SEGUIDORES DO BLOG

Pesquisa

Pesquisa personalizada

Calendário Negro - Julho

01 - Independência de Ruanda, África / 1960
01 - Independência de Burundi, África / 1962
02 - Nascimento de Franz Fanon, médico psiquiatra e revolucionário / 1921
02 - Nascimento de Patrice Lumumba / 1925
03 - Aprovada a Lei Afonso Arinos, colocando a discriminação racial como contravenção penal / 1951
03 - Independência da Argélia, África / 1962
05 - Independência de Cabo Verde / 1975
07 - Leitura, em frente ao Teatro Municipal, de carta aberta à nação contra o racismo, inaugurando o Movimento Negro Unificado Contra a Discriminação Racial (depois MNU) / 1978
08 - Fundação do Instituto de Pesquisas da Cultura Negra (IPCN), Rio de Janeiro / 1975
12 - Independência de São Tomé e Príncipe / 1975
15 - Ocorre a primeira Conferência sobre a Mulher Negra nas Américas, Equador / 1984
17 - O ator Grande Otelo recebe o título de Cidadão Paulistano / 1978
18 - Nascimento do líder sul-africano Nelson Mandela / 1918
24 - Nascimento do poeta Solano Trindade, em Pernambuco / 1908
25 - Dia da Mulher Afro-latino-americana e Caribenha
26 - Independência da Libéria, África/ 1846




segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Conferência "Construção de identidade no cruzamento de línguas e culturas", com Profa. Dra. Karine Rouquet-Brutin - BA

PÓS AFRO CONVIDA                                                                                                          

CONFERÊNCIA

Construções de identidade No cruzamento de línguas e culturas
Profa. Dra. Karine Rouquet-Brutin
Université Paris 7- Denis Diderot

Reflexão sobre as questões subjetivas, epistemológicas e políticas implicadas no atravessamento de fronteiras, com foco nos percursos de estudantes que vão à França para realizar pesquisas acadêmicas e seus procedimentos no confronto com outra cultura, outra língua, outro regime de discurso. Serão, ainda, objeto desta comunicação escritores e pesquisadores, que, vindos de outros lugares, escolheram ficar na França e escrever em francês: Julia Kristeva François Cheng Janine Altounian. É no deslocamento, no atravessamento e fronteiras que emerge a questão da necessidade da língua e da cultura do outro para formular-se.

ONDE:
CENTRO DE ESTUDOS AFRO-ORIENTAIS/CEAO
Praça General Inocêncio Galvão, 42, Largo Dois de Julho, Salvador/BA
Auditório Milton Santos

QUANDO:
13 de setembro
Às 16 horas


Relançamento do Programa de Combate ao Racismo Institucional - BA

Prezadas(os),

A Prefeitura Municipal de Salvador através da Secretaria Municipal da Reparação tem o prazer de convidá-la(o) para o Relançamento do Programa de Combate ao Racismo Institucional que acontecerá dia 31/08 a partir das 14h no auditório da Fundação Cidade Mãe(localizada à Rua Professor Aloísio de Carvalho Filho, s/n Engenho Velho de Brotas.Saindo do  Engenho Velho de Brotas sentido Ogunjá.
O evento contará com uma Conferência Magna do Dr. Valter da Mata que é psicólogo,do Comitê de Saúde da População Negra,fez parte do Instituto Steve Biko e atuante nas causas da comunidade negra.A temática será "Impactos psicológicos do Racismo e sua subjetividade na formação da identidade étnicoracial".
 
Contamos com sua presença.

P.S.:Será fornecido certificado com carga horária de 04(quatro) horas para os participantes do evento.

Laina Crisóstomo
Coordenadora de Projetos e Politicas para Reparação
Secretaria Municipal da Reparação
Prefeitura Municipal de Salvador
Tel.:55 71 4009-2609
Email:lcsqueiroz@salvador.ba.gov.br
Site:http://www.reparacao.salvador.ba.gov.br

sábado, 28 de agosto de 2010

Contribua para os projetos do Steve Biko adquirindo seus produtos - BA

 (Clique na imagem para amplia-la)

Griots: II Colóquio Culturas Africanas - RN

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN e o Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem do Departamento de Letras realizarão no período de 25 a 27 de maio de 2011, na cidade de Natal-RN, o II Colóquio de Culturas Africanas – Griots, dando assim continuidade à iniciativa que em 2009 organizou o I Colóquio de Culturas Africanas: Linguagem, Memória e Imaginário.
Esse evento oportuniza diálogos importantes entre professores, pesquisadores, discentes e escritores interessados em discutir questões envolvendo África, A segunda edição do Colóquio “Griots” traz novos desafios não apenas envolvendo questões voltadas à literatura africana, mas visa ampliar debates sobre a importância das mídias em torno da luta contra todo tipo de violência, preconceito e racismo.
O racismo evidencia as conseqüências da opressão exercida por uma cultura dominante, que atinge as comunidades afro-descendentes, atinge a cultura, mas também a política e o ser psíquico. Nesse sentido, o Griots 2011 analisa a violência excedente em um mundo que subverte e altera tanto as coletividades quanto os sujeitos em seu devir pessoal.
Ao abrigar um evento dessa natureza, estamos falando sobre a desigualdade e a redução do sujeito em objeto, da substituição do ser pelo ter, estamos falando sobre o apagamento de línguas marginalizadas, estamos falando sobre as conseqüências da modernidade em um mundo desprovido de seu maior luxo: as relações humanas.
Se é pela cultura que se dá a criação das fagulhas do imaginário racista, é pelo discurso que ele se estabelece no meio de nós. Nos sistemas capitalistas, entre o explorado e o poder, interpõe-se uma multidão de discursos sobre a moral humana. Quadros e giz a postos nos muros das escolas públicas e particulares. Muro convite. Muitas vezes discriminação e preconceito também começam dentro da sala de aula: silêncio. Cale-se. Eu sou a voz, você apenas o ouvido, você é o meu não; eu sou o seu sim. E ponto final na lição. Na hora da prova: d’escola a cola que não descola.
Em meio a tudo isso, quem faz uso da escopeta, das balas perdidas, dos meninos “aviõezinhos”? Onde se esconde a violência que se estatela dos guetos aos semáforos? Por quais luxos batem em rostos plugados no mundo virtual? Por quais terras invadem a noite dos travestis naufragando a igualdade? Nos espaços para abreviar grafites, novos poemas se picham: “No mundo, não há vencedor, não há perdedor, há vidas vazias, vidas intensas de poesia”.
Como devemos abrir a porta da poesia para novos canais humanos? Acaso o trinco da porta largou o poema no último verso da escadaria do morro onde não há poesia mais linda do que o silêncio?  Nosso modelo de civilização é um fabulário, em meio ao tecnicismo, demarcando a “vaziez” de indivíduos que conhecem de cor e salteado o mundo da tela de um blog,   no entanto são desconhecedores do abismo da alma humana. Não conseguimos mais nos conhecer, só conseguimos reconhecer nossa imagem irrefletida num solilóquio sonhador. O narcísico, que não deixa de olhar o lago. A imagem da imagem reflete várias imagens em um só espelho. Como diz Mia Couto [2008]: “Cura-me de sonhar, doutor”.
Conhecemos uma sobrecarga de informações, contudo não conhecemos o que há de nós em nós mesmos. A fome faz conhecer a Terra; a sede o mar. O grande desafio desse século é o de todos os séculos: “Conhece-te a ti mesmo”?  Atualmente vivemos os reflexos da caverna de Platão, adoecemos das sombras de imagens que jamais tocaremos a valer. Adoecemos de conhecimento, adoecemos por não sabermos viver mais o desconhecido. Adoecemos da falta de encantamento. Adoecemos da escassez de alumbramentos, do que nunca saberemos revelar. Adoecemos da falta de doação humanitária. Adoecemos dos ideais humanizadores. E por não nos sabermos conhecedores de nossa alma, violentamo-nos uns aos outros como se fôssemos bichos primatas, bestializados. 
Hannah Arendt [2009], no livro Sobre a violência, diz que temos um excedente de violência na atualidade porque temos um excesso de burocracia no mundo. Vivemos amarrados a um sistema burocrático que nos aprisiona a todos de uma falsa liberdade. Tudo existe em nome da burocracia. Segundo Arendt, não sabemos mais nos dias de hoje como destronar esse tirano.
Nessa perspectiva, o evento Griots analisa a linguagem que nos intoxica pelo discurso da violência, do preconceito, do racismo, pois como salienta Inocência Mata: “os discursos oficiais são sonhos ritualizados, expressões, estereótipos criminosos com que se pretendiam esconder a realidade e erguer respeitáveis fachadas [das figuras públicas] e terríveis máquinas de guerra, que num espaço de um só dia se desmoronou”. 
Em verdade, somos sujeitos de nossa história, quando somos atores de nossa história política. “Oh, meu corpo, faça sempre em mim um homem que interroga.” [Frantz Fanon]. E quando eu não interrogar, vigiai-me para não esquecer o furo da canoazinha na maré das sereias-respostas. 
Organizadores

Inscrições
Inscrições com apresentação de trabalho: 01/08/2010 a 31/03/2011
Clique aqui para abrir o formulário de inscrição.
Preencha e mande para o e-mail coloquioafricano@gmail.com Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. 

Com apresentação de trabalhos
1.1 Enviar resumo e comprovante de pagamento (Scanneado) para e-mail do evento ou para o fax (84 3215-3581) da Secretaria da Coordenação de Letras UFRN (aos cuidados da profa. Tânia Lima ou da profa. Izabel Nascimento);
1.2 A responsabilidade da correção dos trabalhos é do próprio autor;
1.3 Os resumos e as inscrições para apresentação de trabalhos devem ser enviados até o dia 31 de maio de 2011;
1.4 Os textos completos devem ser enviados em arquivo anexado no formato doc ou docx, no máximo com 15 páginas ou entregues durante o evento, em CD.

Sem apresentação de trabalhos
Enviar comprovante de pagamento (scanneado) ou por fax para o telefone da coordenação de Letras aos cuidados da senhora Rossana, até o dia 25 maio de 2011.

Eixos temáticos
1) Arte de Rua: Instalações, Grafites, Artes Plásticas, Zines, Quadrinhos etc;
2) A Mitologia dos Orixás: Terreiros de Candomblé;
3) Cinema Contemporâneo: Da diversidade étnico-racial, cultural, política, religiosa e sexual;
4) Estudos Culturais, diáspora, afro-latino-americana;
5) Geografias Literárias: Cartografias Culturais;
6) Linguagem, Carnavalização, Dialogismo;
7) Linguagem, Oralidade, Memória;
8) História e África;
9) Literatura e Filosofia: da condição “pós-moderna”;
10) Literatura e Semiótica: poéticas contemporâneas;
11) Literatura e Sociologia: Cenário de Violência contra a Mulher;
12) Novas Tecnologias, outras mídias, blogs, orkuts, jornais etc;
13) Quilombos - Quilombolas;
14) Performance, Música, Poesia;
15) Práticas Discursivas, Alteridades, Etnias, Gênero, Sexualidade;
16) Teatro e Dança;
17) Infância, violência, pós-colonialismo.



quinta-feira, 26 de agosto de 2010

ANPED promove concurso de artigos sobre Educação e Diversidade

A Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação – ANPEd - torna público o lançamento do presente Edital e convida pesquisadores a apresentarem artigos científicos ou ensaios teóricos sobre educação para a diversidade e enfrentamento às desigualdades, valorizando a diversidade em suas múltiplas dimensões dentro e a partir da escola. O presente edital é decorrente de convênio firmado com a SECAD/MEC, no âmbito da meta 2 do Projeto “Educação para diversidade e enfrentamento às desigualdades no contexto brasileiro”. Os artigos científicos e os ensaios teóricos devem ser inéditos e apresentar como foco temáticas relacionadas à educação para a diversidade e enfrentamento às desigualdades, descritas em anexo, que possam contribuir para a redução das desigualdades sociais.

Palestra Ações Afirmativas no Ensino Superior nos EUA: avanços e retrocessos - GO


Prof. Dr. Edwin Dorn – Universidade do Texas

  • Ex-Vice-Reitor da Universidade de Texas, em Austin
  • Ex-sub secretário de Defesa do Governo Clinton
  • Autor de Rules and Racial Equality (Yale University Press) e Who Defends America?, ed. (Joint Center Press).

Coordenação: Profa. Dra. Olga Cabrera – IESA/UFG
18/10/2010 – 15h – Auditório do IESA – Campus 2 UFG

Tradução seqüencial                          Valendo horas curriculares (2h)
Realização: IESA/UFG
Apoio: Convênio CAPES/UT - IESA/UFG – NEAAD/UFG

Quadrinhos resgatam história da presença africana no Brasil

 O livro "AfroHQ: História e Cultura Afro-brasileira e Africana em Quadrinhos", produzido em parceria pelas alunas de Artes Plásticas da UFPE Danielle Jaimes e Roberta Cirne e o professor Amaro Braga, do Instituto de Ciências Sociais da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), busca o resgate da história da presença africana no Brasil e suas contribuições para a formação da cultura brasileira. A obra de 90 páginas foi lançada em julho na. Ex-professor substituto da UFPE, Braga realizou o trabalho de pesquisa e redação do roteiro, enquanto o visual (desenhos e pintura) foi criado pelas alunas.
Narrada pelos orixás, a aventura inicia no surgimento do homem na África, passa pela escravidão e chega a não apenas pontuar, mas aprofundar as contribuições materiais e imateriais do povo afro no patrimônio brasileiro. Para elaborar o roteiro, Braga utilizou-se de uma vasta bibliografia sobre a presença negra no país, desde o clássico "Casa Grande e Senzala" de Gilberto Freyre a vários manuais publicados pelo Ministério da Educação (MEC) nos últimos anos. As prévias do roteiro e do desenho, criados a partir da discriminação das cenas, eram apresentadas aos consultores, que emitiam críticas para guiar a equipe a fim de propiciar ao trabalho uma transdisciplinaridade que não privilegiasse nenhuma das abordagens (História, Antropologia, Sociologia e Política).
Sobre a produção das imagens, Daniele revelou que cada uma das 3 tiras que compõem as páginas, com média de 2 quadrinhos cada, foram feitas em folhas A4 e depois juntadas, para aumentar a qualidade do trabalho. Há também páginas com uma única ilustração vertical; nesse caso, para não fracionar a gravura, ela foi desenhada em uma única folha. À medida que criaram as representações dos personagens, uma designer mostrava à outra para que ela copiasse quando necessário formando a sólida linha condutora da obra. Os traços são incrivelmente detalhados, com abundância de cores – característica da cultura afro – na maior parte das páginas.
De acordo com o Braga, a sintonia entre as alunas permitiu maior agilidade à etapa de arte do trabalho. Os traços, apesar de guardarem suas particularidades, são muito parecidos aos olhos do leitor desatento, proporcionando unicidade à obra. "As meninas têm um traço completamente especial, único; fazem um desenho muito realista e ao mesmo tempo leve e sinuoso, o que imprime um ar nostálgico ao trabalho. Quando descrevo uma cena e falo das características plásticas que quero impor ao material, elas entendem perfeitamente", elogiou Braga, que também escolheu o design das letras da HQ.
A publicação chega ao mercado no período da aprovação do Estatuto da Igualdade Racial pelo Senado Federal (16 de junho), que aguarda apenas a sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Além disso, desde 2003 existe a lei que prevê a obrigatoriedade do ensino de conteúdos curriculares sobre a História e a Cultura Africana e Afro-brasileira nas escolas. Os professores poderão, portanto, apresentar estes conteúdos em sala de aula com maior facilidade, atraindo a atenção dos alunos com o conteúdo visual de alta qualidade. A barreira do preconceito, no entanto, ainda persiste: muitas escolas religiosas não aprovam a presença dos orixás, pois é uma crença não-ortodoxa. Para Roberta, a utilização deste tipo de material "depende da abertura da escola, vai da cabeça de cada diretor". Há educadores que questionam, inclusive, se histórias em quadrinhos são uma forma legítima de arte.
O patrocínio do Funcultura, do Governo do Estado de Pernambuco, foi vital para a realização do projeto, pois permitiu que Roberta e Danielle se dedicassem quase exclusivamente à confecção dos desenhos. Além disso, o alto preço da parte gráfica foi custeado por esse investimento, que foi aprovado em dezembro de 2008. No total, o trabalho durou pouco mais de um ano. No lançamento da AfroHQ, estiveram presentes um grande número de yalorixás (mães-de-santo) e o mestre do quadrinho nacional Lailson de Holanda Cavalcanti, grande incentivador da produção de quadrinhos em Pernambuco. Os autores procuram uma editora que invista na expansão do produto, "já que esta primeira tiragem é praticamente exclusiva para bibliotecas de escolas públicas", contou Daniele.
Este é o sétimo álbum feito pelo professor em parceria com Danielle e Roberta. O primeiro volume da série de histórias em quadrinhos – "Passos Perdidos, História Desenhada: A Presença Judaica em Pernambuco no Século XX" – resultou da adaptação do livro "Passos Perdidos, História Recuperada: A Presença Judaica em Pernambuco", da professora Tânia Kaufman (UFPE). O penúltimo álbum, "Heróis da Restauração Pernambucana" (2009), foi uma adaptação dos livros do Professor José Antônio Gonçalves de Mello, professor de História emérito da UFPE. O próximo livro irá abordar as contribuições da cultura indígena para a formação do Brasil, enfatizando as dez nações indígenas de Pernambuco.

Mais informações
Professor Amaro Braga
(82) 3214.1323

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Órgão de Educação e Relações Étnicas da UESB abre inscrição para o II Encontro Estadual de Educação - BA

No período de 16 a 20 de novembro de 2010 acontecerá, na UESB – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Campus de Jequié, o II Encontro Estadual de Educação e Relações Étnicas, VI Semana de Educação da Pertença Afro-Brasileira e o I Encontro de Educação, Cultura Popular e Sustentabilidade.
Na oportunidade, estarão reunidos pesquisadores, educadores e pessoas interessadas pela temática Educação, Relações Étnicas e Culturas Afro-brasileiras a fim de fortalecer a implantação da lei 10639/2003 e 11645/2008; estabelecer contato com os NEAB's e órgãos correlatos no Estado da Bahia; reforçar as políticas de ações afirmativas no âmbito universitário; promover um espaço de reflexão sobre os dilemas e impasses para a abordagem da história e cultura afro-brasileira na educação básica; contribuir na formação inicial e continuada de educadores do ensino fundamental e médio; realizar intercâmbio de experiências sobre as práticas educativas envolvendo a temática em questão.
Estes eventos são organizados pelo ODEERE – Órgão de Educação e Relações Étnicas com Ênfase em Culturas Afro-brasileiras da UESB. Para atingir os objetivos dessas atividades o ODEERE propôs uma programação com mesas redondas, conferências, mini-cursos, grupos de trabalhos, oficinas, palestras, apresentação de trabalhos desenvolvidos sobre a temática e atividades culturais.
Já se encontram abertas as inscrições para participação nos eventos, no valor de R$: 15,00 para estudantes e R$: 25,00 para profissionais. Também serão aceitos inscrição de trabalhos para serem apresentados na forma de comunicação oral ou pôster, assim como as inscrições para mesa-redonda, mini-curso, mostra de vídeos e fotografias. Lembrando que a data para envio de resumos foi prorrogada para 19/09/10. Minicursos, oficinas, mesa redondas e mostras de vídeo e fotografia até 05/09/10

Mais informações nos contatos do ODEERE: www.odeeresemana.webcindario.com. E-mail: encontroodeere@gmail.com, Telefones: (73) 3526-2669/3528-9713.

Prof. Dr. Marcos Lopes – Coordenação Geral do Evento
Prof. Esp. Antonio Argolo Silva Neto – Coordenação de Comunicação



terça-feira, 24 de agosto de 2010

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Curso gratuito de formação em Capoeira Escolar - BA

De 30/08 a 03/09/2010

 Componentes Curriculares:

-  Fisiologia da atividade física aplicada ao contexto escolar;
-  Organização e planejamento do ensino da capoeira escolar;
-  Capoeira, africanidades e lei 10.639;
-  Ética, postura e apresentação no ambiente profissional;
-  Capoeira infantil: Jogos e brincadeiras.

CARGA HORARIA – 20 h
Horário do Curso – de segunda a sexta das 18:30 as 22:00
Inscrições – Dia 30/08, no local, das 17:30 as 18:30
Local – Rua Marques de Quelus, n – 09, pituaçu – SSA/BA ( sede do GUETO )


REALIZAÇAO
Grupo GUETO – Ponto de Cultura / BA
71 33634568
71 81092550

domingo, 22 de agosto de 2010

Grupo Etnomídia(UFBA) seleciona bolsista(s) - BA

ETNOMIDIA – Grupo de Estudos em Mídia e Etnicidades da Facom/UFBA (www.etnomidia.ufba.br) é um grupo de pesquisa que funciona desde 1997 na UFBA. 
Por estarmos reativando as atividades do grupo a partir da pesquisa “Faces do Brasil”, aqui informada em mensagem anterior, buscamos um ou mais estudante(s) que possa(m) se tornar bolsista(s)-colaborador(es), para a função de redesenhar a home (página inicial) do nosso website.
A contrapartida inicial seria oferecer ao(s) futuro(s) bolsita(s) horas de extensão. Outras possibilidades podem ser buscadas.
Conforme pode ser visto, o site do Etnomidia está disponível desde 1998. Foi criado por equipe de alunos da Facom à época. Sua última atualização foi feita em 2000.
 No momento estamos negociando com o CPD a migração do conteúdo para plataforma mais atualizada e amigável. Contudo o trabalho de webdesigner está sob nossa responsabilidade direta.
Interessados devem responder ao meu e-mail pessoal fernconc@ufba.br
Fernando Conceição.

sábado, 21 de agosto de 2010

CEAO promove intercâmbio de estudantes de graduação para os EUA - BA

EDITAL DE SELEÇÃO DE ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO PARA INTERCÂMBIO NOS ESTADOS UNIDOS
 
A Universidade Federal da Bahia (UFBA) e a Universidade de São Paulo (USP) promovem o Projeto "Acesso e Igualdade na Educação Superior no Brasil e nos Estados Unidos, em parceria com a Howard University (Washington D.C.) e a Vanderbilt University (Nashville, TN). Como desdobramento da experiência bem-sucedida do projeto anterior (2002 a 2007), o projeto foi  um dos selecionados pelo Programa de Consórcios em Educação Superior Brasil - Estados Unidos, no período de 2008 a 2011, com apoio da Capes (Brasil) e da Fipse (Estados Unidos).
Através desse projeto, estudantes de vários cursos de graduação da UFBa e da USP freqüentam  um semestre de estudos nas universidades de Vanderbilt ou Howard, e estudantes destas freqüentam um semestre de estudos no Brasil.
A participação em programas de intercâmbio no exterior é crucial para a formação acadêmica, aumentando muito as chances de aprovação em seleções de Mestrado e Doutorado, além de ser uma experiência que traz enriquecimento pessoal.
 
O Programa oferece bolsas para estudantes de graduação + seguro saúde + passagens aéreas com recursos da CAPES.
 
 
Requisitos para Participação no Processo Seletivo
 
  • Ser aluno(a) regular de Graduação da UFBA das áreas de Humanidades, Ciências Sociais Aplicadas ou Outras, relacionadas ao tema central do Programa;
  • Ter cursado pelo menos metade dos créditos de seu curso até o segundo semestre de 2010 e não estar em vias de se graduar no primeiro semestre de 2011;
  • Apresentar Histórico Escolar, comprovante de matrícula e 2 (duas) fotos 3x4;
  • Apresentar 2 (duas) Cartas de recomendação de Professores da UFBA;
  • Apresentar um Plano de Estudo e Trabalho relacionado ao tema do programa;
  • Ser fluente em inglês, conforme atestado por exames especializados ( Toefl etc.) e/ou verificado em entrevista realizada nessa língua;
  • Preenchimento de formulário específico;
PLANO  DE  ESTUDOS  E  TRABALHO
O(A) Candidato(a) deverá apresentar um plano fundamentado de estudos e de trabalho para o período no exterior. Deverá discorrer sobre as razões de seu interesse pelo tema, como esse interesse contribuiu para compor as suas escolhas de disciplinas, o seu envolvimento em atividades de iniciação científica e extensão, assim como outros elementos que contribuam para configurar o seu preparo e interesse pelo tema do programa. Deverá explicitar os seus planos para o período no exterior e para o período subseqüente à sua volta ao Brasil. O texto deverá incluir um resumo em inglês do projeto (Máximo 15 linhas).
 
CALENDÁRIO DE SELEÇÃO
Período de Inscrição: 16 de agosto a 16 de setembro 2010
Entrevista: 27 a 30 de setembro 2010
Resultado: a partir de 06 de outubro 2010
Períodos de estudo: janeiro a maio 2011; agosto a dezembro 2011.
                                                     
INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES:
Coordenação do Projeto na UFBa -  Profa. Paula Barreto
Setor de Cursos - Elisabeth C. de Sá Telles
Centro de Estudos Afro-Orientais
Largo 2 de Julho, Centro
Fone: 32835502
Horário: 10 às 14 hs.
  
REALIZAÇÃO:
Programa A Cor da Bahia –  Centro de Estudos Afro-Orientais 
FFCH  -  UFBa
PATROCÍNIO: CAPES - FIPSE

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Seminário Internacional Sobre a Presença Africana no Mundo Moderno - MG

Convidamos-lhe a conhecer o site do Seminário Internacional Sobre a Presença Africana no Mundo Moderno - Os Angolas no Brasil, o Brasil em Angola – África, Europa e América e a Construção do Mundo Moderno e do Encontro de Grupos de Pesquisa: a África em Rede a se realizarem na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas-FAFICH da Universidade Federal de Minas Gerais-UFMG, entre os dias 27 e 29 de setembro de 2010. A programação completa, assim como as informações sobre inscrições de estudantes e de não-estudantes encontram-se à sua disposição em  http://www.fafich.ufmg.br/ppghis/eventos2.html - Contando com sua participação, solicitamos-lhe ampla divulgação e aproveitamos para encaminhar-lhe o nosso cordial abraço.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Programação do SIALA - BA

 DIA 1º DE SETEMBRO DE 2010

MANHÃ

- 07h00 às 08h40 Credenciamento e distribuição de material.
- 08h40 às 09h00 Café
- 09h00 às 09h30 Abertura
- 09h30 às 10h30 Conferência: “O Ano Internacional de Aproximação dos Povos e das Culturas” – Dr. Simão Souindoula (angolano) – Vice-Presidente Internacional do Programa Rota do Escravo da UNESCO, historiador e lingüista.
- 10h30 às 12h00 Mesa Redonda: Línguas Africanas: resistência e continuidade no Brasil.
Profa. Dra. Yeda Pessoa de Castro – moderadora – Academia de Letras da Bahia
Profa. Ms. Lise Mary Arruda Dourado – (Doutoranda – Universidade do Estado da Bahia)
Prof. Ms. César Costa Vitorino (Doutorando – PUC/RS)
Profa. Dra. Laura Alvarez – Universidade de Estocolmo (Suécia)
Profa. Dra. Rosa Alice Henkel – Universidade de Jena (Alemanha)

TARDE

- 14h00 às 16h00 Mini-curso: “Oriki ati Owe” – Prof. Dr. Olasope Oyelaran – lingüista nigeriano, titular da Universidade Kalamazoo College, EUA.
1ª parte: Língua e religiosidade entre os Iorubás.
- 16h00 às 18h00 Mini-curso: “O Reino do Congo – Línguas e Religiosidade” – Dr. Camilo Afonso: Adido Cultural da Embaixada de Angola e Diretor da Casa de Angola na Bahia, historiador angolano.
1º parte: O antigo Reino de Congo.
- 18h30 Lançamento do Anais do II SIALA
Edil Silva Costa
Norma da Silva Lopes
Yeda Pessoa de Castro

DIA 2 DE SETEMBRO DE 2010

MANHÃ

- 09h00 às 10h00 Conferência: “O Reino de Daomé – Línguas e Religiosidade” – Dr. Hippolyte Brice Sogbossi, lingüista daomeano, professor da Universidade Federal de Sergipe (UFS).
- 10h00 às 10h15 Homenagem a Mãe Runhó do Terreiro de Bogum, com entrega de placa memorativa.
- 10h15 às 10h30 Ngidia – Ajeum
- 10h30 às 11h00 Apresentação de documentário: “A Tradição Mina em Belém do Pará” – Luis Augusto Loureiro Cunha (Baba Tayandô)
- 11h00 às 12h30 Mesa Redonda: “Tradição oral: cantos e contos”
Leliana Santos de Sousa – Moderadora (Universidade do Estado da Bahia- UNEB)
Edson Dias Ferreira (Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS)
Marise de Santana (Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB)
Patrícia Carla Smith Galvão (Universidade do Estado da Bahia) – UNEB
Alberto Olivieri (Universidade Federal da Bahia – UFBA)

TARDE

- 14h00 às 16h00 Mini-curso: “Oriki ati Owe” – Prof. Dr. Olasope Oyelaran – lingüista nigeriano, titular da Kalamazoo College, EUA.
2ª parte: Orikis e provérbios. (Presidida pela Dra. Honoris Causa Mãe Stela de Oxossi)
- 16h00 às 18h00 Mini-curso: “O Reino do Congo – Línguas e Religiosidade” – Dr. Camilo Afonso: Adido Cultural da Embaixada de Angola e Diretor da Casa de Angola na Bahia, historiador angolano.
2º parte: Religiosidade Bakongo.

DIA 3 DE SETEMBRO DE 2010

MANHÃ

- 08h30 às 09h00 Café dialógico
- 09h00 às 11h00 Comunicações e Mesas Coordenadas (simultaneamente)
- 11h00 às 12h30 Mesa Redonda: “O dendê na cozinha baiana”
Celina Abade – Moderadora (Universidade Católica do Salvador/Universidade do Estado da Bahia UCSAL/UNEB)
Marielson Carvalho (Universidade do Estado da Bahia – UNEB)
Ericivaldo Veiga de Jesus (Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS)
Gildeci de Oliveira Leite (Universidade do Estado da Bahia – UNEB)
TARDE
- 14h00 às 15h30 Mesa Redonda: Falares do Nordeste
Maria do Socorro Aragão. (Universidade Federal da Paraíba- UFPB/Universidade Federal do Ceará – UFC) – Moderadora
Samanta Moura (Universidade Federal do Piauí- UFPI)
Fernanda Barbosa de Lima (Universidade Federal da Paraíba – UFPB)
Anairan Jerônimo da Silva – (Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia – Maranhão)
- 15h30 às 15h50 Mesa Redonda: Nas tramas da palavra. Narrativas, testemunhas e memórias.
Edil Silva Costa Moderadora (Universidade do Estado da Bahia – UNEB)
Josebel Akel Soares (Universidade Estadual do Para – UEPA
Vaniza Mascarenhas Santos (Universidade Federal da Bahia – UFBA)
Nerivaldo Araújo Neves – (Universidade do Estado da Bahia – UNEB)
- 17h00 Apresentação do documentário: “O Terreiro Mokambo” –- Anselmo dos Santos (Tata Anselmo) – Mestre em Educação pela UNEB
- 17h30 às 18h30 Conferência de Encerramento: “Impacto da introdução das línguas nacionais nos currículos de formação de professores de língua portuguesa.” – Dr. ZAVONI NTONDO – lingüista angolano, decano do ISCED para a área científica investigação e pós-graduação.
- 18h30 Coquetel de Encerramento: Apresentação da cantora Clécia Queiroz e o Samba de Roda do Recôncavo Baiano e do Grupo Samba de Lata de Senhor do Bonfim.

I Congresso Internacional de Língua e Literatura Africanas e Afro-brasilidades - BA

O Departamento de Ciências Humanas e Tecnologias (DCHT) do Campus XXIII da UNEB, em Seabra, continua com inscrições promocionais abertas, até o dia 30 de setembro, para o I Congresso Internacional de Língua e Literatura Africanas e Afro-brasilidades (Cillaa).
Promovido pelo DCHT, o evento acontece entre os dias 21 e 24 de outubro, na própria unidade, e tem como proposta contribuir para a formação e aperfeiçoamento de estudantes, professores e profissionais de letras, história e áreas afins, nas temáticas abordadas. O seminário também é aberto ao público externo.
Os interessados devem preencher a ficha de inscrição informando se farão apresentação de trabalhos acadêmicos ou não, além de efetuar pagamento da taxa, que varia de R$ 80 para estudantes de graduação a R$ 210 para professores universitários (com apresentação de trabalhos).
Esta é a segunda etapa das inscrições, que tiveram início em julho. A última etapa será realizada de 1° a 16 de outubro, com valores de R$ 110 a R$ 180 (sem apresentação de trabalhos).
Segundo Gildeci Leite, diretor do DCHT e presidente do congresso, o evento é voltado para a formação de professores com base na Lei 10.639/2003, que torna obrigatória a inserção no currículo de ensino da rede pública do tema História e Cultura Afro-Brasileira.
__._,_.___

Rede Projeto Escola Brasil de Promoção da Igualdade étnico-racial na escola - RJ

A Rede PEB de Promoção da Igualdade Étnicorracial na Escola é um programa de formação de professores que tem por conteúdo central a história e cultura africana e afro-brasileira (LDB alterada pela Lei 10.639/2003), utilizando metodologia adequada à inserção daquele tema no processo de ensino-aprendizagem. O acervo do Prêmio “Educar para a Igualdade Racial” que conta com aproximadamente 1.500 práticas, bem como os resultados das pesquisas realizadas com base neste acervo, constituem bases fundamentais para a definição de conteúdos e metodologias a serem utilizadas em ambiente escolar, na promoção da igualdade étnico-racial.

A formação será realizada em formato semi-presencial, por meio de ferramenta de educação à distância e de dois encontros presenciais, totalizando 80 horas de formação.

Objetivos

• Valorizar a diversidade humana e a pluralidade cultural relativas aos grupos étnicorraciais, a partir da educação escolar;
• Qualificar a intervenção dos professores nas situações de preconceito, estereotipagem e discriminação no ambiente escolar;
• Subsidiar professores no desenvolvimento de propostas pedagógicas inovadoras pautadas na Lei 10.639/2003 da LDB;
• Criar/ ampliar repertório de experiências de promoção da igualdade étnicorracial na escola;
• Criar uma comunidade virtual de aprendizagem na área de relações étnicorraciais na escola;
• Facilitar a troca de experiências de sucesso na área.

Número de vagas: 40 vagas.

Formadores
Equipe do CEERT – Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades.

Certificados
Serão emitidos certificados aos participantes realizarem 80% das atividades propostas no ambiente virtual e participarem dos encontros presenciais.

Conteúdo Programático
1- Continente africano
2- Culturas musicais africanas no Brasil no século XX e elementos bantos na música contemporânea
3- Por que Educar para a Igualdade Racial?
4- Metodologias de Projeto Didáticos
5- Marcos Legais: Ações Afirmativas
6- Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais - Parecer nº CNE/CP 003/2004
7- Importância da subjetividade nas relações raciais no Brasil

Encontros presenciais
• Datas: 11/09 e 27/11/2010.
• Horário: das 8h30 às 17h30
• Local: Fundação Getúlio Vargas RJ
• Endereço: Praia de Botafogo, 190 – Rio de Janeiro - RJ

Requisitos para participação

• Interesse, motivação pessoal e compromisso com o processo de formação;
• Acesso à internet banda larga;
• Utilização básica do computador e internet;
• Dedicação de 4 horas semanais ao programa;
• Disponibilidade de participação nos encontros presenciais;
• Professor/a de escolas públicas;
• Cidade do Rio de Janeiro.

IMPORTANTE: Estarão cobertas pelo Instituto Escola Brasil as despesas com alimentação nos encontros presenciais de formação.

INSCRIÇÕES
Envie a ficha de inscrição (anexa) preenchida para Ana Salto, ana.salto@santander.com.br.
Em caso de dúvidas envie um e-mail para Ana Salto ou ligue - fone (11) 3553-5856.
Agradecemos a atenção.
Equipe do Projeto Escola Brasil

terça-feira, 17 de agosto de 2010

UESB promove evento para discutir Educação e Relações Étnico-raciais - BA

II ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO E RELAÇÕES ÉTNICAS
VI SEMANA DE EDUCAÇÃO DA PERTENÇA AFRO-BRASILEIRA
I ENCONTRO DE EDUCAÇÃO, CULTURA POPULAR E SUSTENTABILIDADE

PRÁTICAS E SABERES DOCENTES QUE INTERRELACIONAM EDUCAÇÃO E ANCESTRALIDADE

16 a 20 de Novembro de 2010
UESB - Campus de Jequié

1. Inscrições de Participantes
Encontram-se abertas as inscrições para o II Encontro Estadual de Educação e Relações Étnicas e VI Semana de Educação da Pertença Afro-brasileira, UESB – Campus de Jequié. O evento é realizado pelo ODEERE – Órgão de Educação e Relações Étnicas com Ênfase em Culturas Afro-brasileiras. Os interessados devem preencher a ficha de inscrição e enviá-la para o e-mail encontroodeere@gmail.com, juntamente com a cópia do comprovante de pagamento da inscrição.
A ficha de inscrição e a cópia do comprovante de pagamento também podem ser encaminhados pelo correio para o endereço:

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Campus de Jequié – ODEERE – Órgão de Educação e Relações Étnicas com Ênfase em Culturas Afro-brasileiras. Rua José Moreira Sobrinho, S/N - CEP: 45206-190 – Jequiezinho – Jequié-BA.
 
As inscrições serão confirmadas por e-mail após o pagamento da taxa de inscrição, a qual será no valor de R$ 15,00 para estudantes e associações e R$ 25,00 para profissionais. O pagamento da taxa de inscrição deve ser efetuado mediante depósito identificado, no Banco do Brasil: agência 0060-4; conta corrente nº 45.424-9 (Marcos Lopes de Souza e Manoel da Silva Santana)
2. Inscrições de trabalhos
            Serão aceitos trabalhos para serem apresentados na forma de comunicação oral ou pôster. Os trabalhos devem ser oriundos de pesquisa ou relato de experiência. Não serão aceitas descrições de projetos, intenções de trabalho e nem ensaios críticos. Pelo menos um dos autores do trabalho deverá se inscrever no evento e pagar a taxa de inscrição. Um autor poderá inscrever e apresentar até dois trabalhos, podendo ser co-autor de outros. Os trabalhos devem ser incluídos em dos GT abaixo:

GT1 – Educação, Relações Étnicas e Legado Africano
GT2 – Diversidade Lingüística, Literatura e Linguagem
GT3 – Etnociência e Diversidade Cultural
GT4 – Saúde da população negra
GT5 – Saberes e Práticas Educativas: Terreiros e Quilombos
GT6 – Linguagens Visuais e Culturas
GT7 - Artes, Manifestações Culturais, Moda e Corpo
GT8 - Políticas de Ações Afirmativas e Movimentos Sociais
GT9 – Populações negras: gênero e homoafetividade
GT 10 - Construção Cultural dos Povos Indígenas Brasileiros: territorialidade, histórias, culturas, saberes e educação escolar indígena
GT 11 – História e Africanidades

Os trabalhos deverão ser encaminhados como resumos expandidos. Os resumos expandidos - formatados conforme instruções abaixo - devem ser enviados para o e-mail trabalhosodeere@gmail.com com uma cópia da ficha de inscrição. No envio do email, o campo “Assunto” deve ser preenchido com o nome de um dos GT ao qual o trabalho se vincula.
           
Os trabalhos inscritos como comunicação oral serão apresentados em sessões específicas conforme o tema do trabalho. Os pôsteres também serão apresentados em sessões específicas. A área reservada para cada pôster será de 90cm x 100cm. Os pôsteres deverão ser afixados duas horas antes do horário estabelecido para a apresentação. Os trabalhos inscritos como comunicação oral ou pôster deverão seguir as normas do resumo expandido apresentadas abaixo:


Normas para envio do Resumo Expandido

Configuração da página: Papel A4 com margens superior, inferior, esquerda e direita de 2,5 cm;

Formatação: Fonte Arial, tamanho 11, texto com espaçamento simples e justificado;

Título: Deve ser informativo e breve (máximo de 300 caracteres), com letras maiúsculas, negrito e centralizado;

Autores: Nome e sobrenome, com iniciais em maiúsculas, itálico. A separação entre autores deverá ser por vírgula, sendo o último unido pela conjunção “e”. Informar e-mail, instituição dos participantes, agência financiadora do projeto e quando for o caso o nome do orientador, em nota de rodapé.

Palavras-chave: incluir até três palavras-chave, ocupando no máximo duas linhas.

Texto do trabalho: Incluir o texto de maneira corrida (contendo entre 10000 a 11000 caracteres incluindo espaços) abordando objetivos; fundamentação teórico-metodológica; apresentação e análise dos resultados e referências (todas as referências mencionadas no texto devem ser arroladas no trabalho).

Observação 1: Citações no texto e referências devem seguir as normas da ABNT.

Observação 2: - O corpo do resumo deverá ter exclusivamente texto, não sendo aceitos gráficos, tabelas, fotos e imagens.

Data máxima para envio de resumos expandidos: 15 de agosto.
Data máxima para divulgação dos resultados: 15 de outubro.
 
O endereço para mais informações sobre o evento é: http://odeeresemana.webcindario.com.