SEGUIDORES DO BLOG




CALENDÁRIO NEGRO - ABRIL

1 – Criação do Partido dos Panteras Negras, EUA (1967)

1 – Nasce no bairro da Tijuca, Rio de Janeiro, o cantor e compositor Antônio Moreira da Silva - Kid Morengueira, famoso pelo jeito muito próprio de cantar o samba de breque. Fez sucesso com sambas antológicos como: "Acertei no Milhar", "O Rei do Gatilho" e "Na Subida do Morro" (1902)
1 – Tem início em Dacar, Senegal, o I Festival Mundial de Arte Negra (1966)
2 – Nasce em Santa Maria da Vitória (BA), o famoso escultor de carrancas do Rio São Francisco, Francisco Biquiba dy Lafuente Guarany. (1882)
2 – Nasce em Washington (EUA), o cantor, compositor, baterista, pianista, arranjador e produtor Marvin Gaye. Faz parte de seu repertório, sucessos como: "What's Going On", "Let's Get It On", "Sexual Healing" (1939)
2 – Criação no bairro de Madureira (RJ), do Grupo Afro-Cultural Agbara Dudu, que em iorubá significa "força negra", o mais antigo bloco-afro do Rio de Janeiro (1982)

2 – Nasce Dener Augusto de Sousa, o Dener, famoso jogador de futebol morto precocemente num acidente automobilístico (1971)
3 –
Martin Luther King Jr. profere seu discurso I've Been to the Mountaintop (Eu estive no topo da montanha), na sede da Igreja Mundial de Deus em Cristo, em Memphis, Estados Unidos (1968)

3 – Nasce nos Estados Unidos, o ator Eddie Murphy (1961)

3 – Nasce em São Paulo/SP, Mauro Mateus dos Santos, o compositor, cantor e ator brasileiro Sabotage (1973)

4 – Tem início em São Paulo, o I Encontro de Padres e Bispos Negros (1989)
4 – Nasce nos Estados Unidos, o ator e produtor Eddie Murphy (1961)
4 – Nasce em Rolling Forks, Mississipi (EUA), o músico e cantor de blues Mckinley Morganfield - Muddy Waters, um dos maiores mestres do blues urbano (1915)
4 – Independência do Senegal. (1960)
4 – Nasce em Lins/SP, Nelson Prudêncio, professor e atleta de salto triplo, ganhador de várias medalhas: uma medalha de prata nas Olimpíadas de Verão de 1968, na Cidade do México, uma medalha de bronze nas Olimpíadas de Verão de 1972, em Munique, uma medalha de prata nos Jogos Panamericanos de 1967, no Canadá, e uma medalha de prata nos Jogos Panamericanos de Cali, Colômbia, em 1971 (1944)

5 – Nasce nos Estados Unidos, o educador Booker T. Washington (1856)

5 – Nasce em Salvador (BA), Vicente Ferreira Pastinha - Mestre Pastinha, considerado o maior guardião da capoeira angola (1889)
5 – Nasce o compositor Joaquim Maria dos Santos, Donga, autor de “Pelo telefone”, primeiro samba gravado (1890)

6 – Nasce em Kinshasa/República Democrática do Congo, Fabrice Ndala Muamba, ex-jogador de futebol do Arsenal e Birminghan. Em 2012, teve um mal súbito, ficou com o coração parado por 78 minutos e sobreviveu (1988)
7 – Nasce em Baltimore (EUA), a cantora imortal, Billie Holiday, consagrada através de canções como: "Strange Fruit", "God Bless the Child", "Solitude", "My Man", "Don't Explain", entre outros (1915)

7 – Nasce Antônio Carlos Bernardes Gomes, o Mussum, músico, ator e humorista brasileiro, integrante do grupo Os Trapalhões (1941)
7 – Dia da Mulher Moçambicana - Em homenagem a Josina Mutamba Machel, comandante do destacamento de mulheres da FRELIMO e chefe de Assuntos Sociais do Departamento de Assuntos Exteriores de Moçambique
8 – A atriz Ruth de Souza recebe em Brasília a Comenda do Grau Oficial da Ordem do Rio Branco da República Federativa do Brasil, por sua contribuição ao cenário artístico brasileiro (1988)
9 – Nasce em Princeton (EUA), o ator e cantor Paul Bustill Robeson, Paul Robeson (1898)
9 – Nasce no Rio de Janeiro, o ator Haroldo de Oliveira (1942)
10 – Nasce na cidade de Pirapetinga (MG) o cantor Mário Souza Marques Filho - Noite Ilustrada (1928)
10 – Fundada no Rio de Janeiro, tendo como idealizador o Maestro Abgail Moura, a Orquestra Afro-Brasileira (1942)
11 – Em correspondência a Nina Rodrigues, o Dr. Remédios Monteiro externava sua opinião de que "...a raça negra tende a desaparecer em Santa Catarina por efeito do clima: as crianças anemiam-se, escrofulizam-se e tuberculizam-se enquanto as que não são de tal origem criam-se bem". (1899)
11 – Nasce em Pernambuquinho (RN), a escritora, militante do Movimento Negro em Pernambuco, Inaldete Pinheiro de Andrade, autora de "Cinco cantigas pra você contar", "Pai Adão era nagô", "Palavras de mulher" (1946)
12 – Nasce nos Estados Unidos o bailarino William Henry Lane - Juba, responsável por lançar as bases do sapateado, gênero de dança que consagrou artistas como Fred Astaire e Gene Kelly (1804)
13 – Nasce no Rio de Janeiro, a poetisa, cantora e compositora Yvonne Lara da Costa, D. Ivone Lara, primeira compositora de escola de samba a ganhar projeção com suas canções. (1921)
14 – Dia Mundial do Café, planta de origem etíope que foi a segunda mercadoria mais negociada no mundo por valor monetário, na década de 1980.

15 – Nasce no Rio de Janeiro o compositor e maestro Antônio Francisco Braga. (1868)

15 – Nasce, em São Lourenço da Mata/PE, José Albertino da Silva, o Caju, da dupla de embolada (1962)
16 – Decretada a abolição dos escravos no Distrito de Colúmbia (EUA). (1862)
16 – Nasce em Manhumirim (MG), o escritor e roteirista Júlio Emílio Braz, autor de "Saguairu", "Zumbi - O Despertar da Liberdade" e "Felicidade não tem cor" (1959)
17 – Nasce em Salvador/BA, Hyldon de Souza Silva, o produtor, guitarrista, baixista, compositor e cantor Hyldon, um dos maiores nomes do soul no Brasil (1951)

18 – Independência do Zimbabue. (1980)
18 – Inicia-se em Belo Horizonte, o II Encontro Nacional do MNU.
19 – Criação no Rio de Janeiro, do Grupo Negrícia - Poesia e Arte de Crioulo (1982)

19 – Nasce no Rio de Janeiro/RJ, Ronaldo Jorge Silva, o cantor, compositor e dançarino Naldo Benny (1979)
20 – Fundação no bairro de Miguel Couto, Nova Iguaçu (RJ), pela ialorixá Mãe Beata de Iemanjá, a Comunidade Terreiro Ilé Omi Oju Arô (casa da água os olhos de Oxossi) (1985)
20 – Nasce em Nogales, Arizona (EUA), o compositor Charles Mingus (1922)
21 – Nasce em Juiz de Fora/MG, Jorge Luís Andrade Silva, o ex-jogador e treinador de futebol Andrade, um dos jogadores que mais conquistaram o Campeonato Brasileiro de futebol (1957)

22 – Nasce o cantor e compositor Aldacyr Evangelista de Mendonça - Aldacyr Louro (1926)
23 – Dia consagrado ao orixá Oxóssi
23 – Nasce em Salvador ( BA), a negra Hilária Batista de Almeida, Tia Ciata ou Asseata, uma das tias baianas do samba carioca (1854)
23 – Nasce, em Alagoas, o escritor Jorge de Lima, um dos expoentes da poesia de temática afro-brasileira (1895)
23 – Nasce no bairro da Piedade (RJ), o compositor e músico Alfredo da Rocha Viana Júnior - Pixinguinha. Ganhou a imortalidade compondo músicas como: "Ingênuo", "Lamento", "Rosa" e "Carinhoso" (1897)
23 – Nasce em Juiz de Fora (MG), o cantor e compositor Geraldo Theodoro Pereira - Geraldo Pereira, autor de: "Acertei no Milhar", "Falsa Baiana", "Sem Compromisso" (1918)
23 – A cantora Elisete Cardoso, aos 5 anos de idade estréia como cantora na Sociedade Familiar Dançante e Carnavalesca Kananga do Japão (1926)
23 – Nelson Mandela, aos 47 anos, é condenado. Sua brilhante defesa não o livrou da prisão perpétua. Foi levado para a Ilha de Robben, prisão de segurança máxima para presos políticos (1964)
24 – Fundação em Belém (PA) do Club Amazônia, com o objetivo específico de organizar e promover a abolição da escravatura no vale do Amazonas (1884)
25 – Nasce em Newport New, Virgínia (EUA), a cantora de jazz Ella Fitzgerald, uma das musas da canção americana (1918)
25 – Nasce em Indianola, Mississipi (EUA), o cantor e guitarrista Albert Nelson - Albert King, um dos grandes expoentes do blues (1923)
25 – Nasce em São Paulo (SP) o cantor Agostinho dos Santos (1932)
25 – Criado no Pelourinho, Salvador (BA), o Bloco-Afro Cultural Olodum (1979)
26 – Festa Nacional da Tanzânia (1964)
26 – Iniciam-se as primeiras eleições multirraciais na África do Sul (1994)
26 – Nasce Benedita da Silva, primeira mulher negra a ocupar o cargo de governadora (1942)
27 – Independência do Togo (1960)

27 – Independência de Serra Leoa (1971)
27 – Nasce no Rio de Janeiro/RJ, a atriz e artista plástica Iléa Ferraz (1960)
27 – Fundação no Rio de Janeiro, do G.R.E.S. Arrastão de Cascadura. Cores: verde e branco (1973)
27 – Dia Nacional da Empregada Doméstica
27 – Realiza-se na África do Sul, a primeira eleição nacional livre sem a utilização de critérios raciais (1994)
Com o apoio maciço da população negra sul-africana, que pela primeira vez na história do país comparece às urnas para escolher seus representantes, o CNA - Congresso Nacional Africano conquista 62,6% dos votos e o líder Nelson Mandela é eleito presidente da África do Sul
28 – No bairro de Guaianazes, São Paulo, o trabalhador Robson Silveira da Luz, é morto vítima das torturas policiais. Este fato, aliado a outros, levou a criação do Movimento Negro Unificado. (1978)
28 – A Ialorixá Mãe Stella de Oxóssi recebe da Câmara Municipal de Salvador (BA) a Medalha Maria Quitéria, a mais alta comenda concedida à mulheres de destaque na Bahia (1995)
29 – Nasce em Washington, D.C. (EUA), o músico Edward Kennedy Ellington - Duke Ellington (1899)
30 – Nasce em Salvador (BA), o compositor Dorival Caymmi, autor de "O que é que a baiana tem ", "O Mar", "Dora", "Acalanto", "Oração de Mãe Menininha" (1914)

.

Pesquisa personalizada

sábado, 30 de novembro de 2013

IDH dos brancos e pretos & pardos + Debate e lançamento livros Prof. Marcelo Paixão - RJ



Prezado leitor e prezada leitora do Tempo em Curso
 
Com satisfação informo estar no portal do LAESER a edição de novembro do boletim eletrônico “Tempo em Curso”. Como este é o Mês da Consciência Negra, o tema especial escolhido para esta edição foi a atualização do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) dos brancos e pretos & pardos em nosso país, seguindo a nova metodologia adotada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).
 
Infelizmente, no despontar da segunda década do presente século, as diferenças nas condições de vida dos diferentes grupos de cor ou raça no Brasil seguem bastante acentuadas, com os brancos gozando de um IDH compatível a um país de indicador alto (66a posição) e os pretos & pardos a um país de IDH somente médio (103a posição). Este dado sinaliza o quanto ainda teremos de avançar em termos das políticas de equidade racial.
 
Igualmente informo aos companheiros e companheiras do LAESER o lançamento de dois livros de minha autoria ao qual muito me apraz poder compartilhar com todos vocês:
·        
A Lenda da Modernidade Encantada: Por uma Crítica ao Pensamento Social Brasileiro sobre Relações Raciais e Projeto de Estado-Nação (Ed. CRV)
·        
500 Anos de Solidão: Ensaios sobre as Desigualdades Raciais no Brasil (Ed. Appris)
 
Estaremos fazendo um debate de lançamento de ambos os livros neste dia 4 de dezembro, às 17h, no Auditório da Escola de Serviço Social, Segundo andar, Prédio da Escola de Serviço Social, Campus Praia Vermelha da UFRJ, Av. Pasteur, 250, Rio de Janeiro.
 
Estaremos compondo uma mesa de debate junto com representantes do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior, Seção UFRJ (AD-UFRJ), o Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (SINTUFRJ) e o Diretório Central dos Estudantes Mário Prata (DCE), dentro do tema “Cor e classe na sociedade brasileira: o desafio teórico e prático dos movimentos sociais” (Acesse o programa completo).
 
Posteriormente, às 19h, na Livraria da Ed. UFRJ, localizada no andar térreo do Palácio Universitário da UFRJ (também no Campus da Praia Vermelha), estarei fazendo uma noite de autógrafos dos exemplares.
 
Em 2014 pretendo realizar atividades de lançamento destes dois livros em diferentes cidades brasileiras. Neste sentido aos interessados em contar com uma atividade de igual teor em vossas instituições, peço que façam contato conosco através do endereço eletrônico: laeser@ie.ufrj.br
 
Não sem expressar a devida angústia pelo tanto que ainda temos por caminhar para chegarmos a uma sociedade mais justa, expresso meu contentamento por poder compartilhar este conjunto de iniciativas com cada um de vocês.
 
Espero contar com vossa leitura!
 
Saudações do amigo
Marcelo Paixão – Coordenador do LAESER

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Seminário "Ações afirmativas na pós-graduação: desafios e perspectivas" - MG


quinta-feira, 14 de novembro de 2013

IFBA promove Jornada com o tema "Raça e etnia: ciência e militância" - BA

 

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Palestra sobre acesso de negros à educação marca o 20 de Novembro - BA



A palestra Acesso e Permanência de Negros na Educação Brasileira, que tem como palestrante a professora Renísia Cristina Garcia Filice (UnB), é uma ação que se insere no Projeto Determinantes da Equidade no Ensino Superior, a ser realizado pelo OBEDUC/UFBA e Comissão de Estudos sobre Acesso e Diversificação da Educação da Apub Sindicato. Além disso, marca a passagem do Dia da Consciência Negra, que transcorre em 20 de novembro. Entre os objetivos: discutir a responsabilidade da educação como mecanismo de promoção da mobilidade social por meio da garantia do acesso à escolaridade e do desempenho escolar dos alunos em contextos de desigualdades sociais, especificamente de raça e de cor. O evento e será no auditório II da FACED, dia 21/11, das 8h às 12h.

Conversando com a sua História Especial "Filmes Africanos" - BA

 
 
O Centro de Memória da Bahia/FPC convida a todo(a)s para o Conversando com a sua História Especial - Filmes Africanos, que ocorrerá no mês de novembro e dezembro.
Em 18
de novembro teremos a palestra De "A batalha de Argel" a "Dias de Glória: renegociação da memória colonial e pós-colonial nos cinemas do norte da África e de suas diásporas, que será proferida pelo professor Mohamed Bamba.

Data: 18 de novembro de 2013
horário: 17h
Local - sala Kátia Mattoso - auditório da Biblioteca Pública do Estado da Bahia.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Lei 10.639 é tema de seminário nacional realizado na Bahia - BA

“Axé – 10.639 maneiras de vivenciar africanidades”  é o nome do Seminário Nacional que será realizado  de 06 a 08 de dezembro, em Salvador e Candeias, para homenagear, refletir e debater os dez anos da Lei 10.639/03, que torna obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana em todas as escolas, públicas e particulares, do ensino fundamental até o ensino médio.
 
O Seminário Nacional: “Axé – 10.639 maneiras de vivenciar africanidades”,  tem como objetivo capacitar 150 profissionais da área de educação do país em Educação para Relações Étnico-Raciais e de Gênero. A proposta também visa amenizar as dificuldades encontradas pelas instituições em promover a atualização de seus professores/as de educação básica quanto às relações e identidades de gêneros e a temática étnico-racial, oportunizando aos profissionais de educação discussões, reflexões, vivências e estudos de novas propostas e principalmente aportes didático pedagógicos úteis para a elaboração de planos de trabalhos e de ensino, efetivando a implantação da História e Cultura Africana e Afro-brasileira no currículo escolar. 
 
A implementação da Lei 10.639/03, ainda é um grande desafio e passou a se caracterizar como um passo complementar das políticas públicas de acesso ao ensino superior. Devido a sua interdependência com outras ações, a Lei fortalece o reconhecimento e a auto-estima de crianças e jovens negros (as), que antes estavam desprovidos de referencias heroicos ou míticos para seguir adiante garantindo o acesso, a permanência e o sucesso na escola.
 
O Seminário será realizado através de uma parceria entre o Odara– Instituto da Mulher Negra, Instituto Cultural Steve Biko e Mazza Edições e é apoiado pela Fundação Heinrich Böll Stiftung, Fundação Ford, Petrobras,Cor da Cultura, Ação Educativa entre outros.
 
CARTAZ - CONVITE
 
Inscrição:
Para participar é necessário preencher a Ficha de Inscrição disponível do site www.institutoodara.org.br . Após baixar e preencher a ficha é necessário encaminhar para o email: odarainstituto@gmail.com. As inscrições serão encerradas após atingir o limite de vagas.
Só serão aceitas  inscrições de participantes vindo de instituições que trabalhem com Educação para Relações Étnico-Raciais e de Gênero.
Click aqui para baixar: Ficha de Inscrição Seminário Axé _F
 
Resumo da programação Seminário Nacional: “Axé –  10.639 maneiras de vivenciar africanidades”
 
”Axé! 10639 maneiras de vivenciar Africanidades.”
 
“Quero ver meus filhos com anel de doutor aos pés de Xangô”
Iyá Mãe Aninha ObiBiyi
Fundadora o Ilê Axé Opô Afonjá
 
DIAS: 6 E 7 DE DEZEMBRO/2013 – NO MUSEU DE ARTE SACRA DA BAHIA
8 DE DEZEMBRO/ 2013 – NO TERREIRO ILÊ AXÉ OYÁ TOLÁ
 
Dia 06/12 – (sexta-feira)
 
“ Vou aprender a ler, para ensinar meus camaradas”.
(Trecho de samba de roda do recôncavo)
ABERTURA (14h):
-        Rede de Mulheres de Terreiros da Bahia
-        Irmandade da Boa Morte/ Cachoeira
-        Instituições Parceiras
 
CIRCULARIDADE: RODA DE CONVERSA (15:30h) – “DESDE DE DENTRO PARA DESDE DE FORA” – CONCEPÇÃO DO VIVIDO E CONCEBIDO.
-        Professora Denise Botelho
-        Professora Lindinalva Barbosa
 
APRESENTAÇÃO TEATRAL (16:30) – “Shirley Paixões”
-        Danielle Anatólio
 
LANÇAMENTOS (17h):
-        Livro ODARA: Mulheres Negras e (In) Confidência
-        Indicadores da Qualidade na Educação – Ação Educativa e UNICEF
-        Calendário 2014 ODARA – Homenagem à Carolina de Jesus / Lélia Gonzalez e Beatriz Nascimento
-        Feira de Livros étnicos – raciais – Mazza Edições
 
SHOW (18:00h)
-        Savannah
 
Dia 07/12/2013 (sábado)
Manhã (09:00h às 12:00h): 
OFICINA: “Ah, se não fosse o Ilê Aiyê! “
40 Anos – Do Ilê Axé Jitolú para o Mundo
-        Ludicidade, Musicalidade. Corporeidade: Viva a resistência Negra: 40 anos do bloco Ilê Ayê. (Escola Mãe Hilda / Banda Erê/ Escola Profissionalizante do Ilê)
ALMOÇO – (12:00h)
 
OFICINAS: VIVENCIANDO ÁFRICANIDADES PARA RESIGNIFICAR CURRÍCULOS ESCOLARES (13:30h)
-        Oralidade: Contação de estórias e poesias
-        Corporeidade: Dança Afro
-        Memória e Identidade: Tranças e Turbantes
-        Ludicidade: Jogos e brincadeiras
-        Religiosidade e Ancestralidade: Rituais e Folhas Sagradas
-        Circularidade: Rodas de Samba e Capoeira
 
CONTAÇÃO DE ESTÓRIAS AFRICANAS: GRIOTS (16:00h ás 17:00h)
-        Professora Maria Edite
 
08.12. 2013 (Domingo)
APRENDENDO RELIGIOSIDADE NA ESCOLA (08:30h)
Visita ao Terreiro Ilê Axé OyáTolá – (Passagem dos Teixeiras)
-        Ageum com Mãe Raidalva
-        Mergulhando na Cosmovisão Africana – Conhecendo os Orixás
 
ALMOÇO NO TERREIRO (13:00h)
RETORNO (16:00h)

FONTE: Site do Instituto Odara

Seminário "Pesquisa e Escola: experiências em educação indígena em diversos contextos, um espaço para a reflexão sobre a pesquisa intercultural e interétnica na área da educação indígena no Brasil e México" - BA


Núcleo Yby Yara convida para o seminário Pesquisa e Escola: experiências em educação indígena em diversos contextos, um espaço para a reflexão sobre a pesquisa intercultural e interétnica na área da educação indígena no Brasil e México. Além de palestra aberta ao público, realizada pelo Prof. Dr. Enrique Hamel, da Universidade Autônoma do México, pesquisadores indígenas e não-indígenas, vinculados ao núcleo apresentarão experiências em andamento, com vistas à construção de uma agenda de cooperação interinstitucional para o período 2014-2015.




sábado, 9 de novembro de 2013

Secretaria da Educação do Estado promove III Fórum de Educação Quilombola - BA

Co­mu­ni­dades qui­lom­bolas, pro­fes­sores, co­or­de­na­dores e ges­tores das redes pú­blicas es­ta­dual e mu­ni­cipal de en­sino, além de pes­qui­sa­dores da área e re­pre­sen­tantes de uni­ver­si­dades e de mo­vi­mentos so­ciais, se reúnem entre os dias 11 e 13 de no­vembro, no Hotel Vi­lamar, em Sal­vador, do III Fórum de Edu­cação Qui­lom­bola, uma re­a­li­zação da Se­cre­taria da Edu­cação do Es­tado da Bahia, por meio da Co­or­de­nação de Edu­cação para a Di­ver­si­dade.

Du­rante o en­contro, os par­ti­ci­pantes irão dis­cutir as di­re­trizes da Edu­cação Es­colar Qui­lom­bola, que segue a pro­posta po­lí­tica de um cur­rí­culo cons­truído com os qui­lom­bolas e para os qui­lom­bolas, ba­seado nos sa­beres, co­nhe­ci­mentos e res­peito às suas ma­trizes cul­tu­rais. “Trata-se de uma edu­cação di­fe­ren­ciada onde se tra­balha a re­a­li­dade a partir da his­tória de luta e re­sis­tência desses povos, bem como dos seus va­lores ci­vi­li­za­tó­rios”, pontua a  téc­nica da Co­or­de­nação de Edu­cação para a Di­ver­si­dade, da Se­cre­taria da Edu­cação do Es­tado da Bahia, Sil­vana Bispo.
Folder Se­mi­nário de Edu­cação Qui­lom­bola

Edu­cação Es­colar Qui­lom­bola: con­quistas e de­sa­fios con­tem­po­râ­neos é o tema da pa­lestra que o pro­fessor doutor Val­délio Santos, do De­par­ta­mento de Edu­cação da Uni­ver­si­dade do Es­tado da Bahia (Uneb), irá mi­nis­trar na aber­tura do evento. Ou­tras te­má­ticas como: In­fra­es­tru­tura nas Es­colas Qui­lom­bolas: trans­porte, ali­men­tação es­colar e cons­trução de es­colas; Re­la­ções de Gê­nero, Raça e Edu­cação Es­pe­cial nos Qui­lombos; Es­tra­té­gias para Efe­ti­vação/Im­ple­men­tação da Edu­cação Es­colar Qui­lom­bola; Saúde da Po­pu­lação Negra e Edu­cação Qui­lom­bola; In­to­le­rância Re­li­giosa e Edu­cação Qui­lom­bola, também, serão dis­cu­tidas du­rante o fórum.

“A Edu­cação Es­colar Qui­lom­bola está fun­da­men­tada na vi­vência e or­ga­ni­zação co­le­tiva, va­lores an­ces­trais, re­lação com a terra e com o sa­grado, os quais pre­cisam ser in­cor­po­rados no es­paço es­colar de todo o País”, res­salta a co­or­de­na­dora Sil­vana Bispo.

A edu­cação para co­mu­ni­dades qui­lom­bolas en­contra-se em pro­cesso de es­tru­tu­ração. Desse modo, con­si­dera Sil­vana Bispo, ar­ti­cular meios para que esses es­tu­dantes te­nham suas es­pe­ci­fi­ci­dades aten­didas no es­paço es­colar, é um passo sig­ni­fi­ca­tivo para cons­trução da ci­da­dania. “Ar­ti­cular, sub­si­diar e ga­rantir que es­tu­dantes qui­lom­bolas te­nham suas es­pe­ci­fi­ci­dades aten­didas, bem como acesso, per­ma­nência e con­clusão de seus es­tudos é per­mitir o exer­cício de uma po­lí­tica equâ­nime para me­lhor qua­li­dade edu­ca­ci­onal e de vida a essas co­mu­ni­dades”.

PRO­GRA­MAÇÃO:

11/11 (se­gunda-feira)

10h – Cre­den­ci­a­mento
13h30 – Aber­tura ofi­cial
14h às 18h – Mesa: Edu­cação Es­colar Qui­lom­bola: con­quistas e de­sa­fios con­tem­po­râ­neos, Prof. Dr. Val­délio Santos (Uneb). Me­di­a­dora: Amélia Ma­raux

12/11 (terça-feira)
8h30 às 12h – Grupos de Tra­balho (GT)
GT 1 - Edu­cação de Jo­vens e Adultos e Todos pela Al­fa­be­ti­zação nos Qui­lombos, com o pro­fessor mestre Antônio Cosme L. da Silva (Co­missão Mu­ni­cipal de Es­tudos Afro-bra­si­leiros - Ce­afro) e a téc­nica Isa Maria F. Castro (Se­cre­taria da Edu­cação do Es­tado)
Me­di­a­dora: Su­zana Fa­gundes da Silva
GT 2 - In­fra­es­tru­tura nas Es­colas Qui­lom­bolas: trans­porte, ali­men­tação es­colar e cons­trução de es­colas, com os téc­nicos Ro­sana Lima, Flávia Alves e Robson Fer­nandes, da Se­cre­taria da Edu­cação. Me­di­ador: José Ramos de Freitas
GT 3 - Edu­cação Qui­lom­bola: en­sino fun­da­mental, médio e su­pe­rior, com o pro­fessor mestre Carlos Edu­ardo (União Me­tro­po­li­tana de Edu­cação e Cul­tura – Unime) e o as­sessor téc­nico de po­lí­tica de igual­dade ra­cial, Flávio Passos. Me­di­a­dora: Jailde Lima da Silva
GT 4 - Es­tra­té­gias para Efe­ti­vação/Im­ple­men­tação da Edu­cação Es­colar Qui­lom­bola, com o vice-pre­si­dente do Con­selho Es­ta­dual de Edu­cação da Bahia (CEE-BA), Sérgio Guerra. Me­di­a­dora: Shirley Pi­nheiro
14h às 16h30 – Grupos de Tra­balho
GT 5 - Saúde da Po­pu­lação Negra e Edu­cação Qui­lom­bola, com Ubi­racy Ma­tilde de Jesus, da Se­cre­taria de Saúde do Es­tado (Sesab) e dou­tora De­nise Ri­beiro, da Uni­ver­si­dade Fe­deral do Recôn­cavo da Bahia (UFRB). Me­di­ador: Ju­venal da Silva
GT 6 - Edu­cação Am­bi­ental nos Qui­lombos, com Maiza Tei­xeira Flores, do Ins­ti­tuto do Meio Am­bi­ente e Re­cursos Hí­dricos (Inema). Me­di­a­dora: Elis Lopes Garcia
GT 7 - Re­la­ções de Gê­nero, Raça e Edu­cação Es­pe­cial nos Qui­lombos, com a so­ció­loga Vilma Reis, pre­si­dente do Con­selho de De­sen­vol­vi­mento da Co­mu­ni­dade Negra do Es­tado da Bahia (CDCN), e Rose de Jesus Santos, da Se­cre­taria de Po­lí­ticas para as Mu­lheres (SPM). Me­di­a­dora: Lívia B. do Ro­sário
GT 8 - In­to­le­rância Re­li­giosa e Edu­cação Qui­lom­bola, com Mãe Rai­dalva Santos, do Ilê Axé Oyá Tolá. Me­di­a­dora: Maria Ber­na­dete Mo­reira

13/11 (quarta-feira)
8h30 às 12h - Apro­vação das Pro­postas dos Grupos de Tra­balho
14h às 17h - Eleição da nova co­or­de­nação do Fórum

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Audiência Pública em 13/11 debate proposta de cotas para concursos da Defensoria de São Paulo - SP

Dennis de Oliveira, Evandro Piza Duarte, Lilian Furquim abrirão debate; Silvio Luiz de Almeida apresentará proposta para ser complementada pelas pessoas presentes



Na noite de 13/11, quarta-feira, às 19h, a uma semana do Dia da Consciência Negra, o tema “Cotas em Concursos Públicos da Defensoria” será debatido com todas as pessoas interessadas, em Audiência Pública promovida pela Escola da Defensoria Pública de São Paulo (EDEPE), pelo Núcleo Especializado de Combate à Discriminação, Racismo e Preconceito, pela Ouvidoria-Geralda instituição e pelo Instituto Luiz Gama.



O evento acontece no auditório da Defensoria, na Rua Boa Vista, 200, térreo, em São Paulo, SP. Inscrições podem ser feitas antecipadamente, pelo e-mail nucleo.discriminacao@defensoria.sp.gov.br, ou na hora do evento. O auditório tem capacidade para 80 pessoas.



A primeira atividade da noite será um debate sobre a importância das Ações Afirmativas no Brasil, com falas de Dennis de Oliveira, Professor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (USP) e membro do Núcleo de Estudos Interdisciplinares do Negro Brasileiro (Neinb), Evandro Piza Duarte, Professor e Líder do Grupo de Estudos em Desigualdade e Discriminação da Universidade de Brasília (UnB), autor do livro “Cotas Raciais no Ensino Superior”, e Lilian Furquim, Professora e Coordenadora de Pesquisa da Escola de Economia de São Paulo (FGV/EESP) e Integrante do Conselho Consultivo da Ouvidoria-Geral da Defensoria.



Na sequência, será aberta discussão sobre o texto de uma Proposta de Deliberação para o Conselho Superior da Defensoria, prevendo que os próximos concursos da instituição contemplem o sistema de cotas em seus Editais. Silvio Luiz de Almeida, Presidente do Instituto Luiz Gama, Doutor em Direito pela USP e Membro do Conselho Consultivo da Ouvidoria-Geral da Defensoria, conduzirá o debate para consolidar a Proposta.




Reivindicação antiga

A sugestão de adoção de cotas étnico-raciais em concursos da Defensoria já foi apresentada pela sociedade civil à Defensoria em diversas oportunidades. A pauta estava presente no anteprojeto de Lei de criação da Defensoria Paulista, construído peloMovimento pela Defensoria, foi reiterada nos Ciclos de Conferências da instituição e, ainda, retomada por representantes da sociedade civil (Instituto Práxis de Direitos Humanos e Pastoral Carcerária) no Momento Aberto do Conselho Superior em outubro de 2012.


Em julho de 2013, por ocasião da abertura do último concurso da Defensoria, a Ouvidoria-Geral da instituição questionou o Conselho Superior, que regulamenta os concursos da instituição, sobre a previsão da política de cotas e apresentou Parecer sobre o tema, produzido por Silvio Luiz de Almeida. Clique aqui e leia o Parecer



O Conselho Superior deliberou por não contemplar o sistema de cotas étnico-raciais naquele momento, mas solicitou à Ouvidoria a apresentação de uma proposta formal para que fosse feita a inclusão para os próximos concursos.


Serviço:
Audiência Pública: Cotas nos Concursos da Defensoria Pública
Quando: Dia 13/11, quarta-feira, das 19h00 às 22h00
Onde: Auditório da Defensoria Pública - Rua Boa Vista, 200, térreo, São Paulo, SP

*Serão aceitas inscrições no dia do evento; vagas limitadas, de acordo com a capacidade do Auditório (80 lugares).


Programação:
18h30 – Credenciamento/inscrições e café de boas vindas
19h00 – Mesa de Abertura: EDEPE, Núcleo de Combate à Discriminação, Racismo e Preconceito, Ouvidoria-Geral da Defensoria e Instituto Luiz Gama
19h30 – Ações Afirmativas: importância no contexto atual brasileiro
Dennis de Oliveira, Evandro Piza Duarte e Lilian Furquim
20h30 – Apresentação e debate de Proposta de Cotas para os concursos da Defensoria
Silvio Luiz de Almeida




Saiba mais e acompanhe

Acesse a página da Ouvidoria na internet
Acompanhe a Ouvidoria nas redes sociais

Seminário "Baianos de África, Africanos da Bahia: escravidão, tráfico atlântico e circulação cultural entre África e Bahia” - BA

A migração transatlântica entre a África e América provocada pela demanda de escravos, retorno de libertos e suas implicações na formação cultural serão debatidas no “Seminário Baianos de África, Africanos da Bahia: escravidão, tráfico atlântico e circulação cultural entre África e Bahia”, promovido pela Biblioteca Virtual 2 de Julho, em comemoração ao mês da consciência negra. O Prof° Dr. João José Reis (UFBa) e a Profª Drª. Lisa Earl Castillo (Unicamp) são os palestrantes.
 
A Profª antropóloga Angela Elizabeth Lühning (UFBa) mediará o evento, dia 22 de novembro, às 18h, Sala Katia Mattoso, Biblioteca Pública do Estado da Bahia, Barris. A entrada é franca.
 

Sarau de abertura da Bienal irá homenagear a literatura negra e a cultura popular da Bahia - BA

Imagem inline 1


Nesta sexta-feira (08), a partir das 14h, um sarau literário na abertura da XI Bienal do Livro da Bahia 2013 irá homenagear personalidades da literatura negra e da cultura popular baiana. Com o tema “Negras Letras da Bahia”, o sarau terá a participação de atores do teatro baiano que irão recitar contos e poesias em homenagem à Ialorixá Mãe Stella de Oxossi, ao historiador Ubiratan Castro de Araújo, ao poeta Jonatas Conceição e ao cordelista Bule Bule, que participará da abertura com uma apresentação musical. A atividade está prevista para 14h e dará início à programação da Bienal que se estende até o dia 17 de novembro, no Centro de Convenções de Salvador.

 
Sobre os homenageados
 
Mãe Stella de Oxossi: quinta Ialorixá do Ilê Axé Opô Afonjá, Mãe Stella ocupa a cadeira 33 na Academia de Letras da Bahia cujo patrono é o poeta Castro Alves, sucedendo o escritor e historiador Ubiratan Castro de Araújo, falecido em janeiro deste ano. Mãe Stella recebeu em 2009 o título de Doutor Honoris Causa da Universidade do Estado da Bahia. Entre os livros publicados pela líder religiosa destacam-se: "Meu tempo é agora" e "Oxóssi - O Caçador de Alegrias", editado pela Fundação Pedro Calmon/SecultBA, em 2006.
 
Bule Bule: Antônio Ribeiro da Conceição, popularmente conhecido como Bule-Bule é um músico, repentista, escritor e poeta baiano. Autor de obras de cordel, Bule-Bule é considerado um mantenedor das tradições musicais sertanejas da Bahia, com ritmos típicos da ascendência africana. Recebeu o título de cidadão honorário da capital baiana em 1993.
 
Jonatas Conceição: Poeta, escritor e um dos mais importantes intelectuais do movimento negro da Bahia, Jonatas foi professor da Universidade do Estado da Bahia e atuou em várias frentes de luta contra o racismo e pela valorização da identidade e culturas negras. Foi um dos pioneiros do Movimento Negro Unificado e também diretor do bloco afro Ilê Aiyê. Faleceu em 2009, deixndo como legado obras como Quilombo das Palavras (1998 e 2000) e Vozes quilombolas: uma poética brasileira (2004).
 
Ubiratan Castro de Araújo: Professor Doutor Ubiratan Castro de Araújo exerceu, entre 2007 e 03 de janeiro de 2013, o cargo de diretor-geral da Fundação Pedro Calmon. Doutor em História pela Université Paris IV-Sorbonne, Mestre em História pela Université Paris X-Nanterre, Licenciado em história pela Universidade Católica do Salvador e Bacharel em Direito pela Universidade Federal da Bahia. Ocupou a cadeira 33 da Academia de Letras da Bahia. Entre os livros publicados, destacam-se: A Guerra da Bahia, Salvador Era Assim – Memórias da Cidade, Sete Histórias de Negro, o primeiro trabalho ficcional do autor e Histórias de Negro (versão ampliada).
 
Estandes, mesas de debate, encontros com escritores e diversos eventos irão compor os dez dias da Bienal do Livro da Bahia 2013, que acontece entre os dias 08 e 17 de novembro. Confira a programação completa através do site: www.fpc.ba.gov.br/bienal
 
Serviço
O quê: Sarau de abertura – Bienal do Livro Bahia 2013
Onde: Centro de Convenções de Salvador, Boca do Rio.
Quando: 08/11, às 14h
Grátis


 

 

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Encontro MAFRO e você no mês da Consciência Negra - BA

 

 
Um encontro marcado no mês da Consciência Negra
 
Em comemoração ao mês da Consciência Negra, o Museu Afro-Brasileiro da Universidade Federal da Bahia – MAFRO (71 3283-5540) promove, de 7 a 21 de novembro, o Encontro O MAFRO E VOCÊ para celebrar esse momento junto as comunidades negras, religiosas e culturais de Salvador. Com sessões semanais, dia de quinta-feira, sempre a partir das 16h30, envolvendo painéis de discussão e apresentações musicais, a programação prevê as participações de lideranças religiosas, professores, estudantes, pesquisadores e o público em geral.
Este ano, os temas de abordagem são o perfil do MAFRO e instituições vizinhas, histórias de vida e a identidade cultural de tradição bantu. A coordenadora Graça Teixeira informa que o acesso é livre a todos os interessados em conhecer ou aprender um pouco sobre a cultura afro-brasileira e que as atividades foram pensadas para facilitar a participação das pessoas e estreitar laços com a comunidade interessada nos assuntos étnicos da Bahia. Na sua avaliação, os encontros temáticos refletem as várias vertentes de uma sociedade multicultural em constante movimento cujos valores devem ser visibilizados.
 
 
Programa
 
07/11, 16h30
Painel Entre instituições
Palestrantes: Profa. Ms. Analia Santana (Irmandade do Rosário dos Pretos) e Profa. Mara Felipe (Escola Criativa Olodum).
 
14/11, 16h30
Painel Na memória
Palestrantes: Mestrandos Vivian Caroline Queirós (Poscult/Ufba) e Rychelmy Veiga (Posafro/Ufba).
 
21/11, 16h30
Painel Em conversa transatlântica
Palestrantes: Mobassi Maurin Jonathan (Museu da Bacia do Congo) e Taata Konmannanjy (Associação Cultural de Preservação do Patrimônio Bantu - Acbantu).
Encerramento: Recital Dramático com o ator Ronei Silva.
Serviço:
Onde: Sala de Carybé (MAFRO)
Quando: 7, 14 e 21 de novembro de 2013, 16h30
Quanto: Grátis
Realização: MAFRO/UFBA

domingo, 3 de novembro de 2013

Audiência Pública e Mesa-redon​da com Professore​s Indígenas e Quilombola​s de PE

O IF Sertão PE - Campi Floresta e Petrolina, em parceria com o gabinete da vereadora Cristina Costa (PT) e com o Curso de História da UPE realizam, no contexto da VI Oficina do Curso de Desenvolvimento Curricular e Educação Intercultural Descolonizante, as seguintes atividades, para as quais convidam a tod@s:
 
- Quinta-feira próxima, dia 07, das 19h às 22h, no Campus UPE-Petrolina: mesa-redonda "Educação Indígena e Quilombola: cenário atual em Pernambuco - lutas e conquistas" (atividade realizada no contexto do Colóquio de História e Cultura dos Povos Indígenas e Afrodescendentes - 2013);
 
- Sexta-feira próxima, dia 08, das 08h às 12h, na Câmara de Vereadores de Petrolina: audiência pública "Educação Indígena e Quilombola: efetivação de uma educação diferenciada e intercultural no Estado de Pernambuco".

Religiões afro-brasileiras em debate na Universidade Estadual do Norte Fluminense Darci Ribeiro, Campos dos Goytacazes - RJ