SEGUIDORES DO BLOG




CALENDÁRIO NEGRO – JANEIRO

1 – Dia Mundial da Paz
1 – Dia consagrado ao orixá Oxalá
1 – Independência do Haiti (1804)
1 – Lincoln assina a Proclamação de Emancipação abolindo a escravatura nos Estados Unidos (1863)
1 – Primeira libertação coletiva de escravos no Brasil, na Vila de Acarapé, hoje Redenção, Estado do Ceará (1883)
1 – Nasce em Niterói, (RJ), o músico e compositor José Paulo Silva (1892)
1 – Independência do Sudão (1957)
1 – Festa Nacional de Cuba (1959)
1 – Festa Nacional de Samoa (1960)
1 – O africano Kofi Annan assume o cargo de Secretário-Geral da ONU (1997)
2 – Fundação em São Paulo (SP), da Irmandade do Rosário dos Homens Pretos (1711)
3 – Fundação em Porto Alegre (RS), da União dos Homens de Cor (1943)
4 – Realiza-se em Brasília (DF), o I Encontro das Religiosas da Assunção Negra (1991)

4 – Nasce em Belém/PA, Cléa Simões, atriz que se tornou conhecida a partir do seu trabalho na novela O direito de nascer, de 1978 (1927)

4 – Nasce em Belém/PA, Norton Gândia Nascimento, o ator, produtor e apresentador Norton Nascimento (1962)

5 – Nasce em Trajano de Moraes/RJ, Carmelita Madriaga, a cantora Carmem Costa (1920)
5 – Nasce Enedina Alves Marques, primeira mulher negra a se formar engenheira civil no Brasil (1913)

5 – A Lei n. 7.716, denominada Lei Caó define os crimes resultantes de preconceitos de raça ou de cor (1989)
6 – Circula pela primeira vez o jornal O Clarim da Alvorada, organizado por José Correia Leite e Jayme de Aguiar (1924)
6 – Dia consagrado a São Baltazar, um dos três reis magos que levaram oferendas para Jesus
6 – Nasce Juliano Moreira, médico psiquiatra considerado pai da psiquiatria brasileira, em Salvador, BA (1873)
6 – Fundação no Rio de Janeiro do Rancho Rei de Ouro, organizado por Hilário Jovino Ferreira (1893)
6 – Nasce no Rio de Janeiro, o compositor José Gonçalves - Zé com Fome ou Zé da Zilda, autor entre outros sucessos de "Aos Pés da Cruz" e "Só pra Chatear" (1908)
6 – Fundação na Guatemala da Associação Garafiuna (ASO - GARAFIUNA) (1981)
7 – Nasce em Bom Jardim, município de Santo Amaro (BA), Teodoro Fernandes Sampaio - Teodoro Sampaio, engenheiro, escritor, geógrafo e historiador (1855)
7 – Criação, na África do Sul, por um grupo composto de advogados, jornalistas, professores e líderes negros, do CNA- Congresso Nacional Africano agremiação política que se notabilizou na luta contra o "apartheid" (1912)
7 – Nasce no Rio de Janeiro (RJ) o cantor e compositor Luiz Carlos dos Santos - Luís Melodia (1952)
8 – Fundação do Congresso Nacional Africano, movimento e partido político sul-africano (1940)

9 – O Estado de Mississippi separa-se da União norte-americana para fazer parte da Confederação dos Estados do Sul (1861)

10 – Nasce o cientista estadunidense George Washington Carver (1864)
10 – Tem início na Bahia, nos salões do Instituto Geográfico e Histórico Segundo Congresso Afro-Brasileiro. (1937)
11 – Nasce Mary Jane Blidge, cantora, compositora e produtora musical, rainha do Hip Hop soul estadunidense (1971)

12 – Nasce, em Los Angeles, Califórnia (EUA), Alice McLeod, a pianista, organista, harpista e compositora de jazz Alice Coltrane (1937)
12 – O escritor Joaquim Maria Machado de Assis, aos 16 anos, publica o seu primeiro texto; a poesia "Ela" (1855)
13 – Nasce na cidade de Cachoeira (BA), o engenheiro, professor universitário e abolicionista André Pinto Rebouças - André Rebouças (1838)
14 – Nasce em Bay Shore, Nova Iorque (EUA),
James Todd Smith III, o cantor de rap e ator estadunidense LL Cool J (1968)

15 – Nasce em Atlanta, Georgia (EUA), Martin Luther King Jr., Prêmio Nobel da Paz em 1964, por sua luta contra a discriminação racial e os direitos civis nos Estados Unidos (1929)
15 – Na Bahia, o governo suprime a exigência de registro policial para os templos de ritos afro-brasileiros. É o único Estado brasileiro a abolir essa exigência (1976)
16 – Nasce na Bahia, o desenhista, gravador e escultor, José da Paixão Silva (1938)
16 – Tem início no Rio de Janeiro, a I Conferência Estadual da Tradição dos Orixás (1988)

16 – Nasce em Ibadan, Nigéria, Helen Folasade Adu, a cantora de jazz Sade Adu (1959)
17 – O presidente do Congo Laurent Kabila é morto durante tentativa de golpe (2001)
17 – Nasce em Lousville (EUA), o campeão de box Muhammed Ali (1942)
17 – Nasce em Boa Esperança, município de Rio Bonito (RJ), o poeta Bernardino da Costa Lopes, B. Lopes (1859)
17 – Nasce em Arkebutla, Missouri (EUA), o ator James Earl Jones (1931)

18 – A Federação Latino-Americana e do Caribe de Jornalistas Desportivos elege Joaquim Cruz o melhor atleta latino-americano de 1984 (1985)
19 – Nasce o compositor, cantor e ritmista Olivério Ferreira, Xangô da Mangueira (1923)
20 – Dia consagrado ao orixá Oxóssi, no Rio de Janeiro
20 – Nasce em Salvador (BA), o compositor Domingos da Rocha Viana - Domingos Moçuranga. (1807)
20 – Nasce em Juiz de Fora (MG), Sebastião Cirino, músico, compositor, autor de "Cristo nasceu na Bahia", entre outras obras (1902)
20 – Realiza-se na antiga Rua Engenho de Dentro, atual Adolfo Bergamini, o primeiro concurso entre escolas de samba no Rio de Janeiro (1929)
20 – Nasce em Cachoeira do Paraguaçu (BA), Beatriz Moreira da Costa, a ialorixá Mãe Beata de Iemanjá, escritora, militante negra e social, autora do livro "Caroço de dendê - a sabedoria dos terreiros (1931)
20 – Criada no Rio de Janeiro a Ala de Compositores da Estação Primeira de Mangueira (1939)
20 – Nasce Mário Gusmão, ator baiano que contribuiu para a difusão da cultura negra (1928)

22 – Nasce em Quintas da Barra, Salvador, (BA), a atriz Francisca Xavier, Chica Xavier (1932)
23 – Início da luta armada em Guiné-Bissau, primeira colônia portuguesa a se tornar independente (1963)
24 – Tem início em Salvador (BA), a Revolta dos Malês, a insurreição urbana mais importante dos escravos brasileiros, com um saldo de 100 mortos e 281 presos (1835)
24 – Sai o primeiro número do jornal "O Clarim" (1924)
25 – Nasce em Maputo, Moçambique, o ex-jogador de futebol, Eusébio da Silva Ferreira, o "Pantera Negra", estrela do Benfica e da Seleção Portuguesa na década de 60 (1942)
25 – Nasce no Rio de Janeiro, a cantora Leny Andrade Lima - Leni Andrade (1943)
26 – Nasce em Birminghan, Alabama (EUA), a ativista política americana Angela Yvonne Davis – Angela Davis (1944)
26 – Realiza-se no Teatro Ginástico, Rio de Janeiro, a primeira apresentação do Teatro Folclórico Brasileiro. (1950)

26 – Nasce Winnie Mandela, enfermeira, política e ativista sul-africana, ex-exposa de Nelson Mandela (1936)
27 – Nasce em Maceió (AL), o cantor e compositor Djavan Caetano Viana - Djavan (1949)
28 – Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo

29 – Nasce Oprah Winfrey, apresentadora de TV e empresária estadunidense (1954)

31 – Pressionada pela Casa Branca, a Câmara dos Deputados aprovou a XIII Emenda à Constituição, abolindo a escravidão nos Estados Unidos (1865)

31 – Nascimento de Nzinga, rainha de Angola de 1633 a 1663 (1582)

31 – Nasce Roosevelt Sykes, cantor e pianista norte-americano (1908)

.

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Palestra "A questão racial na obra de Milton Santos" - RJ


HOJE: Sarau bem Black recebe Valéria Barbosa - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Pré-vestibular Quilombo Ilha abre inscrições - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

Livro "Cotas nas universidades: análises dos processos de decisão"


Organizado pelo antropólogo Jocélio Teles do Santos, o livro reúne 11 artigos de pesquisadores que analisaram o processo de adoção das cotas em suas respectivas instituições. São elas, Universidade Federal do Maranhão, Universidade Federal da Bahia, Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal de Santa Maria, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Universidade Estadual de Londrina, Universidade Federal de Juiz de Fora, Universidade Federal de São Paulo e Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul. Desse modo, buscou-se refletir uma distribuição regional (Nordeste, Sul, Sudeste e Centro-Oeste), observando suas singularidades.

O livro também é resultado da constituição de uma rede de pesquisadores para avaliação das ações afirmativas no ensino superior. Trata-se de professores que participaram da implantação e acompanhamento dessas ações e que têm produzido reflexões sobre esse processo. A coletânea encontra-se disponibilizada no site da Rede Ação Afirmativa (www.redeacaoafirmativa.ceao.ufba.br). A criação da rede, do site e a edição do livro contaram com o apoio da Fundação Ford.

domingo, 20 de janeiro de 2013

Aberta as inscrições: Concurso de Plano de Aula Aplicando a lei 10.639/2003




1 - INTRODUÇÃO

Segundo Adami (2007) em março de 2005 foram apresentados alguns pontos relacionados à implementação efetiva da lei, tais como: formação de professores e de outros profissionais da educação.

Entretanto, os professores, que em sua formação também não receberam preparo adequado para o ensino da cultura africana e suas reais influências para a formação da identidade do nosso país, entram em conflito quanto à melhor maneira de abordar essas temáticas na escola. Nesse sentido, este ponto pode ser um dos obstáculos apresentados pela lei 9.394/96, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, visto que a mesma não disciplina nem menciona em nenhum de seus artigos cursos de capacitação voltados à preparação de professores na área.

2 – DO OBJETIVO

2.1 O concurso será organizado pelo Geledés Instituto da Mulher Negra em parceria com a  Fundação Kellog através do Portal Geledés, website: www.geledes.org.br

2.2 O concurso tem por objetivo incentivar professores na aplicação da lei 10.639/2003 na elaboração de planos de aula, abrangendo o ensino básico e fundamental das escolas municipais, estaduais e particulares de todo o território brasileiro, promovendo e estimulando o ensino da cultura negra e sua diversidade em sala de aula.

2.3 As inscrições poderão ser realizadas no período de 22/04/2012 a 26/08/2012. Os planos de aula deverão ser enviados para o email p ortalgeledes@geledes.org.br através do mesmo e-mail utilizado na inscrição para o concurso no Portal Geledés. Todo material será previamente analisado e disponibilizado no Portal Geledés para ser utilizado por outros professores, agregando valor e promovendo a história da cultura negra em todo território nacional, através da troca de experiências.

2.4 A premiação do concurso será realizada através de uma Comissão Julgadora que irá avaliar todos os planos de aula e classificar o melhor de cada estado, incluindo o Distrito Federal. Os vinte e sete planos de aula são elegíveis à premiação, sendo que os três melhores serão vencedores.


3 – DO CONTEÚDO

3.1 O conteúdo dos planos de aula deve estar de acordo com a Lei 10.639/2003 que inclui a História da África e a participação da diáspora nos processos de construção da igualdade racial nas salas de aula.

O plano de aula deve abordar a cultura africana e sua diáspora. Abaixo algumas referências:

História da África
Diáspora africana
Direitos humanos
Violência Racial
Questões de gênero
Questões de raça
Diversidade cultural
Racismo
Quilombos e quilombolas
Líderes negros
Movimentos e pensadores
Patrimônio cultural
Escravidão
Educação
Bullying
3.2 O(A) professor(a) pode utilizar ou indicar qualquer material disponível na internet, como vídeos, áudio, imagens, arquivos em formato pdf, word, excel, power point, entre outros, desde que devidamente citada a fonte e desde que não sejam violados direitos intelectuais/autorais e de propriedade.

3.3 O Portal Geledés se reserva o direito de isenção sobre o material enviado. Todo e qualquer conteúdo, texto ou imagem, que violem a lei, a moral ou a ética são de inteira responsabilidade do autor.


4 – DAS NORMAS PARA ELABORAÇÃO DOS PLANOS DE AULA

4.1 A elaboração do plano de aula deverá seguir o modelo do Anexo I a estas normas.
4.2 Cada professor(a) poderá concorrer com um ou mais planos de aula.
4.3 O preenchimento da autorização para divulgação do plano de aula deverá ser virtual, através do Portal Geledés, sendo respeitados os direitos autorais. Anexo II a estas normas.


5 - DA COMISSÃO JULGADORA

5.1 A Comissão Julgadora será composta por três professores definidos pelo Geledés Instituto da Mulher Negra.

5.2 A Comissão Julgadora tem por finalidade julgar e eleger um plano de aula para cada estado incluindo o Distrito Federal. Os vinte e sete planos de aula selecionados são elegíveis a classificação final, sendo eleitos os três melhores, que farão jus a premiação.

5.3 Para julgamento dos planos de aula serão observados os seguintes critérios:
a) apresentar os itens básicos do modelo em anexo;
b) adequação ao tema proposto;
c) criatividade, objetividade, metodologia, clareza de idéias e coerência em relação ao conteúdo.


6 – DOS PRAZOS E DA DIVULGAÇÃO DOS PLANOS DE AULA SELECIONADOS

6.1 Os prazos para o concurso são:
a) inscrições e entrega dos planos de aula poderão ser enviados de 20/01/2013 a 30/07/2013;
b) início da análise a partir do dia 03/08/2013;
c) a divulgação dos vinte e sete planos de aula selecionados será realizada no dia 15/11/2013, através do Portal Geledés, Twitter e Facebook;
d) a divulgação da classificação dos três vencedores e a premiação serão realizadas no dia 20/11/2013, através Portal Geledés, Twitter e Facebook.

7 – DA PREMIAÇÃO
7.1 A premiação será de três Novos iPad’s Tela de Retina - 3G/16Gb para os três melhores planos de aula selecionados pela Comissão Julgadora.

Com o objetivo de ampliar a aplicação da lei 10.639/2003 e tendo em vista os benefícios gerados à sociedade, bem como os valores culturais, o Geledés Instituto da Mulher Negra entende que não se aplica o conceito de ranking (1º, 2º e 3º colocados) considerando que o esforço e empenho do(a)  professor(a) na elaboração dos planos de aula vencedores devem ser reconhecidos e não ranqueados.

8 – DOS DIREITOS DE IMAGEM
8.1 Ao se inscrever e participar deste concurso, automaticamente o(a) professor(a) está ciente da veiculação do seu plano de aula, autoriza e cede o direito de uso ao Geledés Instituto da Mulher Negra a utilizar sua(s) obra(s), direta ou indiretamente, de forma total ou parcial, em qualquer tipo de mídia ou veículo de comunicação, por prazo indeterminado, sendo respeitados os direitos autorais, a  propriedade intelectual e a integridade das informações.

8.2 O Geledés Instituto da Mulher Negra assume o compromisso de que as obras serão para seu uso único e exclusivo, sem fins lucrativos, com objetivo exclusivo de promover a aplicação da lei 10.639/2003. Entre os usos posteriores ao concurso estão: divulgação desta e das próximas edições; eventual publicação de livro e mostras e exposições fotográficas relativas ao concurso.

Sob nenhuma hipótese serão vinculados a este concurso campanhas ou ações que visam lucro, vendas de produtos, ou outras ações de caráter comercial, seja por parte dos selecionados, patrocinadores ou do Geledés Instituto da Mulher Negra.

9 – VALIDAR A INSCRIÇÃO
9.1 A participação no concurso implica na aceitação total das regras deste regulamento, conforme termo de aceite que deverá ser preenchido no momento da inscrição.

10 – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS
10.1 A inscrição e participação são livres para qualquer professor(a) desde que observados os itens que regulamentam este concurso.
10.2 As decisões da Comissão Julgadora são inalteráveis.
10.3 Não serão aceitos planos de aula após a data estabelecida.
10.4 Os casos excepcionais, aqui não previstos, serão resolvidos diretamente pelo Geledés Instituto da Mulher Negra e/ou pela Comissão Julgadora.


ÀS NORMAS PARA O CONCURSO DE PLANO DE AULA:

M O D E L O   D E   P L A N O   D E   A U L A

Escola  __________________________________________________
Matéria _________________________ Turma/Série ______________
Cidade __________________________ Estado __________________
PROFESSOR(A): __________________________________________


COMPONENTE CURRICULAR: APLICANDO A LEI 10.639/2003

OBJETIVO: Por que ensinar? Estar estritamente articulado com os conteúdos.
CONTEÚDOS: O que será ensinado? Na atualidade o currículo envolve também as atitudes e procedimentos, não só os fatos e conceitos.
METODOLOGIA: Como será ensinado?  Quais os encaminhamentos a serem solicitados dos estudantes? Quais as técnicas e os recursos a serem que utilizados?
AVALIAÇÃO: Como o processo será acompanhado para verificar se os objetivos foram alcançados e o conhecimento apreendido?
Quais os critérios de avaliação?
Esses critérios estão em sintonia com as Políticas de Educação?

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Fundação Mário Soares lança plataforma na Internet com documentos dos países lusófonos

A Fundação Mário Soares vai lançar, na sexta-feira, uma plataforma que disponibilizará na Internet documentos de arquivos públicos e privados dos países de língua portuguesa, pretendendo auxiliar principalmente os investigadores, disse hoje um responsável da instituição.
“Trata-se de criar uma plataforma de uma comunidade de arquivos de língua portuguesa, juntando arquivos públicos e privados, desde já alguns de Portugal, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe,        Angola, Moçambique, Timor-Leste e do Brasil”, disse à Lusa Alfredo Caldeira, administrador do arquivo e biblioteca da Fundação Mário Soares.

Os documentos (entre textos, fotos, vídeos e áudios) estão disponíveis  para consulta pública no sítio eletrónico www.casacomum.org.

A documentação do novo portal da Internet está toda digitalizada.

"Neste momento, já estão cerca de 1.500.000 páginas online e vai crescer, pouco a pouco, a partir do lançamento”, sublinhou Alfredo Caldeira, coordenador do projeto.

O responsável declarou que, no dia 20 de janeiro, estará disponível um  novo arquivo, sobre Amílcar Cabral – um dos principais líderes na luta de libertação da Guiné-Bissau e Cabo Verde -, com cerca de 40 mil    documentos.

“A ideia é que um investigador, esteja em Nova Iorque ou em Bissau, possa aceder à documentação de interesse que outros arquivos disponibilizaram”, afirmou.

“Pouco e pouco, vão ser criadas zonas de contextualização, ou seja, cronologias, informações sobre os vários países. Não é uma coisa  oficial, é um site que pretende responder às necessidades, por haver       online pouca coisa (de arquivos) em língua portuguesa”, referiu. Esta produção, segundo Alfredo Caldeira, “tem muito a ver com o  trabalho que a Fundação (Mário Soares) vem fazendo, há vários anos, de       cooperação com instituições com países da comunidade de países de  língua portuguesa”.

Os arquivos estão “bastante centrados na história das lutas de libertação e de resistência, mas também de personalidades de variados  tipos que podem ser interessantes”.

Os documentos são, principalmente, dos séculos XIX e XX, mas também há  documentação histórica mais antiga, remontando ao século XVI.

“A Fundação produziu a plataforma informática (do sítio eletrónico na  Internet). Por enquanto, somos nós que faremos a gestão, sobretudo por razões técnicas”, afirmou.

“Vários destes países têm dificuldades técnicas de acesso à Internet,  vários países têm dificuldades de pessoal, então, nós assumimos neste  momento esta gestão integrada, com a participação dos parceiros”,      acrescentou.

Estão disponíveis para consulta documentos, entre outros, do Arquivo Histórico de São Tomé e Príncipe, do Arquivo Histórico da Resistência Timorense, do Arquivo Mário Soares, do Arquivo Mário Pinto de Andrade  (sobre Angola), do INEP (Bissau), e documentos de personalidades como  Malangatana Valente Ngwenya, Abel Salazar e Bento de Jesus Caraça.

O lançamento será na sexta-feira, na Fundação Mário Soares, e contará  com a presença do ex-Presidente Mário Soares, de embaixadores dos  países de língua portuguesa, investigadores e académicos ligados ao   setor dos arquivos.

Na mesma ocasião, será entregue o Prémio Fundação Mário Soares/EDP 2012, que foi atribuído à dissertação de doutoramento intitulada "Políticas da memória da I Guerra Mundial em Portugal 1918 - 1933.  Entre a experiência e o mito", de autoria da professora Sílvia Adriana Barbosa Correia.

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela agência Lusa

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

I Congresso Internacional de Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais - BA



CONVITE
Lançamento da Serie Povos e Comunidades Tradicionais
RELATÓRIO DO I CONGRESSO INTERNACIONAL DE DIREITO DOS POVOS E COMUNIDADES TRADICIONAIS

O I Congresso Internacional de Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais teve a sua primeira edição em Salvador, Bahia, no Palácio Nobre da Reitoria da UFBA nos dias 10, 11 e 12 de maio de 2012. O evento foi iniciativa do Grupo de Pesquisa Historicidade do Estado e do Direito: interação sociedade e meio ambiente (GPHED) da Universidade Federal da Bahia  (UFBA), da qual se empenharam particularmente as Faculdades de Direito, de Filosofia e Ciências Humanas e o Programa de Pós-Graduação em Antropologia, contando com o apoio institucional do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), Governo Federal, Governo do Estado da Bahia, Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), por meio do Programa Interagencial para a Promoção da Igualdade de Gênero, Raça e Etnia.
Portanto, no próximo dia 31.01.2013, será lançada a Serie Povos e Comunidades Tradicionais – a primeira edição com o Relatório do I Congresso Internacional de Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais, que traz o principal documento construído no Congresso a Carta do I Congresso Internacional de Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais, documento elaboradora pelo conjunto dos representantes dos povos e comunidades tradicionais, pesquisadores e demais participantes presentes.  

O QUE?
- Lançamento da Série Povos e Comunidades Tradicionais - Relatório do I Congresso Internacional de Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais
Organizadores: Julio César de Sá Rocha, Ordep José Trindade Serra, Diosmar Marcelino de Santana Filho.
Parceiro: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD)
Quando: 31 de janeiro de 2013 – 18:30h.
Onde? Faculdade de Direito – Universidade Federal da Bahia – Canela – Salvador – Bahia.

Contato:
- Julio Rocha –  e-mail: rochajulio@hotmail.com
- Diosmar Filho – e-mail: ptfilho@gmail.com 

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

MAFRO promove Exposição "Exu: outras faces" - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Curso de Especialização “Educação, Diversidade e Culturas Indígenas” - RS

(Clique na imagem para ampliá-la)


Comunicamos que ainda tem vagas (com Bolsa de estudos de 50% dos créditos), no Curso de Pós-graduação Especialização “Educação, Diversidade e Culturas Indígenas” realizado na parceria COMIN/FACULDADES EST em São Leopoldo.
As inscrições podem ser realizadas no site www.est.edu.br   até o dia 17 de janeiro.
 
As aulas iniciam no dia 21 de janeiro às 8:00hs.
O cronograma desta primeira etapa está em anexo.
Qualquer dúvida podem entrar em contato com Cledes – coordenadora do curso – pelo telefone 51-35901440.
Para a hospedagem em São Leopoldo podem contatar com Irma – irma@est.edu.br .

Obs.: Graduandos podem se inscrever como curso de extensão, com custo diferenciado e sem a exigência da entrega do trabalho de conclusão.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Curso "Pan-africanismo e a esquerda durante a luta de classes"


O Curso tem o objetivo de oferecer subsídios históricos e sociológicos para o entendimento das relações entre o racismo e o capitalismo,  bem como as tensões, antagonismos e  convergências entre  a chamada esquerda e o internacionalismo negro.
Programação (19hs às 22hs): 
22 de janeiro de 13
  • A Esquerda: Brasil  e Mundo no Pós-Guerra –  Teresinha Ferrari
23 de janeiro
  • O Racismo e a Luta de Classes – Weber Lopes Goes
24 de janeiro
  • Os movimentos de libertação na África e suas influências no Movimento Negro brasileiro – Deivison Mendes Faustino (Deivison Nkosi)
Local: 
Núcleo de Consciência Negra na USP
Av. Professor Lúcio Martins Rodrigues, Travessa  4. Bloco 3, Cidade Universitária – São Paulo – SP
Informações:
nucleodeconsciencianegra@gmail.com
3091`-7746


quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Morre, em Salvador, o historiador Ubiratan Castro - BA

Faleceu nesta quinta-feira, 3 de janeiro, o historiador e diretor-geral da Fundação Pedro Calmon (BA), Ubiratan Castro de Araújo. Um dos maiores especialistas sobre a história da Bahia e a dinâmica da escravidão no Brasil, o professor sofria de um problema renal crônico e estava internado no Hospital Espanhol, em Salvador, desde o último mês de setembro.
 
Ex- diretor da Fundação Cultural Palmares (entre 2003 e 2006), Castro foi responsável por projetos que colocaram o Brasil no cenário internacional no que diz respeito ao debate sobre a diáspora africana, como a realização de encontros históricos, como o II Conferência de Intelectuais da África e Diáspora (CIAD) e por suas viagens junto a comitiva oficial do presidente Lula ao continente africano que marcaram uma guinada na política internacional brasileira em relação aos povos africanos.

FLICA2011 UbiratanCastro02 Divulgacao


O seu trabalho era conhecido tanto pelo meio acadêmico quanto por setores populares, o que o faziam ser considerado um "intelectual orgânico", sendo bastante requisitado para entrevistas e palestras públicas em escolas e comunidades. Pela sua dedicação a comunidade negra, Castro recebeu, em 2012, a Comenda da Ordem Rio Brancao, a medalha, criada em 1963, é a maior condecoração oferecida pelo país oferecida pelo Itamaraty.
 
Ubiratan Castro era doutor em história pela Université Paris IV-Sorbonne. Além disso, era licenciado na mesma area pela Universidade Católica do Salvador e Bacharel em Direito pela Universidade Federal da Bahia. Atuou também como um dos fundadores e diretores do Centro de Estados Orientais da Bahia – CEAO e era membro da Academia de Letras da Bahia, onde ocupava a cadeira 33, cujo patrono é o poeta abolicionista Castro Alves. Em seu blog ainda é possível acompanhar os últimos textos publicados pelo escritor http://biragordo.blogspot.com.br/
 
Ainda não há informações sobre o sepultamento, que deve ocorrer em Salvador.
 

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Povos de Terreiro ganham primeiro espaço para venda de produtos - BA

Imagem inline 1



A produção artesanal de 250 mulheres de 17 terreiros de candomblé, situados em Salvador e região metropolitana, ganhou nesta quinta-feira (27) uma  loja exclusiva. É o Espaço Mauanda – Arte, Moda e Cultura Afro, na Estrada do Coco, município de Lauro de Freitas. Roupas, peças de tecido, de decoração e enfeites feitos pelas religiosas estão à venda no local.

O objetivo da iniciativa, que faz parte do programa Vida Melhor Urbano, do Governo do Estado, é promover a inclusão produtiva com geração de renda e
preservação das tradições e da cultura afrodescendentes.

A inauguração reuniu líderes religiosas e representantes do poder público. “É um tipo de loja que não existia e apresenta trabalhos de valor cultural. Acreditamos no sucesso do empreendimento”, disse o coordenador do programa, Ailton Florêncio. Segundo ele, a ação foi iniciada com a identificação das artesãs e análise da viabilidade econômica dos produtos. Em seguida, foram realizados cursos para capacitação e oferecido apoio por meio de microcrédito e equipamentos.

Uma das principais incentivadoras do projeto, Mameto Kamurici - a Mãe Lucia, do terreiro São Jorge Filho da Goméia, em Lauro de Freitas - acredita que o espaço irá atrair ainda mais artesãs e fortalecer a atividade. “Aqui nossos produtos ganham valor adequado, o que garante uma renda justa para nós”.