SEGUIDORES DO BLOG




CALENDÁRIO NEGRO – OUTUBRO

1 – Independência da Nigéria (1960)
2 – Independência da Guiné-Conacri, também chamada de República da Guiné para se distinguir da vizinha Guiné-Bissau (1958)
3 – Nasce no bairro do Engenho de Dentro, Rio de Janeiro o cantor Orlando Garcia da Silva - Orlando Silva, o "Cantor das Multidões" (1915)
3 – Nasce no bairro do Cachambi, Zona Norte do Rio de Janeiro, o compositor, violonista e arranjador Cláudio Jorge de Barros, Cláudio Jorge (1949)
4 – Nasce em Rua Domingos Lopes, n. 298, Madureira (RJ), o compositor Silas de Oliveira Assumpção. Autor de "Meu Drama" (Silas e J. Ilarindo), "Aquarela Brasileira", "Cinco Bailes da História do Rio" (Silas, D. Ivone Lara e Bacalhau), "Heróis da Liberdade" (Silas e Mano Décio), entre outros (1916)
5 – Nasce Neil deGrasse Tyson, divulgador científico, dramaturgo e astrofísico estadunidense (1958)
5 – Nasce em Chicago (EUA), Bernard Jeffrey "Bernie" McCollough, o ator e comediante Bernie Mac (1957)
6 – Nasce no Rio de Janeiro, o cantor e compositor José Flores de Jesus - Zé Keti (1921)
6 – O Bloco Afro Ilê Aiyê, através da resolução n. 4003/89, torna-se uma entidade de utilidade pública (1989)
6 – Criação do Coletivo de Mulheres Negras de São Paulo (1983)
7 – Nasce nos Estados Unidos, o fundador do movimento "Black Muslims", Elijah Muhammed (1897)
8 – Nasce em Greenville, Carolina do Sul, (EUA), Jesse Louis Burns, senador, reverendo Jesse L. Jackson (1941)
8 - Toni Morrison torna-se a primeira afro-americana a ganhar o Prêmio Nobel de Literatura (1993)
9 – Nasce em Nova Orleans (EUA), Ernest "Dutch" Moreal, primeiro prefeito negro de Nova Orleans (1929)
9 – Nasce em São Paulo o poeta, ensaísta e crítico Mário de Andrade (1893)
9 – Independência de Uganda (1962)
9 – Nasce em Campos (RJ), o jornalista, orador, publicista e político, José Carlos do Patrocínio - José do Patrocínio (1853)
10 – Nasce em Irará (BA), o goleiro da Seleção Brasileira de Futebol Nelson de Jesus Silva, Dida (1973)
11 – Inicia-se no Rio de Janeiro, o I Encontro dos Negros do Sul e Sudeste (1987)
11 – Dia Internacional de Solidariedade aos Presos Políticos da África do Sul
11 – Nasce em São Luiz (MA), Maria Firmina dos Reis. Escreveu "Úrsula" em 1859, considerado o primeiro romance escrito por mulher no Brasil e, igualmente, o primeiro romance abolicionista (1825)
11 – Nasce em Salvador/BA, Samuel dos Santos, ator que ficou famoso ao interpretar o Tio Barnabé, do Sítio do Pica Pau Amarelo (1922)
11 – O novo Código Penal da República transforma a capoeira em crime (1890)
11 – Nasce no Catete (RJ), Angenor de Oliveira, o Cartola. Compositor, poeta e fundador da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira. Compôs sucessos como: "Não quero mais amar ninguém", "Quem me vê sorrir", “Divina Dama", "As rosas não falam", "Camarim" (1908)
11 – Nasce em Pedreiras (MA), o compositor João Batista do Vale - João do Vale (1934)
12 – Nasce em Serro (MG), o compositor José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita. (1746)
12 – Explode na África do Sul a Guerra dos Bôeres entre ingleses e "africânderes" que teve profunda influência no destino dos negros sul-africanos (1899)
12 – Com a presença de mais de mil pessoas, é aprovado o Estatuto da Frente Negra Brasileira (1931)
12 – Nasce em Goiás, o cantor, instrumentista, professor e compositor José do Patrocínio Marques Tocantins, autor do "Cântico da Cerimônia do Lava pés" e "Salutaris Hóstia" (1851)
12 – Nasce em Caruaru (PE) o cantor, compositor e radialista Luís Rattes Vieira Filho, Luís Vieira (1928)
12 – Independência de Guiné-Equatorial (1968)
13 – Nos Estados Unidos, o escravo Jo Anderson inventa uma máquina para ceifar o trigo (1831)
13 – Fundação no Rio de Janeiro, do Teatro Experimental do Negro - TEN (1944)
13 – O Tribunal Superior do Trabalho, numa decisão inédita, desferiu um golpe no racismo nas empresas. O técnico da Eletrosul Vicente do Espírito Santo, foi recontratado depois de prover que havia sido vítima de discriminação pelo chefe que queria "branquear o departamento" (1996)
14 – Nasce no Rio de Janeiro, o cantor, instrumentista e compositor Armando Vieira Marçal - Armando Marçal (1902)
14 – Martin Luther King Jr. recebe o Prêmio Nobel da Paz (1964)
15 – O atleta João Carlos de Oliveira, João do Pulo, bate o recorde mundial do salto triplo, nos Jogos Pan-Americanos na Cidade do México com a marca de 17,89m (1975)
16 – O arcebispo Desmond Tutu recebe o Prêmio Nobel da Paz (1984)
16 – Nasce em Caratinga (MG) o cantor Agnaldo Timóteo (1936)
16 – O Presidente de Burquina Faso, Thomas Sankara é assassinado após um golpe de estado liderado por seu antigo companheiro Blaise Campocouré (1987)
16 – Libertação dos escravos em Pelotas (RS) (1884)
16 – Publicação de Lei proibindo o açoite nos castigos aos escravos (1886)
16 – Os atletas americanos Tommie Smith e John Carlos, medalhas de ouro e bronze nos 200 metros rasos nos Jogos Olímpicos do México, tornam-se mundialmente conhecidos ao subirem o pódio e acompanharem a execução do Hino Nacional Americano com os punhos erguidos calçados por luvas pretas, saudação característica do Movimento Black Power (Poder Negro) (1968)
16 – Wole Soyinka, escritor nigeriano, recebe o Prêmio Nobel de Literatura (1986)
17 – Nasce em Monte Azul Paulista (SP), o poeta e contista Abelardo Rodrigues (1952)
18 – Nasce em Uberabinha, atual Uberlândia (MG), Sebastião Bernardes de Souza Prata - Grande Otelo (1915)
18 – Nasce em Cachoeiro do Itapemirim (ES), o líder sindical ferroviário Demisthóclides Batista, Batistinha (1925)
18 – Nasce o cantor e instrumentista Chuck Berry (1926).
18 – Nasce em Pau Grande/RJ, Manuel Francisco dos Santos, o Garrincha, famoso jogador de futebol (1933)
19 – É publicado no Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, o folhetim triste Fim de Policarpo Quaresma, do escritor Lima Barreto. (1911)
19 – Nasce em Grange Hill, Westmore Land, Jamaica, Winston Hubert Mc'Intosh, Peter Tosh - "O Furacão da Jamaica" (1944)
19 – Nasce em Cubatão, (SP), o ator e compositor Deoclides José Gouveia - Deoclides Gouvea (1945)
20 – Expedido ofício de Gaspar Antônio da Costa Leal informando sobre um quilombo existente nas cabeceiras do Rio Moquim, que deságua no Itabapoana em Campos dos Goitacazes (1848)
20 – Nasce na cidade de São Pedro do Paraíso (RJ), o quarto-zagueiro Dari Batista (1940)
21 – Nasce em Cheraw, Carolina do Sul, Estados Unidos, o trompetista John Birks Dizzy Gillespie (1917)
22 – Nasce em Aldeia da Pedra, Itaocara (RJ), o flautista, compositor, Patápio Silva, autor de composições como: "Evocação", "Margarida", "Primeiro Amor", "Oriental", "Sonho", entre outras composições (1881) - Altamiro Carrilho
22 – O Projeto de Lei n.391, de autoria do deputado Fidelis Reis, proíbe a entrada de colonos da raça preta no Brasil (1923)
23 – Nasce em Três Corações (MG), o jogador de futebol Edson Arantes do Nascimento - Pelé (1940)
24 – Nasce em Bragança Paulista (SP), o poeta Oswaldo de Camargo. Publicou "Um homem tenta ser anjo", "Poemas negros", "O Carro do êxito", "Antologia dos Poetas de Cacimba", "A Descoberta do Frio", entre outros. (1936)
24 – Nascimento de Esmeralda Ribeiro, poeta e uma das coordenadoras do Quilombhoje / 1958
24 – Festa Nacional da Zâmbia. (1964)
25 – Dia consagrado a Crispim.
25 – O Clube Militar, em petição à Princesa Isabel, manifestou o desejo de não mais se utilizar o Exército para capturar escravos (1887)
25 – Nos Estados Unidos, o Coronel B. O. Davis torna-se o primeiro negro a ser promovido ao posto de general de brigada (1940)
26 – Nasce nos Estados Unidos o autor Jean Toomer (1894)
26 – Nasce em New Orleans (EUA), a "Rainha do Gospell", Mahalia Jackson (1911)
26 – Nasce no Rio de Janeiro, o cantor e compositor Milton Nascimento, autor de "Travessia", "Canção da América", "Nos Bailes da Vida", "Morro Velho", "Roupa Nova", "Coração Civil", entre outras canções de sucesso (1942)
27 – Nasce no Rio de Janeiro o cantor Pery de Oliveira Martins - Pery Ribeiro (1937)
27 – Independência de São Vicente, ex-colônia inglesa do Caribe (1979)
28 – Nasce no bairro carioca de São Cristóvão (RJ), o compositor Nelson Antônio da Silva - Nelson Cavaquinho, autor de sucessos como "A Flor e o Espinho", "Rugas", "Folhas Secas", "Quando eu me chamar Saudade", entre outros (1911)
29 – Nasce em Gary (EUA) Randy Jackson, músico e dançarino do The Jacksons 5 (1961)
30 – Nasce em Porto Alegre (RS), José Maria Vianna Rodrigues, o primeiro professor negro a lecionar na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1918)
31 – Surge em Esmeralda, Equador, a primeira Comunidade Negra das Américas que não sofreu a escravidão (1553)
31 – Nasce em Ourinhos (SP) Luís Silva – Cuti, poeta, dramaturgo e co-fundador do Quilombhoje (1951)

.

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 31 de março de 2010

Discutindo a sustentabilidade da causa da equidade racial no Nordeste - BA

No próximo dia 10 de abril, organizações do Movimento Negro e órgãos de promoção da igualdade racial discutem com representantes do CEAFRO (UFBA), Instituto Steve Biko e Fundação Kellogg alternativas para sustentabilidade das iniciativas de combate ao racismo.
O encontro faz parte da programação da Fundação Kellogg para a região Nordeste que se iniciou em 2008, através da consulta a algumas lideranças negras e foi ampliada, em 2009, com a realização do Mapeamento de políticas, organizações e lideranças negras do Nordeste, realizado pelo CEAFRO, programa do CEAO - Centro de Estudos Afro-Orientais da UFBA.
O propósito da Fundação Kellogg é promover a equidade racial como forma de inclusão social, através da criação de um mecanismo sustentável de captação e aplicação de recursos. A idéia é que a iniciativa seja feita em conjunto com os movimentos negros e que crie parcerias intersetoriais com governos, empresas e universidades.
Na reunião, aberta ao público, serão apresentados dados do levantamento das principais políticas e organizações nordestinas visitadas pelo CEAFRO e será divulgada a proposta de atuação da Fundação Kellogg para os próximos anos. Além disso, o Comitê Programático, formado por lideranças reconhecidas pela luta contra o racismo, será apresentado ao público. O evento será um espaço aberto para que os movimentos possam dar sugestões ao desenvolvimento de estratégias para sustentabilidade da luta contra o racismo.
Segundo Andrés Thompson, diretor de programas para a América Latina e Caribe da Fundação Kellogg, o objetivo é garantir a sustentabilidade da causa racial. “Queremos estabelecer diálogos e parcerias com diferentes segmentos da sociedade, sejam movimentos sociais, empresas, ONGs ou organismos públicos. A intenção é identificar e nos conectar aos atores-chave da causa, entender o que tem sido feito e as principais barreiras e inovações no que se refere à busca pela equidade racial no Brasil".
Para o doutor em Administração Pública e membro do Comitê Programático, Elias Sampaio, “um dos elementos cruciais que fazem do Brasil um país desigual é exatamente a existência da desigualdade racial. Em função da forma como o racismo opera aqui, ele acaba impedindo o processo de desenvolvimento econômico e social. Então, investir nessa discussão é fundamental".
A diretora do Geledés, Sueli Carneiro, que também é parte do comitê, ressalta a importância do debate para a integração regional “Esse trabalho está resgatando processos regionais que possibilitarão um reflorescimento de estratégias coletivas do movimento negro na região Nordeste.”
A Fundação Kellogg foi criada em 1930 por um industrial da área de cereais e atualmente é uma das maiores fundações dos Estados Unidos. Hoje a instituição tem trabalhos nos Estados Unidos, na América Latina e Caribe.
A atuação da Fundação Kellogg está historicamente concentrada nas áreas de saúde, desenvolvimento rural; nutrição humana, juventude, educação básica e desenvolvimento de voluntariado. No Brasil, sua programação 2008–2013 foca a equidade racial e desenvolvimento, uma vez que, por meio do diálogo com o movimento negro, foi identificado que a problemática social do país está calcada nas desigualdades históricas baseadas no racismo.

O quê: Reunião “Discutindo a sustentabilidade da causa da equidade racial no Nordeste”
Quando: 10 de abril de 2010, das 8h30 às 17h Onde: Faculdade de Economia da UFBA. Praça da Piedade, S/N Salvador - Bahia
Contatos: Trícia Calmon: 8752-4582 e Roseni Sena 31 9951-8838 (Consultores da Fundação Kellogg)/ Iranildes Aquino 8883-1843 e Paulo Rogério 9637-5920 (CEAFRO)

FONTE: Correio Nagô

Palestra "Revisitando a Rainha Nzinga" - BA

FÁBRICA DE IDÉIAS – CURSO AVANÇADO EM ESTUDOS ÉTNICOS E RACIAIS  
CEAO/ UFBA
  
Revisitando a rainha Nzinga: historiografias e identidades
 Profª. Dra. Selma Pantoja – UNB

Quando: 09 de Abril 2010
Onde: Centro de Estudos Afro- Orientais – UFBA
Horário: 17:00

terça-feira, 30 de março de 2010

Seminário "Racismo e racialização na sociedade brasileira e na educação" - RJ


Slide 1
O Grupo de Estudos Cotidiano, Educação e Cultura(s)
GECEC
convida para o Seminário 
Racismo e racialização na sociedade brasileira e na educação: o debate atual 
 Luiz Alberto Oliveira Gonçalves (UFMG)
8 de abril, quinta-feira, 9 horas, Sala 1062 L 
Departamento de Educação - PUC/RIO

segunda-feira, 29 de março de 2010

Os perigos de uma crítica maniqueísta (Kabengele Munanga)

TENDÊNCIAS/DEBATES (Folha de São Paulo, 26 de março de 2010)
POR QUAL motivo o STF promoveria uma audiência pública antes de votar matéria de sua competência, como se seus ministros não tivessem já opinião construída sobre a constitucionalidade ou a inconstitucionalida de das cotas "raciais"? Penso que o Supremo teria partido do suposto de que as leis sozinhas não resolvem todos os problemas de uma sociedade e que era preciso reunir opiniões e pontos de vista provindos de diferentes setores.
É no âmbito dessa audiência pública que se coloca o pronunciamento do senador Demóstenes Torres (DEM-GO). Os argumentos que defendeu provocaram reações, interpretações e comentários críticos que o geógrafo Demétrio Magnoli, em artigo neste espaço ("O jornalismo delinquente" , 9/3), qualificou como delinquência, amnésia ideológica, falsificação da história, manipulação, ignorância etc.
Conhece-se a facilidade sem limites que o geógrafo Demétrio Magnoli tem para atribuir palavras de sua conveniência a seus adversários. Mas o que disse exatamente o senador? Em seu pronunciamento, deixou claramente explícita sua posição contrária às cotas "raciais". Afirmou que não aconteceram sequestros e capturas de escravos porque foram os próprios africanos que o fizeram. Eles forneciam escravos não apenas aos mercados ocidentais e americanos, mas bem antes ao mundo árabe.
O senador disse ainda que os donos de escravos não eram somente brancos ou ocidentais, mas também africanos ou negros. Acrescentou à sua peça acusatória que os abusos sexuais cometidos contra as mulheres negras durante o regime escravista eram algo consentido. Ademais, criticou a categoria censitária que soma negros e mestiços numa única classificação e aproveitou para alfinetar os efeitos manipuladores das pesquisas quantitativas do IBGE e do Ipea. Chegou até a negar a existência no Brasil do racismo estrutural, reiterando a posição já antiga do racismo socioeconômico embutido no mito de democracia racial.
Na minha interpretação, o senador deixou claro que o Estado brasileiro não teria nenhuma obrigação de compensar os afrodescendentes por meio de políticas de ação afirmativa pelos crimes cuja responsabilidade cabe em parte aos próprios africanos que venderam seus "irmãos" mundo afora. Não surpreende que o senador tenha uma posição contrária.
No entanto, o conteúdo de seus argumentos, pela posição que ocupa, causou estranhamento e mal-estar político. Afirmar publicamente que a violência sexual contra a mulher negra durante o regime escravista era consentida é ignorar o contexto de assimetria e de subalternidade em que esses abusos eram cometidos. Afirmar que não aconteceram sequestros e capturas durante o tráfico negreiro é chocante para quem conhece um pouco dessa história. Todos os presentes à audiência pública, pelo menos os do campo oposto, ficaram horrorizados com as palavras do senador.
Os termos "negro", "africano", "europeu" e "branco" remetem ao mesmo contexto, pois os traficantes africanos ou reinos africanos eram negros, e os traficantes europeus eram brancos. Não vejo nenhuma manipulação ao trocar um termo por outro, a não ser na visão deturpada de alguns.
Os fatos históricos não são de todo incorretos, mas o que importa é a condenação moral da escravidão, externa ou interna, independentemente da origem geográfica ou "racial" do traficante. Ninguém inocentaria a Alemanha nazista pelo fato de o Holocausto ter contado com colaboradores europeus e traidores judeus.
Seria bom reafirmar que nenhum historiador negaria a participação de alguns reinos africanos no tráfico negreiro. Mas isto é certo: nenhum navio negreiro era propriedade dos africanos e nenhum traficante africano atravessou mares e oceanos para vender seus "irmãos" no exterior. Ao dizer isso em outros termos, o professor Luiz Felipe de Alencastro não está tendo nenhuma amnésia ideológica, como o sugere o geógrafo Demétrio Magnoli.
A demanda social das políticas de ação afirmativa não se fundamenta nesse passado escravista evocado pelo senador. Não se baseia na lógica da reparação coletiva em comparação com à que foi concedida ao Estado de Israel e aos israelitas vítimas das vexações nazistas.
Ela se fundamenta, do meu ponto de vista, sobretudo na situação estrutural das relações entre brancos e afrodescendentes que, segundo estatísticas de IBGE e Ipea, apresenta um tão profundo abismo acumulado em matéria de educação que jamais poderá ser reduzido apenas pelas políticas macrossociais ou universalistas.

KABENGELE MUNANGA, antropólogo, é professor titular da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. É autor, entre outras obras, de "Origens Africanas do Brasil Contemporâneo: Histórias, Línguas, Culturas e Civilizações" e "Rediscutindo a Mestiçagem no Brasil. Identidade Nacional versus Identidade Negra".

Cursos de línguas do CEAO estão com inscrições abertas - BA

O Centro de Estudos Afro-Orientais da UFBA (CEAO) está inscrevendo para seus cursos de línguas oferecidos no semestre 2010.1. O curso de Japonês terá aulas às segundas-feiras para o nível avançado e toda quarta-feira para o nível inicial, com o Prof. Noriteru Fusazaki, durante seis meses, com início previsto para o dia 19 de abril. As aulas de Árabe, como Prof. Ahamad Hamed Bakari-Sheik serão realizadas às terças (nível inicial) e quintas-feiras (avançado), também pelo período de seis meses, a começar no dia 20 de abril. Já o curso de Ioruba, com o Prof. Ayanwale Ayo Olayanju, vai durar quatro meses, com aulas às segundas (nível inicial) e quartas (avançado), com início marcado respectivamente para os dias 5 e 7 de abril. Todos os cursos serão no horário das 18h30 às 20h30. As inscrições, das 9h30 às 14h, são feitas na sede do CEAO – Praça Inocêncio Galvão, 42, Largo Dois de Julho –, mesmo local das aulas. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones 383-5502/5504.

domingo, 28 de março de 2010

Curso "O negro na história e na sociedade brasileira" - RJ

(Clique na imagem para ampliá-la)

sábado, 27 de março de 2010

Palestra "Brinquedos cantados de matriz africana" - RJ

(Clique na imagem para ampliá-la)

Curso de Comunicação Política e Políticas da Comunicação - BA

O Núcleo Omi-Dùdú e o Grupo de Pesquisa Permanecer Milton Santos, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), oferecem o "Curso de Comunicação Política e Políticas da Comunicação", com o intuito de agregar formação para lideranças sociais e do movimento negro, de abril a julho de 2010.
 
O objetivo principal do curso é "colaborar para a formação e capacitação de lideranças dos movimentos sociais, incluído o movimento negro, no que tange às especificidades da Comunicação Política e das Políticas de Comunicação em vigor no Brasil e no mundo, em um momento em que a sociedade brasileira – preparando-se para mais uma campanha eleitoral em 2010 – passa por transformações políticas que devem resultar em maior diversidade e pluralismo democrático.
 
Processo de Inscrição e Seleção:
 
Com 40 vagas, o curso é oferecido gratuitamente a lideranças do movimento negro e social que podem se inscrever nos dias úteis de 29 de março a 12 de abril, das 9h30 às 17h, na sede do Omi-Dudu (Rua Monte Conselho, 121,  Rio Vermelho, Salvador, BA).
 
- Das 40 vagas, 30 podem ser preenchidas por indicação de entidades do movimento social, incluindo o Movimento Negro, que deve selecionar até 2 candidatos por entidade.
- 10 vagas devem ser preenchidas por candidatos avulsos, não indicados por entidades, mas que comprovem atuação social.
- Os candidatos devem ter concluído, no mínimo, o curso médio.

-
A inscrição será feita mediante apresentação dos seguintes documentos: Carta de encaminhamento da organização que pertence; Copias de RG, CPF, 01 fotos 3X4 e histórico escolar.
 
As aulas têm início em 20 de abril e vão até o dia 20 julho, sempre às terças e quinta-feiras, das 18h30 às 20h30, na Biblioteca Central dos Barris. Desta forma, são completadas 50 horas-aula de curso que serão divididas em três módulos.
 
Ementa
Os conteúdos programáticos terão como recorte a construção da imagem dos movimentos sociais pela Análise da imagem do negro nos meios de comunicação brasileiro e os produtos finais do curso de capacitação e formação serão um jornal mural e um programa de rádio, frutos do módulo de práticas de Comunicação.
 
Mais informações: 
Carina Burana – (71) 3334-2948 e 3334-5982  /  
Dj Branco – (71) 91510631 / 

quinta-feira, 25 de março de 2010

Kimberlé Crenshaw na Bahia

Amanhã, 26/03, a partir das 14h, a professora afro-americana, Kimberle Crenshawn, participa de um encontro no CEAO-CEAFRO, Lg. Dois de Julho, para conhecer iniciativas de combate ao racismo na Bahia. Na oportunidade, a professora da Universidade da California em Los Angeles (UCLA) será apresentada aos trabalhos desenvolvidos pelo CEAFRO, Instituto Steve Biko e Instituto Mídia Étnica.

Além de Kimberle, três estudantes da faculdade de direito da UCLA estarão presentes realizando pesquisa de campo; Um vem pesquisando questões relativas aos Jogos Olímpicos, em particular, as preocupações de justiça social comparando Atlanta, Los Angeles e China. Outro estudante que pesquisa sobre os movimento dos direitos civis americanos e o terceiro aluno pesquisa a experiência asiática como um contraste com os negros norte-americanos através de algo chamado "The Model Minority Mito".Todos os três estão interessados em comparar essas histórias com as do Brasil no campo de raça e justiça social.

Kimberle é uma intelectual bastante conceituada no campo dos estudos de raça e etnicidade. Graduada na Cornel University e Havard School of Law, a pesquisadora é também professora da Columbia University e um dos nomes mais importantes da "Teoria Crítica de Raça" nos EUA. É também fundadora do African American Policy Forum, um instituto dedicado a questão racial, justiça, gênero e direitos humanos.

Dentre suas publicações estão: Words that Wound: Critical Race Theory, Assaultive Speech e First Amendment. Seu portifólio inclui também os livros Critical Race Theory: Key Documents That Shaped the Movement (co-edição). Além disso, o trabalho da pesquisadora já foi citado na Harvard Law Review, the National Black Law Journal, the Stanford Law Review, and the Southern California Law Review.

A professora Kimberle esteve no Brasil no último mês de outubro participando do Encontro Brasil-EUA pela Eliminação da Discriminação Racial e agora veio para participar do II Seminário Internacional de Saúde da População Negra que termina amanhã no Othon Palece em Salvador.http://www.irdeb.ba.gov.br/evolucaohiphop/?p=313

Veja entrevista de Dr.Kimberle no programa de Tavis Simley na PBS:http://www.youtube.com/watch?v=QF43ByWtY7c

O encontro será aberto para pesquisadores, ativistas e demais interessados. Mais informações: Paulo Rogério - Instituto Mídia Étnica (9637-5920) ou Vilma Reis - CEAFRO ( 9994-3749)
 




quarta-feira, 24 de março de 2010

Caminhada N'Zinga - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

segunda-feira, 22 de março de 2010

Massacre que marcou a luta contra o Apartheid faz 50 anos

Repressão a uma manifetação contra lei racista matou 69 pessoas.
Massacre de Shaperville alertou o mundo para as crueldades do regime.
Marta Reis De Joanesburgo, especial para o G1

Hoje com 69 anos, o aposentado Nehemiah Tsoane era apenas um jovem estudante quando, há 50 anos, o distrito onde morava, ao sul de Joanesburgo, foi marcado por uma das maiores tragédias da história da África do Sul. Tsoane estava entre os 20 mil negros que na manhã do dia 21 de março de 1960 deixaram suas casas em direção à delegacia local de Sharpeville para protestar contra a discriminatória Lei do Passe, que obrigava todos os não-brancos a portarem uma caderneta (passe), onde constava sua cor, etnia, profissão, situação na receita federal e que restringia o acesso aos bairros brancos da cidade.

Os feridos reunidos em Sharpeville, perto de Vereeniging, onde pelo menos 180 negros africanos, a maioria deles mulheres e crianças, ficaram feridos e 69 foram mortos pela polícia sul-africana (Foto: AFP)

Mais de 20 mil pessoas se aglomeraram na delegacia de Sharpeville. Era para ser uma manifestação pacífica, mas um grupo de policiais, sem saber como controlar a multidão, abriu fogo contra os manifestantes, matando 69 e ferindo mais de 180, incluindo mulheres e crianças.
 
  • Não podíamos caminhar sequer cem metros sem esse maldito passe. Se um policial visse, era cadeia na certa"
O episódio ficou conhecido como o Massacre de Sharpeville. Hoje a data é feriado político, quando se comemora o Dia Nacional dos Direitos Humanos.
 
Lei do Passe
Na época, o país vivia sob o sistema do Apartheid, e a Lei do Passe concedia a polícia o direito de prender quem fosse flagrado na rua sem a caderneta de identificação.

Após o massacre, onda de protestos tomou conta do país (Foto: AFP)

“Não podíamos caminhar sequer cem metros sem esse maldito passe. Se um policial visse, era cadeia na certa. Para entrar num bairro branco depois das dez da noite, era necessário pedir uma autorização especial ao governo”, lembra Tsoane.
 
A resposta dos negros veio num boicote organizado por partidos de esquerda, que estimulou a população a deixar o passe em casa e caminhar até um posto policial para se entregar voluntariamente.

Fora da África do Sul, o massacre teve grande repercussão na imprensa internacional, e o Apartheid foi condenado pela maioria dos países como um sistema violento e racista. Em memória à tragédia, a ONU – Organização das Nações Unidas – instituiu 21 de março como o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial. 
 
  • Deixei o local por algumas horas e quando voltei presenciei aquela cena horrorosa. Era sangue por toda parte e muitas ambulâncias"
Tsoane nunca mais esqueceu aquele dia de terror. “Eu escapei porque fui ao centro da cidade comprar algo para comer. Deixei o local por algumas horas e quando voltei presenciei aquela cena horrorosa. Era sangue por toda parte e muitas ambulâncias”, lamenta o aposentado.

O massacre de Sharpeville ocorreu 12 anos após a criação da política oficial de segregação racial – o Apartheid - pelos brancos africâneres, em 1948, e soou como um alerta à comunidade internacional para as crueldades a que eram submetidos os negros sul-africanos.
 
Estado violento
De acordo com o professor de política da Universidade de Joanesburgo, Piet Croucamp, após o incidente, o Apartheid deixou de ser encarado apenas como um sistema político opressor, mas como um Estado violento.
 
  • O massacre precedeu uma série de manifestações pelo país e deflagrou uma guerra entre população civil e Estado"
“O massacre marcou uma mudança de posicionamento principalmente dentro do país, pois precedeu uma série de outras rebeliões importantes nas periferias. Podemos dizer que ele deflagrou uma guerra entre população civil e Estado”, analisa Croucamp.

Mesmo assim, Tsoane ressalta que pouco mudou, na prática, para os negros nos anos seguintes ao massacre. “A diferença foi que podíamos procurar emprego sem precisar carregar o passe. Também não houve certo relaxamento dos policiais, mas a caderneta continuou a existir".
 

sábado, 20 de março de 2010

OAB promove cerimônia de posse da Comissão de Igualdade Racial - RJ

(Clique na imagem para ampliá-la)

Hip-hop: poética e política de uma juventude periférica - RJ

(Clique na imagem para ampliá-la)

Esta atividade será uma atividade autogestionada realizada dentro do Fórum Social Urbano, uma resposta dos movimentos sociais ao Fórum Urbano Mundial.

Temas como Criminalização da Pobreza e Violências Urbanas, Megaeventos e a Globalização das Cidades, Justiça Ambiental na Cidade e Grandes Projetos Urbanos e Lutas em Áreas Centrais e Portuárias serão debatidos entre os dias 22 e 26 de março, no Rio de Janeiro.

Mais informações sobre o FSU: http://forumsocialurbano.wordpress.com/

sexta-feira, 19 de março de 2010

CONSULTEC inscreve para a seleção do Pré-vestibular da ONG Oficina de Cidadania - BA


CONSULTEC INSCREVE PARA A SELEÇÃO AO CURSO PRÉ-VESTIBULAR GRATUITO DA ONG OFICINA DE CIDADANIA - 11ª. TURMA
As inscrições iniciam no dia 24 de março. As aulas acontecem no IGEO – UFBA, Campus de Ondina.

De 24 de março a 30 de abril, acontecem as inscrições on line para o Curso Pré-Vestibular Gratuito da ONG Educacional Oficina de Cidadania. São oferecidas 150 vagas voltadas para pessoas de todas as idades.
Para participar da 11ª. Turma do Pré-Vestibular, os interessados deverão participar da Seleção, realizada em parceria com a Consultec - organização responsável pela realização dos vestibulares das quatro Universidades Estaduais da Bahia em 2010. Como pré-requisito, os inscritos devem ter cursado da 5ª série do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio em Escolas da Rede Pública. É vedada a participação dos alunos matriculados em curso de ensino superior ou que já o tenha concluído. Ou aqueles que já tenham cursado o Pré-Vestibular da ONG em 2009.
A taxa de inscrição é de 30,00 (trinta reais). Toda a arrecadação das inscrições será revertida para a manutenção das aulas do Curso Pré-Vestibular durante o ano. O curso não cobra taxa de mensalidade aos alunos matriculados.
A seleção ocorrerá no mês de maio, em data a ser confirmada, e os candidatos às vagas realizarão uma prova objetiva de Conhecimentos Contemporâneos, além de uma prova de Redação que, este ano, será comentada eletronicamente, por meio do Boletim de Desempenho a ser divulgado no Site da Consultec.
Movimento solidário
Nesta edição da seleção, os inscritos que desejarem poderão doar, no dia da prova, 01 lata ou pacote de leite que serão entregues à Sociedade Irmãos Solidários, entidade que presta atendimento a 152 crianças de 03 a 14 anos. Esta iniciativa faz parte das ações da Campanha “Prova de Solidariedade”, criada há 10 anos pela Consultec e que já doou mais de 20.000 toneladas de leite em pó para diversas organizações não governamentais e filantrópicas.

Funcionamento e Informações sobre o Curso
As aulas do curso Pré-Vestibular da ONG Oficina de Cidadania ocorrem de segunda a sexta, das 19 às 22 horas, e aos sábados, das 13h30min às 17 horas, na sede da UFBA, também parceira do projeto, no Instituto de Geociências – IGEO, no campus de Ondina.
Durante o ano letivo do curso, os alunos participaram de diversas atividades, dentre elas, Mostra Didática de Filmes, Aula Viva realizada em ambientes externos, Simulados, Aulas sobre a temática Cidadania e diversidade, Debates Multiculturais, além de contar com dois professores por disciplina em Língua Portuguesa (Gramática/Literatura/Redação), Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol); Geografia, História, Biologia, Física, Química e Matemática.
As inscrições serão realizadas através do site www.consultec.com.br. Informações 3272 4302

Lançamento do Projeto "A polícia judiciária e as questões práticas no âmbito das relações étnico-raciais" - SP

Em celebração ao Dia 21 de Março – Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial, a Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania e a Secretaria de Segurança Pública, por intermédio da Polícia Civil , de forma pioneira, lançam o Projeto: A Polícia Judiciária e as Questões Práticas no Âmbito das Relações Étnico-Raciais, para a superação da discriminação e do racismo no Estado de São Paulo.
Dia 23 de março – as 14h30 - Auditório André Franco Montoro 
Pátio do Colégio 184 – Térreo – São Paulo - SP"

Coordenação de Políticas para a População Negra Indígena - Fone (11) 3291.2622
Conselho Estadual de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra Fone (11) 3223.8477
Centro de Direitos Humanos da ACADEPOL Fone (11) 3039.3495

Você tem preconceito? - DF


(Clique na imagem para ampliá-la)

No dia 21 de março, o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial ,o Grupo Teatral Profª Zilda Dias organizará um Evento no Teatro Nacional  Cláudio Santoro – Sala Martins Penna, Brasília-DF, partir das 17h. O evento contará com apresentações de Teatro, Dança, Música ,Poesia, Artes Plásticas, Cultura Hip Hop tendo grupos nacionais e internacionais apresentando. Todas informações poderão ser encontradas no Blog de divulgação do evento.http://vocetempreconceito.wordpress.com/


Assessoria de Comunicação
Ana Carolina de Albuquerque
(61) 96145841
 
http://grupoteatralprofzildadias.blogspot.com/
http://ninanininha.wordpress.com/
http://www.flickr.com/photos/ninanininha/

Audiência Pública da Campanha Afirme-se - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

quinta-feira, 18 de março de 2010

CEAO/UFBA prorroga prazo de inscrição em Projeto de Incentivo à Permanência - BA


As inscrições foram prorrogadas para o dias 25/03, quinta-feira.

O Projeto de Incentivo à Permanência
Integrando o Programa de Ações Afirmativas da Universidade Federal da Bahia, este projeto visa apoiar a permanência de alunos(as) cotistas e de baixa renda na universidade através da oferta de cursos básicos de Inglês e Produção de Textos e atividades extras (oficinas, teatro etc.).

Número de vagas - 30 (trinta), assim distribuídas:
·        10(dez) vagas para participação nos cursos e oficinas do projeto, além do recebimento de bolsa-auxílio no valor de R$ 300,00 (estudantes com menor renda familiar).
·        20(vinte) vagas para participação nos cursos e oficinas do projeto, sem bolsa.

Perfil requerido - estudantes de quaisquer cursos da UFBA que:
·        ingressaram no 1º ou 2º semestre de 2009 através das cotas para estudantes de escola pública e afrodescendentes ou indígenas;
·        possuem renda familiar, comprovada, de até 2(dois) salários mínimos;
·        tenham horário disponível para freqüentar os cursos à noite e aos sábados (manhã);

Inscrições - 11 a 25 de março de 2010, das 9 às 12 horas, no CEAO
- Documentos exigidos (cópias e originais):
·        Boletim de Desempenho no Vestibular
·        Comprovante de Matrícula na UFBA
·        RG e CPF
·        1 foto 3X4
·        Comprovante de residência (conta de luz, água ou telefone mais recente)
·        Comprovante de renda de quem trabalha na família (carteira de trabalho ou contracheque; comprovante de pensão, se pensionista)
·        Comprovante de gasto com habitação. Se o imóvel for alugado, contrato de aluguel ou recibo. Se for financiado, o boleto bancário;
·        Quando houver membro da composição familiar que não tiver renda comprovada, este deve emitir declaração assinada constando nome completo, número de CPF, RG e rendimento mensal;

Entrevista - 22 a 25 de março de 2010
Resultado - 26 de março de 2010
Início das Atividades - 1 de abril de 2010

CENTRO DE ESTUDOS AFRO-ORIENTAIS/CEAO
Praça General Inocêncio Galvão, 42, Largo 2 de Julho, Salvador/BA
Prédio da Biblioteca, 2º andar. Tel: 3283-5519

V Fórum Urbano Mundial discute Gênero e Raça - RJ

(Clique na imagem para ampliá-la)

Entre os dias 22 a 26 de março de 2010, ocorrerá na cidade do Rio de Janeiro o V Fórum Urbano Mundial.
O Fórum foi estabelecido pelas Nações Unidas para analisar um dos problemas mais urgentes que o mundo enfrenta hoje: a rápida urbanização e seu impacto nas comunidades, cidades, economias, mudanças climáticas e políticas.
O tema do FUM5 é “O Direito à Cidade: Unindo o Urbano Dividido”.
O Programa Interagencial de Promoção da Igualdade de Gênero, Raça e Etnia, sob a responsabilidade de UNIFEM, UNFPA, PNUD, OIT, UNICEF, UN-HABITAT, em parceria com a SPM e a SEPPIR, fará sua participação no Fórum por meio de um Networking Event, que ocorrerá às 16:30, no Meeting Room W3-5, no dia 23 de março de 2010.
Gostaríamos de convidar a todas e todos que participassem do Fórum e do nosso Networking Event, que propõe o diálogo sobre Gênero e Raça: construção de um urbano mais inclusivo.  

Lançamento do Projeto Cultne - RJ

Projeto Cultne

Com câmeras na mão há 30 anos, um brasileiro e uma inglesa lançam em março o projeto Cultne, o maior acervo digital de cultura negra do País
O brasileiro Filó Filho (Cor da Pele Produções) e a inglesa Vik Birkbeck (Enúgbarijo Comunicações, que significa “boca coletiva”, em iorubá) vivem com uma câmera na mão e há três décadas estão ligados à cultura negra brasileira. Com olhares diferentes sobre um mesmo foco, os dois estão digitalizando todo o seu acervo e colocando no site www.cultne.com.br. Serão cerca de mil horas de imagens, gravadas originalmente em VHS e disponíveis na Internet para visualização e download.
Em www.cultne.com.br, é possível ver depoimentos de personalidades como Pelé, Abdias do Nascimento, Gilberto Gil, Lélia Gonzales, Paulo Moura, Ruth de Souza, Zezé Motta e Grande Otelo, além da campanha feita para o centenário da Abolição em 1988.  Há imagens de Nelson Mandela; Desmond Tutu; além dos bastidores da gravação do clipe de Michael Jackson, com o Olodum, na Bahia, em 1996, registrados por Vik; e do show de James Brown no Rio de Janeiro, em 1988, exibido no programa Radial Filó, apresentado por Filó Filho, na extinta TV Rio, na década de 80. 
O lançamento oficial do site do acervo www.cultne.com.br está marcado para o dia 23 de março, com a projeção das imagens digitalizadas e palestra e debate alusivos à cultura negra no Cinema Odeon (Praça Mahatma Gandhi, 2 – Cinelândia). Nos dias 24, 25 e 26, o ciclo de palestras e debates continua no Cinema Nosso (Rua do Resende, 80 – Lapa), com entrada gratuita. Entre as presenças confirmadas estão, além de Vik e Filó, Antônio Pitanga, Zulu Araújo (presidente da Fundação Palmares), Carmen Luz (diretora do Centro Coreográfico) e Ras Adauto (cineasta brasileiro radicado em Berlim, que criou a Enúgbarijo Comunicações com Vik). No dia 27, o evento será encerrado com a festa Usafricarib, no Estrela da Lapa (Avenida Mem de Sá 69 – Lapa), com ingressos à venda no local.  A íntegra da programação está disponível no site.
O projeto é uma realização do Celub (Centro de Cultura Urbana) e tem o patrocínio da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos do Estado do Rio de Janeiro. Vale apenas participar.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Feira traz cultura e economia da Baía do Iguape para Salvador - BA

Evento acontece no Jardim dos Namorados, na Pituba, dos dias 26 a 28 de março

Durante três dias, pescadores e marisqueiras, artesões, agricultores e quilombolas de nove comunidades tradicionais da Baía do Iguape, localizadas nos municípios de Maragojipe, Cachoeira e São Félix, no Recôncavo Baiano, exporão em Salvador produtos de artesanato, cestaria, cerâmica, produtos agrícolas e de pesca, além da gastronomia local. Promovida pelo Governo do Estado, a Feira do Iguape acontece entre os dias 26 e 29 de março, no Jardim dos Namorados, no bairro da Pituba, de 16h às 22h. A solenidade de abertura será no dia 25, às 19h, para convidados.Quem prestigiar o evento, poderá assistir também apresentações culturais de grupos artísticos da região, como rodas de capoeira, samba de roda, bumba meu boi, costumes e expressões religiosas, e apreciar um pouco da rica cultura de uma região caracterizada por abrigar comunidades tradicionais.
Entre os expositores, estão pessoas que habitam as localidades de Santiago do Iguape e São Francisco do Paraguaçu, no município de Cachoeira; povoado do Pilar, em São Félix; e povoados de Salaminas, Porto da Pedra, Ponta de Souza, Coqueiros do Paraguaçu, Najé e Capanema, em Maragojipe. Toda a região da Baía do Iguape, que faz o encontro do Rio Paraguaçu com a Baía de Todos os Santos, possui uma população de cerca 90 mil habitantes.“Esta é uma boa oportunidade de mostrar e vender o que produzimos aqui na comunidade de Coqueiros do Paraguaçu. Vou levar panelas, frigideiras e canoeiras (tacho oval), além do nosso samba de roda”, entusiasma-se dona Ricardina Pereira da Silva, mais conhecida como “Dona Cadu”, que completará 90 anos de idade em abril. Artesã há 80 anos, “Dona Cadu” explica que, assim como as outras pessoas da comunidade, vende seus produtos na porta de casa. “Já participei de diversos eventos em Salvador e é sempre uma boa oportunidade de vendas”, comenta a anciã.
Sobre a Feira do Iguape

A Feira do Iguape está inserida no programa Iguape Sustentável, coordenado pelo Instituto de Gestão das Águas e Clima (INGÁ) em parceria com diversas secretarias do Estado, e tem como objetivo valorizar e fortalecer a cultura das comunidades tradicionais e estimular o desenvolvimento socioeconômico e ambiental.A feira objetiva ainda o fortalecimento da conservação ambiental e das águas na região do Iguape; contribuir com a valorização dos saberes tradicionais; aumentar a participação dos profissionais daquela região em feiras e evento; divulgar as potencialidades econômico-culturais (artesanato, pesca, marisco, agricultura e turismo) da região do Baixo Paraguaçu; e estimular o empreendedorismo das comunidades.
De acordo com a Diretoria Socioambiental Participativa do INGÁ, o evento consolida o fortalecimento das comunidades e é um estímulo para a abertura de canais de mercado e para o fortalecimento dos sistemas de produção agrícola, artesanal, de apicultura, além das atividades culturais. Como resultado da atividade, o Governo do Estado espera que os produtores ganhem visibilidade, estabeleçam novas parcerias comerciais e se capitalizem com a venda dos produtos a preços justos.O evento foi idealizado durante a Caravana Senhora das Águas, uma atividade do programa Iguape Sustentável, realizada em agosto de 2009. Na oportunidade, a Comissão Executiva do Iguape (formada pelas diversas diretorias do INGÁ, e de representantes de secretarias estaduais, de prefeituras e das comunidades envolvidas no Programa) percorreu a região e levantou diversas demandas das comunidades visitadas, entre elas a necessidade de fomentar alternativas de escoamento da produção local, a fim de fortalecer uma economia solidária e sustentável.
Quem realizaA Feira do Iguape é um esforço conjunto de diversas secretarias e autarquias do Governo do estado. Além do INGÁ, que é uma autarquia da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), são responsáveis pela realização do evento a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre); Secretaria de Promoção da Igualdade (Sepromi); Secretaria de
Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes); Secretaria da Saúde (Sesab); Secretaria de
Desenvolvimento Urbano (Sedur); e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult). Também tem a participação da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) e Instituto de Artesanato Visconde de Mauá.
Sobre o programa Iguape Sustentável A Feira do Iguape é uma ação inserida no Programa Iguape Sustentável, que é uma proposta de execução de políticas públicas integradas voltadas para a melhoria da qualidade de vida socioambiental dos pescadores, marisqueiras, quilombolas, extrativistas, artesãos e demais moradores de pequenos povoados da Baía do Iguape. Distante 130 km da capital, a Baía do Iguape é caracterizada por ser uma região de ambiente de raras belezas naturais, com grande diversidade cultural e marcada pela profunda influência do povo negro e indígena que viveu no local. A culinária, a dança e a arquitetura são grandes atrativos turísticos da localidade.

Mais informações:
71 3116-3288
iguape.sustentavel@inga.ba.gov.br
http://www.inga.ba.gov.br


CERIMONIAL/INGÁ
INSTITUTO DE GESTÃO DAS ÁGUAS E CLIMA
(71)3116-3009
http://www.inga.ba.gov.br

Seminário discute desigualdades raciais no mundo do trabalho - SP

Seminários - Grupo de Pesquisa CNPq Trabalho, Sindicalismo e Sociedade
"A reprodução das desigualdades raciais no mundo do trabalho. Uma abordagem econômica."
Prof. Dr. Pedro Caldas Chadarevian
 
Professor do curso de Ciências Econômicas da UFSCar (Campus Sorocaba). Graduado em Economia pela Universidade de São Paulo (1998), mestre em Economia pela Universidade de São Paulo (2001) e doutor em Economia no IHEAL, Universidade de Paris 3 - Sorbonne Nouvelle (2006).

Data: 19/03 (sexta-feira)
Horário: 17 horas
Local: Sala G1 - FEA-USP

Assinatura de Convênio para a criação do Centro de Referência de Enfrentamento à Intolerância Religiosa e a Promoção dos Direitos Humanos - RJ

O Ministro da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Sr. Edson Santos, a Secretária de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos Sra. Benedita da Silva e o Superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos Sr. Cláudio Nascimento, convidam para a Cerimônia de assinatura de Convênio para a criação do Centro de Referência de Enfrentamento à Intolerância Religiosa e a Promoção dos Direitos Humanos e de termo de compromisso para apoio a projeto de catalogação de peças religiosas afro-brasileiras que foram seqüestradas nas décadas de 30 e 40 e durante a ditadura militar.

Na oportunidade também será lançada a Campanha “Quem é de Axé diz que é” que objetiva a auto-identificação dos adeptos das religiões de matriz africana para o Censo de 2010, de autoria do Coletivo de Entidades Negras, que conta com o apoio da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, através da Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos.
Apresentações culturais e coquetel.

Cerimônia no Teatro Gláucio Gil (Entrada livre)
Dia 22 de março (segunda-feira)
Praça Cardeal Arco-Verde (Estação do Metrô Arco-Verde) - Copacabana
Horário: 16 horas
(Recomenda-se chegar 30 minutos antes. Lotação limitada)   
  

O CEAFRO e o CEERT/SP convidam para o lançamento da 5ª edição do prêmio “Educar para a Igualdade Racial” - BA

  (Clique na imagem para ampliá-la)

O prêmio “Educar para a Igualdade Racial” é uma parceria do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Diversidade/CEERT com o Grupo Santander Brasil e a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – SEPPIR. Tem como principal objetivo identificar, difundir, reconhecer e apoiar práticas pedagógicas e de gestão escolar preocupadas com a valorização da diversidade. A idéia é premiar iniciativas que tomem a valorização da diversidade como conteúdo essencial para o pleno desenvolvimento dos alunos e como estratégia para erradicação do racismo e do preconceito existentes na sociedade brasileira. A abrangência do prêmio é nacional, destinando-se a professoras e professores, bem como à gestão escolar, nas modalidades educação infantil, ensino fundamental (anos iniciais e anos finais) e ensino médio. 

Com a intenção de estimular a institucionalização de práticas pedagógicas preocupadas com o tema da diversidade étnico-racial, o prêmio contempla também ações na área da gestão escolar. Desta forma, pretende incentivar a implementação das diretrizes curriculares nacionais para educação das relações étnico-raciais e o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. 

Na Bahia, a divulgação do Prêmio está sendo feita pelo CEAFRO. O CEAFRO é um programa de Educação e Profissionalização para a Igualdade Racial e de Gênero, do Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO/UFBA) que há 15 anos vêm atuando na área de educação antirracismo.  

Neste sentido, o CEAFRO tem o prazer de convidar todos/as os/as parceiros/as para participar do lançamento do prêmio, que acontecerá no dia 23 de março, das 09 às 12h, no Auditório Milton Santos CEAO/CEAFRO; e das 14 às 17h no CMEI Cid Passos, em Coutos. Nos dois momentos, o lançamento contará com a presença de professoras, gestoras, órgãos governamentais ligados às temáticas do prêmio e representantes da sociedade civil. 

As inscrições para o prêmio estão abertas até o dia 7 maio de 2010 e poderão ser feitas pela internet (www.ceert.org.br) ou pelos correios.

Tour Comunitário no bairro do Calafate - BA

Estamos divulgando mais um tour comunitário na comunidade do Calafate, essa atividade integra o Projeto Turismo Comunitário: um outro Calafate é possível!
Esse ano estaremos sempre realizando tour comunitário nos últimos sábados de cada mês.
Nesse ano estaremos resgatando HISTÓRIAS DE NOSSAS MULHERES NEGRAS que construiram e controem a história da comunidade do Calafate.
É uma alegria e honra receber você como visitante.
 
O QUE: Tour Comunitário (conhecendo a hstória da comunidade do Calafate)
DIA: 27 de março
HORÁRIO: 9h (Ponto de encontro ESPAÇO DE MEMÓRIA - Tel 3383 2492)
Confirme a participação.
 
OBS: Os (as) dez visitantes terão a honra de saborear o mocotó do BAR DE DALVA. (cortezia)

Apresentação do Projeto Empreendedorismo Étnico - BA

 (Clique na imagem para ampliá-la)

segunda-feira, 15 de março de 2010

Seminário Regional para Implementação da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra - RJ

Local: Auditório no Edifício do Núcleo Estadual de Saúde/RJ  R. México
Data: 25, 26 e 27 de março de 2010

                                           PROGRAMAÇÃO
 25/03/2010

TARDE
           14h00 – 17h00 
1ª Mesa: A Política Nacional de Saúde Integral da População Negra-PNSIPN – Avanços e Desafios 
Apresentação da PNSIPN
Evolução da situação de saúde da população negra na região sul e sudeste
Articulação para a promoção da Igualdade Racial – SEPPIR

17h00 – 18h00: Debate
18h – Abertura Oficial


                  
Ministro da Saúde
                  
Ministro da SEPPIR
                  
Secretario Estadual de Saúde
                  
Secretario Municipal de Saúde
                  
Representant e CONASS
                  
Representant e CONASEMS
                  
Representant e do Comitê Técnico de Saúde P. Negra
                  
Conselho Estadual de Saúde do RJ
                  
Governador do Estado RJ
                  
Assembléia Estadual RJ

26/03/2010 (Sexta-feira)

MANHÃ
           9h00 – 11h00
2ª Mesa: A  construção de mudanças necessárias: gestão e funcionamento dos serviços de saúde: 
Mortalidade Materno-infantil           
Hipertensão Arterial            
Violência

11h – 12h: Debate
           
12h – 13h30h: Brunch

TARDE
           
14h 00 - 16h00: Atenção à Anemia Falciforme nas Redes Estaduais
16h00 – 17h00: Sistematização  do Seminário e Carta de Compromissos

18h00: Encerramento


27/3/2010 ( Sábado)
          
9h00 – 17h00: Reunião Comitê Técnico de Saúde da População Negra
 
Recebido de Telia Negrão – Rede Feminista de Saúde

FONTE: Memorial Lélia Gonzalez