nova redação à Lei n 1 390, de 3 de julho de 1951 (1985)
21 - Nasce em Los Angeles (EUA), a atleta Delorez Florence Griffith, Florence Griffith Joyner - Flo-Jo, recordista mundial dos 100m (1959)
22 -
Criado o Museu da Abolição, através da Lei Federal nº 3.357, com sede na cidade do Recife, em homenagem a João Alfredo e Joaquim Nabuco (1957)

23 - Criação no Rio de Janeiro, do Grupo Vissungo (1974)
24 - João Cândido, líder da Revolta da Chibata e mais 17 revoltosos são colocados na "solitária" do quartel-general da Marinha (1910)
25 - Parte do Rio de Janeiro, o navio Satélite, levando 105 ex-marinheiros participantes da Revolta da Chibata, 44 mulheres, 298 marginais e 50 praças do Exército, enviados sem julgamento para trabalhos forçados no Amazonas. 9 marujos foram fuzilados em alto-mar e os restantes deixados nas margens do Rio Amazonas (1910)
25 - Nasce no Município de Duque de Caxias, (RJ), o jogador de futebol Jair Ventura Filho - Jairzinho - "O Furacão da Copa de 70" (1944)
26 -
Primeiro dia do Kwanza, período religioso afro-americano

27 - Nasce em Natal (RN), o jogador Richarlyson (1982)

28 - Nasce na Pensilvânia (EUA), Earl Kenneth Hines, o pianista Earl “Fatha” Hines, um dos maiores pianistas da história do jazz (1903)

29 - Nasce Édio Laurindo da Silva - Delegado, famoso mestre-sala da Estação Primeira de Mangueira (1922)
30 - Nasce
Eldrick Tont Woods, o Tiger Woods, jogador de golfe estadunidense, considerado um dos maiores golfistas de todos os tempos (1975)

31 - Nasce no Morro da Serrinha, Madureira (RJ). Darcy Monteiro, músico profissional, compositor, percussionista, ritmista, jongueiro, criador do Grupo Bassam, nome artístico do Jongo da Serrinha (1932)
31 - Dia dos Umbandistas


.

Pesquisa personalizada

sábado, 28 de dezembro de 2013

Cultura Afro-brasileira em edital do MinC

O Ministério da Cultura (Minc) e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) lançaram, no último dia 20, o Edital de Apoio Financeiro Para a Pesquisa - Ação de Acervos de Interesse Memorial para a Cultura Afro-brasileira. O concurso, destinado a pesquisadores de todo o país, é resultado de uma articulação entre o Minc, a UFPE, a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) e a Rede Memorial, e tem como objetivo apoiar atividades que propiciem a ampliação do acesso da sociedade civil à memória da cultura afro-brasileira.
 
O edital, que terá investimento total de R$ 1,7 milhão, selecionará projetos de coleta, resgate, recuperação, conservação e disponibilização para o acesso público de acervos de interesse científico e cultural de bens do patrimônio Afro-Brasileiro, visando ampliar a sua disponibilidade e acessibilidade pela sociedade civil e por pesquisadores em particular, assim como maximizar os benefícios desses acervos para a geração de conhecimento novo.
 
As propostas devem ser apresentadas sob a forma de projeto seguindo o formulário modelo de Solicitação de Auxílio à Pesquisa, (disponível aqui), e encaminhadas à UFPE a partir do de hoje.
 
A seleção das propostas será realizada por intermédio de análises e avaliações comparativas e será feita em três etapas. A primeira avaliação, de enquadramento e pré-análise das propostas, que verifica se elas estão dentro do Regulamento do Edital, será feita pela área técnica da UFPE e da Fundaj.
 
Na segunda etapa, será feita a análise e julgamento do mérito das propostas apresentadas. Essa análise ficará a cargo de um Comitê Avaliador indicado pelo Minc, pela UFPE e pela Fundaj, que emitirá um parecer sobre as propostas dentro dos critérios estabelecidos. Esse parecer será registrado em planilha eletrônica, contendo a relação das propostas julgadas, recomendadas e não recomendadas, com as respectivas pontuações finais, em ordem decrescente, assim como outras informações e recomendações julgadas pertinentes.
 
Para as propostas recomendadas, serão indicados o valor adequado para financiamento e as justificativas para os cortes orçamentários, se houver. Para propostas não recomendadas, será emitido parecer consubstanciado contendo as justificativas para a não recomendação.
 
Haverá ainda uma terceira etapa que consistirá na análise dos pareceres emitidos e da ata de julgamento com a relação dos projetos recomendados e não recomendados. Esta última análise será feita pelas diretorias de Extensão e de Pesquisa Pró-Reitoria de Pesquisa e Graduação da UFPE, e pela Coordenação-Geral de Estudos da História Brasileira da Fundaj. As propostas vencedoras do Edital serão tratadas e disponibilizadas, posteriormente, em plataforma digital.
 
Segundo Américo Córdula, secretário de Políticas Culturais do Ministério da Cultura (Minc), o principal objetivo do edital é incentivar a construção de um acervo online. "A finalidade desse edital é formentar uma política de digitalização de acervos.", afirma o secretário. "Nós vamos lançar editais temáticos e disponibilizar o material através da cultura digital, visando principalmente o âmbito da pesquisa e do ensino", acrescenta ele
.
Com informações de Helí Espíndola, da Assessoria de Comunicação da SPC.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Curso de Formação de Professores na Temática das Culturas e História dos Povos Indígenas - PE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO
UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO
CENTRO ACADÊMICO DO AGRESTE

Curso de Formação de Professores na Temática das Culturas e História dos Povos Indígenas

Inscrições até 24 de fevereiro de 2014
Curso grátis, com material didático fornecido pela UFPE
Número de vagas: 140, sendo 80% para professores de escolas públicas (Estado e municípios) e 20% para professores de escolas privadas

Modalidade: à distância

Nível: aperfeiçoamento (formação continuada)

Objetivo:
Formar professores do ensino fundamental e médio, atuando no Estado de Pernambuco, com vistas a qualificar a abordagem das temáticas das culturas e história dos povos indígenas nas propostas pedagógicas e curriculares, contribuindo, deste modo, para a implementação qualificada da Lei 11.645/2008.

Carga Horária:
A carga horária do curso é de 240 horas, sendo 70% à distância e 30% de encontros presenciais.

Metodologia:
Os cursistas terão acesso aos conteúdos dos módulos via internet, através da plataforma Moodle, com apoio dos tutores e professores formadores. Os alunos também terão acesso ao material digitalizado e impresso, em forma de apostilas, com os mesmos conteúdos dos módulos e sub-módulos.     
A formação dos participantes estará assentada em um percurso individual de aprendizagem, apoiada no diálogo entre estes e os tutores e na interatividade com as demais produções, em rede. Ao final do curso, os alunos apresentarão um projeto pedagógico, por eles desenvolvido, sobre as temáticas da Cultura e História dos povos indígenas. Este será apresentado no último módulo, em um encontro presencial, em forma de seminário.

Módulos

Módulo
Qt. de Horas
Sub-Módulos
Módulo 1 - Conceitual EAD e Ferramenta Moodle.
20 hs
*16 horas – Presenciais (EAD + Introdução à Educação para a Diversidade).


4 horas – A distância (Moodle).
Módulo 2 – Conhecendo os povos indígenas no Brasil Contemporâneo.
80hs
A sociodiversidade indígena no Brasil - onde estão e quais são os povos indígenas.


A emergência dos povos indígenas do Nordeste.


Territorialidade e povos indígenas - Dados gerais sobre a demografia indígena.


Classificação dos povos indígenas pela diversidade linguística - troncos e famílias linguísticas.


Direitos dos povos indígenas.
Módulo 3 – Reconhecendo preconceitos sobre os povos indígenas.
30 hs
Análise das concepções e pré-conceitos referentes aos povos indígenas – noções errôneas do senso comum sobre a diversidade sociocultural; imaginário do índio amazônico.


Terminologias utilizadas para conhecer os povos indígenas –povos/tribos/comunidades/etnias;
primitivo/aculturado/integrado; branco/índio puro/índio misturado etc.
Módulo 4 - Marcos conceituais referentes à diversidade sociocultural.
70 hs
Conceitos de cultura - dinâmicas sociais em contexto de relações interétnicas.


Poder e desigualdade - assimetria nas relações interétnicas.


História e Histórias dos Povos Indígenas.


Movimentos Indígena e Indigenista - lutas dos povos indígenas na defesas dos seus direitos.


Práticas socioculturais dos povos indígenas – processos próprios de aprendizagem; a oralidade como recursos de transmissão, produção / reprodução cultural; organização social e práticas socioculturais.
Módulo 5 – Transformando a realidade: Projeto Pedagógico de Abordagem das Culturas e História dos Povos Indígenas.
20h
Construção de um projeto pedagógico sobre os conteúdos do curso pelos participantes.
Módulo 6 (Presencial).
20h
Seminários Locais de avaliação ao longo do curso

Total 240h

20+16

Material do curso:
Além do acesso aos conteúdos dos módulos via internet, os cursistas receberão o mesmo material em formato digital e impresso (em forma de apostilas).

Informações e inscrições:
Tel: 9892-4410

Sarau Afropoético no TCA - BA

TCA SARAU AFRO POÉTICO
 
Através da música, da improvisação, da música e da poesia de rua e do movimento hip-hop realizaremos um encontro que exponha a força e a beleza lírica presente na literatura e na oralitura do povo negro brasileiro. O sarau terá um caráter cênico performático com os atores do NATA e atores convidados recitando poesias criadas através de Orikis (poemas e orações africanos), poesias de criação do NATA e também criadas pelos alunos da oficina Crônicas Urbanas e Exú.
 
 
19/DEZ - ORÍ ORIPÁ EXÚ
Noite para tornar lírica a cidade, a confusão e o mistério. Uma noite para pensar Exu como urbanidade e ancestralidade. O último sarau do projeto trará como participantes a produção dos textos construídos durante a oficina de criação literária “Poéticas urbanas e Exu”, ministrado pelo ator e dramaturgo Daniel Arcades. O elenco do NATA se juntará aos participantes da oficina para recitarem essas produções e proporcionarem um intercâmbio maior com o grupo e o público.

Dias: 04, 11 e 19 de dezembro (quartas)
Horário: 20h
Local: Sala do Coro do TCA (04 e 11) e Jardim Suspenso do TCA (19)
Censura: 14 anos
ENTRADA GRATUITA (sujeita a lotação do espaço)

 

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Exibição do filme "Raça" em Salvador - BA



SOBRE O FILME RAÇA - capta a história de três pessoas na linha de frente da batalha contemporânea pela igualdade, em um país que se orgulha de ser exemplo de democracia racial. Entre eles o esforço do Senador Paulo Paim para sancionar a lei do Estatuto da Igualdade Racial no Congresso Nacional, em Brasília. Autor do projeto original que demorou quase uma década para ser aprovado. O documentário também apresenta a luta de Miúda dos Santos neta de africanos escravizados e ativista quilombola  pela posse das terras e pelo respeito às suas tradições ancestrais da Comunidade Quilombola de Linharinho, no Espírito Santo. E Netinho de Paula e os bastidores da trajetória do cantor, apresentador e empresário durante todo o processo de criação e tentativa de consolidar do seu canal TV da Gente formado majoritariamente por profissionais negros.
 
O que: Filme Raça
Onde: Sala Walter da Silveira
Dia: 19/12/2013
Horário: 14h
 
Endereço: Rua General Labatut, 27 – Subsolo – Barris (prédio da Biblioteca Pública Estadual)

Ogum's Toques promove debates sobre violência contra negros e mulheres no CEAO - BA


quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

5º Curso Manoel Querino - Personalidades Negras - BA

 
 
Confira a programação do 5º Curso Manoel Querino - Personalidades Negras.
Dia 16 dezembro
14h - Palestra: Representações e Respostas: Manuel Querino e o Combate ao Imaginário Racialista no Brasil – Profa. Msc. Sabrina Gledhill (Pós-Afro CEAO-UFBA/IGHB)
15h - Palestra: Marcelina da Silva e Seu Mundo: Novos dados para uma Historiografia do Candomblé Ketu – Profa. Dra. Lisa Earl Castillo (UFBA).
16h - Pa...
lestra: Memória e história de Cecília do Bonocô: em busca de uma identidade – Profa. Dra. Cecília Soares (UCSAL/UNEB).
17h - Palestra: André Rebouças – Prof. Esp. Jorge Ramos (IRDEB).

Dia 17 de dezembro
14h Palestra: Vivaldo da Costa Lima: questões em torno de uma biografia – Prof. Dr. Cláudio Luiz Pereira (CEAO/UFBA)
15h - Palestra: Mãe Hilda Jitolu – Profa. Dra. Maria de Lourdes Siqueira.
16h - Palestra: Eugênia Lúcia Viana Nery e os Estudos Africanos – Prof. Dr. Edivaldo M. Boaventura (IGHB/UFBA)
17h - Palestra: - Ações Afirmativas – Profa. Dra. Ana Célia Silva
Ver mais


segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

5ª Feira Cultural de Santiago do Iguape (Cachoeira/BA) - BA

 
Data: De Sexta-feira 06 Dezembro 2013 -  09:00
Até Sábado 07 Dezembro 2013 - 17:00
Local: Comunidade Quilombola de Santiago do Iguape
 
A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) participa do V Ano da Consciência Negra no Iguape, Feira de Cultura, promovido pelo projeto “Sou Negro e Trago Livre meus Sonhos". Criado em 2009 por Adinil Batista de Souza, na comunidade quilombola de Santiago do Iguape, o projeto tem como objetivo principal firmar o reconhecimento do povo quilombola da região, fortalecendo suas raízes e ancestralidade e contribuindo para o desenvolvimento social e cultural da região.
O projeto além de envolver todas as comunidades da região, escolas, grupos culturais e artísticos, tem como característica discutir temas de políticas publicas em comunidades quilombolas, exposições de artesanato local, apresentações culturais, e uma lavagem tradicional em homenagem a consciência negra.
Programação:
 
06/12/2013 - Sexta
 
Local: Associação Cultural e Artística de Santiago do Iguape (ACASI)
Credenciamento da Mesa redonda: 8:00h às 9:00h
ABERTURA - 9h - 12h
Grupo de música(Projovem Cras Quilombola)
Homenagem: D.Toinha (rezadeira)  TROFÉU "SOU NEGRO E TRAGO LIVRE OS MEUS SONHOS”
Mesa Redonda: Identidade quilombola: Ana Paula Cruz (UEFS), Ana Rita Dias (PET/UFRB)e SEPROMI.
Atividade com a SECRETARIA ESTADUAL DE POLITICAS PARA MULHERES
Apresentação cultural
Oficinas de práticas de vivência na comunidade
Instrumento de pesca (munzuá, gereré)
Ervas sagrada e suas rezas
Atividade cultural: Roda de Capoeira
Almoço no Restaurante A senzala do Iguape
 
07/12/2013 – Sábado 
 
Local: Praça Geraldo Simões - 9h às 17h
PALMARES NO QUILOMBO (Fundação Cultural Palmares)
Oficinas: 9h às 17h
Local: Praça Geraldo Simões (Santiago do Iguape)
Oficina de Teatro
. Ministrante: Fábio de Santana
. Público alvo: 20 pessoas
Oficina de Dança Afro
. Ministrante: Edeise Sacramento
. Público Alvo: 20 pessoas
Oficina de Audiovisual
. Ministrantes: Coletivo de Audiovisual do CULT/ UFBA
. Público Alvo: 15 pessoas
 Oficina de Leitura
. Biblioteca Itinerante da Fundação Pedro Calmon
 Exibição do DVD, seguido de bate papo:
 . Áfricas (Bando de Teatro Olodum)
 
EXPOSIÇÃO DE ARTESANATOS DAS COMUNIDADES QUILOMBOLAS
9h às 17h
Oficinas:
Música
Dança afro
Moda Afro
Trança afro
Instrumento de pesca (munzuá, gereré)
Ervas sagradas e suas rezas
 
 
LAVAGEM TRADICIONAL
12h - Almoço no Restaurante A senzala do Iguape  
14h - Desfile Beleza Negra do Iguape
 
Apresentações Culturais
OS BANTOS(ijexá)
Samba de roda geração do iguape                                               
 
ATENÇÃO!
SINE BAHIA MÓVEL(APOIO SETRE e Governo do Estado da Bahia)
Atividade emissão de carteira de trabalho 
Local: Praça Geraldo Simões(Santiago do Iguape), dia 07/12  das 9:00h às 17:00h

sábado, 30 de novembro de 2013

IDH dos brancos e pretos & pardos + Debate e lançamento livros Prof. Marcelo Paixão - RJ



Prezado leitor e prezada leitora do Tempo em Curso
 
Com satisfação informo estar no portal do LAESER a edição de novembro do boletim eletrônico “Tempo em Curso”. Como este é o Mês da Consciência Negra, o tema especial escolhido para esta edição foi a atualização do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) dos brancos e pretos & pardos em nosso país, seguindo a nova metodologia adotada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).
 
Infelizmente, no despontar da segunda década do presente século, as diferenças nas condições de vida dos diferentes grupos de cor ou raça no Brasil seguem bastante acentuadas, com os brancos gozando de um IDH compatível a um país de indicador alto (66a posição) e os pretos & pardos a um país de IDH somente médio (103a posição). Este dado sinaliza o quanto ainda teremos de avançar em termos das políticas de equidade racial.
 
Igualmente informo aos companheiros e companheiras do LAESER o lançamento de dois livros de minha autoria ao qual muito me apraz poder compartilhar com todos vocês:
·        
A Lenda da Modernidade Encantada: Por uma Crítica ao Pensamento Social Brasileiro sobre Relações Raciais e Projeto de Estado-Nação (Ed. CRV)
·        
500 Anos de Solidão: Ensaios sobre as Desigualdades Raciais no Brasil (Ed. Appris)
 
Estaremos fazendo um debate de lançamento de ambos os livros neste dia 4 de dezembro, às 17h, no Auditório da Escola de Serviço Social, Segundo andar, Prédio da Escola de Serviço Social, Campus Praia Vermelha da UFRJ, Av. Pasteur, 250, Rio de Janeiro.
 
Estaremos compondo uma mesa de debate junto com representantes do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior, Seção UFRJ (AD-UFRJ), o Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (SINTUFRJ) e o Diretório Central dos Estudantes Mário Prata (DCE), dentro do tema “Cor e classe na sociedade brasileira: o desafio teórico e prático dos movimentos sociais” (Acesse o programa completo).
 
Posteriormente, às 19h, na Livraria da Ed. UFRJ, localizada no andar térreo do Palácio Universitário da UFRJ (também no Campus da Praia Vermelha), estarei fazendo uma noite de autógrafos dos exemplares.
 
Em 2014 pretendo realizar atividades de lançamento destes dois livros em diferentes cidades brasileiras. Neste sentido aos interessados em contar com uma atividade de igual teor em vossas instituições, peço que façam contato conosco através do endereço eletrônico: laeser@ie.ufrj.br
 
Não sem expressar a devida angústia pelo tanto que ainda temos por caminhar para chegarmos a uma sociedade mais justa, expresso meu contentamento por poder compartilhar este conjunto de iniciativas com cada um de vocês.
 
Espero contar com vossa leitura!
 
Saudações do amigo
Marcelo Paixão – Coordenador do LAESER

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Palestra sobre acesso de negros à educação marca o 20 de Novembro - BA



A palestra Acesso e Permanência de Negros na Educação Brasileira, que tem como palestrante a professora Renísia Cristina Garcia Filice (UnB), é uma ação que se insere no Projeto Determinantes da Equidade no Ensino Superior, a ser realizado pelo OBEDUC/UFBA e Comissão de Estudos sobre Acesso e Diversificação da Educação da Apub Sindicato. Além disso, marca a passagem do Dia da Consciência Negra, que transcorre em 20 de novembro. Entre os objetivos: discutir a responsabilidade da educação como mecanismo de promoção da mobilidade social por meio da garantia do acesso à escolaridade e do desempenho escolar dos alunos em contextos de desigualdades sociais, especificamente de raça e de cor. O evento e será no auditório II da FACED, dia 21/11, das 8h às 12h.

Conversando com a sua História Especial "Filmes Africanos" - BA

 
 
O Centro de Memória da Bahia/FPC convida a todo(a)s para o Conversando com a sua História Especial - Filmes Africanos, que ocorrerá no mês de novembro e dezembro.
Em 18
de novembro teremos a palestra De "A batalha de Argel" a "Dias de Glória: renegociação da memória colonial e pós-colonial nos cinemas do norte da África e de suas diásporas, que será proferida pelo professor Mohamed Bamba.

Data: 18 de novembro de 2013
horário: 17h
Local - sala Kátia Mattoso - auditório da Biblioteca Pública do Estado da Bahia.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Lei 10.639 é tema de seminário nacional realizado na Bahia - BA

“Axé – 10.639 maneiras de vivenciar africanidades”  é o nome do Seminário Nacional que será realizado  de 06 a 08 de dezembro, em Salvador e Candeias, para homenagear, refletir e debater os dez anos da Lei 10.639/03, que torna obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana em todas as escolas, públicas e particulares, do ensino fundamental até o ensino médio.
 
O Seminário Nacional: “Axé – 10.639 maneiras de vivenciar africanidades”,  tem como objetivo capacitar 150 profissionais da área de educação do país em Educação para Relações Étnico-Raciais e de Gênero. A proposta também visa amenizar as dificuldades encontradas pelas instituições em promover a atualização de seus professores/as de educação básica quanto às relações e identidades de gêneros e a temática étnico-racial, oportunizando aos profissionais de educação discussões, reflexões, vivências e estudos de novas propostas e principalmente aportes didático pedagógicos úteis para a elaboração de planos de trabalhos e de ensino, efetivando a implantação da História e Cultura Africana e Afro-brasileira no currículo escolar. 
 
A implementação da Lei 10.639/03, ainda é um grande desafio e passou a se caracterizar como um passo complementar das políticas públicas de acesso ao ensino superior. Devido a sua interdependência com outras ações, a Lei fortalece o reconhecimento e a auto-estima de crianças e jovens negros (as), que antes estavam desprovidos de referencias heroicos ou míticos para seguir adiante garantindo o acesso, a permanência e o sucesso na escola.
 
O Seminário será realizado através de uma parceria entre o Odara– Instituto da Mulher Negra, Instituto Cultural Steve Biko e Mazza Edições e é apoiado pela Fundação Heinrich Böll Stiftung, Fundação Ford, Petrobras,Cor da Cultura, Ação Educativa entre outros.
 
CARTAZ - CONVITE
 
Inscrição:
Para participar é necessário preencher a Ficha de Inscrição disponível do site www.institutoodara.org.br . Após baixar e preencher a ficha é necessário encaminhar para o email: odarainstituto@gmail.com. As inscrições serão encerradas após atingir o limite de vagas.
Só serão aceitas  inscrições de participantes vindo de instituições que trabalhem com Educação para Relações Étnico-Raciais e de Gênero.
Click aqui para baixar: Ficha de Inscrição Seminário Axé _F
 
Resumo da programação Seminário Nacional: “Axé –  10.639 maneiras de vivenciar africanidades”
 
”Axé! 10639 maneiras de vivenciar Africanidades.”
 
“Quero ver meus filhos com anel de doutor aos pés de Xangô”
Iyá Mãe Aninha ObiBiyi
Fundadora o Ilê Axé Opô Afonjá
 
DIAS: 6 E 7 DE DEZEMBRO/2013 – NO MUSEU DE ARTE SACRA DA BAHIA
8 DE DEZEMBRO/ 2013 – NO TERREIRO ILÊ AXÉ OYÁ TOLÁ
 
Dia 06/12 – (sexta-feira)
 
“ Vou aprender a ler, para ensinar meus camaradas”.
(Trecho de samba de roda do recôncavo)
ABERTURA (14h):
-        Rede de Mulheres de Terreiros da Bahia
-        Irmandade da Boa Morte/ Cachoeira
-        Instituições Parceiras
 
CIRCULARIDADE: RODA DE CONVERSA (15:30h) – “DESDE DE DENTRO PARA DESDE DE FORA” – CONCEPÇÃO DO VIVIDO E CONCEBIDO.
-        Professora Denise Botelho
-        Professora Lindinalva Barbosa
 
APRESENTAÇÃO TEATRAL (16:30) – “Shirley Paixões”
-        Danielle Anatólio
 
LANÇAMENTOS (17h):
-        Livro ODARA: Mulheres Negras e (In) Confidência
-        Indicadores da Qualidade na Educação – Ação Educativa e UNICEF
-        Calendário 2014 ODARA – Homenagem à Carolina de Jesus / Lélia Gonzalez e Beatriz Nascimento
-        Feira de Livros étnicos – raciais – Mazza Edições
 
SHOW (18:00h)
-        Savannah
 
Dia 07/12/2013 (sábado)
Manhã (09:00h às 12:00h): 
OFICINA: “Ah, se não fosse o Ilê Aiyê! “
40 Anos – Do Ilê Axé Jitolú para o Mundo
-        Ludicidade, Musicalidade. Corporeidade: Viva a resistência Negra: 40 anos do bloco Ilê Ayê. (Escola Mãe Hilda / Banda Erê/ Escola Profissionalizante do Ilê)
ALMOÇO – (12:00h)
 
OFICINAS: VIVENCIANDO ÁFRICANIDADES PARA RESIGNIFICAR CURRÍCULOS ESCOLARES (13:30h)
-        Oralidade: Contação de estórias e poesias
-        Corporeidade: Dança Afro
-        Memória e Identidade: Tranças e Turbantes
-        Ludicidade: Jogos e brincadeiras
-        Religiosidade e Ancestralidade: Rituais e Folhas Sagradas
-        Circularidade: Rodas de Samba e Capoeira
 
CONTAÇÃO DE ESTÓRIAS AFRICANAS: GRIOTS (16:00h ás 17:00h)
-        Professora Maria Edite
 
08.12. 2013 (Domingo)
APRENDENDO RELIGIOSIDADE NA ESCOLA (08:30h)
Visita ao Terreiro Ilê Axé OyáTolá – (Passagem dos Teixeiras)
-        Ageum com Mãe Raidalva
-        Mergulhando na Cosmovisão Africana – Conhecendo os Orixás
 
ALMOÇO NO TERREIRO (13:00h)
RETORNO (16:00h)

FONTE: Site do Instituto Odara

Seminário "Pesquisa e Escola: experiências em educação indígena em diversos contextos, um espaço para a reflexão sobre a pesquisa intercultural e interétnica na área da educação indígena no Brasil e México" - BA


Núcleo Yby Yara convida para o seminário Pesquisa e Escola: experiências em educação indígena em diversos contextos, um espaço para a reflexão sobre a pesquisa intercultural e interétnica na área da educação indígena no Brasil e México. Além de palestra aberta ao público, realizada pelo Prof. Dr. Enrique Hamel, da Universidade Autônoma do México, pesquisadores indígenas e não-indígenas, vinculados ao núcleo apresentarão experiências em andamento, com vistas à construção de uma agenda de cooperação interinstitucional para o período 2014-2015.




sábado, 9 de novembro de 2013

Secretaria da Educação do Estado promove III Fórum de Educação Quilombola - BA

Co­mu­ni­dades qui­lom­bolas, pro­fes­sores, co­or­de­na­dores e ges­tores das redes pú­blicas es­ta­dual e mu­ni­cipal de en­sino, além de pes­qui­sa­dores da área e re­pre­sen­tantes de uni­ver­si­dades e de mo­vi­mentos so­ciais, se reúnem entre os dias 11 e 13 de no­vembro, no Hotel Vi­lamar, em Sal­vador, do III Fórum de Edu­cação Qui­lom­bola, uma re­a­li­zação da Se­cre­taria da Edu­cação do Es­tado da Bahia, por meio da Co­or­de­nação de Edu­cação para a Di­ver­si­dade.

Du­rante o en­contro, os par­ti­ci­pantes irão dis­cutir as di­re­trizes da Edu­cação Es­colar Qui­lom­bola, que segue a pro­posta po­lí­tica de um cur­rí­culo cons­truído com os qui­lom­bolas e para os qui­lom­bolas, ba­seado nos sa­beres, co­nhe­ci­mentos e res­peito às suas ma­trizes cul­tu­rais. “Trata-se de uma edu­cação di­fe­ren­ciada onde se tra­balha a re­a­li­dade a partir da his­tória de luta e re­sis­tência desses povos, bem como dos seus va­lores ci­vi­li­za­tó­rios”, pontua a  téc­nica da Co­or­de­nação de Edu­cação para a Di­ver­si­dade, da Se­cre­taria da Edu­cação do Es­tado da Bahia, Sil­vana Bispo.
Folder Se­mi­nário de Edu­cação Qui­lom­bola

Edu­cação Es­colar Qui­lom­bola: con­quistas e de­sa­fios con­tem­po­râ­neos é o tema da pa­lestra que o pro­fessor doutor Val­délio Santos, do De­par­ta­mento de Edu­cação da Uni­ver­si­dade do Es­tado da Bahia (Uneb), irá mi­nis­trar na aber­tura do evento. Ou­tras te­má­ticas como: In­fra­es­tru­tura nas Es­colas Qui­lom­bolas: trans­porte, ali­men­tação es­colar e cons­trução de es­colas; Re­la­ções de Gê­nero, Raça e Edu­cação Es­pe­cial nos Qui­lombos; Es­tra­té­gias para Efe­ti­vação/Im­ple­men­tação da Edu­cação Es­colar Qui­lom­bola; Saúde da Po­pu­lação Negra e Edu­cação Qui­lom­bola; In­to­le­rância Re­li­giosa e Edu­cação Qui­lom­bola, também, serão dis­cu­tidas du­rante o fórum.

“A Edu­cação Es­colar Qui­lom­bola está fun­da­men­tada na vi­vência e or­ga­ni­zação co­le­tiva, va­lores an­ces­trais, re­lação com a terra e com o sa­grado, os quais pre­cisam ser in­cor­po­rados no es­paço es­colar de todo o País”, res­salta a co­or­de­na­dora Sil­vana Bispo.

A edu­cação para co­mu­ni­dades qui­lom­bolas en­contra-se em pro­cesso de es­tru­tu­ração. Desse modo, con­si­dera Sil­vana Bispo, ar­ti­cular meios para que esses es­tu­dantes te­nham suas es­pe­ci­fi­ci­dades aten­didas no es­paço es­colar, é um passo sig­ni­fi­ca­tivo para cons­trução da ci­da­dania. “Ar­ti­cular, sub­si­diar e ga­rantir que es­tu­dantes qui­lom­bolas te­nham suas es­pe­ci­fi­ci­dades aten­didas, bem como acesso, per­ma­nência e con­clusão de seus es­tudos é per­mitir o exer­cício de uma po­lí­tica equâ­nime para me­lhor qua­li­dade edu­ca­ci­onal e de vida a essas co­mu­ni­dades”.

PRO­GRA­MAÇÃO:

11/11 (se­gunda-feira)

10h – Cre­den­ci­a­mento
13h30 – Aber­tura ofi­cial
14h às 18h – Mesa: Edu­cação Es­colar Qui­lom­bola: con­quistas e de­sa­fios con­tem­po­râ­neos, Prof. Dr. Val­délio Santos (Uneb). Me­di­a­dora: Amélia Ma­raux

12/11 (terça-feira)
8h30 às 12h – Grupos de Tra­balho (GT)
GT 1 - Edu­cação de Jo­vens e Adultos e Todos pela Al­fa­be­ti­zação nos Qui­lombos, com o pro­fessor mestre Antônio Cosme L. da Silva (Co­missão Mu­ni­cipal de Es­tudos Afro-bra­si­leiros - Ce­afro) e a téc­nica Isa Maria F. Castro (Se­cre­taria da Edu­cação do Es­tado)
Me­di­a­dora: Su­zana Fa­gundes da Silva
GT 2 - In­fra­es­tru­tura nas Es­colas Qui­lom­bolas: trans­porte, ali­men­tação es­colar e cons­trução de es­colas, com os téc­nicos Ro­sana Lima, Flávia Alves e Robson Fer­nandes, da Se­cre­taria da Edu­cação. Me­di­ador: José Ramos de Freitas
GT 3 - Edu­cação Qui­lom­bola: en­sino fun­da­mental, médio e su­pe­rior, com o pro­fessor mestre Carlos Edu­ardo (União Me­tro­po­li­tana de Edu­cação e Cul­tura – Unime) e o as­sessor téc­nico de po­lí­tica de igual­dade ra­cial, Flávio Passos. Me­di­a­dora: Jailde Lima da Silva
GT 4 - Es­tra­té­gias para Efe­ti­vação/Im­ple­men­tação da Edu­cação Es­colar Qui­lom­bola, com o vice-pre­si­dente do Con­selho Es­ta­dual de Edu­cação da Bahia (CEE-BA), Sérgio Guerra. Me­di­a­dora: Shirley Pi­nheiro
14h às 16h30 – Grupos de Tra­balho
GT 5 - Saúde da Po­pu­lação Negra e Edu­cação Qui­lom­bola, com Ubi­racy Ma­tilde de Jesus, da Se­cre­taria de Saúde do Es­tado (Sesab) e dou­tora De­nise Ri­beiro, da Uni­ver­si­dade Fe­deral do Recôn­cavo da Bahia (UFRB). Me­di­ador: Ju­venal da Silva
GT 6 - Edu­cação Am­bi­ental nos Qui­lombos, com Maiza Tei­xeira Flores, do Ins­ti­tuto do Meio Am­bi­ente e Re­cursos Hí­dricos (Inema). Me­di­a­dora: Elis Lopes Garcia
GT 7 - Re­la­ções de Gê­nero, Raça e Edu­cação Es­pe­cial nos Qui­lombos, com a so­ció­loga Vilma Reis, pre­si­dente do Con­selho de De­sen­vol­vi­mento da Co­mu­ni­dade Negra do Es­tado da Bahia (CDCN), e Rose de Jesus Santos, da Se­cre­taria de Po­lí­ticas para as Mu­lheres (SPM). Me­di­a­dora: Lívia B. do Ro­sário
GT 8 - In­to­le­rância Re­li­giosa e Edu­cação Qui­lom­bola, com Mãe Rai­dalva Santos, do Ilê Axé Oyá Tolá. Me­di­a­dora: Maria Ber­na­dete Mo­reira

13/11 (quarta-feira)
8h30 às 12h - Apro­vação das Pro­postas dos Grupos de Tra­balho
14h às 17h - Eleição da nova co­or­de­nação do Fórum

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Audiência Pública em 13/11 debate proposta de cotas para concursos da Defensoria de São Paulo - SP

Dennis de Oliveira, Evandro Piza Duarte, Lilian Furquim abrirão debate; Silvio Luiz de Almeida apresentará proposta para ser complementada pelas pessoas presentes



Na noite de 13/11, quarta-feira, às 19h, a uma semana do Dia da Consciência Negra, o tema “Cotas em Concursos Públicos da Defensoria” será debatido com todas as pessoas interessadas, em Audiência Pública promovida pela Escola da Defensoria Pública de São Paulo (EDEPE), pelo Núcleo Especializado de Combate à Discriminação, Racismo e Preconceito, pela Ouvidoria-Geralda instituição e pelo Instituto Luiz Gama.



O evento acontece no auditório da Defensoria, na Rua Boa Vista, 200, térreo, em São Paulo, SP. Inscrições podem ser feitas antecipadamente, pelo e-mail nucleo.discriminacao@defensoria.sp.gov.br, ou na hora do evento. O auditório tem capacidade para 80 pessoas.



A primeira atividade da noite será um debate sobre a importância das Ações Afirmativas no Brasil, com falas de Dennis de Oliveira, Professor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (USP) e membro do Núcleo de Estudos Interdisciplinares do Negro Brasileiro (Neinb), Evandro Piza Duarte, Professor e Líder do Grupo de Estudos em Desigualdade e Discriminação da Universidade de Brasília (UnB), autor do livro “Cotas Raciais no Ensino Superior”, e Lilian Furquim, Professora e Coordenadora de Pesquisa da Escola de Economia de São Paulo (FGV/EESP) e Integrante do Conselho Consultivo da Ouvidoria-Geral da Defensoria.



Na sequência, será aberta discussão sobre o texto de uma Proposta de Deliberação para o Conselho Superior da Defensoria, prevendo que os próximos concursos da instituição contemplem o sistema de cotas em seus Editais. Silvio Luiz de Almeida, Presidente do Instituto Luiz Gama, Doutor em Direito pela USP e Membro do Conselho Consultivo da Ouvidoria-Geral da Defensoria, conduzirá o debate para consolidar a Proposta.




Reivindicação antiga

A sugestão de adoção de cotas étnico-raciais em concursos da Defensoria já foi apresentada pela sociedade civil à Defensoria em diversas oportunidades. A pauta estava presente no anteprojeto de Lei de criação da Defensoria Paulista, construído peloMovimento pela Defensoria, foi reiterada nos Ciclos de Conferências da instituição e, ainda, retomada por representantes da sociedade civil (Instituto Práxis de Direitos Humanos e Pastoral Carcerária) no Momento Aberto do Conselho Superior em outubro de 2012.


Em julho de 2013, por ocasião da abertura do último concurso da Defensoria, a Ouvidoria-Geral da instituição questionou o Conselho Superior, que regulamenta os concursos da instituição, sobre a previsão da política de cotas e apresentou Parecer sobre o tema, produzido por Silvio Luiz de Almeida. Clique aqui e leia o Parecer



O Conselho Superior deliberou por não contemplar o sistema de cotas étnico-raciais naquele momento, mas solicitou à Ouvidoria a apresentação de uma proposta formal para que fosse feita a inclusão para os próximos concursos.


Serviço:
Audiência Pública: Cotas nos Concursos da Defensoria Pública
Quando: Dia 13/11, quarta-feira, das 19h00 às 22h00
Onde: Auditório da Defensoria Pública - Rua Boa Vista, 200, térreo, São Paulo, SP

*Serão aceitas inscrições no dia do evento; vagas limitadas, de acordo com a capacidade do Auditório (80 lugares).


Programação:
18h30 – Credenciamento/inscrições e café de boas vindas
19h00 – Mesa de Abertura: EDEPE, Núcleo de Combate à Discriminação, Racismo e Preconceito, Ouvidoria-Geral da Defensoria e Instituto Luiz Gama
19h30 – Ações Afirmativas: importância no contexto atual brasileiro
Dennis de Oliveira, Evandro Piza Duarte e Lilian Furquim
20h30 – Apresentação e debate de Proposta de Cotas para os concursos da Defensoria
Silvio Luiz de Almeida




Saiba mais e acompanhe

Acesse a página da Ouvidoria na internet
Acompanhe a Ouvidoria nas redes sociais