SEGUIDORES DO BLOG




CALENDÁRIO NEGRO – AGOSTO

1 - Nasce o instrumentista e compositor Bucy Moreira, neto de Tia Ciata (1909)

1 - Nasce em Recife (PE) o cantor José Adauto Micheles - Orlando Dias (1923)
1 - Independência do Benin (ex Daomé) (1975)
1 - O líder sul-africano Nelson Mandela inicia visita ao Brasil de seis dias (1991)
2 - O Deputado Federal cearense Silva Guimarães, apresenta lei acabando com a escravidão no Brasil (1859)
2 - Nasce no Recife (PE) o compositor e percussionista Juvenal de Holanda Vasconcelos - Naná Vasconcelos (1944)
2 - O atleta olímpico José Telles da Conceição recebe medalha de bronze no salto a altura (1952)
2 - Nasce no Morro da Mangueira (RJ), o compositor Carlos Moreira de Castro - Carlos Cachaça (1902)
3 - Independência do Níger (1960)
3 - Nasce na Cidade do Rio de Janeiro, a atriz Isabel Cristina Teodoro Filardis - Isabel Filardis (1973)
4 - Nasce o compositor Francisco José Freire Júnior. (1881)
4 - Nasce em New Orleans (EUA), o músico de jazz, trompetista e cantor Louis Daniel Armstrong, Louis Armstrong, tido como o mais importante de sua época. Seu estilo característico e voz rouca apareceram inclusive em inúmeros filmes de Hollywood. (1900)
4 - Foi tombado o primeiro terreiro de candomblé do Brasil, o Casa Branca - Ilê Axé Ia Nassô Oká pela Prefeitura de Salvador (BA). (1982)
5 - Parte de Cuiabá (MT) uma força, sob o comando do capitão Luciano Pereira de Souza, composta por oitenta homens tendo como intuito de destruir o Quilombo do Rio Manso (1871)
5 - Quando voltava a Joanesburgo, após uma viagem pelo interior, Nelson Mandela, é capturado pela polícia sul-africana. Mandela é considerado culpado e condenado a dez anos de trabalhos forçados (1962)

5 – Nasce em Salvador Oscar da Penha, o Batatinha, famoso cantor e compositor de sambas brasileiro (1924-1997)
5 - Os atletas americanos Evelyn Ashford e Edwin Moses (EUA) ganham medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos em Los Angeles (EUA) (1984)
6 - Nasce em Varre-e-Sai (RJ), um dos maiores instrumentistas e compositores brasileiros, Baden Powell de Aquino, autor de composições consagradas como: "Samba Triste", "Canção de Ninar Meu Bem", "Samba em Prelúdio", "Deixa", "Berimbau", entre outras (1937)
6 - Independência da Jamaica (1962)
6 - Aprovada nos Estados Unidos pelo Presidente Johnson a Lei dos Direitos ao Voto, permitindo aos negros o direito de votar (1965)
6 - O velocista Joaquim Cruz, ganha medalha de ouro durante as Olimpíadas de Atlanta, nos Estados Unidos (1984)
7 - Nasce Abebe Bikila, atleta etíope, o primeiro homem a ganhar por duas vezes a Maratona Olímpica (1932)
7 - Começa a integração racial nas escolas de Washington e Baltimore (EUA) (1954)
7 - Independência da Costa do Marfim (1960)
8 - Registrado o primeiro ato de escravidão de negros em Lagos por Portugal. 235 pessoas entre homens, mulheres e crianças (1444)
8 - O parlamento inglês aprova o "Bill Aberdeen" pelo qual toma a si a tarefa de aplicar as normas do tratado de 1826. Navios ingleses passaram a incursionar em portos brasileiros, apresar navios e prender súditos brasileiros. Em vista da difícil situação que então se criou, e sem poder fazer e respeitar sua soberania pela força, o governo decidiu empreender a repressão e extinção do tráfico negreiro por lei internacional. Isso se deu com a chamada Lei Eusébio de Queiroz (1845)
8 - A polícia do Império dissolve ato abolicionista na Rua do Ouvidos no Rio de Janeiro (1887)
8 - Nasce em Nova Iorque (EUA), o músico Bennett Lester Carter, Benny Carter, um dos grandes saxofonistas do jazz (1907)
9 - Após inúmeros protestos de várias instituições civis, o Brasil corta relações esportivas e culturais com a África do Sul (1985)
10 - Nasce em Maragopipe (BA), o jurista, parlamentar e político, Antônio Pereira Rebouças (1798)
10 - Nasce no Sítio de Boa Vista, Caxias (MA), o poeta Gonçalves Dias (1823)
10 - O atleta olímpico Carl Lewis repetindo o feito de Jesse Owens, conquista quatro medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Los Angeles (1984)

10 – Nasce no Rio de Janeiro/RJ, Antônio Gilson Porfírio, o Agepê, cantor e compositor (1942)
11 - Nasce na Rua Frei Caneca, bairro do Estácio, Rio de Janeiro, Saturnino Gonçalves, primeiro presidente da Estação Primeira de Mangueira (1897)
11 - Nasce nos Estados Unidos, o escritor Alex Haley, autor de "A Autobiografia de Malcolm X" e do clássico americano, "Negras Raízes" (1921)
11 - Independência do Chade (1960)
12 - É publicado o manifesto dos conjurados baianos da Revolta dos Alfaiates (Revolta dos Búzios ou Conjuração Baiana), protestando contra os impostos, a escravidão dos negros e exigindo independência e liberdade (1798)
13 - Nasce nos Estados Unidos, Ernest E. Just, proeminente biólogo (1883)
14 - Nasce no Rio de Janeiro a cantora Eliana Leite da Silva - Eliana Pittman (1945)
14 - Nasce em Lansing, Michigan (EUA), o jogador de basquete Earvin Magic Johnson (1959)
15 - Nasce no bairro da Tijuca (RJ), o cantor e compositor Darcy Fernandes Monteiro - Darcy da Mangueira, autor entre tantos sucessos de "Quero Sim", "Memória do Compositor", "Santos Dumont", "Ao Poeta Cartola" e o antológico "Mundo Encantado de Monteiro Lobato". (1932)
15 - Independência do Congo (1960)
16 - Dia consagrado ao Orixá Obaluaê
17 - Nasce em Sant'ana, Jamaica, Marcus Mobiah Garvey - Marcus Garvey (1887)
17 - Nasce no bairro de Cavalcante (RJ), o compositor, integrante da Velha Guarda da Portela, Ildemar Diniz - Monarco, autor de sambas de sucesso como: "Tudo Menos Amor", "Amor de Malandro", entre outros (1933)
17 - Nasce na Rua João Vicente, subúrbio de Oswaldo Cruz (RJ), Antônio Candeia Filho - Candeia, cantor, compositor, um dos fundadores do GRANES Quilombo (1935)
17 - Independência do Gabão (1960)
18 - Nasce no Morro da Serrinha, em Madureira, (RJ), Eva Emely Monteiro, sambista, integrante da Escola de Samba Império Serrano, compositora, uma das principais integrantes do grupo de Jongo da Serrinha (1938)
19 - Nasce no Rio de Janeiro, Licínia da Costa Jumbeba - Tia Lili, neta mais velha de Tia Ciata, antiga porta-estandarte do Recreio das Flores (1885)
19 - Nasce no Rio de Janeiro a cantora Araci Teles de Almeida, Araci de Almeida (1914)
20 - Fundação no Rio de Janeiro da Companhia de Dança Rubens & Barbot. (1990)
21 - Nasce nos Estados Unidos, o músico Willian "Count" Basie (1904)
21 - Ocorre no Condado de Southampton, Virgínia (EUA) a Insurreição de Nat Turner (1831)
22 - Fundação no Rio de Janeiro, do Comitê Brasileiro de Solidariedade aos Povos da África do Sul e Namíbia - COMÁFRICA (1985)
22 - A Lei n. 7.668 cria a Fundação Cultural Palmares, instituição pública vinculada ao Ministério da Cultura (1988)
23 - Nascimento de José Correia Leite, fundador do jornal O Clarim da Alvorada (1900)
23 - Nasce no Recife (PE), o harpista e professor de música, Felipe Benício Barboza (1722)
23 - É preso na Praça da Piedade em Salvador (BA), um dos líderes da Revolução dos Alfaiates ou Conjuração Baiana, o soldado Luís Gonzaga das Virgens (1798)
23 - Nasce em São Paulo (SP), o ativista da imprensa negra paulista, José Benedito Correia Leite (1900)
24 - Primeiro Congresso de Cultura Negra das Américas, na Colômbia (1977)
24 - Nasce no bairro da Saúde (RJ), o compositor e ritmista Raul Gonçalves Marques - Raul Marques, que teve sua fase áurea como compositor nos anos 40 (1913)
24 - Dia consagrado ao Orixá Oxumarê
24 - Realiza-se em Cali, Colômbia, o I Congresso de Culturas Negras das Américas (1963)
24 - Nasce em São Bernardo do Campo (SP), o atacante da Seleção Brasileira de Futebol Denílson de Oliveira (1977)
26 - Nasce o compositor e integrante da Velha Guarda da Portela, Manacéa, autor, entre tantos sambas de sucesso, de "Quantas Lágrimas" (1922)
26 - Surge em São Paulo, o Jornal Mundo Novo (1950)
26 - Realiza-se em Alagoas o I Encontro Nacional do Parque Histórico de Zumbi, no terreiro onde Palmares existiu (1980)
26 - O atleta americano Frederick Carleton Lewis - Carl Lewis, cognominado "O filho do vento", ganhador de nove medalhas de ouro e uma de prata nas Olimpíadas e oito de ouro, uma de prata e uma de bronze em mundiais despede-se das pistas de atletismo, vencendo os 4x100m do Meeting de Berlim, Alemanha (1997)
27 - Nasce no Rio de Janeiro, a cantora Sandra Cristina Frederico de Sá - Sandra de Sá (1955)
28 - Realiza-se no teatro São Joaquim, em Goiás o Festival Abolicionista (1887)
28 - Nasce em Santa Cruz do Rio Pardo (SP) a atriz Jacira de Almeida Sampaio - Jacira Sampaio, famosa por interpretar a Tia Anastácia, do Sítio do Pica Pau Amarelo (1928)
28 - Realiza-se nos Estados Unidos a "Marcha sobre Washington" onde mais de 250 mil norte-americanos de diferentes formações religiosas e étnicas realizam a maior manifestação da história da capital da Nação a favor da integração racial (1963)
29 - Durante a batalha de Rhode Island nos Estados Unidos, uma companhia formada por soldados inteiramente negros sob o comando do Coronel Greene "se distinguiu por feitos de alto valor". (1778)
29 - Nasce em Vila Rica, hoje Ouro Preto (MG), o famoso escultor, Antônio Francisco Lisboa - Aleijadinho. (1730)
29 - Abolição dos escravos na ilha de São Domingos, atual Haiti. (1793)
29 - Nasce em Kansas City, Missúri (EUA), o músico Charlie "Bird" Parker. (1920)
29 - Nasce em Gary, Indiana (EUA) o cantor e compositor Michael Joe Jackson, Michael Jackson (1958)
30 - Na Virgínia (EUA), mais de mil escravos chefiados por Gabriel Prosser e Jack Bowler marcham sobre a cidade de Richmond. Pela ação da milícia do Estado, dezenas foram presos e 35 executados (1800)
30 - O jangadeiro Francisco José do Nascimento, o "Chico da Matilde" e cognominado "O Dragão do Mar", lidera o movimento de jangadeiros no Ceará, impedindo o transporte de escravizados nas jangadas (1881)
30 - Nasce o cantor norte-americano Johnny Mathis (1935)
30 - Durante o III Encontro de Religiosos Negros, é solicitado à Santa Sé, através do cardeal ecumenista Willes Brands, a instituição do rito católico afro-brasileiro (1986)
31 - Nasce em Alagoa Grande (PB) o cantor e compositor José Gomes Filho - Jackson do Pandeiro (1919)
31 - Independência de Trindade e Tobago (1962)

.

Pesquisa personalizada

segunda-feira, 31 de março de 2008

Curso Gratuito de Qualificação de Professor@s - BA

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PARA PROFESSORES(AS) DA REDE ESTADUAL DE ENSINO PÚBLICO EM GÊNERO E DIVERSIDADE

O Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher (NEIM), Órgão Suplementar da Universidade Federal da Bahia, firmou convênio com o MEC, através a Secretaria de Alfabetização e Diversidade (SECAD) e a Secretaria de Educação do Estado da Bahia através do Instituto Anísio Teixeira (IAT) para a formação de docentes estaduais na utilização e metodologias e práticas/ações educativas baseadas na Pedagogia Feminista. Vale ressaltar que este Programa conta com o apoio da Superintendência de Políticas para as Mulheres, da Secretaria de Promoção da Igualdade (SEPROMI) do Estado da Bahia.

JUSTIFICATIVA:

O reconhecimento e a relevância da perspectiva de gênero, e em especial da problemática feminina, não é mais um exclusivo problema das mulheres ou de grupos feministas. Esta temática tem perpassado diversas resoluções, declarações e recomendações aprovadas pelas Nações Unidas e pelas Agências Especializadas para ratificar a dignidade e a igualdade de mulheres e de homens indistintamente. Foi relembrando as persistentes discriminações que sofrem as mulheres que a própria ONU elaborou Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra a Mulher (CEDAW) assinada por diversos países com o fim promover programas de desenvolvimento das potencialidades femininas e sanar os obstáculos que impedem as mulheres de participar nas mesmas condições que os homens na vida política, social e econômica.

Essa, aliás, foi a tônica das recomendações apresentadas ao governo Brasileiro pelo Comitê da Conferencia Internacional das Nações Unidas contra às discriminações as Mulheres CEDAW, reunido em julho de 2003 em Nova York, cujo documento ressalta a necessidade do governo brasileiro investir recursos na capacitação do seu pessoal técnico e pedagógico com vistas a habilitá-los para o tratamento das questões relacionadas a gênero. Esse compromisso do Governo Federal materializou-se na elaboração do Plano Nacional de Políticas para Mulheres, pautado no resultado de um amplo processo de consulta nacional realizado através das Conferencias Municipais de Mulheres, nas Conferencias Estaduais e na Conferencia Nacional. No campo específico da Educação, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) e os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN’s), já estabelecem a obrigatoriedade do tratamento das temáticas ligadas a gênero e raça, numa perspectiva da transversalidade.

Desta sorte é preciso entender como as questões de gênero perpassam as questões de classe e de raça; qual o papel da educação na formação e reforço da ideologia patriarcal dominante; questões estas que só podem ser tratadas sob um novo ângulo, que leve a problemática de gênero.

OBJETIVO DO CURSO:
Implementar a aplicação da transversalização de gênero na rede estadual

PÚBLICO ALVO:
Docentes da Rede Estadual de Ensino da área metropolitana de Salvador

VAGAS:
1ª Etapa = 360
2ª Etapa = 360

CARGA HORÁRIA:
80h

TURMAS:
Quinta (apenas nos dois primeiros módulos) 18:30h às 22:40h - Colégio Central / Joana Angélica

Sábados 8h às 17h - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas / São Lázaro- Federação

Segunda, quarta e sexta 18:30h às 22:40h - ColégioCentral / Joana Angélica

ATENÇÃO: a distribuição das turmas será definida pela coordenação dos cursos, tendo como critério a ordem de chegada das inscrições, e divulgadas até dia 10 de maio.

INICIO DAS AULAS TEÓRICAS:
Maio de 2008

O calendário de aulas obedecerá a um cronograma especifico em que cada turma deverá assistir a uma média de 8 semanas de aulas

Abertura solene do Programa

12 de maio (segunda-feira) no Salão Nobre da Reitoria da UFBA

(Presença obrigatória)

INSCRIÇÕES

As inscrições serão ser feitas on line. Após preenchimento da ficha de inscrição, que pode ser encontrada no http://www.neim.ufba.br, copie e envie como anexo para o e-mail generoediversidade@yahoo.com.br.

Para mais informações, contate-nos nos telefones 3237 8239 ou 3283 6462 ou pelo e-mail generoediversidade@yahoo.com.br.

Lançamento do livro de Cidinha Silva - DF

Você me deixe, viu?
Eu vou bater o meu tambor!

de Cidinha da Silva
ilustrações de Lia Maria

Lançamento dia 02 de abril, em Brasília, às 19h
Café com Letras – SCLS 203 Sul – Bloco C – Loja 19

sexta-feira, 28 de março de 2008

Encontro de Estudantes Negras e Negros da UFBA - BA


(Clique na imagem para ampliá-la)

Pluralismo e Diversidade nos Meios de Comunicação - RS

Programação:

31.03.2008

Rádios comunitárias e seu papel na democratização da comunicação, João Brant
Representatividade na mídia, José Arbex Jr.
Mídia e movimentos sociais, Hamilton Octávio de Souza
Moderadora: Maíra Magro

Inscrições:
Envie nome completo, telefone e o nome de sua organização para comunicacao@artigo19.org. Mais informações escreva para comunicacao@artigo19.org ou ligue para (11) 3057-0042 ou 0071.
www.artigo19.org/seminario
Pontíficia Universidade Católica de São Paulo - PUC | SP
Rua Monte Alegre, 984 | sala 239 | Auditório | Prédio Novo
19 as 21 horas

Oficina de Performance Negra - BA

Interessados em conhecer de perto o processo cênico do Bando de Teatro Olodum e a linguagem construída pela companhia ao longo da trajetória de 18 anos podem se inscrever até o dia 04 de abril para a Oficina de Performance Negra que o grupo oferecerá gratuitamente no Teatro Vila Velha. A oficina, que acontecerá em abril, maio e junho, será composta por aulas de dança, canto, instrumentos e interpretação, sempre voltadas para a temática negra e popular desenvolvida pelo Bando de Teatro Olodum. Os inscritos passarão por uma audição nos dias 05 e 06 de abril. A Taxa de inscrição é de R$5,00 (cinco reais).

"Não é necessário ter nenhuma experiência teatral, apenas se identificar com a linguagem do Bando", explica a diretora Chica Carelli, que destaca o interesse do grupo em conhecer novos talentos. "Essa oficina não tem o objetivo, necessariamente, de absorver novos integrantes para o Bando. Queremos, sim, formar atores com a nossa linguagem, desenvolvida com muitas experiências, trabalho, compromisso e dedicação à arte teatral".

Desde a formação do grupo, em 1990, a dinâmica de oficinas faz parte do processo criativo do Bando de Teatro Olodum, sendo responsável por descobrir importantes talentos da companhia, como os atores Érico Brás e Lázaro Ramos. Além disso, nessas oficinas surgem temas para espetáculos e personagens marcantes como os moradores e freqüentadores do Pelourinho na Trilogia do Pelô, formada pelas peças Essa é a Nossa Praia, Ó Paí ó, e Bai bai, Pelô.

O coreógrafo do grupo Zebrinha estará coordenando as oficinas que também serão supervisionadas pelo Diretor Musical Jarbas Bittencourt e pela diretora Chica Carelli. Atualmente formado por 22 atores e atrizes afrodescendentes, alem dos músicos e técnicos, o Bando de Teatro Olodum é uma das mais consolidadas companhias de teatro do Brasil. Em 2007, o grupo recebeu o Prêmio Braskem de Melhor espetáculo adulto pela montagem Sonho de Uma Noite de Verão, e esse ano concorre ao Prêmio de Melhor espetáculo infantil, por Áfricas.

--
Kunderenê Associação Tanuri Junsara
Rua Apolinário Santana, 146
Engenho Velho da Federação
Terreiro Tanuri Junsara
Salvador - Bahia
CEP: 40220-110
Tel: 55 71 3203 7577

quinta-feira, 27 de março de 2008

I Seminário Regional do Movimento Brasil Afirmativo em S. Carlos - SP

São Carlos/SP - A Coordenação Regional São Carlos do Movimento Brasil Afirmativo e a Câmara Nacional de Participação e Desenvolvimento dos Afro-Brasileiros, promovem no próximo dia 04 de abril, das 19h às 22h, na Câmara Municipal de São Carlos o I Seminário Regional, com o objetivo de discutir temas de interesse da comunidade negra local e regional.
Segundo o João Carlos Cassiano, coordenador regional do Movimento e presidente da Câmara, o I Seminário, que acontece exatamente no dia em que se lembra a morte do líder negro e ativista dos direitos civis, Martin Luther King, deverá tratar de temas que vão desde a luta pela aprovação do Estatuto da Igualdade Racial, passando pelas eleições municipais deste ano e a participação do povo negro, bem como um balanço dos 120 anos de Abolição Não concluida.
Já estão confirmadas as presenças do jurista e ex-secretário de Justiça, Hédio Silva Jr., do professor Luiz Carlos dos Santos, do Museu Afro-Brasil, do professor Henrique Cunha Jr., da Universidade Federal do Ceará, do assessor do Ministério da Justiça, Ivair Augusto Alves dos Santos, e da professora Petronilha Beatriz Gonsalves, ex-conselheira do Conselho Nacional da Educação, e do editor de Afropress, jornalista Dojival Vieira.

Veja a programação completa do Seminário

PALESTRANTES:
HÉDIO SILVA Jr. JURISTA E EX-SECRETARIO DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO
TEMA : ESTATUTO DA IGUALDADE RACIAL

DOJIIVAL VIEIRA, ADVOGADO, JORNALISTA EDITOR DE AFROPRESS, PRESIDENTE DA ONG ABC SEM RACISMO E COORDENADOR GERAL DO BRASIL AFIRMATIVO DE SÃO PAULO
TEMA: A PARTICIPAÇÃO DO POVO NEGRO NAS ELEIÇÕES DE 2008

LUIZ CARLOS SANTOS, CONSULTOR DO MUSEU AFRO BRASIL
TEMA: ABOLIÇÃO INACABADA

IVAIR AUGUSTO ALVES DOS SANTOS, ASSESSOR DO MINISTERIO DA JUSTIÇA E SECRETARIO EXECUTIVO DO CONSELHO NACIONAL DE COMBATE AO RACISMO
TEMA: DIREITOS HUMANOS

HENRIQUE CUNHA Jr., PROF. DE ENGENHARIA ELETRICA E PÓS GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE DO CEARÁ PESQUISADOR CHEFE CNPQ
TEMA: EDUCAÇÃO

PETRONILHA BEATRIZ GONSALVES E SILVA, PROF.DA UFSCAR, EX-CONSELHEIRA DO CONSELHO NACIONAL DA EDUCAÇÃO
TEMA: A LEI 10.639, QUE MUDOU A LDB

JOÃO BOSCO, PRESIDENTE DE HONRA DO CENTRO ACADÊMICO UNIPALMARES E MEMBRO DA COORDENAÇÃO DO BRASIL AFIRMATIVO
TEMA: BRASIL AFIRMATIVO E SUA CARTA DE PRINCÍPIOS

JOÃO CARLOS CASSIANO, PRESIDENTE NACIONAL DA CÂMARA NACIONAL DE PARTICIPAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DOS AFRO-BRASILEIROS E COORDENADOR GERAL DA REGIÃO CENTRAL DO BRASIL AFIRMATIVO
TEMA: ENCERRAMENTO DO SEMINÁRIO

I Seminário Regional do Movimento Brasil Afirmativo em S. Carlos
Local:Câmara Municipal de São Carlos
Data:04/04
Horário:19h às 22h

O Imortal da ABL Antônio Olinto abre seminário sobre a cultura afro-brasileira no SESC Madureira - RJ

Evento vai até o dia 28/3 e vai contar com a participação de grupos culturais da região

A programação especial da exposição 'África – A Arte do Tempo', entra na sua reta final com o esperado seminário 'Encontros com Olinto', nos dias 26, 27 e 28 de março, sempre às 19h. A abertura dos debates contará com a presença do inspirador da mostra e Imortal da Academia Brasileira de Letras, Antônio Olinto. Na ocasião, Olinto irá promover a conferência 'Alma da África', onde o escritor irá falar sobre sua trilogia literária que compreende as obras "O Rei de Kêtu", "A Casa das Águas" e "O Trono de Vidro". A entrada é gratuita em todos os dias do seminário.

No dia 27 acontece uma mesa-redonda, mediação de Raul Lody, onde será abordado o tema "Estética e Movimentos Sociais".

O debate vai contar com a participação de representantes de movimentos de valorização da cultura afro-brasileira, como:

Dyonne Boy - Jongo da Serrinha

Paulo José da Silva Filho - GRANES Quilombo

Vera Mendes - Agbara Dudu

Jana Guinond - Ong Estimativa

Tio Antônio - Associação de Baianas Flor Beijada

Guaracy Coutinho - Festa de Iemanjá - Mercadão de Madureira

Roberto Conduru - Prof. UERJ

Encerrando os trabalhos, no dia 28, às 19h, será apresentada uma leitura dramatizada da peça "Exu, O Cavalheiro Da Encruzilhada", de Zora Seljan, sob direção de Ramon Santana.

SERVIÇO: SEMINÁRIO ENCONTROS COM OLINTO

Local: SESC Madureira – Rua Ewbanck da Câmara, 90

Data: 26, 27 e 28 de março de 2008.

Horário: 19h

Classificação: 12 anos

Tel.: (21) 3350-1782

Entrada Gratuita

Quissamã capacita professores em cultura afro-brasileira - RJ

A Secretaria de Educação, buscando suprir seus professores de subsídios para o trabalho na rede municipal, está promovendo uma capacitação com base em conteúdos a serem desenvolvidos para atender à Lei 10.639/03, que inclui no currículo oficial dos ensinos fundamental e médio a obrigatoriedade da temática "História e Cultura da África e Afro-Brasileira".

Iniciada na última terça-feira (25/03), a capacitação está sendo ministrada pela professora de História e pós-graduada em História e Cultura Afro-Brasileira, Jéssica Carvalho, e acontecerá em cinco encontros semanais. Desta vez, os contemplados são cerca de 30 professores das cadeiras de História, Geografia, Artes e Língua Portuguesa, das escolas municipais Maria Ilka de Queiros e Almeida, Délfica de Carvalho Wagner, Nelita Barcellos dos Santos e CIEP 465 Dr. Amílcar Pereira da Silva.

Como recursos didáticos, a professora utiliza documentários, lendas de orixás, DVD's, músicas que tratam da questão racial e ainda realiza debates entre os participantes e apresentação das experiências que já vêem sendo desenvolvidas no município, dentro da temática abordada. No encontro final os participantes farão apresentação de trabalhos desenvolvidos em sala de aula.

"Essa capacitação visa atender ao cumprimento da Lei e, também, à resolução da Secretaria que coloca a cultura afro-brasileira como obrigatória dentro dos temas transversais. Além, é claro, de ser parte do trabalho de capacitação permanente de nossos profissionais", explicou a subsecretária Municipal de Educação, Regina Magno.

Pela lei, o conteúdo programático inclui o estudo da História da África e dos Africanos, a luta dos negros no Brasil, a cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional, resgatando a contribuição do povo negro nas áreas social, econômica e política pertinentes à História do Brasil. Os conteúdos deverão ser ministrados no âmbito de todo o currículo escolar, em especial nas áreas de Educação Artística e de Literatura e História Brasileiras.

Segundo Jéssica, esta lei passou por uma alteração no último dia 10 de março, quando passou a incluir a história e cultura do indígena brasileiro. O conteúdo programático a que se refere este artigo incluirá diversos aspectos da história e da cultura que caracterizam a formação da população brasileira, a partir desses dois grupos étnicos, tais como o estudo da história da África e dos africanos, a luta dos negros e dos povos indígenas no Brasil, a cultura negra e indígena brasileira e o negro e o índio na formação da sociedade nacional, resgatando as suas contribuições nas áreas social, econômica e política, pertinentes à história do Brasil.

http://www.quissama.rj.gov.br/content.asp?cc=1&id=1577

I Seminário de Capacitação para o Atendimento de Urgência e Emergência em Doença Falciforme - SP

Este I Seminário tem como proposta principal capacitar profissionais da saúde ligados principalmente à rede pública municipal e que prestam atendimento de urgência e emergência; para o desenvolvimento de ações de assistência em saúde, dando ênfase ao enfoque racional do diagnóstico e às diretrizes terapêuticas das Doenças Falciformes no Município de São Paulo.
O Seminário contará com a participação de renomados especialistas da área de hematologia, propiciando aos profissionais de saúde, a capacitação para o atendimento de Doenças Falciformes.
Os profissionais de saúde vinculados à Secretaria Municipal de Saúde deverão efetuar suas inscrições nas Coordenadorias ou Autarquias de Saúde de sua região. Demais interessados
poderão entrar em contato pelo email:
saudedapopulacaonegra@prefeitura.sp.gov.br; sandrap@prefeitura.sp.gov.br

Data: 28 e 29 de março de 2008
Horário: 28/03 (sexta-feira) - das 18:30 as 22:00 horas
29/03 (sábado) - das 8:30 as 18:00 horas
Local: Associação Paulista dos Cirurgiões Dentistas (APCD)
Rua: Voluntários da Pátria 547 - Grande Auditório
realização:
Associação Pró-Falcêmicos
http://www.aprofe.hpg.ig.com.br -
profalcemicos@terra.com.br
R
ua Conde de São Joaquim, 179
Bela Vista - São Paulo/SP - CEP.: 01320-010
Telefone: (11)3107-4164 / 3461-5877

Defesas de Dissertação Temática Racial - BA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO
FACULDADE DE DIREITO
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

CONVITE


DATA: 28 DE MARÇO DE 2008, SEXTA-FEIRA
HORA: 16H
LOCAL: FACULDADE DE DIREITO DA UFBA
ENDEREÇO: RUA DA PAZ, S/N, GRAÇA, SALVADOR-BAHIA


"O DISCURSO DO JUDICIÁRIO SOBRE AS AÇÕES AFIRMATIVAS PARA A POPULAÇÃO NEGRA NA BAHIA"

MESTRANDO: ILZVER DE MATOS OLIVEIRA
ORIENTADOR: DR. CELSO LUIZ BRAGA DE CASTRO
EXAMINADOR: DR. HERON SANTANA


"DANO MORAL DECORRENTE DA OFENSA À LIBERDADE RELIGIOSA DOS ADEPTOS DAS RELIGIÕES DE MATRIZ AFRICANA"

MESTRANDO: JAÍLSON DE SOUZA CORREA
ORIENTADOR: DR. SAULO JOSÉ CASALI BAHIA
EXAMINADOR: DR. HERON SANTANA


EXAMINADORES CONVIDADOS:

DR. HÉDIO SILVA JR.
Doutor em Direito Constitucional - PUC/SP
Advogado e Ex-Secretário de Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo
Diretor-executivo do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdade - CEERT

DRA. EUNICE PRUDENTE
Doutora em Direito - USP
Advogada e Ex-Secretária de Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo
Primeira mulher negra a ocupar o posto de Secretária de Estado em São Paulo e a ensinar na Faculdade de Direito da USP

terça-feira, 18 de março de 2008

Movimento Negro realiza II Debate Estadual sobre a Serra da Barriga Movimento Negro realiza II Debate Estadual sobre a Serra da Barriga - AL

Lideranças de diversos segmentos do movimento negro alagoano (capoeiristas, religiosos de matriz africana, grupos culturais, organizações políticas); professores; estudantes; gestores; quilombolas e sociedade palmarina participarão do II Debate Estadual sobre a Serra da Barriga e o Parque Memorial Quilombo dos Palmares. A atividade acontecerá no dia 29 de março, das 10 às 14hs nas dependências do Parque.
O encontro in loco tem como objetivo o intercâmbio sócio-étnico-cultural entre os participantes; a discussão sobre o papel do movimento negro nas ações políticas-culturais favoráveis a Serra da Barriga; e a necessidade de uma interação permanente entre o poder público responsável pelo Patrimônio Nacional e a sociedade civil organizada.
O primeiro debate ocorreu em maio do ano passado e foi liderado pela organização não-governamental Anajô, que serviu para esclarecer as dúvidas sobre a implantação e funcionalidade do Parque Memorial Quilombo dos Palmares – primeiro projeto paisagístico arquitetônico dentro da contextualidade afro-ameríndia no Brasil e o único no continente americano.
Na articulação do II Debate Estadual encontram-se o Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô, Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial (Cojira-AL), Ponto de Cultura Quilombo dos Orixás, Associação de Grupos e Entidades Negras de União dos Palmares (Agrucenup), Centro de Cultura e Cidadania Malungos do Ilê, Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino Privado de Alagoas (SINTEP), Pastoral da Negritude da Igreja Batista do Pinheiro e Conselho de Mestres de Capoeira de Alagoas.
Para participar é necessário contribuir com uma taxa de R$10,00 (dez reais) e preencher a ficha de inscrição. As inscrições acontecem no período de 17 a 26 de março, das 9h às 12h e das 15h às 18h no SINTEP, localizado na Rua Lourival Vieira Costa, 32, Prado – próximo a Praça da Faculdade. Contatos: 3336-7464 (Sintep) / 8831-3231 (Helciane) / 8823-6646 (Madal) / 8819-6762 (Amaurício) / 8862-3942 (Filó).

Serra da Barriga
A Serra da Barriga situada na cidade de União dos Palmares, zona da mata do Estado de Alagoas, encontra-se a 500 metros acima do nível do mar, no então Planalto da Borborema e próximo ao Rio Mundaú. Também conhecida como Cerca Real dos Macacos, foi a sede administrativa do Quilombo dos Palmares, berço de liberdade para guerreiros e guerreiras quilombolas.
Considerada um palco sagrado e de resistência do povo afro-brasileiro, teve seu reconhecimento quando foi tombada em 1985 como Patrimônio Histórico, Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico. Trata-se de um local de grande importância política-cultural – é o centro de homenagens, oferendas, pesquisas, encontros, romarias e grandes concentrações no Dia Nacional da Consciência Negra (20 de novembro).
Helciane Angélica – (82) 8831-3231/ 3356-5049
É Jornalista; Presidente do Centro de Cultura e Estudos Étnicos Anajô; e integrante da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial de Alagoas (Cojira/AL)

segunda-feira, 17 de março de 2008

6ª Conferência sobre Mídia, Religião e Cultura "Diálogos na Diversidade" - SP

11-14 agosto de 2008
Universidade Metodista de São Paulo, Brasil

A 6ª Conferência Mídia, Religião e Cultura tem como objetivo a formação para a interface com os temas da religião e cultura relacionados à mídia, trazendo contribuições científicas e profissionais para o enfrentamento e superação de questões globais.

Visite o site e inscreva seu trabalho
até 31 de março.

Seminário de Estudos e Pesquisa sobre Capoeira Seminário de Estudos e Pesquisa sobre Capoeira "Capoeira Viva 2007" - BA

Idealizado pelo Ministério da Cultura (MinC) e promovido pela Fundação Gregório de Mattos (FGM), com patrocínio da Petrobras, o projeto Capoeira Viva tem como objetivo fomentar políticas públicas para a valorização e promoção da capoeira como bem constituinte do patrimônio cultural brasileiro. A partir dessa proposta, a FGM apresenta o Seminário de Estudos e Pesquisa sobre Capoeira – Capoeira Viva 2007, com a participação de renomados estudiosos e pesquisadores das diversas regiões do país, que desenvolvem atividades ligadas à capoeira como bem cultural.

Programação: 19 de Março de 2008 (Quarta-feira)

9h - Mesa de abertura

10h - Mesa redonda – Capoeira, Educação e Comunicação
Muniz Sodré (Rio de Janeiro) - a confirmar
Luís Felipe Machado (Pernambuco)
Pedro Abib (Bahia)
Anselmo Accurso (Rio Grande do Sul)
Álvaro Malaguti (Distrito Federal)

14h - Mesa redonda – Capoeira, História e Cultura
Flávio Gomes (Rio de Janeiro)
Oswald Barroso (Ceará)
Luiz Augusto Leal (Pará)
Luiz Renato Vieira (Distrito Federal)
Letícia Vidor (São Paulo)

17h30 – Pronunciamento do Secretário Executivo Juca Ferreira

18h - Lançamento do livro "A Política da Capoeiragem", de Luiz Augusto Leal

Local:
Sol Victoria Marina – Salão Ilha de Maré
Av. Sete de Setembro, 2068 - Vitória.
Salvador – BA

Informações:
(71) 3322 1486 – setor Capoeira Viva
capoeiraviva2007@ salvador. ba.gov.br

Colóquio África e Diáspora: o lugar da mulher negra na geopolítica e os desafios da luta contra o racismo e a pobreza - BA

Local: Centro Histórico de Salvador, Bahia, Brasil

Data de início: 09/05/2008

Data de término: 12/05/2008

A União dos Negros pela Igualdade – UNEGRO, em parceria com a União Brasileira de Mulheres – UBM e o Ministério Público do Estado de Bahia realizam um espaço de diálogo intercontinental sobre a situação política, cultural e econômica das mulheres negras na África e na Diáspora, na perspectiva de buscar propostas que favoreçam o enfrentamento dos desafios impostos pela discriminação e pela pobreza.

O Colóquio África e Diáspora: o lugar da mulher negra na geopolítica e os desafios da luta contra o racismo e a pobreza será, sem dúvida, uma importante reflexão sobre os impactos da concentração de riqueza, da redução de oportunidades no mercado de trabalho, dos avanços tecnológicos que tornam mais exigentes quanto à qualificação da mão de obra. Enfim, constituem elementos fundamentais para considerar as condições objetivas de existência das mulheres negras nas dimensões social, cultural, política e econômica.

domingo, 16 de março de 2008

CINEMAFRO exibe Filhas do Vento, de Joel Zito Araújo - BA

CINEMAFRO I

O cinema negro em discussão.

Para abrir a edição 2008 o CINEMAFRO exibe no mês da mulher o premiado longa-metragem Filhas do Vento de Joel Zito Araújo e logo após o público irá debater com a educadora Valdeci Nascimento acerca da representação da mulher negra no cinema e na sociedade. Entrada Franca.

Quando: 28.03.08 > 19h. Onde: FICA-BA > Av. Carlos Gomes, Ed. Esther Moura Franco, 111, 5º, Centro, Salvador-Ba. cinemafro@gmail. com www.cinemafro. blogspot. com

Apoio: Fundação Internacional de Capoeira Angola - BA www.ficabahia. com.br

Realização: CINEMAFRO

Palestra "A importância do Dia Internacional contra o Racismo" - SP

Abertura
DR. MARCO ANTÔNIO ZITO ALVARENGA
Advogado, Conselheiro Seccional e Presidente da Comissão do Negro e de Assuntos Antidiscriminatórios da OAB SP.

Expositor
DR. HÉDIO SILVA JUNIOR
Conselheiro Seccional , Advogado, Doutor em Direito Constitucional pela PUC SP, ex-Coordenador da Comissão de Direitos Humanos da OAB SP e ex-Secretário da Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo.

Data / horário:
1º de abril (terça-feira) – 19 horas

Local:
Salão Nobre da OAB SP
Praça da Sé, 385 – 1° andar

Inscrições / Informações:
Praça da Sé, 385 – Térreo – Atendimento ou pelo site: www.oabsp.org.br
Mediante a doação de uma lata de leite em pó integral no ato da inscrição.

Promoção:
Comissão do Negro e de Assuntos Antidiscriminatórios da OAB SP

Apoio:
Departamento de Cultura e Eventos da OAB SP
Diretor: Dr. Umberto Luiz Borges D'Urso
Na ocasião, haverá uma homenagem à memória do Dr. Fernando de Cássio Rodrigues.
***Serão conferidos certificados de participação — retirar em até 90 dias***
*** Vagas limitadas ***

sábado, 15 de março de 2008

Discurso do ator Milton Gonçalves na formatura da primeira turma da Unipalmares

Parece que foi ontem que fomos seqüestrados de nossa pátria mãe e dolorosamente separados de nossos filhos, mulheres, pais e maridos, jogados aos porões de embarcações infectas e apertadas, sob a promessa de uma vida desconhecida e dependente da boa vontade de outrem.

Foi neste momento então que, entre lágrimas, sangue e suor, olhamo-nos, atônitos, sem entendimento do cenário que se apresentava aos nossos olhos, no meio do balançar das ondas do grande mar. Misturaram-nos em línguas e etnias, de modo inteligente e cruel, para que não nos entendêssemos inicial e verbalmente, muito embora a linguagem do coração sempre tenha sido universal e, neste momento, nos comunicássemos livremente através dela.

Desembarcamos em um universo distante e novo, cuspidos em terra firme pelas enormes vagas deste oceano cabralino, negro como nós, de dentro dos cascos, tal como se fôramos paridos em lugares tão longínquos e inóspitos pelos uterinos navios, como enormes tartarugas de madeira.

Parece que tudo começou, então, ontem mesmo, quando fomos lavados e escovados como cavalos de raça, dos quais herdamos pejorativamente até mesmo a alcunha de crioulos e lá fomos nós, atados uns aos outros, à espera de uma resposta plausível para tanto horror.

Nos abriram as bocas e examinaram nossos dentes como simplicidade. Avaliaram nosso estado externo geral do desprezo por nossas combalidas almas, tão atordoadas pelos maus tratos e pela nua crueza da situação. Nunca, de fato, se conseguirá compreender o sentido deste tão odiento flagelo – pois a diáspora do povo negro pelo mundo tem sido o maior genocídio da história humana, não obstante o fato de que não estamos cegos para o sofrimento da humanidade como um todo e de termos plena noção da importância de grandes fatos históricos abomináveis como o extermínio dos judeus na Segunda Grande Guerra Mundial, as guerras étnicas no Oriente Médio e tantos outros conflitos de teor sócio-ideológico espalhados pelo mundo, que só geraram sofrimento e dor àqueles que a eles foram e ainda são submetidos ao longo do povoamento do planeta Terra.

Parece que foi ontem mesmo, de tardinha, que nos vimos banhados e vestidos como europeus, adequando-nos às novas condições de temperatura e pressão do Novo Mundo, passeando com as sinhás sentadas em suas liteiras, carregando suas crianças, servindo aos seus maridos e tocando o crescimento da civilização brasileira, unidos aos nativos, aos estrangeiros e aos nossos irmãos de cor.

E à medida em que o tempo foi passando, fomos nos aclimatando, misturando nossas crenças e lendas às crenças e lendas de outras paragens, dando origem aos nossos próprios costumes, desta mistura nascidos, dentro deste imenso caldeirão cultural que emergia da Terra Brasilis. Fomos, aos poucos, tomando gosto pelo chão de terra batida deste lugar, e gerações vieram, após a nossa geração, já nascidas neste latifúndio, já donas deste mesmo chão de terra batida, mas não donas de si mesmas ainda.

Revoluções explodiram por todo o mundo, penas assinaram importantes documentos e homens deram suas vidas pelo ideal, e de repente nos vimos, com júbilo, donos de nós mesmos, livres pra fazermos nossas próprias escolhas e determinarmos o rumo de nossas vidas.

Parece que foi ontem, no entanto, que os mocambos, senzalas e quilombos se transformaram paulatinamente nas favelas de hoje, onde os descamisados se abrigaram para morarem perto do trabalho, por não terem para onde ir, para se unirem aos que lá já estavam à sua espera.

E a vida seguiu rumo, fervorosa, caótica, desigual, injusta e justa sempre. O país proclamou-se independente e deixou de ser colônia, os escravos, nossos avós, e bisavós, e tataravôs, foram libertados, e o mundo girou. Muitos sentaram-se à mesa das discussões nacionais, onde o destino de uma nação se decidiria. Alguns pensaram em nós como parte integrante do povo, e outros, não o fizeram.

Parece também que foi ontem que nos descobrimos em mais da metade da população, muito embora os critérios de julgamento da cor da pele neste país sejam absolutamente relativos, dada a miscigenação, os novos conceitos de valoração da questão étnica que nos referenciam os fenótipos e aos genótipos e nos dizem que ser afro-descendente nem sempre significa ser negro, e, principalmente, dado o incrivelmente sagaz preconceito racial que assola este país até hoje, e que nos mantém presos aos grilhões de outrora, ora sob uma égide paternalista que permanece viva retro-alimentada por um ranço comodista de nossa própria responsabilidade, ora sob um fino véu que encobre um profundo racismo embutido nas relações sociais do Brasil, um país imenso construído sob tais bases enquanto nação.

Parece que foi ontem que vimos, com alegria, curiosidade e imensa expectativa, a criação da Unipalmares, a primeira universidade no Brasil construída venalmente sob os princípios da liberdade, da igualdade e da fraternidade, no sentido de dar oportunidades iguais àqueles que desiguais são.

Parece-me também que foi ontem mesmo que o convite para estar hoje aqui, falando para vocês palavras tão emocionadas e sinceras, me foi feito, tamanho o frescor e a vivacidade que encontro neste exato momento em meu coração de 75 anos – é uma honra e um prazer insubstituíveis para mim estar aqui, e posso ainda dizer que é um dos momentos mais marcantes da minha vida participar da formatura da primeira turma de Administração da Unipalmares.

Foi me pedido dizer-lhes algumas frases de incentivo, e busquei dentro de mim o mais visceral discurso, os mais belos termos da língua portuguesa, a emoção mais delicada que se pode ter ao ver tantos rostos negros jovens, esperançosos, na ânsia de contribuírem para a criação de um país melhor e mais nosso. Mas confesso que nada existe de mais precioso no mundo do que o brilho no olhar de vocês, formandos, com o futuro todo à sua frente, com seus corações repletos de paixão e energia, e palavra alguma substituiria isso. Vocês, formandos, representam o verdadeiro orgulho da raça, e é através de vocês que me vejo espelhado, um rapazote de vinte e poucos anos, com essa mesma esperança no peito, latejante mantida até hoje, em todo e qualquer projeto que realizo.

Por isso tudo, parece que foi ontem que tudo isso começou, e, no entanto, o tempo, veloz, só me permite agora relembrar que devemos, em primeiro lugar, agradecer àqueles primeiros de nós que vieram espremidos nos porões e aos quais devemos o orgulho de estarmos aqui nesta noite brilhante, cheia de estrelas no céu e à minha frente. Vossos canudos, tão arduamente conquistados, são vossas verdadeiras cartas de alforria. Façam bom uso deles, pois agora vocês são, verdadeiramente, donos de si mesmos.

Desejo a vocês, formandos, e às suas famílias, e aos seus professores, que nunca permitam que este sonho morra, que esta gana esmoreça, nem que tudo isto que foi construído à custa de tantas vidas no passado venha desaparecer. Unam-se à luta por um Brasil melhor, sem grilhões, onde possamos falar a mesma língua, onde se possa caminhar à frente sempre, onde diferenças conjunturais não interfiram de maneira depreciativa na estrutura social de um país que ainda tem tanto a oferecer aos seus irmãos internacionais e à sua população, traduzido em melhores condições de vida, de trabalho e de projetos sociais.

Espero que agora, com vossos diplomas, tão merecidamente, vocês, formandos da primeira turma universitária da Unipalmares, a primeira faculdade no Brasil a ensinar sob a chancela da ação afirmativa, possam encontrar, para vocês e para todos nós, brasileiros, o caminho, a estrada da liberdade plena, o cumprimento constitucional da igualdade perante a lei, o fim da busca, nesta nossa interminável, laboriosa e cheia de glória diáspora, a nossa Canaã, a NOSSA Terra Prometida.

Obrigado, de coração, por enfim, me libertarem também dos grilhões da ignorância aos quais fomos todos acorrentados no passado.

Livres, enfim.

Obrigado, meu Deus, estamos livres, enfim!”

FONTE: Bureau Polcomune, Retrospecto Afro-social, 152, 3ª ed., 13-14 mar. 2008.


Lei estadual cria Dia da Umbanda e do Umbandista - RJ

Através da lei n. 5.200, de 11 de março de 2008, o governador do Estado do Rio de Janeiro instituiu o 15 de novembro como o Dia da Umbanda e do Umbandista.

sexta-feira, 14 de março de 2008

CEAFRO lança livro - BA

IGUALDADE DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA ESCOLA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA LEI Nº 10.639/2003
O CEAFRO-Programa de Educação e Profissionalização para Igualdade Racial e de Gênero do CEAO/UFBA, lança livro que traz os resultados de pesquisa sobre a educação das relações étnico-raciais na escola. A Pesquisa ouviu professores\as, alunos\as, pais\mães, funcionários\as e gestores\as de escolas públicas em três capitais brasileiras: Salvador, Belo Horizonte e São Paulo.
A pesquisa resulta da parceria entre Ação Educativa, CEAFRO, CERRT (Centro de Estudos das Relações deTrabalho e Desigualdades) e MIEIB (Movimento Interfóruns de Educação Infantil no Brasil), seu objetivo consiste em influenciar políticas públicas na área da educação, particularmente considerando a eqüidade étnico-racial.
Como parte do Lançamento, a Organização Vida Brasil e CEAFRO promovem uma Roda de Diálogos: Qualidade e Diversidade na Educação: quais os caminhos?, Onde o tema do livro será discutido com as professoras Patrícia Santana, Coordenadora da Pesquisa em Belo Horizonte, e Lícia Barbosa, coordenadora do Projeto Escola Plural: a diversidade está na sala\CEAFRO. A Roda será à tarde, das 14 às 18h, no mesmo dia e local do Lançamento.
DATA: 18 de março de 2008
HORÁRIO: 18h
LOCAL: Biblioteca Central, Barris

quinta-feira, 13 de março de 2008

Revista África e Africanidades

CHAMADA PARA ARTIGOS, RESENHAS E OPINIÕES

O Espaço África e Africanidades lançará no próximo mês de maio a primeira edição da REVISTA ELETRÔNICA ÁFRICA E AFRICANIDADES que receberá artigos, resenhas e opiniões sobre aspectos da História, Cultura e Literatura Africanas e Afro-Brasileiras com publicação trimestral.

Os trabalhos recebidos serão avaliados, em um primeiro momento, pelo Conselho Editorial e posteriormente pelo Conselho Consultivo, considerando a clareza e a pertinência do tema abordado, adequação às linhas da revista, o aspecto geral do texto (estrutura de apresentação, clareza da redação, adequação às normas). Os artigos deverão ser inéditos e somente casos especiais avaliados pelos dois conselhos serão aceitos artigos para republicação

Serão aceitos textos para publicação nos seguintes idiomas: português, espanhol, inglês. Contribuições de alunos de graduação e pós-graduação lato-sensu, professores da educação básica bem como de representantes de grupos da sociedade civil também serão bem vindas.

Os autores que tiverem seus trabalhos aceitos receberão um aviso, por e-mail ou correio, indicando o número no qual será veiculado seu texto.

Para participar da primeira edição da REVISTA ELETRÔNICA ÁFRICA E AFRICANIDADES que será publicada em maio/ 2008 encaminhe seu material até 15 de abril de 2008.

LINHAS DA REVISTA

Estudos Africanos: pesquisa e divulgação
A Cultura Afro-Brasileira em seus diversos desdobramentos
Literatura, Mito e Memória
A África na sala de aula: questionamentos e estratégias
A Literatura Africana para jovens e crianças
Literatura, História e Artes: entrelaçamentos possíveis
Estudos de Narrativa: tendências contemporâneas
O Comparativismo Literário: interdisciplinaridade e hibridismo
Tradições Orais
Religiosidade
Luta e Resistência em Espaços Urbanos e Rurais
Saúde da População Negra
Preservação do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural
Políticas de Ação Afirmativas no Brasil e no Exterior: avaliações e perspectivas
Participação e Representação Política
Identidades e Trajetórias Socais
Educação: mudanças, desafios e novas perspectivas.
Mercado de Trabalho
Racismo Institucional
Política de Ação Afirmativa
Território
Gênero.

Seminário 1888-2008: 120 anos de abolição do trabalho escravo - BA

Passados 120 anos da abolição do trabalho escravo no Brasil, a sociedade ainda se pergunta quanto aos limites desta conquista, uma vez que as desigualdades que expressam a discriminação aos afro-descendentes permanecem evidentes. No momento em que as universidades brasileiras estão reconhecendo a atrofia de um estado que trata de forma desigual os seus, a ponto de ter que propor um processo de discriminação positiva para permitir o acesso dos negros ao ensino superior, também se reconstrói a interpretação acerca do papel deste na formação brasileira.
Atualmente, sob a influência da corrente historiográfica social inglesa e a historiografia sobre a escravidão desenvolvida nos Estados Unidos, a resistência escrava no Brasil passou a ser entendida como uma das faces das lutas complexas vivenciadas pelo cativo no cotidiano e que tinham como contraponto a reelaboração permanente das relações com os seus senhores, modificando assim, as várias formas de dominação e controle social.
O estudo sobre a resistência escrava adquiriu um grande impulso no Brasil durante as décadas de oitenta e noventa do século XX. Desde então, muito se tem produzido acerca da ação política dos escravos e da maneira como essa ação repercutiu para pressionar e transformar o próprio sistema escravista. A importância desse tipo de abordagem está no fato de resgatar-se o papel de agente ativo da sua própria história a essas personagens que, por muito tempo, ficaram reduzidas a leituras que os limitavam ao papel inerte, que os revertera a condição de coisa, objeto,
onde as suas manifestações de oposição eram vistas apenas como esporádicas, seja em forma romantizada de tentar reconstruir uma África na terra colonial ou de levantar-se de forma inconsciente seu desabafo de dor.
Portanto, com o intuito de trazer uma reflexão do papel do afro-descendente na formação social brasileira que o instituto Maurício Grabois– Ba propõe a realização do seminário "1888-2008: 120 anos de abolição do trabalho escravo – uma reflexão sobre o negro no Brasil e na África".

SEMINÁRIO: 1888-2008: 120 anos de abolição do trabalho escravo –
uma reflexão sobre o negro no Brasil.

ORGANIZAÇÃO: Instituto Mauricio Grabois – Ba

    APOIO: UNEGRO

LOCAL: Faculdade de Medicina

INSCRIÇÕES GRATUITAS NO LOCAL OU PELO EMAIL:
angelaguimaraesba@gmail.com


PROGRAMAÇÃO

ABERTURA: Olívia Santana e Milton Barbosa
Mesa redonda: Quilombos contemporâneos – o conceito e a aplicação
da lei 68 das disposições transitórias.
Debatedores: Ubiratan Castro de Araújo (Fundação Pedro Calmon)
Ricardo Moreno (UNEB)
Data: 25/03/08
Horário: 18:30 hs

Mesa Redonda: Raça e Racismo – debatendo práticas e concetos
Debatedores: Walnei Oliveira (UEFS)
Ma Hilda Baqueiro Paraíso (UFBa)
Data: 26/03/08
Horário: 18:30 hs

Conferencia: África e o mundo contemporâneo
Debatedores: Muniz Ferreira (UFBa)
Data: 27/03/08
Horário: 18:30 hs

quarta-feira, 12 de março de 2008

Lei nº 11.645 torna obrigatórios temas sobre cultura negra e indígena brasileira nas escolas

LEI Nº 11.645, DE 10 MARÇO DE 2008.

Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º O art. 26-A da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, passa a vigorar com a seguinte redação:

“Art. 26-A. Nos estabelecimentos de ensino fundamental e de ensino médio, públicos e privados, torna-se obrigatório o estudo da história e cultura afro-brasileira e indígena.

§ 1º O conteúdo programático a que se refere este artigo incluirá diversos aspectos da história e da cultura que caracterizam a formação da população brasileira, a partir desses dois grupos étnicos, tais como o estudo da história da África e dos africanos, a luta dos negros e dos povos indígenas no Brasil, a cultura negra e indígena brasileira e o negro e o índio na formação da sociedade nacional, resgatando as suas contribuições nas áreas social, econômica e política, pertinentes à história do Brasil.

§ 2º Os conteúdos referentes à história e cultura afro-brasileira e dos povos indígenas brasileiros serão ministrados no âmbito de todo o currículo escolar, em especial nas áreas de educação artística e de literatura e história brasileiras.” (NR)

Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 10 de março de 2008; 187º da Independência e 120º da República.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
Fernando Haddad

Este texto não substitui o publicado no DOU de 11.3.2008."

Fonte: Planalto

Data: 12/03/2008

Curso de Atualização em Estudos da Diáspora Africana - RJ

O Programa MultiVersidade Criola , um espaço de formação feminista e anti-racista para mulheres negras, o Programa de Estudos e Debates dos Povos Africanos e Afro-americanos (Proafro) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, em parceria com o Centro de Estudos Africanos e Afro-americanos (CAAAS), da Universidade do Texas em Austin, torna público a abertura de inscrições para selecionar alunos e alunas para o Curso de Atualização em Estudos da Diáspora Africana, nas datas e sob as condições especificadas no presente edital.

Objetivos do Curso
Oferecer formação acadêmica e intelectual de alto nível a ativistas, estudantes e intelectuais de todo o país interessados na área Estudos da Diáspora Africana, a partir das análises críticas produzidas pelo feminismo negro no Brasil e em outras comunidades da Diáspora Africana, especialmente nos Estados Unidos. Este Curso de Atualização tem como base o Programa de Pós-Graduação em Estudos da Diáspora Africana, um dos mais respeitados nos Estados Unidos, oferecido pelo Centro de Estudos Africanos e Afro-americanos (CAAAS) e pelo Departamento de Antropologia, ambos filiados à Universidade do Texas em Austin.
Participação Poderão se inscrever para a seleção ativistas dos movimentos sociais negro e de mulheres negras, bem como estudantes universitários (as) em nível de graduação e pós-graduação.

Condições para a participação
a) Domínio da língua inglesa (de leitura e compreensão), pois as aulas serão ministradas parcialmente em Inglês e a maior parte da bibliografia é em Inglês e;
b) Disponibilidade de tempo para participação e leitura da bibliografia.
Estrutura curricular e programa do curso
O Estudo da Diáspora Africana será realizado na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), as segundas e quartas-feiras, de 13:30 às 17:30, no período de 16 de junho a 14 de julho de 2008, somando uma carga horária total de 45 horas.

Vagas
20 vagas disponíveis

Recursos
O curso é gratuito. Não haverá apoio à despesas de alimentação, transporte, hospedagem ou material de apoio.

Inscrição e seleção
A ficha de inscrição está disponível on-line no site www.criola.org.br. Os(as) interessados(as) deverão preencher esta ficha, enviá-la por e-mail para diasporaafricana@criola.org.br anexando um curriculum vitae (três páginas no máximo) com informações sobre formação, ativismo social (quando for o caso), experiência profissional, participação em eventos acadêmicos e/ou ativistas e até 3 (três) referências de artigos acadêmicos e/ou informativos de autoria do(a) candidato(a) e pertinentes ao tema do curso. A ficha de inscrição e o curriculum vitae só serão aceitos por e-mail e deverão ser enviados até o dia 28/03/2008.
Os critérios principais de seleção são: experiência ativista na luta anti-racista, feminista ou pelos direitos LGBTTT, conhecimento acadêmico na área de questão racial e curriculum vitae.
O lista com o nome dos selecionados para o curso será publicada no site de criola no dia 18/04/2008.
A seleção dos alunos e a decisão final e irrevogável cabe à coordenação do curso.

terça-feira, 11 de março de 2008

Estado promove seminário sobre Racismo Ambiental na Bahia

O racismo ambiental, vivenciado pelos povos e comunidades tradicionais na Bahia, será amplamente discutido no I Seminário de Justiça Ambiental pelas Águas: As Águas Não Têm Cor. O seminário será promovido pela Superintendência de Recursos Hídricos (SRH), autarquia da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) e pela Secretaria de Promoção da Igualdade (Sepromi), nos dias 27 e 28 de março, no Auditório do Ministério Público Estadual, em Nazaré, dentro da Programação do Dia Mundial da Água.

*Para participar, é necessário se inscrever através do e-mail: cerimonial@srh.ba.gov.br ou do telefone (71) 3116-3009.*

O racismo ambiental é caracterizado pela negação do direito ambiental aos grupos étnicos-raciais (quilombolas, indígenas, pescadores e marisqueiras, comunidades de terreiro, fundo de pasto, ribeirinhos e outros), como, por exemplo, quando o acesso à água é impactado em função de contaminação dos mananciais ou quando comunidades tradicionais perdem
o direito à terra onde vivem e historicamente viveram seus antepassados.

Esse tipo de racismo se consolida com a violação do artigo 255, da Constituição Brasileira, quando afirma que: "todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à
coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações".

*Injustiça ambiental*

Estudos acadêmicos realizados em várias partes do mundo mostram que a injustiça ambiental é praticada diretamente em territórios de concentração de grupos étnicos e raciais.

A perspectiva do seminário é consolidar ações pela justiça das águas e a justiça pela eqüidade de raça, gênero e etnia no Estado da Bahia. "Isso significa que o governo do Estado da Bahia se propõe a desenvolver políticas públicas que garantam a esses povos e comunidades tradicionais o reconhecimento da diversidade da população, dignidade e cidadania e a garantia do acesso à água às comunidades envolvidas nos conflitos ambientais", ressaltou o diretor-geral da SRH, Julio Rocha.

De acordo com Luiz Alberto Santos, secretário estadual de Promoção da Igualdade, "temos de provocar o Estado no sentido de pensar políticas públicas para superar essa realidade". Ele afirma que essa conquista só pode ser efetivada através do debate constante instaurado sobre a temática do racismo, não somente o ambiental, mas todas as outras formas de racismo.

*Programação*

O enfrentamento do racismo ambiental envolverá uma série de discussões com movimentos sociais, de classe e étnicos-raciais e representações de comunidades de várias parte da Bahia, do Brasil e da Bolívia. O diretor de Educação Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Marcos Sorrentino, participará da roda de diálogo, dia 27, às 8h30, sobre Justiça Ambiental pelas Águas, tema que será exposto pelo diretor-geral da SRH, Julio Rocha.

Uma das lideranças indiginistas do Movimento da Guerra da Água, de Cochabamba, na Bolívia, Angel Hurtado, fará um relato de como os povos indígenas do seu país se organizaram contra a privatização da água na região onde mora. Esse movimento é uma referência pela luta da água como um bem universal para a humanidade.

Os outros temas que serão abordados são: O Combate ao Racismo Institucional; Os paradigmas do Racismo Ambiental; A organização social pela garantia do direito à água; A Saúde pelas Águas e Estratégia de Enfrentamento ao Racismo Ambiental: PPA Participativo 2008-2011-BA.

*Saiba mais acessando:*

www.srhonline.ba.gov.br/srhonline

www.sepromi.ba.gov.br

*Inscrições gratuitas:*

(71) 3116-3009 ou através do e-mail: cerimonial@srh.ba.gov.br

*05/03/08*

*Mais informações:*

*Ascom SRH*

Letícia Belém/Cláudia Oliveira /Yordan Bosco

(71) 3116-3042/3215/3286/3024 – 9966-7345

*Ascom Sepromi *Fernanda Capibaribe /Diana Condá (71) 3115-5112

segunda-feira, 10 de março de 2008

Formatura histórica

Universidade para negros promove, com festa, a colação de grau da primeira turma

Priscilla Borges
Da equipe do Correio
João Carlos dos Santos/Divulgação
Da turma de 126 alunos, 12o são afrodescendentes. A maioria está empregada em empresas paulistas

A próxima quinta marcará um momento histórico no país. Em São Paulo, acontecerá a formatura da primeira turma da Universidade da Cidadania Zumbi dos Palmares (Unipalmares), instituição criada para incluir a população negra no ensino superior. Dos 1,7 mil estudantes matriculados nos três cursos da instituição, 87% se declaram afrodescendentes. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva será o patrono da turma, cuja festa acontecerá no Ginásio do Ibirapuera, com a presença de artistas como o músico Simoninha e a atriz Isabel Fillardis, que farão as honras como mestres de cerimônia; Martinho da Vila, Sandra de Sá; Jair Rodrigues; Loalwa Braz e Luck Mervil (músico haitiano, radicado no Canadá); Biro do Cavaco; Vanessa Jackson, Thobias da Vai-Vai, além dos grupos Fundo de Quintal, Papas da Língua, Cia Sandrinha Sargentelli, Dança Afro2, Indígena Xondaro, Grupo Afro Quilombolas de Luz e o ator Milton Gonçalves.


Para os 126 jovens que receberão os diplomas de conclusão do curso em administração, o momento representa vitória. “É a primeira vez que uma ONG formada por negros se torna uma instituição de ensino e coloca tantos jovens no mercado. Isso mostra que a educação pode consolidar a liberdade para todos”, comenta o reitor da Unipalmares, José Vicente.

A Unipalmares foi criada pela organização não-governamental Sociedade Afro-Brasileira de Desenvolvimento Sóciocultural (Afrobras) em 2003. A proposta da instituição é valorizar a história e a cultura da população negra, e qualificar e capacitar os estudantes. Por isso, as disciplinas são dadas com ênfase na perspectiva da população negra, como a história econômica do negro no Brasil, cenários econômicos contemporâneos do mercado afro-étnico no Brasil e a justiça e a igualdade.

Os estudantes têm à disposição aulas de reforço em português, matemática, inglês e informática; assistência social e psicológica; orientação vocacional; curso de inglês desde o primeiro ano e aulas de música, dança e arte afrobrasileiras. Para os idealizadores da Unipalmares, era importante criar um ambiente em que os negros estivessem nas lideranças e garantir que os mestres e doutores da instituição também fossem negros. Dos 70 professores, 38 são negros.

Qualquer estudante pode fazer o vestibular da Unipalmares. Porém, pelo menos 50% das vagas são reservadas aos candidatos que se declararem afrodescendentes. Atualmente, são oferecidos os cursos de administração, direito e logística de transportes.

Oportunidade única
Na instituição, os jovens pagam mensalidades baixas. Até o ano passado, o valor era R$ 260. A partir de agora, R$ 295. A faculdade se mantém com a ajuda de empresas parceiras da Afrobras, como os bancos Itaú, Bradesco, HSBC, Real ABN Amro, Citibank, Santander Banespa, Safra, a Camisaria Colombo e a Nestlé. Além de contribuirem para a manutenção da Unipalmares, os parceiros reservam estágios e vagas em programas de trainee para os alunos da instituição. Dos jovens que participaram dos programas até o momento, 90% foram efetivados.

“O impacto disso é a mudança de postura do ambiente corporativo. As empresas se preocuparam em inserir o negro nas ações de responsabilidade social e isso pode se replicar. Estamos criando referências”, argumenta José Vicente. Ele conta que, entre as 500 maiores empresas do país que se preocupam com a responsabilidade social, apenas 3,5% dos profissionais que ocupam cargos de direção são negros.

Andresa Amaral Santos, de 24 anos, soube da proposta da Unipalmares pelo rádio. O valor da mensalidade foi a primeira coisa que chamou a atenção da jovem. Ela já havia deixado de cursar uma faculdade porque não tinha dinheiro para arcar com as mensalidades. Depois, gostou do projeto inovador da Unipalmares. “A faculdade resgatou a cultura negra para mim”, admite.

A administradora foi a primeira aluna da instituição a iniciar um estágio no Banco Bradesco, em 2005. Andresa já foi efetivada na área de recursos humanos. “Consegui concluir uma graduação, entrar no mercado de trabalho e estou ansiosa. Acho que vivemos um marco histórico e isso é de grande responsabilidade. Espero que a nossa formatura leve o Brasil a refletir sobre a população negra”, analisa Andresa.

FONTE: Correio Brasiliense,
Brasília, segunda-feira, 10 de março de 2008

Homenagem a Abdias do Nascimento - BA

A UNEB, o IPEAFRO e a PORTFOLIUM convidam os amigos e as amigas para uma homenagem a Abdias Nascimento,
dia 17 de março no Teatro Castro Alves, oportunidade em que a Universidade do Estado da Bahia - UNEB
estará lhe entregando o título de Doutor Honoris Causa, às 17h 30min.

Pouco depois, às 19h, estaremos lançando o filme documentário longa metragem Abdias Nascimento Memória Negra.

A entrada é livre até a lotação da sala principal. Os ingressos podem ser retirados na bilheteria do Teatro Castro Alves, a partir das 14h do dia 17 de
março.

Kitabu Livraria Negra convida - RJ

Amigas e amigos,

Nós das Kitabu Livraria Negra inicaremos esta semana nossa atividades
culturais, contamos com presença de todos vocês:

Evento: Lançamento da Camiseta Institucional de Memória Lélia Gonzalez
Data: 3ª feira, 11 de março de 2008,
Horário:19 horas
Local: Kitabu Livraria Negra
Endereço: Rua Joaquim Silva, 17, Lapa, Rio de Janeiro – RJ

Programação:

Ana Maria Felippe "Memória Lélia Gonzalez"
Vilma Piedade "Lélia Gonzalez: do Feminismo ao Feminismo Negro"
Vanda Ferreira "Trajetória de Militância com Lélia Gonzalez"
Jurema Batista "Encontro Político com Lélia Gonzalez"
Hilton Cobra "Candaces: produzindo saber com Lélia Gonzalez"
Néia Daniel Intervenção: "Valeu Lélia Gonzalez"


Evento: Lançamento do livro Racismo e Sociedade do Prof. Carlos Moore
Data: 13/03
Horário: 18:00
Local: Centro Afro Carioca de Cinema
Endereço: Rua Joaquim Silva n. 40 - Lapa
--

Kitabu Livraria Negra
Kitabulivraria@gmail.com
kitabulivraria.wordpress.com
Tel: 5521- 2224-9847/ 8887-0576
Rua Joaquim Silva, 17 Lapa, RJ.

quinta-feira, 6 de março de 2008

Seminário Justiça, Ações Afirmativas e Igualdade de Direitos - CE



Acontecerá no Auditório da Justiça Federal no Ceará

Dia 14 de Março de 2008
Das 8h às 18h

Não Percam!

segunda-feira, 3 de março de 2008

DICAS IMPORTANTES

Quer navegar por uns blogs interessantes? Experimente os blogs abaixo:

www.meublogcomtudodentro.blogspot.com – blog pessoal de Zelinda Barros, antropóloga

www.fazervaleralei.blogspot.com – blog com subsídios(livros, eventos, links) para auxiliar a implementação da Lei nº 10.639/03

www.socursosgratis.blogspot.com – divulgação de cursos, seminários e palestras grátis, prensenciais e à distância
www.trabalhartrabalhar.blogspot.com – blog voltado à divulgação de oportunidades de trabalho no Brasil, especialmente na Região Nordeste
www.casosecoisasdogenero.blogspot.com – blog com textos, poesias, divulgação de eventos relacionados à temática Gênero
www.trocatudosemdinheiro.blogspot.com – blog destinado à troca de objetos usados.
www.cursobgirls.blogspot.com – blog do Curso de Formação de B-Girl, promovido pela Rede Aiyê Hip Hop em parceria com o Fundo Ângela Borba de Recursos para Mulheres

CONCURSO PREMIA PROJETO PEDAGÓGICOS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL - SP

Banco Real e Ceert dão início à 4ª edição do prêmio "Educar para a Igualdade Racial: Experiências de Promoção da Igualdade Racial-Étnica no Ambiente Escolar".

O Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (Ceert), em parceria com o Banco Real, lança a 4ª edição do Prêmio "Educar para a Igualdade Racial: Experiências de Promoção da Igualdade Racial-Étnica no Ambiente Escolar", com o objetivo de sensibilizar e subsidiar profissionais da educação na inclusão social de crianças de diferentes etnias.

Professores e escolas da rede pública ou privada, de educação infantil e ensino fundamental I (1ª a 4ª série), poderão inscrever projetos políticos pedagógicos que valorizem a igualdade racial, por exemplo: pesquisas, exposições, produções teatrais, entre outros, para potencializar o debate e contribuir para eliminar a discriminação racial. "É preciso tornar o tema conteúdo permanente nas salas de aula, só assim promoveremos a igualdade entre os cidadãos", diz Cida Bento, diretora executiva do Ceert.

Foram feitas algumas mudanças na premiação. A primeira delas é a abrangência do prêmio, que deixa de ser nacional e passa a focar no Estado de São Paulo. Assim, o Banco Real e o Ceert acompanharão de perto as ações realizadas e conseguirão se aprofundar e sistematizar as experiências conduzidas nas escolas.

A segunda mudança é que agora, apenas os professores de escolas de Educação Infantil e ensino Fundamental I (1ª a 4ª série) podem concorrer, já que sabemos que o investimento na primeira infância é de importância indiscutível.

A terceira alteração foi a criação da categoria "Escola", que objetiva premiar as iniciativas institucionais. "Queremos dimensionar e encorajar iniciativas assumidas pela escola como um compromisso da própria instituição", diz Laura Oltramare, superintendente de desenvolvimento sustentável do Banco Real.

Quatro professores, dois de educação infantil e dois de ensino fundamental, serão premiados com 5 mil reais, participarão de um curso sobre a temática racial desenvolvido pelo Ceert e ganharão um kit de livros que envolvem o tema da diversidade humana e pluralidade cultural. Na categoria "Escola", quatro professores serão premiados com livros e a participação dos gestores responsáveis no curso, cada escola será contemplada com 10 mil reais.

Com objetivo de contribuir para a consolidação e sistematização dos projetos premiados, um júri técnico elegerá duas instituições de ensino para que o Ceert as acompanhe por até 12 meses.

As inscrições para a 4ª edição do Prêmio "Educar para a Igualdade Racial" poderão ser feitas de 3 de março a 5 de maio de 2008. Mais informações acesse:

http://www.ceert. org.br/modulos/ premio_educar/ 4premio_educar. php?id=9

domingo, 2 de março de 2008

X SEMANA DA ÁFRICA EM SÃO PAULO

EXPOSIÇÃO DE PAINÉIS CIENTÍFICOS
TEMA: ÁFRICA: HISTÓRIA E AÇÕES PRO-ATIVAS DIANTE DA GLOBALIZAÇÃO DAS NAÇÕES RICAS E OS ACORDOS BILATERAIS DOS MERCADOS EMERGENTES


Prêmio Kabengele Munanga

Esta atividade estará estreitamente ligada ao Prêmio Kabengele Munanga. Ela será organizada em parceria com companhias aéreas, as embaixadas, consulados e com as Secretarias de Educação. A idéia é envolver o professorado e premiar, por exemplo, aquele que se destaque no desenvolvimento de um trabalho junto aos alunos tendo como temática a África. O Intercâmbio Cultural visa proporcionar a esse professor um contato mais próximo com a cultura de um país africano.
O Prêmio Kabengele Munanga foi criado para incentivar o intercâmbio Brasil x África e divulgar trabalhos que reunirá pesquisadores, personalidades brasileiras e africanas, autoridades, para apresentação e discussão de estudos, concluídos ou em andamento, integrados ao tema “África: história e ações pro-ativas diante da globalização das nações ricas e os acordos bilaterais dos mercados emergentes” e que deverão ser apresentados em forma de pôster. O ganhador do prêmio também será agraciado com uma viagem e a publicação de seu trabalho em uma revista acadêmica (respeitando- se as exigências da publicação)

Local: Câmara Municipal da Cidade de São Paulo

1. Disposições Gerais
A Comissão de Organização de trabalhos científicos da Semana da África, promovida pelo Fórum África, a ser realizada do dia 22 ao dia 27 de maio de 2008, definiu os critérios de apresentação e seleção dos trabalhos científicos em formato de pôster no evento. Os temas das propostas devem levar em consideração o tema geral da X Semana da África “Cultura, religião e relação interpessoal na África”.

Os trabalhos apresentados estarão concorrendo ao Prêmio Kabengele Munanga
2. Prazo de Inscrição
· A data limite de postagem das inscrições dos trabalhos será 20 de abril de 2008.
· Ë necessária a inscrição de no mínimo um dos autores do trabalho, preferencialmente o autor principal.
· As inscrições serão feitas pela Internet e via correio.
· Taxa de inscrição R$ 20,00.

Mais informações pelo site
www.forumafrica.com.br ou pelos e-mails vanderlisala@gmail.com ou boniyavo@hotmail.com
Fonte: Blog Aideia Griot