SEGUIDORES DO BLOG

.

.

CALENDÁRIO NEGRO – JULHO

1 – Nasce em São José do Rio Pardo (SP), o militante político, Geraldo Rodrigues dos Santos - Geraldão (1923)
1 – Fundação em São Paulo do Clube Negro de Cultura Social (1932)
1 – Independência da Somália (1960)
1 – Independência da Ruanda (1960)
1 – Independência do Burundi (1962)
1 – Nasce no Estado do Alabama (EUA),
Willian Frederick Carlton 'Carl' Lewis, o atleta Carl Lewis, tetracampeão olímpico de uma prova individual em quatro edições consecutivas (1961)
2 – Independência da Bahia (1823)

2 – Nasce na província de Kasai, Congo "Belga", República Popular do Congo, Patrice Lumumba (1925). Lutou pela independência e pela unidade do território. Em 1960, com a independência tornou-se primeiro - ministro
2 – As mulheres negras denunciam no Congresso das Mulheres Brasileiras realizado no Rio de Janeiro, a degradação de serem consideradas objetos de prazer (1975)
2 – Nasce em Campos (RJ), o cantor e compositor Wilson Batista de Oliveira, autor entre outros sucessos de "Casinha Pequenina", "Louco", "Nega Luzia", "Acertei no Milhar" (1913)
3 – Nasce no Rio de Janeiro, o poeta, repentista, Laurindo José da Silva Rabelo - Laurindo Rabelo, autor entre outras obras de "O meu segredo", "A linguagem dos tristes", "Adeus ao mundo" (1826)
3 – Aprovada a Lei Afonso Arinos, que inclui entre as contravenções penais a prática de atos resultantes de preconceito de raça ou de cor (1951)
3 – Independência da Argélia, África (1962)
4 – O tenista norte-americano Arthur Ashe vence em Wimbledon (1975)
5 – Nasce no Recife (PE), o músico Manoel de Almeida Botelho. (1721)
5 – Nasce na Fazenda da Agulha, Trajano de Morais, (RJ), a cantora e compositora Carmelita Madriaga - Carmem Costa (1920)
5 – Independência de Cabo Verde (1975)

6 – Nasce Alzira Rufino, ativista do Movimento Negro e no Movimento de Mulheres Negras (1949)
6 – Nasce em Jacarepaguá (RJ), José Luiz de Moraes - Caninha, que dividiu com "Sinhô" a honra de ser autor dos maiores sucessos populares da década de 1920. Compôs: "Vou me vingar", "Condor Brasileiro", "Batucada", entre outros . (1881 ou 1883 - data imprecisa)
7 – Lançamento público do Movimento Unificado Contra a Discriminação Racial nas escadarias do Teatro Municipal (SP) Foi lida a Carta Aberta à Nação contra o Racismo . Mais tarde, passou a ser chamado de Movimento Negro Unificado/MNU (1978)
7 – Nasce no Rio de Janeiro, Marcelino José Claudino, o Tio Maçu, um dos fundadores da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira e seu primeiro mestre-sala. (1889 ou 1899 - data imprecisa).
7 – Independência de Malawi. (1965)
7 – Nasce em São Paulo (SP), o lateral-esquerdo da Seleção Brasileira de Futebol, José Roberto da Silva, Zé Roberto. (1974)
7 – Dia Nacional de Luta contra o Racismo.
8 – O americano Willian De Hart Hubbard competindo no salto a distância nos Jogos de Paris, torna-se o primeiro negro a conquistar uma medalha de ouro olímpica individual (1924)
8 – Fundação do Instituto de Pesquisas da Cultura Negra (IPCN), Rio de Janeiro (1975)
9 – Na formulação de uma política geral para o serviço militar, pouco depois que o General Washington assume o comando, fica decidido que não era necessário o serviço dos negros. É emitida uma ordem aos oficiais de recrutamento para que não alistassem "qualquer desertor das fileiras do clero, vadio, negro, ou vagabundo ou qualquer pessoa suspeita de ser inimiga da liberdade da América e nem qualquer um com menos de 18 anos de idade." (EUA) (1775)
10 – Abolição da escravatura negra na província do Amazonas. (1884)
10 – Nasce na Praça Mauá, Rio de Janeiro, o ator e diretor Ivan de Almeida. (1938)
10 – Nasce no Rio de Janeiro o cantor, compositor e integrante do grupo Golden Boys, Renato Corrêa, autor de "Casaco Marrom", "Canção de Esperar" (Renato Corrêa e Rossini Pinto), entre outros sucessos. (1944)
10 – Independência das Bahamas (1973)
11 – Nasce em Campinas (SP), o compositor Antônio Carlos Gomes (1834)
11 – Nasce em Florianópolis (SC), Antonieta de Barros, escritora, educadora, deputada constituinte por Santa Catarina em 1935 (1901)
11 – No estádio de Wembley, em Londres, Inglaterra, foi realizado o Freedom Festival, grande espetáculo musical, dedicado a Nelson Mandela, além de representar mais um protesto contra o "apartheid' (1988)
12 – Nasce no Rio de Janeiro(RJ) o compositor Nilton Bastos (1899)

12 – Nasce em Aracaju (SE), Maria Beatriz Nascimento, a historiadora, professora, roteirista, poeta e ativista pelos direitos humanos de negros e mulheres Beatriz Nascimento (1942)
12 – Independência de São Tomé e Príncipe (1975)
12 – O jogador de futebol Edson Arantes do Nascimento, Pelé é eleito por indicação de jornalistas de 19 países, atleta do século (1980)

12 – Nasce no Rio de Janeiro (RJ) José Bispo Clementino dos Santos, o cantor Jamelão, famoso intérprete dos sambas-enredo da Mangueira (1913)
13 – Abolição da escravatura no território de Northwest (EUA) (1787)
13 – Nasce em Paquetá (RJ), o compositor, músico, organizador e regente de várias bandas do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, Anacleto Augusto de Medeiros. Compôs quadrilhas, valsas, choros, além de músicas sacras (1866)
14 – Sai o primeiro número do Jornal "A Liberdade" em São Paulo (1919)
14 – Nasce em Juiz de Fora (MG), Décio Antônio Carlos - Mano Décio da Viola, um dos maiores compositores de samba do Rio de Janeiro, autor de "Apoteose do Samba", "Heróis da Liberdade", "Exaltação a Tiradentes", entre outros sambas de sucesso (1909)
14 – Fundação no Rio de Janeiro do Grupo Afro-Brasileiro Alaafin Aiyê (1987)
14 – Criado o Conselho Consultivo do Programa Nacional do Centenário da Abolição da Escravatura, com a finalidade de acompanhar as atividades da Comissão do Programa Nacional do Centenário da Abolição, formado por intelectuais e artistas ligados à luta pela questão do negro em todo o país. Portaria Ministerial 314 de 14/07/87, Diário Oficial 16/07/87 (1987)

14 – Nasce no Rio de Janeiro (RJ) Aizita Nascimento, primeira miss negra do Brasil. Sua participação no Miss Guanabara, concurso em que ficou em 6º lugar, abriu um precedente para a exaltação e valorização da beleza e auto-estima da mulher negra (1939)
15 – Nasce em Duala, Camarões, o guitarrista Francis Bebey (1929)
15 – Nasce em São José do Rio Preto (SP) o maestro, compositor e instrumentista Paulo Gonçalves de Moura - Paulo Moura (1932)
15 – Tem início em Esmeralda, Equador, a I Conferência sobre a Mulher Negra nas Américas (1984)
16 – Nasce na antiga Rua Ceará, atual Marechal Rondon, bairro de São Francisco Xavier, (RJ), a cantora Elisete Moreira Cardoso - a "Divina" Elizeth Cardoso (1920)
16 – O Papa Pio XI declara Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil (1930)
16 – Nasce na Bahia, o quarto-zagueiro Zózimo Alves Calazans, campeão do Mundo nas Copas de 1958 e 1962 (1932)

16 – Nasce no Rio de Janeiro/RJ, Djalma de Andrade, o instrumentista e cantos Bola Sete (1923)
17 – O Presidente dos Estados Unidos Abrahan Lincoln torna lei uma medida que dava liberdade a todos os escravos vindos de senhores rebeldes em territórios ocupados pela União (1862)
17 – Nasce no Rio de Janeiro o jogador e técnico de futebol Carlos Alberto Torres (1944)
17 – Na Cidade do Cabo, África do Sul, grupos policiais invadem o campus da universidade e impedem a realização de um concerto de rock e jazz em homenagem a Nelson Mandela. (1988)
17 – O ator Grande Otelo recebe o título de Cidadão Paulistano (1978)
18 – Nasce perto de Umtata, capital da reserva de Transkei, África do Sul, Nelson Mandela, um dos maiores nomes do nosso século. (1918)
18 – O jogador de futebol Edson Arantes do Nascimento, Pelé, faz seu jogo de despedida da Seleção Brasileira de Futebol. (1971)
19 – A cantora americana Josephine Baker alcança enorme sucesso em sua apresentação em Paris. (1925)
19 – Nasce no Rio de Janeiro, o ensaísta, historiador, escritor, Joel Rufino dos Santos (1941)
20 – Nasce em Fort-de-France, Martinica, o médico, escritor Frantz Fanon (1921)
20 – Nasce em Campos (RJ) o cantor e compositor Dermeval Miranda Maciel - Roberto Ribeiro. (1940)
20 – Nasce no Morro do Salgueiro, o compositor Geraldo Soares de Carvalho - Geraldo Babão.
20 – Fundação em Porto Alegre (RS), do Grupo Palmares (1971)
21 – Nasce no bairro de Botafogo (RJ) Jovelina Faria Belfort, a cantora e compositora Jovelina Pérola Negra (1944)
21 – Nasce, no Rio de Janeiro (RJ), o compositor Luiz Carlos Batista - Luiz Carlos da Vila, autor, entre outras obras, de "Kizomba, a festa da raça", samba - enredo campeão do carnaval do Centenário da Abolição, em 1988 (1949)
21 – Albert J. Luthuli, líder político africano, recebe o Prêmio Nobel da Paz (1967)
21 – Tem início em Argel, o Festival Cultural Pan-Africano (1969)

22 – Nasce no Rio de Janeiro, o músico, cantor e compositor, ritmista, administrador de empresa e sambista, Elton Antônio Medeiros - Elton Medeiros, autor de "O Sol Nascerá", "Recomeçar", "Vida", "Onde a dor não tem razão" (Elton Medeiros e Paulinho da Viola) entre outros sucessos (1930)
23 – O atleta olímpico brasileiro, Adhemar Ferreira da Silva, conquista em Helsinque, Finlândia, a medalha de ouro no salto triplo com a marca de 16,22m superando o recorde mundial da prova (1952)
24 – Nasce em Villers-Cotterets, França, o escritor Alexandre Dumas, autor de "Os Três Mosqueteiros", "O Conde de Monte Cristo", "Os Irmãos Corsos", entre outras obras. (1802)
25 – Nasce em Recife(PE), Solano Trindade, poeta, pintor, teatrólogo, ator e folclorista, fundador da Frente Negra Pernambucana, do Centro de Cultura Afro-Brasileiro, para divulgação de artistas negros, e do Teatro Popular Brasileiro (1908)
25 – É organizada em Silver Bluff (EUA), por oito escravos, a I Igreja Batista Negra da América (1778)
25 – Realiza-se no Teatro São Luiz, no Rio de Janeiro a primeira conferência abolicionista contando com a presença do Maestro Carlos Gomes (1880)
25 – Nasce em Niterói (RJ), o compositor e instrumentista, Alcebíades Barcelos, o Bide (1902)
25 – Nasce no Rio de Janeiro (RJ), o cantor, compositor e artista plástico, Nelson Matos - Nelson Sargento (1924)
25 – Dia da Mulher Afro-latino-americana e Caribenha
26 – Dia consagrado ao Orixá Nanã. - é considerada "Mãe de todos os Orixás" para alguns, e a mais velha deusa das águas. É considerada ainda mãe de Omulu e Oxumarê e às vezes também de Exu. Está associada à água e à lama que a liga à agricultura, à fertilidade, aos grãos. Suas cores são o branco e o branco ou o preto e o roxo. Seu elemento é a água. Saudação: Salubá!
26 – Nasce Marta Ferreira da Silva, Tia Marta do Império, mãe de santo conceituada do Morro da Serrinha, incentivadora do jongo, e integrante da Ala das Baianas do Império Serrano desde 1947.
26 – O Presidente dos Estados Unidos Harry S. Truman ordena que haja doravante "...igualdade de tratamento e de oportunidade para todas as pessoas nas Forças Armadas, sem distinção de raça, cor, religião ou origem nacional. (1948)
26 – Independência da Libéria, África/ 1846

27 – O atleta João Carlos de Oliveira, João do Pulo, conquista a medalha de bronze no salto triplo, durante as Olimpíadas de Montreal (1979)
28 – Os deputados Andrade Bezerra e Cincinato Braga apresentam Projeto de Lei n. 291 pretendendo proibir a entrada de "indivíduos humanos das raças de cor preta" no Brasil (1921)

28 – Nasce João Henrique dos Reis, o João Paulo, cantor sertanejo da dupla João Paulo & Daniel (1960).
29 – Nasce Carmem Teixeira da Conceição, Tia Carmem do Xibuca, irmã de santo da famosa Tia Ciata (1878)
29 – Nasce em São José dos Campos (SP), o poeta, crítico, historiador e jornalista, Cassiano Ricardo Leite - Cassiano Ricardo (1895)
29 – Ialorixás da Bahia divulgam documento condenando o sincretismo religioso (1986)
29 – Nasce na Bahia o cantor Anísio Silva (1920)
30 – Nasce em Augusta (EUA),
Laurence John Fishburne III, o ator Laurence Fishburne (1961)
31 – Nasce em Queluz (SP), Natalino José do Nascimento - Natal da Portela, um dos fundadores e da Escola de Samba Portela. (1905)




.

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Palestra "Memória e Ancestralidade: a religião tradicional como promotora das identidades yorubá" - RJ

O Mestrado em Relações Etnicorraciais do CEFET/RJ convida para a Palestra:

Memória e Ancestralidade: a religião tradicional como promotora das identidades yorubá

“O ‘direito’ de se expressar a partir da periferia do poder e do privilégio autorizados não depende da persistência da tradição; ele é alimentado pelo poder da tradição de se reinscrever através das condições de contingência e contraditoriedade que presidem sobre as vidas dos que estão ‘na minoria’[...]", (Bhabha, 2008 p:21).

Jokotoyé Awolade Bankole, 55 anos, é o oluwo chefe do Egbé Adifalá, da cidade de Ogbomoso (Sul da Nigéria). Foi ele que, aos cinco anos, levou o etnólogo Pierre Verger para a floresta e desvendou-lhe as funções das folhas no ritual africano. Deste contato, nasceu o livro "Ewe", que se tornou um dos mais respeitados no Brasil sobre o uso ritual das ervas sagradas. Trata-se de um personagem-testemunha de muitas histórias da História que envolve os mitos e ritos afro-brasileiros, em suas dimensões políticas e religiosas.

De informante privilegiado, Bankole passou a frequentar o Brasil como liderança religiosa, em 1997. Seu objetivo: resgatar a tradição de Ifá, que perdera-se no culto dos Orixás. Registre-se que o Ifá foi reconhecido como patrimônio imaterial da humanidade, em 1997, pela UNESCO. Nascido em uma cidade assolada pelo tráfico negreiro, há pouco mais de um século; praticante de uma religiosidade que hoje está no epicentro de uma "guerra santa", em seu país, Bankole oferece um olhar plural e pouco mistificado de sua condição de africano que busca reivindicar uma identidade africana pós-colonial. É um novo olhar, que está para além das idealizações, porém ainda profundamente desarraigado do poder civilizatório colonial.

A palestra será feita em yorubá, um dos quatro idiomas falados na Nigéria, Togo e Benin. Em África, o yorubá é falado por cerca de 10 milhões de pessoas.
Ekundayo Olalekan Awe, que fala fluentemente o português e mora no Brasil há 16 anos, fará a tradução.

Local: Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca
Avenida Maracanã 229 ou Rua General Canabarro, 135 - Maracanã - RJ
Auditório 2 - primeiro andar.
Horário: 18h

DATA: 13/11/2012

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Aula Pública "Chegando aos 10 anos: a Lei 10.639 e os desafios da superação do racismo na educação", com a Profa. Petronilha Beatriz Gonçalves e Silva - SP


Data: dia 31 de outubro de 2012
...

Horário: 18h30
Local: sala 12 da Ação Educativa (Rua General Jardim, 660 - Vila Buarque)
Inscrições pelo email: jaqueline.santos@acaoeducativa.org //
Mais informações: (11) 3151-2333 ramal 108
SITE OFICIAL:
http://www.acaoeducativa.org/

V Seminário Nacional de Educação das Relações Raciais Afro-Brasileiras - ES

"Lei 10.639/03- Políticas Públicas e Saberes Tradicionais"

O Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB) da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) convida a todos os profissionais de educação, e também alunos Universidade e de outras instituições, para participar do V Seminário de Educação das Relações Raciais Afro-brasileiras que se realizará nos dias 28, 29 e 30 de novembro de 2012.
Cronograma do Evento

20/09 à 20/10 -Prazo para submissão de Comunicações, Mini Cursos, Oficinas e Pôsteres

20/09 -Início do prazo para de Inscrição de colaboradores (executivos)

20/09 – 16/11-Prazo de inscrição para ouvintes

05/11- Data limite para submissão de Propostas (resumos) de Comunicações digitalizadas
Data limite para submissão de Mini- cursos; Simpósios (comunicações) de Iniciação Científica
Data limite para inscrição de apresentação de pôsteres

10/11-Divulgação (no site) das Comunicações, Mini-cursos e oficinas aprovadas


20/11-Data limite para envio de trabalho completo visando publicação no CD’s do Evento


28/11-Início do V Seminário Nacional de Educação das Relações Raciais Afro-Brasileiras - “Lei 10.639/03; Políticas Públicas e Saberes Tradicionais.

30/11-Término da V Seminário Nacional de Educação das Relações Raciais Afro-Brasileiras.

Eixos Temáticos:

1- Projetos Educativos: Conteúdos/Deslocamentos da Lei 10.639/03 para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana em Sala Aula;
2- Reflexões e Possibilidades para Mobilização Social – Fórum de Educação Etnicorracial ;
3- Religiões de Matriz Africana e Afro-Brasileiras ;
4- Artes e corporeidade nas culturas de Matriz Africana e Afro-Brasileira;
5- Educação na Perspectiva da Ancestralidade Africana;
6- Pós- colonialismo, Epistemologias e Diáspora;
7- História dos Afrodescendentes, e Movimentos Sociais no Brasil;
8- Memória e Histórias de Vida, Saberes e Comunidade Tradicionais;
9- Educação, Gênero e Etnicidade;
10- "Das Cotas Sociais às Cotas Raciais".


A taxa de inscrição é de R$: 50,00. Para gerar o boleto clique AQUI.
A ficha de inscrição (baixe aqui) deve ser enviada em anexo juntamente com o boleto devidamente pago e escaneado para o e-mail seminarios.neab@gmail.com, mais informações pelo telefone (27) 4009.2957.

Equipe Neab
FONTE: http://neabufes.blogspot.com.br/2012/08/v-seminario-nacional-de-educacao-das.html?spref=fb&fb_source=message

Lançamento do "Mapeamento dos espaços de religiões de matrizes africanas do Recôncavo e do Baixo Sul" - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

Lançamento do vídeo "O Cuidar nos Terreiros" - BA

Será lançado o vídeo O Cuidar nos Terreiros, realizado pela Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras e Saúde com o apoio do Departamento de DST-AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde.
 
O lançamento em Salvador conta com o apoio da Secretaria Estadual de Saúde da Bahia e da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador, com a colaboração das coordenações de DST-AIDS e Hepatites Virais.
 
Lançamento do vídeo O CUIDAR NOS TERREIROS
Data: 05 de novembro de 2012
Horário: 16:30h
Local: Hotel Sol Bahia -  Avenida Manuel Antonio Gusmão 1075- Patamares -  Salvador

sábado, 27 de outubro de 2012

SEPPIR e UNESCO promovem seminário internacional sobre Educação nas relações étnico-raciais - DF

De 29 de outubro a 1º de novembro, especialistas discutem políticas públicas com enfoque na formação de professores e desenvolvimento curricular
Apresentar as iniciativas bem-sucedidas no Brasil, na área de educação para as relações étnico-raciais, bem como os respectivos indicadores sociais, e ampliar as discussões sobre as políticas públicas voltadas para este campo, com enfoque na formação de professores e de desenvolvimento curricular, são alguns dos principais objetivos do seminário internacional do projeto “Teaching Respect For All”, que a SEPPIR – Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e a UNESCO realizam, de 29 de outubro a 1º de novembro, na Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC), em Brasília. O evento será aberto ao público no primeiro dia.
O seminário, que é realizado em parceria com os ministérios das Relações Exteriores e da Educação, e Fundação Cultural Palmares, visa contribuir para o trabalho que está sendo desenvolvido por um grupo consultivo composto por especialistas dos Estados Unidos, Reino Unido, Bélgica, República da Coréia, Uganda, Cisjordânia, África do Sul, Rússia, Suíça e Brasil. Serão apresentados os marcos legais da questão étnico-racial no Brasil e as experiências sobre elaboração de materiais pedagógicos sobre história e cultura africana e afro-brasileira para professores envolvidos com a educação básica.
As apresentações serão centradas em temas voltados à educação e à formação para o trato com a diversidade cultural e étnico-racial, à medida em que se tornam obrigatórios no Brasil o ensino da História e da Cultura Afro-brasileira e Indígena, estabelecendo que as escolas, professoras (es) e demais profissionais envolvidos na educação de estudantes e os recursos pedagógicos utilizados sejam revistos e problematizados em função do redimensionamento e da reorientação dos estudos sobre a formação da sociedade brasileira.
Entre os marcos legais referentes ao tema, destacam-se as diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana, Leis nº 10.639/2003 e Nº 11.645/2008, assim como o Plano Nacional de Implementação destas diretrizes, publicado pelo Ministério da Educação.
O projeto UNESCO-EUA-Brasil “Teaching Respect for All” tem por objetivo desenhar uma estrutura curricular que promova a tolerância, que os países possam adaptar para os seus contextos e necessidades.
 
Serviço
SEMINÁRIO INTERNACIONAL DO PROJETO “TEACHING RESPECT FOR ALL”
Quando: 29 de outubro a 1º de novembro de 2012.
Onde: Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC).
Endereço: SGAS – 902, Bloco C, CET – Centro de Eventos e Treinamentos Brasília (DF).
Acesso: O evento será aberto ao público apenas no primeiro dia.
 
 
PROGRAMAÇÃO
 
29 de outubro de 2012 (segunda-feira)
9h Acolhimento
9h30 Abertura Oficial
Mário Lisboa Theodoro, Secretário-Executivo da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República – SEPPIR/PR.
Macaé Maria Evaristo, Diretora de Políticas de Educação no Campo, Indígena e para as Relações Étnico-Raciais da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do Ministério da Educação.
Ministra Gláucia Silveira Gauch, Diretora do Departamento de Diretos Humanos e
Temas Sociais do Ministério das Relações Exteriores.
Lisa N. Blonder, Estados Unidos da América.
Eloi Ferreira de Araújo, Presidente da Fundação Cultural Palmares do Ministério da Cultura.
Maria Rebeca Otero Gomes, Coordenadora do Setor de Educação da UNESCO no Brasil.
10h Apresentação do Estado da Arte do Projeto “Teaching Respect For All”
10h30 Coffee Break
10h45 Discussão sobre o Projeto “Teaching Respect For All”
12h30 Almoço
14h Marcos legais com relação à Educação das Relações Étnico-Raciais no Brasil Macaé Maria Evaristo, Diretora de Políticas de Educação no Campo, Indígena e para as Relações Étnico-Raciais da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do Ministério da Educação.
Nilma Lino Gomes, Conselheira do Conselho Nacional de Educação do Ministério da Educação
Maria Rebeca Otero Gomes, Coordenadora da Área de Educação da UNESCO no Brasil.
15h Discussão
16h Coffee Break
16h15 Panorama sobre Experiências Exitosas no Brasil
Maria Aparecida da Silva Bento, Diretora Executiva do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades – CEERT.
Moisés de Melo Santana, Titular da Comissão Técnica Nacional de Diversidade para Assuntos Relacionados à Educação dos Afro-Brasileiros – CADARA.
17h Discussão
18h Encerramento
 
30 de outubro de 2012 (terça-feira)
9h Apresentação dos resultados do mapeamento de políticas relacionadas ao
Projeto “ Teaching Respect For All” (Práticas e Materiais)
10h30 Coffee Break
10h45 Apresentação e revisão do manuscrito do projeto (1) A set of “Key principles”
for policy makers
12h30 Almoço
14h Revisão do manuscrito do projeto (2) Head teacher’s and manager’s kit
15h30 Discussão
16h Coffee Break
16h20 Deslocamento dos Especialistas – Visita Técnica
Escola Classe 47, Escola da rede pública do Distrito Federal, localizada no Setor P Sul, em Ceilândia- DF
Acolhimento:
Josefina Serra dos Santos, Secretária da Promoção da Igualdade Racial do Distrito Federal.
Ana José Marques, Diretora de Diversidade da Secretaria de Educação de Estado do Distrito Federal.
18h Encerramento
31 de outubro de 2012 (quarta-feira)
9h Revisão do manuscrito do projeto (3) A pedagogical tool – clarification of concepts
10h30 Coffee Break
10h45 Revisão do manuscrito do projeto (4) A guide for teachers and educators
12h30 Almoço
14h Discussão sobre o teste-piloto: termos de referência para os países parceiros e entidades
16h Roda de Conversa (Troca de Experiências)
Zélia Amador de Deus, UDESC
Ana Lúcia Silva Souza, Ação Educativa
Clara Suassuna Fernandes, “Apresentação do Plano Juventude Viva em Alagoas”
18h Encerramento
 
1º de novembro de 2012 (quinta-feira)
9h Apresentação dos Grupos (Resultado das discussões sobre o teste-piloto)
10h30 Coffee Break
10h45 Encerramento e encaminhamentos
12h30 Almoço
Fonte Seppir

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Seminário "Universidade: preconceito e inclusão" - BA


SEMINÁRIO Universidade: preconceito e inclusão
O Grupo de Pesquisa Inclusão e Sociedade do Departamento de Educação do Campus I da UNEB convida:
DATA: 13 e 14 de dezembro de 2012
LOCAL: Departamento de Educação 1
Auditório Jurandir Oliveira

Inscrições: gratuita
PERÍODO: 15 de novembro a 01 de dezembro de 201

INFORMAÇÕES: tel.: 71 3117-2331 (NEDE)

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Palestra "Major Cosme de Farias (1875-1972), o anjo da guarda dos excluídos de Salvador" - BA

 
A Fundação Pedro Calmon, por meio do Centro de Memória da Bahia, convida a todo(a)s para o Conversando com sua História. No módulo sobre micro-histórias e biografias, que será discutido durante todo o mês de outubro, teremos a palestra intitulada Major Cosme de Farias (1875-1972), o anjo da guarda dos excluídos de Salvador, que será ministrada pelo profª. Drª. Mônica Celestino Santos - Faculdade Social da Bahia.
Contamos com sua participação!
Local: sala Katia Mattoso, 3º andar da Biblioteca Pública do Estado da Bahia
Data: 22 de outubro de 2012
Horário: 17h
Acompanhe o Conversando com sua História e o Ensino de História da Bahia através de imagens, vídeos e textos em nossa página no facebook http://www.facebook.com/cmb.fpc. Aproveite e curta nossa fun page!

Atenciosamente,

Centro de Memória da Bahia
Fundação Pedro Calmon - Centro de Memória e Arquivo Público da Bahia Secretaria de Cultura do Estado da Bahia
3117-6067

O Grupo de Trabalho de Psicologia e Relações Raciais do CRP 03 - Bahia promove rodas de conversa no mês de novembro

O Grupo de Trabalho de Psicologia e Relações Raciais do CRP-03 (GTPRR) realizará rodas de conversa sobre a saúde da população negra e das comunidades e povos tradicionais entre 07 e 09 de novembro, no CRP-03. Veja agenda do GT abaixo:

Religião, cultura e práticas populares de cuidado
...
07 de novembro de 2012, das 18h às 21h.

Políticas de saúde e intersetoriais para a população negra e comunidades e povos tradicionais
08 de novembro de 2012, das 14h às 17h.

Os efeitos psicossociais da discriminação de gênero e raça na saúde da população negra
08 de novembro de 2012, das 18h às 21h.

Territorialidades
Dia 09 de novembro de 2012, das 14h às 17h.

Educação Popular no campo da Saúde
Dia 09 de novembro de 2012, das 18h às 21h.

Informações: gtprr@crp03.org.br

Lembrando que essas rodas de conversa são eventos preparatórios para o II PSINEP e para o Congresso Nacional da psicologia - CNP

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

UFBA promove "Curso de Formação para o Acesso à Pós-graduaçao - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

domingo, 14 de outubro de 2012

Kit "A Cor da Cultura" disponível para download

Para facilitar o acesso da população brasileira ao segundo pacote pedagógico A Cor da Cultura, a Fundação Cultural Palmares (FCP) disponibiliza o material para download. O pacote é mais uma medida prática adotada a partir da aprovação da Lei 10.639, que torna obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio, oficiais e particulares do País. 
Baixe os arquivos: http://migre.me/b6YZM

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Curso de Formação para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileiras (a distância)

(Clique na imagem para ampliá-la)


Etapa de Ensino a que se destina:
Educação Básica


Natureza do Curso:
Extensão


Tipo de curso:
Atualização


Público:
Professores e Gestores (coordenadores e diretores de unidades escolares) das redes públicas da Educação Básica do Estado da Bahia.


Modalidade:
Educação a distância


Carga Horária:
180 horas


Duração:
6(seis) meses



Objetivos:

a.    Objetivo geral
Estimular a promoção da igualdade étnico-racial na educação a partir formação de profissionais da educação para a inclusão da História e Cultura Afro-brasileiras nos currículos escolares.

b.        Objetivos Específicos:
-          Estimular o conhecimento da história e cultura afro-brasileiras;
-          Fornecer subsídios para a implementação da Lei n. 11.645/08, no que se refere à História e Cultura Afro-brasileiras;
-          Consolidar o Programa de Ações Afirmativas da UFBA.


Ementa:
Proporcionar o conhecimento da história do continente africano a partir do estudo de temas e períodos que guardam maior proximidade com a história brasileira e seus problemas contemporâneos. Discutir como se davam as relações étnico-raciais no passado e suas repercussões no presente, destacando a participação ativa da população negra na formação do Brasil. Distinguir as literaturas africana, brasileira, negra e afro-brasileira, identificando os antecessores da literatura negra e a influência exercida sobre a chamada “literatura afro-brasileira”, bem como discutir o papel dos escritores afro-brasileiros contemporâneos em suas produções. Discutir os impactos do racismo na educação em geral e na escola em particular, apontando como alternativa uma pedagogia antirracista e que contemple, de modo não-hierárquico, as contribuições civilizatórias dos distintos segmentos envolvidos na formação da sociedade brasileira. Fornecer subsídios para a elaboração de projeto pedagógico a ser desenvolvido nas escolas.


Metodologia

O Curso de Formação de Professores para o Ensino da História e Cultura Afro-brasileiras prevê a realização de 3(três) encontros presenciais:
1º encontro presencial: apresentação do curso às/aos participantes;
2º encontro presencial: avaliação escrita, ao final do Módulo IV – Educação e Relações Étnico-raciais;
3º encontro presencial: apresentação dos projetos pedagógicos e oficina de avaliação geral do curso.

Cada aluno(a) fará parte de um grupo de 30(trinta) estudantes, orientado por um(a) professor(a) tutor(a), que mediará o trabalho com os conteúdos propostos, prestará informações sobre o ambiente virtual e sobre como organizar seus estudos.

Para identificação do perfil do aluno e caracterização de suas trajetórias de aprendizagem, será adotado o Moodle, software aberto, dotado de ferramentas para armazenamento e análise dos logs, bem como de ferramentas de controle e retroalimentação de aprendizagem. A garantia do acesso ao ambiente do curso ficará sob a responsabilidade do aluno, que deverá dispor de computador conectado à Internet.

O desenvolvimento do curso prevê a realização das seguintes atividades:
1. Encontros presenciais
2. Atividades no ambiente virtual, que consistirão em:
a)       Aulas virtuais - apresentação de textos-sínteses elaborados por professoras(es) especialistas sobre os temas programados para cada semana. Estes textos motivarão as discussões que acontecerão nos fóruns semanais, mediadas pelas(os) docentes facilitadoras(es).
b)       Fóruns de discussão – onde os conteúdos serão discutidos/trabalhados;
c)       Exercícios de auto-avaliação – tarefas constituídas por questões objetivas com gabarito, aplicadas ao final de cada Módulo.
d)       Tarefas individuais e em grupo – produção de textos sobre a temática; elaboração de projetos para o trabalho com os conteúdos;
e)       Avaliação geral do curso – questionário a ser respondido por toda a equipe para avaliar fragilidades e pontos fortes da ação.

3. Atividades de avaliação formativa, no decorrer do curso, e somativa, ao final de cada Módulo e nos dois últimos encontros presenciais. A avaliação final obrigatória será a apresentação de projeto pedagógico pelas(os) participantes no último encontro presencial previsto no curso.

No decorrer do curso, serão realizadas 4(quatro) videoconferências, no início de cada módulo, com professores especialistas nas respectivas áreas temáticas de cada módulo.


Módulo
Carga horária
Modalidade
Apresentação do curso (presencial)
4 horas
Presencial
Ambientação
10 horas presenciais
8 horas a distância
Presencial e a distância
I – História da África
30 horas
À distância
II – História do Negro no Brasil
30 horas
À distância
III – Literatura Afro-brasileira
30 horas
À distância
IV – Educação e Relações étnico-raciais
40 horas
À distância
1ª avaliação
4 horas
Presencial
2ª avaliação
20 horas
Presencial
3ª avaliação
4 horas
Presencial


Material Didático
O material básico a ser utilizado no curso será composto por 4(quatro) ebooks:
1. História da África
2. História do Negro no Brasil
3. Literatura Afro-brasileira
4. Educação das Relações Étnico-raciais
Os ebooks trarão textos, atividades e indicação de material a ser utilizado pelo/a professor/a.


Avaliação
O curso terá a duração de 6(seis) meses e será avaliado durante todo o seu desenvolvimento, através de atividades de avaliação formativas (fóruns, tarefas e projetos pedagógicos) e somativas (avaliação e projeto pedagógico).  Ao final de cada Módulo e ao final do curso será feita uma avaliação através do site, quando serão identificadas fragilidades do sistema e adotadas medidas para aperfeiçoamento dos Módulos, quando se tratar de curso ainda em andamento, e dos cursos subseqüentes.
A avaliação da aprendizagem será realizada processualmente, a partir da observação da participação da (o) aluna (o) nos fóruns e da realização das atividades e avaliações on line, culminando com o projeto pedagógico apresentado ao final do curso. Cada atividade prevista terá pontuação de 0 a 10 pontos.

Será obrigatório o cumprimento das atividades relativas ao Módulo IV – Educação e Relações Étnico-raciais. O certificado será emitido de acordo com o número de horas cursadas pelo/a participante, considerando os Módulos em que obteve aprovação, podendo variar de 120 (cento e vinte) a 180(cento e oitenta) horas.


Equipe do Curso
Coordenação:
Profa. Dra.  Paula Cristina da Silva Barreto
Profa. Ma. Zelinda dos Santos Barros


Promoção:
Ministério da Educação
Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Universidade Aberta do Brasil


Realização:
Universidade Federal da Bahia
Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas
Programa A Cor da Bahia


Endereço:
Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas
Programa A Cor da Bahia
Estrada de São Lázaro, 197, Salvador – BA, CEP 40.210-730
e-mail: cursoensinoafro.ufba@gmail.com ou educacaoafrobahia2012@bol.com.br 
Blog do curso: http://cursoensinoafroufba.blogspot.com.br/ 

Ciclo de palestras "O Negro no Pensamento Social Brasileiro" - RJ

(Clique na imagem para ampliá-la)

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Seminário Internacional "O trabalho da imaginação na textura do presente" - RJ

 
IMAGINAR E CONHECER
 
O presente seminário internacional está alinhado com uma busca de reconciliação do ato de imaginar com o ato de conhecer. Conta com a participação de antropólogos com diferentes inserções teóricas e que, ainda assim, compartilham o pressuposto que todo ato imaginativo é um fenômeno da experiência. Neste sentido, o foco do seminário não será classificar os atos imaginativos segundo suas propriedades intrínsecas, mas acompanhar etnograficamente as histórias que descrevem seus movimentos, desdobrando assim os caminhos que os conectam com modos de formar e transformar o universo material constituindo a textura do presente.
 
O seminário terá como foco Angola e Moçambique, países africanos marcados por longos períodos de guerra e que, atualmente, são intensamente atravessados por fluxos de pessoas que migram de um canto a outro, entre territórios, cidades e países. Isto quer dizer que neste pedaço do planeta, pessoas adultas e crianças frequentemente são convidadas a dialogar com situações brutais do passado e a promover futuros alternativos. Os pesquisadores aqui reunidos estarão particularmente atentos aos processos imaginativos que tem feito parte desta trama.
 
 
PROGRAMAÇÃO
 
19h -- Conferência de Abertura "O trabalho da imaginação na textura do presente"
Tim Ingold (Universidade de Aberdeen)
 
 
9h -- Conferência "O trabalho da imaginação na antropologia em África"
Ramon Sarró (Universidade de Oxford)
 
10h30h -- Mesa Redonda "Deuses e demônios"
Ruy Blanes (Universidade de Lisboa)
Claudia Wolff Swatowiski (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
Fernando Sabonete (Universidade Federal de Pernambuco)
Debatedora: Roberta Bivar Campos (Universidade Federal de Pernambuco)
 
15h -- Mesa Redonda "O presente da antropologia e o trabalho da imaginação"
Patrícia Birman (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
Carlos Steil (Universidade Federal do Rio Grande do Sul)
Márcia Contins (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
Debatedor: Otávio Velho (Museu Nacional/UFRJ)
 
10h30h -- Mesa redonda "Guerra e reconstrução"
José Nkosi (Universidade Agostinho Neto)
Clara Mafra (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
Nelson Domingos Antônio (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
Maurício Barros de Castro (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
Debatedor: Wilson Trajano Filho (Universidade de Brasília)
 
15h -- Mesa Redonda "Campanhas espirituais, guerras sanitárias"
Ana Monteiro (Universidade Eduardo Mondlane)
Giulia Cavallo (Universidade de Lisboa)
Luiz Henrique Passador (Universidade Federal da Fronteira Sul)
Debatedora: Renata Menezes (Museu Nacional/UFRJ)
  
INSCRIÇÕES ABERTAS! 
Com 70% de presença, serão dados certificados.
 
Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Rua São Francisco Xavier 524 - sala 9043 - bloco F – Maracanã
20250-013 Rio de Janeiro (RJ) – Brasil
tel: 55 (21) 2334 0678
trabalhodaimaginacao@gmail.com