SEGUIDORES DO BLOG




CALENDÁRIO NEGRO - ABRIL

1 – Criação do Partido dos Panteras Negras, EUA (1967)

1 – Nasce no bairro da Tijuca, Rio de Janeiro, o cantor e compositor Antônio Moreira da Silva - Kid Morengueira, famoso pelo jeito muito próprio de cantar o samba de breque. Fez sucesso com sambas antológicos como: "Acertei no Milhar", "O Rei do Gatilho" e "Na Subida do Morro" (1902)
1 – Tem início em Dacar, Senegal, o I Festival Mundial de Arte Negra (1966)
2 – Nasce em Santa Maria da Vitória (BA), o famoso escultor de carrancas do Rio São Francisco, Francisco Biquiba dy Lafuente Guarany. (1882)
2 – Nasce em Washington (EUA), o cantor, compositor, baterista, pianista, arranjador e produtor Marvin Gaye. Faz parte de seu repertório, sucessos como: "What's Going On", "Let's Get It On", "Sexual Healing" (1939)
2 – Criação no bairro de Madureira (RJ), do Grupo Afro-Cultural Agbara Dudu, que em iorubá significa "força negra", o mais antigo bloco-afro do Rio de Janeiro (1982)

2 – Nasce Dener Augusto de Sousa, o Dener, famoso jogador de futebol morto precocemente num acidente automobilístico (1971)
3 –
Martin Luther King Jr. profere seu discurso I've Been to the Mountaintop (Eu estive no topo da montanha), na sede da Igreja Mundial de Deus em Cristo, em Memphis, Estados Unidos (1968)

3 – Nasce nos Estados Unidos, o ator Eddie Murphy (1961)

3 – Nasce em São Paulo/SP, Mauro Mateus dos Santos, o compositor, cantor e ator brasileiro Sabotage (1973)

4 – Tem início em São Paulo, o I Encontro de Padres e Bispos Negros (1989)
4 – Nasce nos Estados Unidos, o ator e produtor Eddie Murphy (1961)
4 – Nasce em Rolling Forks, Mississipi (EUA), o músico e cantor de blues Mckinley Morganfield - Muddy Waters, um dos maiores mestres do blues urbano (1915)
4 – Independência do Senegal. (1960)
4 – Nasce em Lins/SP, Nelson Prudêncio, professor e atleta de salto triplo, ganhador de várias medalhas: uma medalha de prata nas Olimpíadas de Verão de 1968, na Cidade do México, uma medalha de bronze nas Olimpíadas de Verão de 1972, em Munique, uma medalha de prata nos Jogos Panamericanos de 1967, no Canadá, e uma medalha de prata nos Jogos Panamericanos de Cali, Colômbia, em 1971 (1944)

5 – Nasce nos Estados Unidos, o educador Booker T. Washington (1856)

5 – Nasce em Salvador (BA), Vicente Ferreira Pastinha - Mestre Pastinha, considerado o maior guardião da capoeira angola (1889)
5 – Nasce o compositor Joaquim Maria dos Santos, Donga, autor de “Pelo telefone”, primeiro samba gravado (1890)

6 – Nasce em Kinshasa/República Democrática do Congo, Fabrice Ndala Muamba, ex-jogador de futebol do Arsenal e Birminghan. Em 2012, teve um mal súbito, ficou com o coração parado por 78 minutos e sobreviveu (1988)
7 – Nasce em Baltimore (EUA), a cantora imortal, Billie Holiday, consagrada através de canções como: "Strange Fruit", "God Bless the Child", "Solitude", "My Man", "Don't Explain", entre outros (1915)

7 – Nasce Antônio Carlos Bernardes Gomes, o Mussum, músico, ator e humorista brasileiro, integrante do grupo Os Trapalhões (1941)
7 – Dia da Mulher Moçambicana - Em homenagem a Josina Mutamba Machel, comandante do destacamento de mulheres da FRELIMO e chefe de Assuntos Sociais do Departamento de Assuntos Exteriores de Moçambique
8 – A atriz Ruth de Souza recebe em Brasília a Comenda do Grau Oficial da Ordem do Rio Branco da República Federativa do Brasil, por sua contribuição ao cenário artístico brasileiro (1988)
9 – Nasce em Princeton (EUA), o ator e cantor Paul Bustill Robeson, Paul Robeson (1898)
9 – Nasce no Rio de Janeiro, o ator Haroldo de Oliveira (1942)
10 – Nasce na cidade de Pirapetinga (MG) o cantor Mário Souza Marques Filho - Noite Ilustrada (1928)
10 – Fundada no Rio de Janeiro, tendo como idealizador o Maestro Abgail Moura, a Orquestra Afro-Brasileira (1942)
11 – Em correspondência a Nina Rodrigues, o Dr. Remédios Monteiro externava sua opinião de que "...a raça negra tende a desaparecer em Santa Catarina por efeito do clima: as crianças anemiam-se, escrofulizam-se e tuberculizam-se enquanto as que não são de tal origem criam-se bem". (1899)
11 – Nasce em Pernambuquinho (RN), a escritora, militante do Movimento Negro em Pernambuco, Inaldete Pinheiro de Andrade, autora de "Cinco cantigas pra você contar", "Pai Adão era nagô", "Palavras de mulher" (1946)
12 – Nasce nos Estados Unidos o bailarino William Henry Lane - Juba, responsável por lançar as bases do sapateado, gênero de dança que consagrou artistas como Fred Astaire e Gene Kelly (1804)
13 – Nasce no Rio de Janeiro, a poetisa, cantora e compositora Yvonne Lara da Costa, D. Ivone Lara, primeira compositora de escola de samba a ganhar projeção com suas canções. (1921)
14 – Dia Mundial do Café, planta de origem etíope que foi a segunda mercadoria mais negociada no mundo por valor monetário, na década de 1980.

15 – Nasce no Rio de Janeiro o compositor e maestro Antônio Francisco Braga. (1868)

15 – Nasce, em São Lourenço da Mata/PE, José Albertino da Silva, o Caju, da dupla de embolada (1962)
16 – Decretada a abolição dos escravos no Distrito de Colúmbia (EUA). (1862)
16 – Nasce em Manhumirim (MG), o escritor e roteirista Júlio Emílio Braz, autor de "Saguairu", "Zumbi - O Despertar da Liberdade" e "Felicidade não tem cor" (1959)
17 – Nasce em Salvador/BA, Hyldon de Souza Silva, o produtor, guitarrista, baixista, compositor e cantor Hyldon, um dos maiores nomes do soul no Brasil (1951)

18 – Independência do Zimbabue. (1980)
18 – Inicia-se em Belo Horizonte, o II Encontro Nacional do MNU.
19 – Criação no Rio de Janeiro, do Grupo Negrícia - Poesia e Arte de Crioulo (1982)

19 – Nasce no Rio de Janeiro/RJ, Ronaldo Jorge Silva, o cantor, compositor e dançarino Naldo Benny (1979)
20 – Fundação no bairro de Miguel Couto, Nova Iguaçu (RJ), pela ialorixá Mãe Beata de Iemanjá, a Comunidade Terreiro Ilé Omi Oju Arô (casa da água os olhos de Oxossi) (1985)
20 – Nasce em Nogales, Arizona (EUA), o compositor Charles Mingus (1922)
21 – Nasce em Juiz de Fora/MG, Jorge Luís Andrade Silva, o ex-jogador e treinador de futebol Andrade, um dos jogadores que mais conquistaram o Campeonato Brasileiro de futebol (1957)

22 – Nasce o cantor e compositor Aldacyr Evangelista de Mendonça - Aldacyr Louro (1926)
23 – Dia consagrado ao orixá Oxóssi
23 – Nasce em Salvador ( BA), a negra Hilária Batista de Almeida, Tia Ciata ou Asseata, uma das tias baianas do samba carioca (1854)
23 – Nasce, em Alagoas, o escritor Jorge de Lima, um dos expoentes da poesia de temática afro-brasileira (1895)
23 – Nasce no bairro da Piedade (RJ), o compositor e músico Alfredo da Rocha Viana Júnior - Pixinguinha. Ganhou a imortalidade compondo músicas como: "Ingênuo", "Lamento", "Rosa" e "Carinhoso" (1897)
23 – Nasce em Juiz de Fora (MG), o cantor e compositor Geraldo Theodoro Pereira - Geraldo Pereira, autor de: "Acertei no Milhar", "Falsa Baiana", "Sem Compromisso" (1918)
23 – A cantora Elisete Cardoso, aos 5 anos de idade estréia como cantora na Sociedade Familiar Dançante e Carnavalesca Kananga do Japão (1926)
23 – Nelson Mandela, aos 47 anos, é condenado. Sua brilhante defesa não o livrou da prisão perpétua. Foi levado para a Ilha de Robben, prisão de segurança máxima para presos políticos (1964)
24 – Fundação em Belém (PA) do Club Amazônia, com o objetivo específico de organizar e promover a abolição da escravatura no vale do Amazonas (1884)
25 – Nasce em Newport New, Virgínia (EUA), a cantora de jazz Ella Fitzgerald, uma das musas da canção americana (1918)
25 – Nasce em Indianola, Mississipi (EUA), o cantor e guitarrista Albert Nelson - Albert King, um dos grandes expoentes do blues (1923)
25 – Nasce em São Paulo (SP) o cantor Agostinho dos Santos (1932)
25 – Criado no Pelourinho, Salvador (BA), o Bloco-Afro Cultural Olodum (1979)
26 – Festa Nacional da Tanzânia (1964)
26 – Iniciam-se as primeiras eleições multirraciais na África do Sul (1994)
26 – Nasce Benedita da Silva, primeira mulher negra a ocupar o cargo de governadora (1942)
27 – Independência do Togo (1960)

27 – Independência de Serra Leoa (1971)
27 – Nasce no Rio de Janeiro/RJ, a atriz e artista plástica Iléa Ferraz (1960)
27 – Fundação no Rio de Janeiro, do G.R.E.S. Arrastão de Cascadura. Cores: verde e branco (1973)
27 – Dia Nacional da Empregada Doméstica
27 – Realiza-se na África do Sul, a primeira eleição nacional livre sem a utilização de critérios raciais (1994)
Com o apoio maciço da população negra sul-africana, que pela primeira vez na história do país comparece às urnas para escolher seus representantes, o CNA - Congresso Nacional Africano conquista 62,6% dos votos e o líder Nelson Mandela é eleito presidente da África do Sul
28 – No bairro de Guaianazes, São Paulo, o trabalhador Robson Silveira da Luz, é morto vítima das torturas policiais. Este fato, aliado a outros, levou a criação do Movimento Negro Unificado. (1978)
28 – A Ialorixá Mãe Stella de Oxóssi recebe da Câmara Municipal de Salvador (BA) a Medalha Maria Quitéria, a mais alta comenda concedida à mulheres de destaque na Bahia (1995)
29 – Nasce em Washington, D.C. (EUA), o músico Edward Kennedy Ellington - Duke Ellington (1899)
30 – Nasce em Salvador (BA), o compositor Dorival Caymmi, autor de "O que é que a baiana tem ", "O Mar", "Dora", "Acalanto", "Oração de Mãe Menininha" (1914)

.

Pesquisa personalizada

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Bolsas para pequenos projetos

Estimados colegas,

Con placer les informo que hemos podido redireccionar fondos en el Observatorio y que entregaremos tres becas individuales, de US $5,000 cada una, en 2009. La fecha límite para postular al programa de pequeñas becas individuales será el jueves, 30 de abril del 2009.

Para más información sobre el Observatorio, sobre los pasados recipientes de las pequeñas becas en 2007 y 2008, y sobre los documentos de trabajo entregados por los recipientes del 2007, visite nuestra página www.observatoryla. org<http://www.observat oryla.org/>

Instrucciones para postular

Las becas están abiertas a profesionales y académicos (incluyendo a estudiantes graduados) de cualquier país. Queremos atraer a individuos que estén intentando romper nuevo terreno en la lucha contra la desigualdad, preferentemente con enfoques interdisciplinarios , y con consideraciones de políticas públicas.
Alentamos a postular particularmente a individuos de instituciones latinoamericanas.

Las postulaciones pueden presentarse en inglés, en español o en portugués. Ud. puede mandar los documentos a través de correo electrónico o por correo postal. Para postular envíe su CV (máximo cuatro páginas), un plan de investigación (dos páginas) que incluya el titulo de su proyecto, una descripción amplia de sus proyectos de investigación y además como usted piensa emplear esta beca. También debe presentar un presupuesto detallado. Por favor solicite dos cartas de recomendación que deben ser enviadas separadamente.

Las becas deben utilizarse en el plazo de 12 meses desde su recibimiento. Se espera que los investigadores que reciban una beca entreguen un breve informe sobre las conclusiones de su investigación así como un documento de trabajo sobre los resultados que puedan ser publicados como documento de trabajo del observatorio.

Por favor también indíquenos si Ud. quiere formar parte de nuestra base de datos. Si esta de acuerdo en formar parte de nuestra base de datos incluiremos su nombre, el título de su proyecto, la afiliación institucional y su correo electrónico en nuestra base de datos de investigadores trabajando temas sobre la desigualdad en América Latina. Visite:
http://www.sitemaso n.com/files/ j2qZEs/Database2 0072008.pdf

Postulaciones por correo electrónico: por favor mande los materiales a observatoryla@ miami.edu (las cartas de referencia tienen que ser enviadas desde el correo electrónico del autor de la carta).

Postulaciones por correo postal: por favor mande los materiales al Observatory on Inequality, Center for Latin American Studies, Memorial Building 125 L, 1111 Memorial Drive, University of
Miami, Coral Gables, FL 33124-2302.

Si tiene cualquier pregunta, por favor comuníquese conmigo o con el Administrador del proyecto, José Flores, a observatoryla@ miami.edu

Sinceramente,

Merike Blofield
Directora, Observatorio sobre la Desigualdad en América Latina
Profesora Asistente, Dpto. de Ciencia Política
Universidad de Miami

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Show Carnaval Hip Hop: EUA, Bahia, Ceará - BA

A banda Simples Rap’ortagem, uma das precursoras do Movimento Hip-Hop organizado na Bahia, protagoniza o maior show de rap na história do carnaval de Salvador. No dia 22 de fevereiro, as 19h na Praça Tereza Batista, Pelourinho, o público baiano e demais turistas e visitantes da cidade, além do show inédito da Simples Rap'ortagem que abrirá temporada de eventos em comemoração dos seus 15 anos, poderão desfrutar da discotecagem do DJ Afrika Bambaataa (Nova York – Estados Unidos) considerado um dos grandes precursores do Hip-Hop mundial e do show da maior revelação do rap nacional, o MC Rapadura (Ceará - Brasil).

Afrika Bambaataa é o pseudônimo de Kevin Donovan (Bronx, Nova York), DJ estado-unidense líder da Zulu Nation, maior organização hip-hop de todos os tempos, com representação em mais de 50 países. Bambaataa é reconhecido oficialmente como um dos fundadores do Hip-Hop. Usando sons, que iam desde James Brown (o mestre da Soul Music) até o som eletrônico da música “Trans-Europe Express” (da banda européia Kraftwerk), e misturando ao canto falado trazido pelo Dj jamaicano Kool Herc, Bambaataa criou a música “Planet Rock”, que hoje é um clássico. Bambaataa também foi um dos líderes do Movimento Libertem James Brown, criado quando o mestre da Soul Music estava preso e, anos depois, foi o primeiro ‘Hip-Hopper’ a trabalhar com James Brown, gravando “Peace, Love & Unity”. Bambaataa criou as bases para surgimento do Miami Bass, Freestyle (gênero musical), ritmos que influeciam Dj’s em todo mundo.

Francisco Igor Almeida do Santos, mais conhecido como RAPadura Xique Chico, nasceu em Lagoa Seca no Ceará, desenvolve um trabalho voltado para o universo do canto falado. Uma mistura arrojada de Rap com a tradição da cultura popular brasileira, que tem suas raízes matriciais com a Embolada e o Repente. O MC (Mestre de Cerimônias) também mistura seus versos com jazz, funk, soul, valsa, marchinha de carnaval, bossa nova, samba rock e outros ritmos urbanos. Suas letras são contundentes e exalam uma linguagem poética sem perder a identificação com o povo. A intimidade de RAPadura com a música é natural. Prova disto foi sua conquista em 2007 do Prêmio Hútuz (RJ) como melhor artista do Norte-Nordeste.

A Simples Rap’ortagem é um das precursoras do Movimento Hip-Hop organizado na Bahia, e completará 15 anos em 22 de abril de 2009. Integra a banda o único representante da organização Zulu Nation no estado. Incorporando elementos regionais da cultura afro-baiana e nordestina a Simples, como é conhecida, vem se destacando no gênero pelo profissionalismo e pela produção musical que valoriza a criatividade poética. A arte do asfalto dialoga com a arte do campo onde o canto falado revive a força da oralidade africana. Traz canções que ressaltam o respeito aos valores regionais nordestinos, o fortalecimento dos referenciais de negritude, a valorização de um hip-hop brasileiro e a necessidade de emancipação feminina. Ritmo com poder de sensibilização, aliado a um conteúdo forte, reflexivo, agraciado com a irreverência, eis a Simples Rap’ortagem.

O quê: SHOW CARNAVAL HIP-HOP: EUA, BAHIA e CEARÁ

Data: 22/02/09 – Domingo de Carnaval

Horário: das 19h às 23h

Local: Praça Tereza Batista - Pelourinho

Obs.: aberto ao público


Carnaval de Salvador terá serviço para denúncias de racismo e violência

A uma semana do carnaval, as cidades brasileiras estão a todo vapor com os preparativos para a festa. Salvador, cidade que sedia uma das maiores comemorações da data no Brasil, aproveita a oportunidade para promover a igualdade de raça e gênero entre a população. Para isso, o governo local vai disponibilizar aos foliões, pelo quarto ano consecutivo, o Observatório da Discriminação Racial e da Violência contra a Mulher.

O projeto, uma iniciativa implementada pela Secretaria Municipal de Reparação (SEMUR), da Prefeitura de Salvador, tem o objetivo de receber denúncias sobre atos de racismo ou de violência e, dessa forma, aumentar o acesso aos serviços disponíveis para a população da cidade.

“O enfrentamento da discriminação racial e da violência contra mulheres é um compromisso de toda a sociedade. Iniciativas como a do observatório ajudam a subsidiar e aperfeiçoar as políticas públicas nessas questões, daí a importância de se estender essa iniciativa para além do período de carnaval”, afirmou Fernanda Lopes, responsável pela área de direitos no UNFPA.

O observatório surgiu em 2005, a partir da constatação de que, no carnaval do ano anterior na capital baiana, das quase quatro mil vítimas de violência por causas externas (agressões físicas, armas brancas e de fogo), mais de 70% eram negras. Além de ser a maior cidade negra fora da África, Salvador é predominantemente feminina, com uma população de 52% de mulheres.

Para colocar o trabalho em prática, a Semur conta com parceria da Defensoria Pública da Bahia, da Fundação Cultural Palmares, da Secretaria de Estado de Promoção da Igualdade (SEPROMI) e do Fundo de População das Nações Unidas, UNFPA, entre outras instituições. Em 2009, como parte do projeto de cooperação entre o governo local e o UNFPA, foi incluído o tema “saúde sexual e reprodutiva e direitos” na capacitação dos profissionais que vão atuar durante o carnaval.

Serviço
A partir do dia 17 de fevereiro, se presenciar algum ato de racismo ou violência, denuncie pelo Disque 156 ou um dos postos do Observatório da Discriminação Racial e da Violência contra a Mulher, cuja sede fica no prédio da Secretaria Municipal de Reparação, Ladeira de São Bento, nº 74.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Exposição Fotográfica "Mulheres" - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Pós-graduação em Estudos Africanos e Afro-brasileiros - MG

(Clique na imagem para ampliá-la)

Calendário Negro - Fevereiro

01 - Nascimento, em Minas Gerais, da antropóloga e filósofa Lélia Gonzalez, intelectual e militante / 1935
02 - Dia de Iemanjá
06 - Nasce o cantor e compositor Bob Marley / 1945
07 - Nascimento de Clementina de Jesus da Silva, Valença/RJ /1902
09 - Nasce a escritora Alice Walker, na Geórgia, EUA / 1944
11 - Libertado Nelson Mandela, depois de 27 anos de prisão, na África do Sul /1990
12 - Nascimento de Arlindo Veiga dos Santos, acadêmico e primeiro Presidente da Frente Negra Brasileira (ver 16/9) / 1902
12 - Admitido o primeiro universitário negro na Universidade de Alabama - EUA /1956
13 - Assassinato de Patrice Lumumba - Congo /1961
14 - Morre a escritora Carolina Maria de Jesus, autora, dentre outros livros, de Quarto de Despejo
18 - Morre o poeta, compositor, ator e teatrólogo Solano Trindade / 1974
19 - W.E.B. Dubois organiza o Primeiro Congresso Pan-africano em Paris / 1919
19 - Carter G. Woodson cria, nos EUA, a "Negro History Week", atualmente o "Black History Month" (Mês da História Negra) / 1926
21 - Morre assassinado Malcom X / 1965
23 - Nasce William Edward Burghardt Dubois, doutor em Filosofia e pai do pan-africanismo contemporâneo
26 - As potências européias repartem o continente africano /1885
28 - Criação do Quilombhoje Literatura / 1980

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

"Amêsa ou a canção do desespero" - BA

"AMÊSA" Dramaturgia angolana interpretada por atriz angolana estréia no Teatro Gamboa Nova
Dias 13 e 14 de fevereiro, às 20:00hs estará sendo apresentado o monólogo Amêsa, que tem como atriz interprete a angolana Heloísa Jorge, e direção de Suelma Costa.

"Amêsa ou a canção do desespero" é um texto de José Mena Abrantes, escritor angolano que viveu alguns anos da guerra pela independência de Angola e toda a guerra civil que se iniciou logo após a independência. Por isso, é impossível pensar esse texto distinto da história de Angola, assim como não dá para separá-lo da história do próprio autor.

O texto trata da personagem Amêsa narrando sua própria história. Sua narrativa parte, não dos fatos, mas das marcas que ficaram em seu corpo e em sua alma,.que simbolicamente revela as marcas e lembranças de uma Angola que ainda grita e sente na pele de seus filhos a dor da guerra.

Amêsa (personagem) embarca em um rio de lembranças e numa intensa busca pela sua própria identidade. Ao longo dessa busca ela vai se deparando com as cicatrizes que ficaram tatuadas em sua pele, e também com a sua força, suas fraquezas e fantasias. Rasga suas próprias máscaras e se encara na sua condição humana e limitada.

A proposta de montar o texto neste formato surgiu do diálogo existente entre o próprio texto, a história da atriz, que também é de Angola, e o desejo da diretora de partir do sensorial para o racional, o que numa linguagem teatral podemos dizer: do dionisíaco para o apolíneo.

O espetáculo, que se prepara para participar do Festival Internacional de Curitiba em março deste ano, trás na sonoplastia o cantor e compositor angolano Wiza. A cenografia é assinada pela diretora Suelma Costa e a iluminação é de Everton Machado.

O espetáculo é uma realização da Cia de Teatro Gente.http://br.youtube.com/watch?v=RdmQzqmpkZ0
SERVIÇO: O Que? AMÊSA
Onde? Teatro Gamboa Nova
Quando? 13 e 14 de fevereiro, 20:00hs
R$? 5,00(preço único)
Produção: Cia de Teatro Gente
contato@ciadeteatrogente.com.br
www.ciadeteatrogente.com.br
55 (71) 8804-1667

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Ilê Aiyê abre inscrição para cursos gratuitos - BA

O Ilê Aiyê em parceria com a Petrobras, informa à comunidade do Curuzu/Liberdade e demais bairros de Salvador, que encontram-se abertas as inscrições para os seguintes cursos profissionalizantes:
· Informática
· Ajudante de Cozinha
· Operador de Telemarketing
· Eletricidade Predial
· Dança
Escolaridade: Ensino Médio completo ou Fundamental a partir da 7ª série.
Idade: 17 a 25 anos
Período de Inscrições: 21 de janeiro de 2009 à 27 de fevereiro de 2009
Seleção: 2 e 3 de março de 2009
Início dos Cursos: 9 de março de 2009
Documentação: RG, CPF, COMP. DE RESIDÊNCIA, ATESTADO DE ESCOLARIDADE, DUAS FOTOS 3X4
Obs: (Original e Xerox), que devem ser apresentados no ato da inscrição

Baile da Solidariedade Negra - BA

O KWANZA - Baile da Solidariedade Negra surge da necessidade de organização de um grupo de estudantes negras da universidade Católica do Salvador que vêem semestralmente a sua permanência ameaçada por não possuir condição financeira para dar continuidade à graduação.

Pensando nisso o Kwanza surge em primeiro momento como uma festa política com fins de arrecadar fundo financeiro para garantir a matricula de algumas lideranças estudantis. Esse mesmo grupo se propõe a discutir a questão d@s outr@s muit@s estudantes que por motivo financeiro foram obrigad@s a se afastar da universidade. Não sabemos precisamente o número de estudantes que estão de fora da universidade, até porque a mesma não disponibiliza estes dados, mas acreditamos que nós últimos três anos esse número se aproxima a mil estudantes. Entendemos este fato como uma política racista dessa instituição no seu pleno exercício de linchamento étnico-racial.

Kwanzaa é uma palavra swahili - língua Bantu oficial no Quênia e na Tanzânia. Significa "os primeiros frutos" e pertence às antigas tradições de celebrações de colheitas na África. Os sete princípios da Kwanza são: UMOJA (unidade), KUJICHAGULIA (autodeterminação), UJIMA (trabalho coletivo e responsabilidade), UJAMAA (economia cooperativa), NIA (finalidade), KUUMBA (criatividade) e IMANI (fé). Inspiradas nestes princípios e entendendo que “estamos por nossa própria conta” pedimos o apoio de todas irmãs e irmãos; para que possamos vencer essa batalha e dar seguimento às nossas jornadas.

O quê: KWANZA - Baile da Solidariedade Negra
Quando: Sábado, 14 de fevereiro de 2009
Onde: Sitoc, Rua do Passo, n. 40, Pelourinho
Entrada: 5,00 R$

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Sessão Especial para discutir Intolerância Religiosa - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

Núcleo Omi-Dudu inscreve para cursos profissionalizantes - BA

O Núcleo Omi-Dudu está lançando a partir do próximo dia 09/02 o Edital de Inscrições para Cursos Profissionalizantes, 1ª etapa 2009.
Atendendo às diretrizes do Programa Jovens Baianos - da Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate a Pobreza – SEDES, o Núcleo Omi-Dudu está abrindo o Edital de inscrições para cursos profissionalizantes da 1ª etapa de 2009 do PROJETO DIDÁ ALAMOJÚ II: Escola da Sabedoria - A continuidade de uma experiência voltada para o desenvolvimento sócio-econômico, tecnológico e formação profissional da juventude negra baiana.
O projeto DIDÁ ALAMOJÚ pretende contribuir para o crescimento pessoal e para o enriquecimento das experiências de ações comunitárias de jovens da comunidade negra baiana. Com metodologia focada na preservação dos valores da Cultura Afro-brasileira o projeto irá beneficiar diretamente 600 jovens, de várias comunidades de Salvador, em 05 modalidades de cursos profissionalizantes no período de 03/2009 a 05/2010.
um dos cincos cursos contempla 720h, de formação, divididos em 80% no Módulo de Apreensão e 20% no Módulo de Produção, este ultimo, incluindo a Vivência Prática. Os cursos serão realizados nos dias de segunda, quarta e sexta-feira nos turnos matutino das 07:30h as 11:30h e vespertinos das 13:30h as 17:30h. Os dias de terça, quinta-feira e sábado serão utilizados para atividades extraclasses. Para participar de um dos cursos do projeto Didá Alamojú devem ser levados em conta alguns critérios combinados:
- Ser afrodescendente ou encaminhado pela comunidade negra de Salvador
- Idade de 16 a 24 anos de ambos os gêneros.
- Estudantes da Rede Publica de ensino com escolaridade mínima 8ª serie e máxima 2º Grau em curso.
- Não ter experiência anterior de trabalho formal (carteira assinada).
- Não ter sido beneficiado por algum programa social de capacitação.
- Comprovar renda mínima familiar de 02 salário mínimo (Pesquisa socioeconômica).
- Xerox de todos os documentos básicos exigidos para matriculas (Rg, CPF, Carteira de Trabalho, Atestado de residência, comprovante de matricula escolar, 02 fotos 3X4.
- Possuir cartão Salvador Card.VIII
CURSOS E LOCAIS DE INSCRIÇÕESCURSO
N. 01: ESTÉTICA NEGRA - Beleza com os nossos conceitos - 80 VAGAS
Centro Social Urbano da Liberdade – Rua Lima e Silva S/N, próximo ao Shopping Liberdade. Das 08:hs as 18Hs de 09 a 16/02/2009.
CURSO N. 02: CONFECÇÃO E MODA AFRO - Inovação e habilidades para o mercado de consumo - 80 VAGAS
Centro Integrado de Apoio a criança e ao Adolescente – CIAC/ONDINA – Alto de Ondina S/N, próximo a Policia Militar.
Das 08Hs as 18hs, de 09 a 16/02/2009.
CURSO N. 03 RECEPCIONISTA AFRO - Beleza e profissionalismo em atendimento80 VAGASCentro Social Urbano do Nordeste de Amaralina – Beco da Cultura S/N, Nordeste.
Das 08:hs as 18:hs de 09 a 16/02/2009.
CURSO N. 04 JOVENS EM MOBILIZAÇÃO - Formação de Agentes Socioculturais Comunitários - 30 VAGAS (Encaminhados por organizações)Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra – CDCN, Rua do Paço S/N, Pelourinho/Centro Histórico.
Das 08:hs as 18:hs, de 09 a 16/02/2009.
CURSO N. 05 ETNOMIDIA - Cultura e tecnologia para juventude Negra baiana30 VAGAS (Encaminhados por organizações do movimento negro)Biblioteca Publica dos Barris 3º andar, sala n. 06.
Das 08:hs as 18:hs de 09 a 16/02/2009
IX PROCEDIMENTOS NAS INSCRIÇÕES, SELEÇÃO E MATRICULASOs candidatos devem se apresentar nos locais de inscrição munidos dos documentos exigidos.Haverá entrevistas e pesquisa do perfil socioeconômico do (a) jovem pré-selecionado (a).O resultado da pesquisa implicará na efetivação ou não da matricula.Se ficar comprovado a participação de algum jovem em outro projeto social a inscrição será anulada e a vaga preenchida por outro (a) candidato (a).
X RESULTADO DA SELEÇÃOO resultado com a lista dos jovens selecionados será publicado no dia 27/02/2009 pagina do site da Omi-Dudu e parceiros, bem como nos locais de inscrição.Os jovens selecionados serão chamados para se submeterem a pesquisa do perfil socioeconômico e posterior efetivação da matricula.
CONTATOS:
(71) 3334-2948 / 5982

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Lançamento do documentário "Até Oxalá vai à guerra" - RJ

(Clique na imagem para ampliá-la)

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Governo convoca a II Conferência Estadual de Promoção da Igualdade Racial de Alagoas

O governador Teotonio Vilela Filho convocou, nesta quarta-feira, por meio do Diário Oficial do Estado, a II Conferência Estadual de Promoção da Igualdade Racial (II COEPIR), a ser realizada no dia 21 de maio deste ano, sob a coordenação da Secretaria da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos.O encontro tem o objetivo de estabelecer diretrizes para a elaboração do Plano Estadual e avaliar a implementação do Plano Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, incluindo princípios e diretrizes aprovados na I Conferência Estadual e Nacional de Promoção, que aconteceu em Alagoas em fevereiro de 2005.De acordo com o texto do decreto, a Conferência adotará as temáticas da análise da realidade brasileira a partir da Política Nacional de Promoção da Igualdade Racial, além da análise dos impactos das políticas de igualdade racial implementadas no Estado e municípios alagoanos.O tema central da II Conferência Estadual de Promoção da Igualdade Racial será: "Avanços e Desafios Étnico-Social". Durante o evento, também serão discutidos alguns assuntos prioritários da Segurança Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial: Quilombos, Educação, Trabalho e Renda, Segurança Pública e Saúde. O compartilhamento da Agência Nacional com Plano de Ação de Durban e a discussão a respeito do poder de decisão sobre participação e controle social também estão na pauta.A comissão organizadora da Conferência deverá ser coordenada pela Secretaria de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos (SEMCDH) e será formada ainda por representantes a serem indicados por cada um dos seguintes órgãos: Gabinete Civil, secretarias de Estado da Educação e do Esporte; do Trabalho, Emprego e Renda; da Saúde; da Cultura; da Assistência e do Desenvolvimento Social e da Defesa Social; Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral) e, ainda, pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal).Para completar a comissão, a Secretaria da Mulher deverá ainda convidar representantes dos segmentos e de movimentos negros de Alagoas para participar do processo. Como coordenadora, a secretaria deverá também expedir o regimento do encontro, direcionar o processo democrático de escolha dos delegados, além das demais deliberações inerentes à sua função.Segundo representantes do órgão, o evento é voltado ao público afrodescendente, praticantes de religiões de matriz africana, indígenas, quilombolas, ciganos, judeus, palestinos, juventude negra, gestores públicos, parlamentares, além de outros agentes de organizações da sociedade civil vinculadas ao tema.Conferências Regionais - Antes de acontecer a Conferência com representantes de todo o Estado, já estão marcadas conferências regionais com o objetivo de avançar na discussão de problemáticas locais antecipadamente. Para facilitar a discussão, Alagoas foi dividido em quatro grandes regiões, todas com uma cidade-sede, onde acontecerá a reunião no dia pré-determinado.A primeira cidade onde vai acontecer a Conferência Regional é Delmiro Gouveia, que vai abrigar representantes de mais 27 municípios circunvizinhos no dia 16 de abril. Em seguida, a discussão acontecerá em União dos Palmares, que receberá representantes de 29 municípios em 23 de abril. Logo após, Arapiraca e mais 32 municípios poderão discutir sua pauta no dia 30 de abril; e finalmente, no dia 7 de maio, Maceió receberá mais 10 municípios para realização da Conferência Regional.Todos os municípios do Estado irão participar, levar suas propostas para a Conferência Estadual e, finalmente, para a Conferência Nacional, que acontecerá de 25 a 28 de junho de 2009, em Brasília (DF). Lá, será montado o Plano Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.Para que a comissão de organização do encontro fique completa, a Secretaria da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos convoca a sociedade civil organizada que tenha participação ativa acerca deste tema, e os representantes das secretarias que compõem a comissão, para participarem de uma reunião no dia 9 de fevereiro, às 14h, no auditório da Secretaria de Estado do Planejamento e do Orçamento (Seplan), para que se faça a eleição dos representantes da sociedade civil que farão parte da comissão organizadora estadual.Para esclarecimentos e mais informações a respeito do evento, o contato da Secretaria da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos é (82) 3315-1792 ou pelo email conferencia.coepir.alagoas@hotmail.com. Seguem as cidades do Estado e suas respectivas cidades sede para realização das conferências regionais.CONFERÊNCIAIS REGIONAIS- Município Sede - Delmiro Gouveia - 28 municípios: 16 de abril - Cidades inclusas no grupo: Delmiro Gouveia, Água Branca, Batalha, Belo Monte, Cacimbinhas, Canapi, Carneiros, Dois Riachos, Inhapi, Jacaré dos Homens, Jaramataia, Major Isidoro, Maravilha, Mata Grande, Minador do Negrão, Monteirópolis, Olho D´Água das Flores, Olho D´Água do Casado, Olivença, Ouro Branco, Palestina, Pão de Açúcar, Pariconha, Piranhas, Poço das Trincheiras, Santana do Ipanema, São José da Tapera, Senador Rui Palmeira.- Município Sede - União dos Palmares - 30 municípios: 23 de abril Cidades inclusas no grupo: União dos Palmares, Atalaia, Branquinha, Cajueiro, Campestre, Capela, Chã Preta, Colônia Leopoldina, Flexeiras, Ibateguara, Jacuípe, Japaratinga, Joaquim Gomes, Jundiá, Mar Vermelho, Maragogi, Matriz de Camaragibe, Murici, Novo Lino, Passo de Camaragibe, Paulo Jacinto, Pindoba, Porto Calvo, Porto de Pedras, Quebrangulo, Santana do Mundaú, São José da Laje, São Luiz do Quitunde, São Miguel dos Milagres, Viçosa.- Município Sede - Arapiraca - 33 municípios: 30 de abrilCidades inclusas no grupo: Arapiraca, Anadia, Belém, Boca da Mata, Campo Alegre, Campo Grande, Coité do Nóia, Coruripe, Craíbas, Estrela de Alagoas, Feira Grande, Feliz Deserto, Girau do Ponciano, Igaci, Igreja Nova, Jequiá da Praia, Junqueiro, Lagoa da Canoa, Limoeiro de Anadia, Maribondo, Olho D´Água Grande, Palmeira dos Índios, Penedo, Piaçabuçu, Porto Real do Colégio, Roteiro, São Brás, São Miguel dos Campos, São Sebastião, Tanque D´Arca, Taquarana, Teotônio Vilela, Traipú.- Município Sede - Maceió - 11 municípios: 07 de maio de 2009Cidades inclusas no grupo: Maceió, Barra de Santo Antônio, Barra de São Miguel, Coqueiro Seco, Marechal Deodoro, Messias, Paripueira, Pilar, Rio Largo, Santa Luzia do Norte, Satuba.

Disciplina obrigatória no ensino fundamental e médio já tem livro específico

Chegou ao mercado o primeiro livro que contempla integralmente a Lei 11.645, em vigor desde março de 2008, que obriga a inclusão de História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena como disciplina no currículo oficial das redes pública e particular de ensino. Trata-se de dois livros em um só volume: Sociedade em Construção - História e Cultura Afro-Brasileira - O negro na formação da Sociedade Brasileira e Sociedade em Construção - História e Cultura Indígena Brasileira - O índio na formação da Sociedade Brasileira, ambos de autoria do jornalista e sociólogo J. A. Tiradentes, em parceria com a mestre em Educação pela USP, Denise Rampazzo da Silva. A nova disciplina deverá ser ministrada em especial nas áreas de Educação Artística, Literatura e História, no ensino fundamental e médio, como foi estabelecido. "Nós escrevemos com a lei à nossa frente e sob consulta o tempo todo", disse Tiradentes. Segundo ele, os livros atendem a uma reivindicação do ex-ministro da Cultura Gilberto Gil. "Gil dizia que só a Fundação Palmares havia se preocupado em produzir conteúdos sobre o tema, tanto que o nosso livro tem o aval de Zulu Araújo, presidente da Fundação Cultural Palmares, do Ministério da Cultura", afirmou.
De acordo com a editora Direção Cultural, que comprou os direitos dos autores e é a responsável pela impressão e distribuição, a proposta de confeccionar dois livros em um único volume leva em consideração a redução do preço final, de armazenamento e de transporte, cuja economia permite vender dois livros pelo preço de um. Para Tiradentes, esse formato beneficia o planeta duplamente: primeiro, porque economiza milhares de árvores para a impressão de dois livros num só exemplar, já que reduz a quantidade de papel na capa. Em segundo lugar, porque o livro é impresso com papel reciclado. Dividida em 14 capítulos a edição segue rigorosamente o que estabelece a lei, quanto ao conteúdo programático. Eles tratam dos aspectos da história e da cultura que caracterizam a formação da população brasileira a partir dos dois grupos étnicos, tais como o estudo da história da África e dos africanos, a luta dos negros e dos povos indígenas no Brasil. Também resgata a contribuição das etnias nas áreas social, econômica e política, pertinentes à história do Brasil.A capacitação dos professores é feita por meio de recurso digital. Ou seja, através do método EAD - Ensino a Distância, tendo em vista a parceria firmada entre o editor e o Instituto de Tecnologia, Pesquisa, Gestão e Educação Virtual do Brasil (ITGVBR), que tem como associadas algumas das mais tradicionais instituições de ensino a distância do Brasil. Consulte o site www.livroafrobrasileiro.com.br para outras informações.
Conteúdo
A parte afro-brasileira do volume tem 114 páginas e a indígena 71 páginas. A primeira é composta de oito capítulos e aborda temas como: O Continente Africano; A história da África e dos africanos; O contato entre o europeu e o africano e a chegada do negro ao Brasil; Escravidão no Brasil: formas e tipos diversos; A luta dos negros no Brasil, uma história de resistências; Abolicionismo, a luta pela liberdade; A cultura negra e a sua influência no Brasil e O negro na formação da sociedade nacional. Vinte dos principais grandes personagens afro-descendentes brasileiros são destacados nesta parte. Já o livro sobre os povos indígenas brasileiros está dividido em seis capítulos: A presença do homem no continente americano; O contato entre os europeus e os indígenas; Escambo e escravidão nos primeiros anos de colonização; Os índios do Brasil; A cultura indígena e a sua influência na formação da sociedade nacional e As contribuições dos povos indígenas ao Brasil e ao mundo.
Fonte: Fundação Palmares, 27/01/2009

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

ACUA e FIDA convidam projetos de Etnoeducação a trocarem experiências

El Programa Regional de Apoyo a las Poblaciones Rurales de Ascendencia Africana de América Latina –ACUA– el Fondo Internacional de Desarrollo Agrícola –FIDA-y el Convenio Andrés Bello SECAB invitan a postular experiencias en etnoeducación que den respuesta a necesidades y características culturales de su comunidad.

Considerando su interés en el desarrollo de los pueblos afro de la región lo (a) invitamos a conocer y a difundir, entre las comunidades y organizaciones afrodescendientes que viven en zonas rurales de estos países la Convocatoria Internacional de Etnoeducación, cuyo objetivo es identificar diversos escenarios e iniciativas innovadoras en materia de etnoeducación que estén siendo desarrollados por líderes, grupos y organizaciones comunitarias afrodescendientes.

Serán hasta diez (10) las experiencias seleccionadas que podrán participar en el evento "Etnoeducació n para el desarrollo: una visión desde lo afro" que se llevará a cabo en Guayaquil Ecuador, los días 13, 14 y 15 de Abril de 2009.

El Programa otorgará a cada una de las experiencias ganadoras quinientos dólares (USD $500) para la preparación y elaboración del material necesario para su presentación en dicho evento. Adicionalmente, serán cubiertos los costos de traslado y alojamiento de un representante de cada experiencia.

La información de la convocatoria también está disponible en la página Web del Programa: www.programaacua. org en el link "documentos de interés" y del Convenio Andrés Bello www.convenioandresb ello.org
Adjuntamos los siguientes documentos:
· ABC de la Convocatoria
· Formulario de postulación

Saludos Cordiales, -- Unidad Técnica Programa Activos Culturales Afro - ACUA Ava Cra 20 # 85 - 60Tel: 57-1-644 9292 ext 148Bogotá, Colombia

Bienal Afro-Brasileira do Livro será lançada em Salvador

(Clique na imagem para ampliá-la)

Acontece no dia 07 de fevereiro de 2009 (sábado), às 10h, na Câmara Municipal de Salvador – Pça. Tomé de Souza, o lançamento da Bienal Afro-Brasileira do Livro - Educar para a Diversidade. O evento traz à tona, com grande ênfase, a cultura afro-brasileira situando, além do foco nas produções literárias independentes, produções literárias do mercado editorial com prioridade no corte racial e outras manifestações culturais resultantes da trajetória de resistência dos afro-descendentes.

Durante a Bienal, a Secretaria de Educação do Estado da Bahia – SEC, faz lançamento do edital para seleção publica de material didático em Historia e Cultura Africana e Afro-brasileira e Educação das Relações Étnico Raciais para professores e alunos da rede estadual de educação. A programação do evento conta com: Colóquio Intelectual, mesas temáticas, exposição de artes plásticas e livros temáticos.

CONCEITO - Foi compreendendo que é necessário valorizar, sem disfarces, a luta e a história do povo negro na formação da identidade e cultura da sociedade brasileira que a Bienal Afro chega à conclusão que contribuir para ajudar a minimizar a desigualdade racial não é apenas resolver seus aspectos puramente econômicos, plasmar leis, mas é também educar a família, a comunidade, o professor e, nessa educação, reconstruir a educação nos parâmetros edificados pelos seus principais protagonistas.

Para que a pessoa, indistintamente, não seja só um ente social, mas que seja também capaz de viver, difundir e contribuir para o desenvolvimento da cidadania plena, esse caminho é, portanto, a preparação das novas gerações para a vida em sociedade plenamente democrática, justa e conhecedora da sua formação histórica, e, consequentemente transformadora, para que, de fato, sejamos gigantes pela própria natureza humana, rica em sabedoria.

A Bienal Afro-Brasileira vem de encontro às políticas públicas que visam o combate à discriminação racial, à igualdade de oportunidades e às reparações.

“A história é um processo, prossegue, e todos nós, conscientes ou inconscientemente, por atos ou omissões, participamos dela”.

OBJETIVOS

- Dar visibilidade às produções independentes, cujos conteúdos editoriais valorizem a História da África e a Cultura Afro-Brasileira, aproximando-os do mercado editorial e/ou auxiliando-os na criação de Cooperativa Editorial para concretizar as suas produções literárias.
- Oferecer essas produções aos Educadores de todos os níveis, cada um ao seu turno, para suprir a ausência de material didático para ser difundido nas salas de aula.

- Auxiliar as instituições de ensino na construção da identidade étnica dos alunos, pais, funcionários e comunidade.

- Fazer a discussão e tornar visível a temática racial para o conjunto da sociedade, através das manifestações culturais resultantes da trajetória de resistência: capoeira, samba, tambor de criola, ciranda, música, congada, reisado, boi-bumbá, etc.; além dos instrumentos musicais: atabaque, agogô, caxixi, cabaça, chocalho, etc.; exibição de vídeos e filmes; culinária de origem africana de todas as regiões do Brasil; moda; beleza; exposições artísticas; exposições fotográficas; artesanato; religiosidade de matriz africana e outras intervenções culturais relacionadas ao tema do evento.

- Introduzir a comparação do sistema brasileiro de inclusão racial e social, no contexto de uma economia transacional , com outros países desenvolvidos, emergentes e subdesenvolvidos, demonstrando o impacto de diferentes ambientes culturais, político-econômicos e normativos sobre a natureza da diversidade.

Serviço

O quê? Lançamento da Bienal Afro-Brasileira do Livro - Educar para a Diversidade
Quando? 07 de fevereiro de 20009 (sábado), a parti das 10h.
Onde? Câmara Municipal de Salvador – Pça. Tomé de Souza - Salvador/Ba.
Quanto? GRATUITO

PROGRAMAÇÃO:

Manhã:

-10h, Abertura

Mesas Temáticas
- Invisibilidade do Negro na Literatura Afro-brasileira
- Impacto da lei 10.639 no combate as desigualdades
- Lançamento do edital para seleção publica de material didático em Historia e Cultura Africana e Afro-brasileira e Educação das Relações Étnico Raciais para professores e alunos da rede estadual de educação

Almoço

Tarde:
- Apresentação do Conselho Consultivo da Bienal Afro-BrasileirA do Livro
-Visitação Publica ao pôr-do-sol no Forte São Marcelo
-Show intimista com artistas locais

Noite:
- Noite da Beleza Negra no Ilê Aiyê

Mais informações:
Samuel Azevedo
(71) 87090312 - http://br.mc315.mail.yahoo.com/mc/compose?to=aseydou@hotmail.com

Hamilton Oliveira (Dj Branco) – Assessor de Comunicação
(71) 9151-0631 – cmahiphop@hotmail.com


FONTE: CMA Hip Hop

Lélia Gonzalez (01/02/1935 - 10/07/1994)


Seus escritos, simultaneamente permeados pelos cenários da ditadura política e da emergência dos movimentos sociais, são reveladores das múltiplas inserções e identificam sua constante preocupação em articular as lutas mais amplas da sociedade com a demanda específica dos negros e, em especial das mulheres negras. Os livros produzidos foram “Lugar de Negro”, Editora Marco Zero, 1982 (com Carlos Hasenbalg), “Festas Populares no Brasil”, premiado na Feira de Frankfurt. As demais referências da produção de Lélia Gonzalez são papers, comunicações, seminários, panfletos político-sociais, partidários, engajados, sempre de muita reflexão.

Atuação
A preocupação com os excluídos das condições de vida dígna - nos planos social, político, econômico, educacional, habitacional, de trabalho, de lazer - norteou suas campanhas para cargos públicos, em 1982 (PT) e 1986 (PDT), tendo como principais referências as liberdades individuais e as transformações sociais. Lélia sempre acreditou na possibilidade de se construir uma sociedade solidária e fraterna e que, para tal, é preciso, além do engajamento na luta política mais ampla, que os grupos não dominantes produzam seu próprio conhecimento. É em razão disso que dedicou-se ao estudo das culturas humanas, especialmente da cultura negra. Graduada em História e em Filosofia, aprofundou estudos nas áreas da Antropologia, da Sociologia, da Literatura, da Psicanálise, da teoria da Estética, da Cultura Brasileira, além de ter-se dedicado profundamente à Ciência, Cultura e História africanas.
Seus escritos e palestras, atuando contra o racismo e outras formas de discriminação, contribuíram para a formação acadêmica e cidadã de muitos dos que com ela conviveram, considerando que atuou nas universidades brasileiras por mais de 30 anos, até seu falecimento. Em seus últimos dias, foi eleita, por reconhecimento de sua competência, chefe do Departamento de Sociologia, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Quando faleceu, aos 59 anos, ainda tinha muito o que fazer, o que escrever, o que falar/comunicar/ensinar.
Sua busca permanente e irrestrita na direção do conhecimento é identificada pela capacidade de interpretação que mostrou na crítica às ideologias e à hegemonia de dominação (de lógica machista, branca e européia) que sempre forçou o povo negro ao lugar de submissão, de menor condição e capacidade. A capacidade transformadora de Lélia Gonzalez sempre foi colocada na palavra, seguindo a oralidade ancestral feminina negra.
Lélia Gonzalez é fundadora (juntamente com outras/outros companheiras/os) do Movimento Negro Unificado (MNU); do Instituto de Pesquisas das Culturas Negras do Rio de Janeiro (IPCN-RJ)); do Nzinga Coletivo de Mulheres Negras; do Olodum (Salvador). Participou da primeira composição do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM), de 1985 a 1989.

Pensamento
"Fato da maior importância (comumente “esquecido” pelo próprio Movimento Negro), era justamente o da atuação das mulheres negras que, ao que parece, antes mesmo da existência de organizações do Movimento de Mulheres, reuniam-se para discutir o seu cotidiano marcado, por um lado, pela discriminação racial e, por outro, pelo machismo não só dos homens brancos, mas dos próprios negros.... Nesse sentido, o feminismo negro possui sua diferença específica em face do ocidental: a da solidariedade, fundada numa experiência histórica comum". (1984)
FONTE: Wikipédia

Brasil e Senegal se reúnem para planejar III FesmanBrasil e Senegal se reúnem para planejar III Festival Mundial de Artes Negras

III Festival Mundial de Artes Negras terá o Brasil como convidado de honra

Brasília - O III Festival Mundial de Artes Negras (Fesman) foi pauta de reunião entre os ministérios da Cultura de Brasil e Senegal em Brasília, no último dia 22 de janeiro. Marcado para o dia 1º de dezembro, o III Fesman será realizado em Dacar, no Senegal, até o dia 21 do mesmo mês. O Brasil será convidado de honra do evento, que contará com a participação de mais de 80 países.
Estavam presentes à reunião, o presidente da Fundação Cultural Palmares (FCP), Zulu Araújo e o ministro da Cultura interino, Roberto Nascimento, além do ministro da Cultura senegalês, Mame Birame Diouf. O ministro Juca Ferreira e Zulu Araújo coordenam a comitiva brasileira do III Fesman.
Na reunião, as delegações definiram o dia 25 de maio como a data de lançamento oficial do evento no Brasil. O lançamento contará com as presenças dos presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e do Senegal, Abdulaye Wade. Além disso, foi definida a data da reunião do Comitê Internacional, nos dias 1º, 2 e 3 de março, com a presença do ministro Juca Ferreira e do presidente da FCP, Zulu Araújo.
O ministro senegalês ressaltou que a reunião foi muito importante por ter sido realizada em um país escolhido para ser homenageado e com um papel relevante no Festival. "O Brasil tem uma liderança muito grande na América Latina e na Comunidade Negra, por isso esse encontro de hoje é primordial. O povo senegalês espera ansiosamente pelos brasileiros", disse.
O presidente da Fundação Palmares declarou que o MinC está cumprindo rigorosamente o cronograma já acordado em outras reuniões. Segundo Zulu Araújo, já foram criados os Comitês MinC e Comitê Nacional para o Fesman, além da primeira disponibilidade financeira, da ordem de R$ 3 milhões. Zulu Araújo relatou ainda a previsão de dois grandes eventos pré-Fesman: o 1° Fórum Nacional de Performance Negra para a Dança e Teatro, a ser realizado em Salvador, com previsão para maio, e o 2° Encontro sobre Renascimento Africano, previsto para acontecer no Rio de Janeiro, em junho.
O Festival Mundial das Artes Negras é a maior reunião das artes e da cultura negra do mundo. Foi idealizado pelo ex-presidente do Senegal, Léopold Sédar Senghor, na década de 1960, com o tema "Significação da Arte Negra pelo Povo e para o Povo". O segundo foi realizado na Nigéria, em 1977, com o tema "Civilização Negra e Educação". Este ano, vai homenagear o Brasil, com o tema o "Renascimento Africano". A homenagem se deve principalmente ao fato de o Brasil abrigar a segunda maior população negra mundial depois da Nigéria. Mais de 80 países vão participar do III Fesman. Quatro redes de satélites vão percorrer o mundo inteiro mostrando toda a programação, que será transmitida em cinco idiomas: inglês, francês, espanhol, português e árabe.

Programa internacional seleciona projetos na área de Etnoeducação

O Programa Regional de Apoio às Populações Rurais de Ascendência Africana da América Latina (Acua), o Fundo Internacional de Desenvolvimento (FIDA) e o Convênio Andrés Bello (CAB) lançaram um edital para identificar estratégias e trabalhos realizados na matéria de etnoeducação que estejam sendo desenvolvidos por líderes, grupos e organizações comunitárias afro-descendentes, que estejam funcionando e que dêem respostas às necessidades e características de suas comunidades.

No total, serão selecionadas 10 experiências para participarem do evento "Etnoeducação para o desenvolvimento: uma visão a partir do afro" que será realizada em Guayaquil - Equador, nos dias 13, 14 e 15 de abril de 2009.

O Programa apoiará as experiências ganhadoras com quinhentos dólares (USD $500) a cada uma das selecionadas, destinados à preparação e elaboração do material necessário para sua apresentação no referido evento. De forma complementar, serão cobertos todos os custos de deslocamento e alojamento de um representante de cada projeto.

Podem participar da seleção líderes, comunidades rurais e territórios tradicionais afro-descendentes da Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Panamá, Peru e Venezuela - que estejam realizando trabalhos relacionados com etnoeducação. Podem ser instâncias educativas formais nos diferentes graus, trabalhos extracurriculares, iniciativas comunitárias que envolvam mulheres e jovens, entre outras. As propostas etnoeducativas apresentadas deverão ser inovadoras, apresentar novos conhecimentos e contribuir para a geração de novas alternativas educacionais.

Confira aqui o edital.

Formulário de inscrição.

No ano passado, outro projeto do Programa Acua contemplou três comunidades quilombolas no Brasil com um aporte financeiro de 20 mil dólares, durante um período de dois anos, pela sua relevância em ações de sustentabilidade, desenvolvidos para a melhoria da qualidade de vida nessas comunidades. Os projetos brasileiros contemplados foram:

Espaço Cultural Vovó Conceição (Aso Orisa; Roupas de Santo - confecção);
Associação da Comunidade Quilombola de Cocalinho (A arte do saber, saberes e fazeres de uma comunidade quilombola - artesanato);
Sociedade Beneficente de Defesa do Terreiro Sogboadã (Cabeça de Negra; Ensino da cultura dos trançados e turbantes, costumes e tradições de beleza e auto-estima).
A informação do edital também está disponível no site do Programa: www.programaacua.org - no link "documentos de interesse" - ou na página do Convênio Andrés Bello: www.convenioandresbello.org.


Marcus Bennett - ACS/FCP/MinC