SEGUIDORES DO BLOG




CALENDÁRIO NEGRO – DEZEMBRO

1 - O flautista Patápio Silva é contemplado com a medalha de ouro do Instituto Nacional de Música, prêmio até então nunca conferido a um negro. (1901)

1 - Nasce no Rio de Janeiro o compositor Otto Henrique Trepte - Casquinha, integrante da Velha Guarda da Portela, parceiro de Candeia, autor de vários sambas de sucesso como: "Recado", "Sinal Aberto", "Preta Aloirada" (1922)

1 - O líder da Revolta da Chibata João Cândido após julgamento é absolvido (1912)
1 - Todas as unidades do Exército dos Estados Unidos (inclusive a Força Aérea, nesta época uma parte do exército) tiveram suas portas abertas para negros qualificados (1941)
1 - Rosa Parks recusa-se a ceder o seu lugar num ônibus de Montgomery (EUA) desafiando a lei local de segregação nos transportes públicos. Este fato deu início ao "milagre de Montgomery” (1955)
1 - Festa Nacional da República Centro Africana (1960)
2 - Nasce num lar humilde de carpinteiro em Magé, Francisco de Paula Brito. Compôs as primeiras notícias deste que é hoje o mais antigo jornal do Brasil, o Jornal do Comércio (1809)
2 - Dia Nacional do Samba
2 - Nasce em Salvador (BA), o sumo sacerdote do Axé Opô Afonjá, escritor e artista plástico Deoscóredes Maximiliano dos Santos, Mestre Didi (1918)
2 - Inicia-se na cidade de Santos (SP), o I Simpósio do Samba (1966)
2 - Fundação na cidade de Salvador (BA), do Ilê Asipa, terreiro do culto aos egugun, chefiado pelo sumo sacerdote do culto, o Alapini Ipekunoye Descoredes Maximiliano dos Santos, o Mestre Didi (1980)
3 - Frederick Douglas, escritor, eloquente orador em favor da causa abolicionista, e Martin R. Delaney fundam nos Estados Unidos o North Star, jornal antiescravagista (1847)
3 - Numa tarde de chuva, em um bairro do subúrbio do Rio de Janeiro, é fundado o Coletivo de Escritores Negros do Rio de Janeiro. (1988)
4 - Dia consagrado ao Orixá Oyá (Iansã)
4 - 22 marinheiros, revoltosos contra a chibata, castigo físico dado as marinheiros, são presos pelo Governo brasileiro, acusados de conspiração (1910)
5 - Depois de resistir de 1630 até 1695, é completamente destruído o Quilombo dos Palmares (1697)
5 - Nasce em Pinhal (SP) o cantor Otávio Henrique de Oliveira - Blecaute (1919)
5 - Nasce o compositor e radialista Rubem dos Santos - Rubem Confete (1937)
5 - O cantor jamaicano Bob Marley participa do show "Smile Jamaica Concert", no National Hero's Park, dois dias depois de sofrer um atentado provavelmente de origem política (1976)
6 - Edital proibia o porte de arma aos negros, escravos ou não e impunha-se a pena de 300 açoites aos cativos que infringissem a lei. (1816)
6 - Nasce no Rio de Janeiro (RJ) o cantor Jorge de Oliveira Veiga, Jorge Veiga (1910)
6 - Nasce no Rio de Janeiro o cantor Emílio Vitalino Santiago - Emílio Santiago (1946)
7 - Nasce Sir Milton Margai, Primeiro Ministro de Serra Leoa (1895)
7 - Nasce no Rio de Janeiro, o poeta Luís Carlos Amaral Gomes - Éle Semog (1952)
7 - Clementina de Jesus, a "Mãe Quelé", aos 63 anos pisa o palco pela primeira vez como cantora profissional, no Teatro Jovem, primeiro show da série de espetáculos "Menestrel" sob a direção de Hermínio Bello de Carvalho (1964)

8 – Nasce em Saubara/BA, o poeta e ativista do Movimento Negro Jônatas Conceição (1952)
8 - Fundação na Província do Ceará, da Sociedade Cearense Libertadora (1880)
8 - Nasce no Harlem, Nova Iorque (EUA), Sammy Davis Jr., um dos artistas mais versáteis de toda a história da música e do "show buziness" americano (1925)
8 - Nasce no Rio de Janeiro a cantora Alaíde Costa Silveira - Alaíde Costa (1933)
8 - Dia consagrado ao Orixá Oxum
9 - Nasce em São Paulo (SP) o compositor e arranjador Erlon Vieira Chaves - Erlon Chaves (1933)
9 - Nasce em Monte Santo, Minas Gerais, o ator e diretor Milton Gonçalves (1933)

9 – Nasce em Salvador/BA, a atriz Zeni Pereira, famosa por interpretar a cozinheira Januária na novela Escrava Isaura (1924)
10 - O líder sul-africano Nelson Mandela recebe em Oslo, Noruega o Prêmio Nobel da Paz (1993)
10 - O Presidente da África do Sul, Nelson Mandela, assina a nova Constituição do país, instituindo legalmente a igualdade racial (1996)
10 - Dia Internacional dos Direitos Humanos, instituído pela ONU em 1948
10 - Fundação em Angola, do MPLA - Movimento Popular de Libertação de Angola (1975)
10 - Criação do Programa SOS Racismo, do IPCN (RJ), Direitos Humanos e Civis (1987)
11 - Festa Nacional de Alto Volta (1958)
11 - Surge no Rio de Janeiro, o Jornal Redenção (1950)
11 - O Presidente Geral do CNA, Cheif Albert Luthuli, recebe o Prêmio Nobel da Paz, o primeiro a ser concedido a um líder africano (1960)
12 - Nasce em Leopoldina (MG), o cantor e compositor Osvaldo Alves Pereira - Noca da Portela, autor de inúmeros sucessos como: "Portela na Avenida", "é preciso muito amor", "Vendaval da vida", "Virada", "Mil Réis" (1932)
12 - Nasce no Rio de Janeiro, o compositor Wilson Moreira Serra - Wilson Moreira, autor entre outros tantos sucessos de: "Gostoso Veneno", "Okolofé", "Candongueiro", "Coisa da Antiga" (1936)
12 - Independência do Quênia (1963)
13 - Dia consagrado a Oxum Apará, a mais jovem entre todas as Oxuns, de gênio guerreiro
13 - Nasce em Exu (PE), o cantor, compositor e acordeonista Luiz Gonzaga do Nascimento, Luiz Gonzaga (1912)

15 - Machado de Assis é proclamado o primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras (1896)
14 - Rui Barbosa assina despacho ordenando a queima de registros do tráfico e da escravidão no Brasil (1890)
16 - Nasce na cidade do Rio Grande (RS), o político Elbert Madruga (1921)
16 - O Congresso Nacional Africano (CNA), já na clandestinidade, cria o seu braço armado (1961)
17 - Nasce no Rio de Janeiro (RJ)
Augusto Temístocles da Silva Costa, o humorista Tião Macalé (1926)

18 - Nasce em King William's Town, próximo a Cidade do Cabo, África do Sul, o líder africano Steve Biko (1946)
18 - A aviação sul-africana bombardeia uma aldeia angolana causando a morte dezenas de habitantes (1983)
19 - Nasce nos Estados Unidos, Carter G. Woodson, considerado o "Pai da História Negra" americana (1875)
19 - Nasce no bairro de São Cristóvão (RJ), o compositor e violonista Manuel da Conceição Chantre - Mão de Vaca (1930)
20 - Abolição da escravatura na Ilha Reunião (1848)
20 - A Lei n. 7.437, Lei Afonso Arinos inclui, entre as contravenções penais, a prática de atos resultantes de preconceito de raça, de cor, de sexo ou de estado civil, dando nova redação à Lei n 1 390, de 3 de julho de 1951 (1985)
21 - Nasce em Los Angeles (EUA), a atleta Delorez Florence Griffith, Florence Griffith Joyner - Flo-Jo, recordista mundial dos 100m (1959)
22 -
Criado o Museu da Abolição, através da Lei Federal nº 3.357, com sede na cidade do Recife, em homenagem a João Alfredo e Joaquim Nabuco (1957)

23 - Criação no Rio de Janeiro, do Grupo Vissungo (1974)
24 - João Cândido, líder da Revolta da Chibata e mais 17 revoltosos são colocados na "solitária" do quartel-general da Marinha (1910)
25 - Parte do Rio de Janeiro, o navio Satélite, levando 105 ex-marinheiros participantes da Revolta da Chibata, 44 mulheres, 298 marginais e 50 praças do Exército, enviados sem julgamento para trabalhos forçados no Amazonas. 9 marujos foram fuzilados em alto-mar e os restantes deixados nas margens do Rio Amazonas (1910)
25 - Nasce no Município de Duque de Caxias, (RJ), o jogador de futebol Jair Ventura Filho - Jairzinho - "O Furacão da Copa de 70" (1944)
26 -
Primeiro dia do Kwanza, período religioso afro-americano

27 - Nasce em Natal (RN), o jogador Richarlyson (1982)

28 - Nasce na Pensilvânia (EUA), Earl Kenneth Hines, o pianista Earl “Fatha” Hines, um dos maiores pianistas da história do jazz (1903)

29 - Nasce Édio Laurindo da Silva - Delegado, famoso mestre-sala da Estação Primeira de Mangueira (1922)
30 - Nasce
Eldrick Tont Woods, o Tiger Woods, jogador de golfe estadunidense, considerado um dos maiores golfistas de todos os tempos (1975)

31 - Nasce no Morro da Serrinha, Madureira (RJ). Darcy Monteiro, músico profissional, compositor, percussionista, ritmista, jongueiro, criador do Grupo Bassam, nome artístico do Jongo da Serrinha (1932)
31 - Dia dos Umbandistas


.

Pesquisa personalizada

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Curso narra situação dos africanos livres na Bahia - BA

O cotidiano dos africanos livres na Bahia e as ações protetoras do Estado, entre os anos de 1831 e 1864, serão o tema do próximo encontro do curso Conversando com sua História, no dia 1º de junho, às 17h, no auditório da Biblioteca Pública do Estado (Barris), com a professora Adriana Santana. O curso, que começou este mês, é gratuito e segue até outubro com debates sobre temas históricos da Bahia, sempre às terças-feiras.

O tema que será debatido no próximo encontro foi a tese de mestrado em estudos étnicos e africanos defendida por Adriana em 2007 na Universidade Federal da Bahia (Ufba). “Nesse trabalho, busquei compreender as percepções que os africanos livres tiveram da proteção do Estado na batalha pelo direito de viver sobre si”, disse a palestrante.

domingo, 30 de maio de 2010

Tempo em Curso n. 5 já está no ar

Prezada companheira e prezado companheiro,

Com satisfação informo que o boletim eletrônico Tempo em Curso, referente ao mês de maio de 2010, encontra-se disponível no portal do LAESER (http://www.laeser.ie.ufrj.br/tempo_em_curso.asp).

Neste mês ocorreu um atraso de duas semanas na divulgação do boletim tendo em vista estarmos nas etapas finais da conclusão da segunda edição do Relatório Anual das Desigualdades Raciais no Brasil.

Este número do Tempo em Curso foi escrito com a colaboração da jovem economista formada no Instituto de Economia da UFRJ, Bárbara Castilho, o que para todos nós da equipe LAESER foi motivo de grande orgulho.

Como destaque desta publicação, mencionamos algumas reflexões sobre a crise econômica que se abateu sobre a Europa Ocidental recentemente e os possíveis desdobramentos sobre a economia brasileira e as assimetrias de cor ou raça em nosso mercado de trabalho metropolitano.

Em relação ao rendimento do trabalho, no mês de março, comparativamente ao de fevereiro, as assimetrias de cor ou raça se elevaram. Também são feitos comentários gerais sobre o tema do desemprego e da subocupação na conjuntura recente do mercado de trabalho. No caso, mais uma vez se destaca que as mulheres pretas & pardas são as únicas a apresentarem taxa de desemprego superior a 10%. Na verdade, pelo menos desde quando o Tempo em Curso começou a ser editado, jamais as taxas de desemprego deste contingente ficaram abaixo deste patamar.

Mais uma vez, todos nós da equipe do LAESER ficamos contando com vossa parceria, diálogos e críticas.

Boa leitura!

Marcelo J P Paixão
IE/UFRJ
Professor - Pesquisador / Coordenador LAESER
http://www.laeser.ie.ufrj.br/

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Ciclo de palestras "Angola: da guerra à paz" - BA

 (Clique na imagem para ampliá-la)

Curso "O significado dos penteados e trançados na cultura Yorubá" - BA

A ênfase dada à cabeça (orí) na cultura e na arte yorubá vai além da sua importância biológica como lugar do cérebro, que controla o corpo. Também reflete a concepção yorubá de Olodumaré (o Deus Supremo) como fonte do universo e a cabeça das forças cósmicas chamadas de Orixás que atuam como agentes empoderadores do axé.
  O curso é uma introdução ao significado da cabeça na arte e na cultura yorubá através do estudo dos diferentes penteados e trançados que mostram o poder da cabeça nessa sociedade e projetam sua importância social, política e espiritual. Será dada ênfase especial à Cosmologia, Arte e Iconografia dos Orixás, permitindo desenvolver habilidades analíticas que facilitarão contextualizar sua reinterpretação no Brasil, onde a influência do povo yorubá tem sido marcante dos tempos coloniais aos nossos dias.

PROF. DR. BABATUNDE LAWAL
Nascido na Nigéria, Babatunde Lawal graduou-se em Artes Plásticas na Universidade de Nsukka, Nigéria. Possui Mestrado e Doutorado em História da Arte pelas Universidades de Indiana (EUA). Ensinou por vários anos na Universidade Obafemi Awolowo, em Ile-Ifé (Nigéria), onde foi fundador e Chefe do Departamento de Belas Artes e Diretor da Faculdade de Artes. Atualmente é Professor de História da Arte no Virginia Commonwealth University, em Richmond, Virginia (EUA). Também foi professor visitante das Universidades de Harvard (Massachusetts) e de Columbia (New York), Dartmouth College (New Hampshire), Michigan State University (East Lansing), Kalamazoo College (Michigan), Harare Polytechnic (Zimbábue), Universidade de São Paulo – USP e Universidade Federal da Bahia – UFBA.
O Professor Lawal tem inúmeras publicações sobre diferentes aspectos da arte na África e sobre a Diáspora Africana. A sua pesquisa sobre a estética e os significados das artes e festivais tradicionais contribuiu significativamente para o seu reconhecimento internacional, servindo de inspiração a artistas negros contemporâneos.

Período: de 27 a 30 de julho de 2010
Horário: 13 às 17 horas
Investimento: estudantes, R$ 40,00; outros, R$ 60,00

CONTATOS:
Fernando Carneiro  -
  www.cepesc.com
3266-0915 (casa)
8633-0079 (celular)
3320-1940 (trabalho) 


quinta-feira, 27 de maio de 2010

I Encontro de Adolescentes Jovens Negros do Interior - BA

 (Clique na imagem para ampliá-la)

FCM promove curso "História e Escravidão" - BA

Curso História e Escravidão


Marcus Carvalho
Universidade Federal de Pernambuco
Pós-doutor em História
pela École des Hautes Études en Sciences Sociales, França

data e horário:
7 a 11 de junho de 2010
14:00 às 18:00h

local:

Fundação Clemente Mariani
Rua Miguel Calmon, 398
Ed. Conde Pereira Marinho
Comércio - 40015-010 - Salvador BA


investimento:
R$ 30,00

público-alvo:
Concluintes de cursos de graduação
e pós-graduandos em História
e áreas afins.

inscrições e informações:
(71) 3243 2491 | 3243 2666
academico@fcmariani.org.br

Banco de dados online Brasil-África

Encontra-se disponível no site do IEB o banco de dados Brasil África, contendo informações sobre livros e manuscritos que tratam do continente africano entre os séc. XVI e XIX. Todo o material estará digitalizado até o final deste ano.

O Brasil África é um projeto que está sendo desenvolvido no IEB desde 2009 com o financiamento da FAPESP, cujo objetivo central é disponibilizar ao público livros e documentos raros do IEB relativos ao continente africano no período que se estende do século XVI ao XIX. Construímos uma base de dados contendo informações detalhadas sobre cada documento selecionado, tais como o nome do autor, da obra, a data, e o local da publicação. A base trás também um breve resumo de cada documento indicado. A finalidade da base é facilitar o acesso do pesquisador a inúmeras fontes relacionadas a temas diversos relativos ao continente africano, tais como viagens, escravidão, comércio, história, geografia, medicina, religião e religiosidade, entre outros assuntos. Começamos o processo de digitalização dos documentos da base há apenas um mês e até o final de 2010 esperamos estar com todas as obras do banco digitalizadas e disponíveis para impressão.
 
Coordenação: Márcia M. Ribeiro 
Site: http://www.ieb.usp.br/online/telaSubCateg.asp?id=23

quarta-feira, 26 de maio de 2010

IX Congresso Luso Afro Brasileiro abordará “Diversidades e (Des)Igualdades” - BA

A cidade de Salvador foi escolhida para abrigar, pela primeira vez, o Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais, nos dias 12, 13 e 14 de Dezembro deste ano. O Evento, que está em sua décima primeira edição, tem como tema as “Diversidades e (Des)Igualdades”, que serão discutidos em 22 eixos temáticos. Durante os três dias de evento, especialistas em ciências sociais e humanidades de diversos países estarão reunidos para debater a diversidade e a complexidade de sociedades diferenciadas, nos mais variados aspectos, como é o caso dos países de língua portuguesa.
A programação acadêmica acontece no campus de Ondina da UFBA, e conta com a realização de eventos públicos e atividades culturais no centro histórico de Salvador. O XI Congresso Luso Afro Brasileiro está sendo organizado por um comitê composto de pesquisadores de todas as universidades publicas da Bahia, com a coordenação do Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO) da Universidade Federal da Bahia.
O X Congresso Luso- Afro- Brasileiro de Ciências Sociais, aconteceu na Universidade do Minho- Campus de Gualtar - BRAGA - PORTUGAL de 04 a 07 de Fevereiro de 2009 e reuniu cerca de dois mil participantes . Para esta edição, estima-se um público ainda maior.

Site: http://www.conlab.ufba.br

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Câmara comemora Odum Adotá em sessão especial - BA

Os 50 anos de Luta e Resistência da Mulher para Preservação do Axé – Odum Adotá – serão comemorados com a realização de uma sessão especial na Câmara Municipal, marcada para o próximo dia 26 de maio (quarta-feira), às 19 horas. O evento, promovido pela Associação Cultural e Religiosa São Salvador - Ilê Axé Oxumarê, pretende uma reflexão sobre a história do candomblé e do terreiro Oxumarê, que confunde-se com o histórico de lutas e articulações políticas do povo negro em busca de liberdade, dignidade, respeito por seu credo e reconhecimento da sua importância para a construção da identidade  nacional. A Orquestra Afro Sinfônica, do maestro Ubiratan Marques, fará uma apresentação no local.
As comemorações continuam no dia 27 de maio (quinta-feira), a partir das 14 horas, com a realização da mesa redonda “Ancestralidade: quem é de axé diz que é”, acompanhada da inauguração da Praça Babá Salacó, que terá como palco o Terreiro Ilê Axé Oxumaré, na Avenida Vasco da Gama. As comemorações serão encerradas no dia 29 (sábado) com a celebração religiosa Odum Adotá, também no terreiro, às 20 horas.
O evento está sendo organizado por voluntários da associação religiosa. A sessão especial, proposta pelo vereador Carballal (PT), contará com a participação do Profº Carlos Alves Moura, Assessor Especial da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, e do assessor Especial da Petrobrás, Rosemberg Pinto.

HISTÓRICO
A Associação Cultural e Religiosa São Salvador - Terreiro de Candomblé Ilê Axé Oxumarê - mantém as suas atividades desde o final do século XIX. Essa associação foi registrada em cartório no ano de 1988. Ao longo desses 21 anos de existência, tem realizado uma série de projetos sociais focados para a comunidade do seu entorno, ou seja, o bairro da Federação e a Avenida Vasco da Gama.
Dentre os últimos projetos executados e ainda em execução destacam-se: Criar e tocar - um projeto de formação de alabês via a junção de conhecimentos musicais aliado ao aprendizado de fabricação de atabaques; Consórcio da Juventude - um projeto realizado em parceria com o Ministério do Trabalho, a fim de inclusão de jovens aprendizes no mercado de trabalho; PETI - Programa de Erradicação do Trabalho Infantil dos Governos Federal e Municipal, no qual o terreiro, na qualidade de parceiro, colabora com reforço escolar aliado a práticas ludo-pedagógicas de ensino; Infocentro - Programa de Inclusão Digital em parceria com o Governo do Estado da Bahia, a fim de facilitar os acessos da comunidade do entorno aos recursos da informática. 

MAIS INFORMAÇÕES
Através do Projeto “ODUM ADOTA: CINQUENTA ANOS DE LUTA E RESISTÊNCIA DA MULHER PARA PRESERVAÇÃO DO AXÉ” pretende-se celebrar e difundir, através de eventos públicos, a importância do odum adotá para as mulheres de santo, em especial as mulheres do terreiro Ilê Axé Oxumarê, para a preservação e continuidade do candomblé,  religião de matriz africana por excelência e que tem, nesta data  um marco de sua própria história de lutas por  liberdade, respeito, reconhecimento e valorização da população negra.
O Odum adotá  celebra os cinqüenta anos de iniciação religiosa no candomblé e, por conseqüência, 50 (cinqüenta) anos de preservação do axé. Representa para o religioso e seu templo o término de um ciclo e inicio de outro. Representa um  único e especial momento, renovado a cada cinqüenta anos, para reflexão sobre a história da religião e do terreiro que o celebra. História que se confunde com a história dessas mulheres que deixam a condição de egbomis para assumirem o posto de abas: conselheiras, orientadoras, manancial vivo de informação, conhecimento, preservação, inspiração, exemplo para os mais novos e continuidade do axé.
Através deste Projeto o Ilê Axé Oxumaré propõe-se a celebrar, publicamente, conquistas de suas abas e sua continuidade e preservação, ao largo de cerca de cento e cinqüenta anos de existência.
Celebrar na Bahia, em pleno ano de 2010 do século XXI, o odum adotá de mulheres do candomblé remete à reflexão sobre a história dessa religião  e do terreiro Oxumarê que confunde-se com o histórico de lutas e articulações políticas do povo negro em busca de liberdade, dignidade, respeito por seu credo  e reconhecimento da sua importância para a construção da identidade  nacional.
Histórico de lutas que, iniciadas em 1875 com o Babalorixá Antonio de Oxumarê, também conhecido como seu Antonio das Cobras, filho de santo de velhas africanas tiveram sua continuidade garantida por mulheres que a lideraram e mantiveram a casa em função com a força da sua fé, são elas: Iyalorixá Cotinha de Yewá, cujo nome civil era Maria das Mercês e que comanda o Axé Oxumarê até 1947; a Iyalorixá Francelina do Ogun [de 1947 até 1954], sucessora de Cotinha de Yewá; Simpliciana da Encarnação ou Simplícia de Ogun (de 1954 até 1967) como era conhecida, que recebeu o Axé Oxumare das mãos de sua irmã de santo Francelina de Ogun ainda em vida;  egbomy Nilzete de Iemanjá, filha biológica de Iyá Simplícia do Ogun, que assume e reabre as funções da Casa de Oxumare em 1974, conduzindo-a, com grande descortino e sensibilidade , até 1990, quando veio a falecer.
Celebrar o Odum Adotá das mulheres guerreiras do Ilê Axé Oxumarê significa garantir a continuidade da preservação dessa história de lutas e conquistas e o acesso das novas gerações de iniciados no candomblé a bens de valor imaterial, com a conseqüente dinamização, preservação, valorização  e resgate do espaço do terreiro e do  candomblé como expressões culturais de valor material e imaterial para o patrimônio da nação.
A história de fé, resistência e luta destas guerreiras deu origem àquilo que hoje denominamos de candomblé, e se distinguem entre si através de nações baseadas em diferenças de rituais e de vocabulário, identificados com partes do continente africano (Ketu, Angola, Jeje, jeje-nagô etc.), juntamente com os centros de Caboclos, Rodas de gira e Umbanda. Estes territórios se constituem ao longo dos tempos em verdadeiros espaços de liderança feminina, resistência cultural e de coesão social, de afirmação das identidades negras recriadas no Brasil e, em particular, na Bahia, seja através da preservação das diversas línguas africanas como o Kikongo, Kibundo, Umbundo, Fon e o Yorubá, passando pelas sociedades matrilineares onde as mulheres e os mais velhos têm uma importância fundamental nas instâncias decisórias, até chegarmos às formas hierarquizadas de relações e papéis sociais pré-estabelecidos aos seus adeptos.
As riquezas contidas nessas manifestações religiosas preservadas por estas mulheres são tão plenas que se eternizam por gerações, vencem preconceito, superam o racismo e a discriminação fundada em raça, cor, gênero e credo religioso para instalar-se no seio da sociedade como um poder que influencia e redefine conceitos.  Inteligência, energia, generosidade, iniciativa, conhecimento litúrgico que são transferidos de geração a geração pela abás.
Portanto, homenagear publicamente o odum adotá destas mulheres do candomblé significa, a um só tempo, o resgate do processo de identidade da população negra, e a continuidade de sua maior e mais reconhecida contribuição para a formação da identidade do povo brasileiro: o candomblé, religião dos orixás.
Neste contexto é que destaca-se a importância  da celebração pública do Odum Adotá das  Egbomis do Terreiro Oxumarê, seja  para a preservação e continuidade do candomblé, religião, para cuja preservação, estas mulheres desempenharam e desempenham importante papel; seja para ressaltar a importância desta religião para a construção da  identidade nacional, a elevação da estima e consolidação de direitos da população negra. 

Contato:
Associação Cultural e Religiosa São Salvador- Ilê Axé Oxumarê
71 3237-2859

Jornalista responsável: Chico Araújo (MT-Ba 1355)
9137-5222 / 8856-6680

domingo, 23 de maio de 2010

Seminário Acadêmico Internacional Jorge Amado - BA


(Clique nas imagens para ampliá-las)

sábado, 22 de maio de 2010

Lançamento da Cartilha sobre a Revolta da Chibata - BA


(Clique na imagem para ampliá-la)

sexta-feira, 21 de maio de 2010

quinta-feira, 20 de maio de 2010

UNEB promove "Seminário África Mãe" - BA

 
(Clique na imagem para ampliá-la)
O Grupo de Pesquisa Experiências e Trajetórias de Populações Negras e Associação Cultural Nova Flor convidam todos para o Evento África Mãe, que será realizado no Auditório Jurandir Oliveira, Departamento de Educação Campus I da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) no dia 21/05/2010 às 14:30 horas.

Seminário "Direitos Humanos na perspectiva do antirracismo" - BA

 (Clique na imagem para ampliá-la)

Simpósio Itinerante "Africanidades e Pensamento Negro"

Africanidades e Pensamento Negro:
repensando o conceito de Négritude, segundo Aimé Césaire,  no contexto brasileiro do ensino de História da África e das Culturas Africanas e da Diáspora Negra

de 20 a 25 de maio de 2010
no Rio de Janeiro - 20
em Belo Horizonte - 22
em Porto Alegre - 24
e em Salvador - 25
 
Programação Geral:

Documentário:
          "Papa Césaire", de Sarah Maldoror (Guadelupe, Caribe)

Conferência:
          O Conceito de Negritude, segundo Aimé Césaire (Carlos Moore, Cuba)

Lançamentos:
          "Discurso sobre a Negritude" (Aimé Césaire, Nandyala Editora, 2010) - versão trilíngue (francês, inglês e português) - Organização: Carlos Moore

          "O Marxismo e a Questão Racial" (Carlos Moore, Nandyala Editora, 2010).
Simpósios Itinerantes:
          1ª. fase: ampla socialização, disseminação e problematização do conceito de Négritude em espaços altamente significativos em termos de produção intelectual e cultural no País. Esta iniciativa evidenciará a complexidade e a diversidade de acepções do referido conceito, as tensões existentes entre os intelectuais negros à época (em particular, Césaire e Senghor), como também reforçará suas bases teórico-científicas e político-ideológicas, especialmente no que tange aos fundamentos étnicos e políticos das identidades negras e das suas formas de resistência às violentas e sutis expressões do colonialismo e do imperialismo.
          20 de maio, quinta-feira, às 18h 30min - RJ
Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro - ALERJ, Auditório Senador Nelson Carneiro
Palácio Tiradentes, Rua Primeiro de Março, s/n - Praça XV
          22 de maio, sábado, 10h 30min - MG
Palácio das Artes - Cine Humberto Mauro - Av. Afonso Pena, 1537 – Centro – Belo Horizonte
          24 de maio, segunda-feira, 19h 30min - RS
Assembleia Legislativa, Teatro Dante Baroni - Praça Marechal Deodoro, 101 - 1º and. - Centro, Porto Alegre
          25 de maio, terça-feira, 18h - BA
Biblioteca Pública do Estado da Bahia, Quadrilátero - Rua General Labatut, 27, Barris., Salvador.                                                                     
 Entrada Franca

Conheça os Intelectuais Negros Referenciados por esta Iniciativa:

1 - Aimé Césaire (Martinica)

Aimé Fernand David Césaire (Basse-Pointe, Martinica, 26 de junho de 1913Fort-de-France, 17 de abril de 2008) foi um poeta e político francês. Foi, juntamente ao Presidente do Senegal Léopold Sédar Senghor, o ideólogo do conceito de Négritude e sua obra é marcada pela defesa de suas raízes africanas. Foi presidente da câmara (prefeito) de Fort-de-France durante 56 anos, entre 1945 e 2001.


Obra
: Cahier d'un retour au pays natal, Paris, 1939; Les Armes miraculeuses 1946; Soleil cou coupé 1947; Corps perdu (desenhos; de Picasso), Paris, 1950; Ferrements, Paris, 1960; Cadastre, Paris, 1961; Moi, lamina ire, Paris, 1982; La Poésie, Paris, 1994 - Teatro: Et les chiens se taisaient, Paris, 1958;La Tragédie du roi Christophe, París, 1963; Une saison au Congo, París, 1966; Une tempête, d'après 'La Tempête de William Shakespeare: adaptation pour un théâtre nègre), París, 1969 - Ensaios: Esclavage et colonisation, París, 1948.;Discours sur le colonialisme, Paris, 1955. ;Discours sur la négritude, 1950 - História: Toussaint Louverture, La révolution Française et le problème colonial, París, 1962.
2 - Sarah Maldoror (França/Guadalupe)

Sarah Ducados, nascida em Gers, França, é atriz, diretora e cineasta negra, também referenciada como antilhana de Guadalupe. Estudou teatro em Paris e, junto com seu esposo Mário Pinto de Andrade (intelectual e ativista angolano), estudou cinema em Moscow, com Mark Donskoi in Moscow (1961-62), onde conheceu Ousmane Sembène. Sarah Maldoror é internacionalmente conhecida por seus documentários, principalmente Sambizanga (1972), sobre a guerra em Angola (1961-1974), bem como por seus registros do pensamento de renomados intelectuais negros, como Aimé Césaire e René Depestre. Sobre Césaire, destacam-se 1986 Miami, Martinique, Aimé Césaire - le masque des mots (52mn – documentaire) e 2009 Paris, Papa Cesaire (50 mn - documentaire).

Filmografia: • 1969 Algérie, Monagambée (30mn - fiction) - Premier prix du festival de Tours ; Prix du meilleur réalisateur, Journées cinématographiques de Carthage ; Premier prix du festival de Dinard • 1970 Guinée-Bissau, Des fusils pour Banta (90mn - fiction) • 1972 Brazzaville (Congo), Sambizanga (102 mn - fiction) - Prix de l’Office Catholique de Ouagadougou ; Tanit d’or des Journées cinématographiques de Carthage • 1973 Paris, Saint-Denis sur Avenir (45 mn - documentaire) • 1974 Paris, Et les chiens se taisaient (13mn - documentaire.) • 1977 Martinique, Aimé Césaire - un homme une terre (52mn – documentaire) • 1979 Fogo, île de feu (23mn - documentaire) • 1979 Cap-Vert, Un carnaval dans le Sahel (23mn - documentaire) • 1980 Carnaval en Guinée-Bissau (13mn - documentaire) • 1980 Miró - peintre (5mn - documentaire) • 1980 Le cimetière du Père-Lachaise (5mn - documentaire) • 1980 Paris, La Basilique de Saint-Denis (5mn - documentaire) • 1981 Paris, Un dessert pour Constance (52mn - fiction. Diffusé sur France 2) d’après une nouvelle de Daniel Boulanger avec : Cheik Doukouré, Sidiki Bakaba, Jean Bouise • 1982 Paris, L’Hôpital de Leningrad (52mn - fiction. Diffusé sur France 2) d’après une nouvelle de Victor Serge avec : Roger Blin, Anne Wiazemsky, Rudiger Vogler • 1983 Un sénégalais en Normandie (10mn - documentaire) • 1983 Paris, La littérature tunisienne de la Bibliothèque Nationale (5mn) • 1984 René Depestre - poète (5mn - documentaire) • 1984 Toto Bissainthe - chanteuse (5mn - documentaire) • 1984 Robert Lapoujade - peintre (5mn - documentaire) • 1984 Alberto Carliski - sculpteur (5mn - documentaire) • 1984 Le racisme au quotidien (5mn - documentaire) • 1984 Paris, Robert Doisneau - Photographe (5mn - documentaire - exposition au Musée d’Art et d’Histoire de St Denis) • 1985 Paris et Alger Le passager du Tassili (90mn - fiction. Diffusé sur France 2) d’après le roman d’Akli Tadjer avec: Anne Caudry, Lounès Tazaïrf, Smaïn • 1986 Miami, Martinique, Aimé Césaire - le masque des mots (52mn – documentaire) • 1987 Louis Aragon - un masque à Paris (13mn - documentaire) • 1987 Paris, Emanuel Ungaro - couturier (5mn - documentaire) • 1989 Mexique, Vlady - Peintre (23mn - documentaire) - Label de la qualité décerné par le C.N.C., 1989 • 1995 Guyane, Léon G. Damas (23mn - documentaire) - Prix de l’originalité - Québec, 1996 ; Prix Daniel de Saint Jorre – 1996 ; Prix du jury et Prix de la critique - Festival du Caire, 1996 ; Premier prix du Festival de Milan, 1995. • 1997 Paris, L’enfant cinéma (23mn - fiction) • 1998 Ile de La Réunion, Alain Séraphine - La tribu du bois de l’é (18mn - documentaire) • 2001 Paris et Milan, Scala Milan A.C (26 mn fiction) • 2003 Haïti – Martinique, La route de l’esclave (27 mn – documentaire) • 2005 Paris, Les oiseaux mains (30s – clip, animation) • 2009 Paris, Papa Cesaire (50 mn - documentaire)

3 - Charles Moore Wedderburn (Cuba)

Etnólogo e cientista político, pós-graduou-se na Universidade de Paris-7, na França, como Doutor em Ciências Humanas e Doutor em Etnologia. Desde 2002, é Chefe de Pesquisa Sênior (honorário) na Escola de Estudos de Pós-Graduação e Pesquisa da University of the West Indies (UWI), Kingston (Jamaica). É fluente em Francês, Inglês, Espanhol, Creole e Português. Sua carreira acadêmica, de 1986 a 2002, inclui cargos como professor titular de Assuntos de América Latina no Instituto de Relações Internacionais da University of the West Indies (UWI), em Trinidad e Tobago, e professor visitante na Florida International University (FIU), na Florida. De 1982 a 1983, foi consultor pessoal para assuntos latino-americanos do Secretário Geral da Organização da Unidade Africana (atualmente União Africana), Dr. Edem Kodjo, e desempenhou a mesma função, de 1966 a 200, junto ao Secretario Geral da Organização da Comunidade do Caribe (CARICOM), Dr. Edwin Carrington. Durante cinco anos, foi assistente pessoal do cientista senegalês, Cheikh Anta Diop, em Dacar, Senegal. De 1970 a 1984, desempenhou carreira em jornalismo como analista político, na Agence France-Presse e no semanário inter-nacional Jeune Afrique, e como colaborador nas revistas Afriscope (Nigéria) e Nadhatu Ifriqiya (Egito). Em fevereiro de 1987, promoveu o evento “Première Conférence Hémisphérique dês peuples noirs de La Diáspora em hommage à Aimé Césaire”, na universidade da Flórida, ocasião em que Aimé Césaire proferiu seu último discuso, intitulado "Discours sur la Négritude".
Curadoria:           Iris Amâncio (UFF/Letras/NEPA- ABPN)
Parcerias:
          SEPPIR;
          Clubes Sociais Negros;
          ABPN - Associação Nacional de Pesquisadores Negros;
          Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul;
          Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro;
          Fundação Pedro Calmon (BA);
          Fundação Clóvis Salgado (MG);
          Prefeitura Municipal de Sabará (Sec. Desenvolvimento Social);
          FRENTE Editora (RJ);
          Livraria Usina das Letras (BH);
          Kitabu Livraria Negra (RJ);
          MEGA IZA Cabelos (BH).

                                                  nandyala@nandyalalivros.com.br 

II Encontro Iberoamericano Afro-Latino - BA


Ministério da Cultura

O II Encontro Iberoamericano de Ministros da Cultura para uma Agenda Afrodescendente nas Américas, com o tema A Força da Diáspora Africana, acontecerá em Salvador no período de 25 a 28 de maio.

A abertura oficial será no Teatro Castro Alves e coincide com a comemoração do Dia da África, 25 de maio. Haverá apresentação do I Concerto Afro-Latino com os cantores Elza Soares, Mariene de Castro e Riachão.

O evento é promovido pelo Ministério da Cultura, por meio da Fundação Cultural Palmares, e visa elaborar um plano que contemple políticas públicas de ações afirmativas para a igualdade racial, por meio de projetos e propostas de cooperação entre os países da América Latina e Caribe.

Esta reunião marca o compromisso assumido em 2008, durante a realização da primeira edição do encontro em Cartagena, na Colômbia, e reunirá, além dos Ministros de Cultura, organismos internacionais como a Organização dos Países Ibero-Americanos (OEI), a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Na programação constam eventos como Encontro de Pensadores - reunião de agentes políticos, sociais e especialistas na área de cultura negra na América Latina e Caribe para dialogarem sobre as diretrizes políticas em torno do tema -; apresentação do Observatório Afro-Latino - um programa virtual de intercâmbio de conteúdos sobre as culturas de comunidades afro-latinas e caribenhas -; além de oficinas de percussão e atividades artísticas. Além de plenárias, conferências, atividades artísticas, shows e workshops.

Os interessados em participar do Encontro de Pensadores e das oficinas de percussão devem se inscrever, a partir da próxima terça-feira [17 de maio] no site www.encontroafrolatino.com. Os ingressos dos shows também devem ser retirados no site e trocados na portaria do Teatro Castro Alves e do Museu Du Ritmo, onde vão acontecer as apresentações artísticas.

Saiba mais no site da Fundação Cultural Palmares - http://www.palmares.gov.br/

Leia também a seguinte matéria: Observatório Afro-Latino - http://www.cultura.gov.br/site/2008/10/20/observatorio-afro-latino/

http://www.cultura.gov.br/site/2010/05/14/politicas-culturais-para-afrodescendentes/

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Começa hoje a IV Semana da África - BA

A programação completa da IV Semana da África, a ser realizada em Salvador, de 19 a 25 de maio de 2010, já se encontra disponível no site do evento (http://www.semanadaafrica.blogspot.com).

As atividades, que ocorrerão em diversos espaços da cidade, são gratuitas e abertas ao público em geral (exceto as Oficinas pedagógicas, voltadas para professoras e professores da rede pública estadual). Não é necessário fazer inscrição previamente.

Contamos com sua presença!

Comissão Organizadora

Biblioteca Pública transmite conferência internacional sobre mídia e racismo

Público de Salvador poderá conferir evento que acontecerá em Atlanta (EUA)

No próximo dia 21 de maio de 2010 acontecerá em Atlanta, Estados Unidos, mais uma reunião do Plano de Ação Conjunta Brasil/Estados Unidos para Eliminar a Discriminação Étnica e Racial (JAPER). O Plano foi assinado em 2008 e prevê uma série de iniciativas entre as duas nações marcadas por desigualdades raciais históricas. Quem estiver em Salvador e tiver interesse em acompanhar os debates que acontecerão na cidade americana terão uma oportunidade.

É que a Fundação Pedro Calmon/Secult, o Consulado Geral dos EUA no Rio de Jane iro e a Associação Cultural Brasil-Estados Unidos (ACBEU) transmitirão a conferência A Influência da Mídia sobre a Percepção de Raça, no dia 21/05, das 10h às 12h, na Biblioteca Pública do Estado (Barris). A transmissão será em tempo real e haverá tradução simultânea.

Os palestrantes americanos são: o ativista Martin Luther King III, filho do líder do movimento pelos Direitos Civis, Martin Luther King Jr., que tem levado adiante o legado do pai e o ator Hill Harper, que atuou em séries como CSI: NY e City of Angels e em filmes de Spike Lee e de outros diretores. Para representar o Brasil, foram convidados: Juliana Nunes e o publicitário Paulo Rogério Nunes, diretor executivo do Instituto Mídia Étnica, editor do portal colaborativo Correio Nagô e colaborador da revista Américas Quarterly.

Obama - Logo após a conferência, haverá a abertura da exposição fotográfica Obama: O Cara que Poucos Conhecem, com imagens que revelam o cotidiano do primeiro presidente negro dos Estados Unidos, no foyer da Biblioteca. A exposição ficará em cartaz do dia 21 de maio a 21 de junho, no horário de funcionamento da Biblioteca, de segunda a sexta, das 8h30 às 21h, sábado, das 8h30 ao meio-dia, e domingo, das 10h às 16h.

O que: transmissão de conferência sobre mídia e racismo e abertura da exposição sobre o presidente Barack Obama.
Dia 21 de maio, às 10h, na Biblioteca Pública do Estado da Bahia
Endereço: Rua General Labatut s/n - Barris
Gratuito
Informações pelo telefone: 3116-6918 / 6919
www.fpc.ba.gov.br

Audiência Pública sobre a “Campanha Afirme-se” - BA

Requerida pela Comissão da Reparação, no próximo dia 20 de maio, quinta-feira, às 14:30hs, será realizada uma Audiência Pública para discutir os rumos da “Campanha Afirme-se”.

A sessão vai acontecer no Espaço Cultural da Câmara Municipal e contará com a presença de militantes do movimento negro, vereadores entre outras autoridades

domingo, 16 de maio de 2010

IV Seminário África Mãe Ancestral - BA

 (Clique na imagem para ampliá-la)

sábado, 15 de maio de 2010

Seminário "Ética e hierarquia no candomblé" - BA

Os representantes das Associações Afro-religiosa abaixo listadas, convida vossa senhoria, líderes e demais membros da religião de matriz africana da ilha de Itaparica para participar do SEMINÁRIO: ÉTICA E HIERÁRQUIA NO CANDOMBLÉ, aprovado no Encontro ocorrido em 2008 no Tuntun – Barro Branco.

Data: 28 de maio de 2010 (sexta-feira)

Local: Ilê Asé Baba Omi Guian – São João de Manguinhos
Início: 08 h.  – Término: 17:30h.

Ilê Asé Baba Omi Guian – Ilê Asé Egbe-Omo Aladè Ilesa

Associação Religiosa, Cultural e Beneficente Olokotum

Ilê Agboulá – Fundação Sócio-Cultural Alafiã.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

III Bahia Afro Film Festival, em Cachoeira - BA

legenda
O III BAHIA AFRO FILM FESTIVAL será realizado de 13 a 23 de maio de 2010, na cidade de Cachoeira – Bahia, com o objetivo de fortalecer o desenvolvimento da formação, produção e difusão do audiovisual brasileiro, otimizando a vocação de Cachoeira, São Félix e demais municípios do Território de Identidade do Recôncavo como potencial pólo cinematográfico e do turismo étnico.
Dia 14, 20h – Abertura Oficial do III Bahia Afro Filme Festival
Com homenagem póstuma ao maestro abolicionista Tranquilino Bastos. Homenagens ao artista Mateus Aleluia, ao cineasta Arnold Conceição, ao Ministro da Cultura – Juca Ferreira.
Local: auditório do Centro de Artes, Humanidades e Letras da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.
Mesa com representações institucionais:
• Ministro da Cultura – Juca Ferreira. • Coordenador Nacional do Programa Monumenta – Luiz Fernando. • Reitor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia/UFRB – Paulo Gabriel Nacif. • Assessor da Presidência da Petrobrás – Rosemberg Pinto. • Coordenador de Comunicação da Petrobrás Nordeste – Darcle Andrade. • Secretário Estadual de Cultura – Márcio Meireles. • Secretário Estadual de Turismo – Antônio Carlos Tramm. • Superintendente do SEBRAE – Edval Passos. • Secretária de Promoção da Igualdade – Luiza Bairros. • Diretor do CAHL da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia/UFRB. – Xavier Vantin. • Secretário de Cidadania Cultural/MINC – TT Catalão. • Secretário de Audiovisual/MINC – Newton Cannito. • Diretor do Instituto de Radiodifusão da Bahia/TVE – Póla Ribeiro. • Diretoria de Multimídia da SECULT – Sofía Federico. • Superintendente Regional IPHAN/Bahia – Carlos Amorim. • Diretor do IPAC – Frederico Mendonça. • Presidente da Fundação Cultural Palmares – Edvaldo Mendes Araújo (Zulu Araújo). • Coordenação do Curso de Cinema da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia/UFRB. – Danillo Barata. • Presidente da Oscip Casa do Cinema da Bahia – Lázaro Faria. • Coordenador do Ponto de Cultura Cineclube Rede Terreiro Cultural/CEPAS – Luiz Cachoeira. • Centro de Educação e Cultura Vale do Iguape – Jucilene Jovelino. • Presidente da Associação Brasileira de Documentarista – Solange Lima. • Presidente da Associação Baiana de Cinema e Vídeo – Mateus Damasceno.
20:30h – Exibição do filme institucional do Bahia Afro Film Festival/BAFF, e do curta metragem “Massapê” de autoria do cineasta homenageado Arnol Conceição.
21:00h – Show Musical “5 Sentidos” de Mateus Aleluia, com Orquestra Afro Sinfônica e convidados especiais. Com lançamento do CD.
Veja a programação de todos os dias do evento em: http://news.bahiaafrofilmfestival.com.br/?cat=70

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Arizona assina nova lei polêmica contra cursos sobre minorias


 
A governadora do Arizona, Jan Brewer, que recentemente aprovou uma lei polêmica criminalizando os imigrantes ilegais, deu mais um passo controverso nesta quarta-feira ao assinar outra lei, desta vez proibindo escolas de darem cursos específicos sobre o papel das minorias étnicas na história e cultura dos EUA.
A decisão foi tomada horas depois de especialistas em direitos humanos da ONU (Organização das Nações Unidas) condenarem a medida. 
O secretário de Educação do Estado, Tom Horne, disse ontem que o programa da escola do distrito de Tucson promove "chauvinismo étnico" e ressentimento racial contra os brancos, ao mesmo tempo em que segrega os alunos por raça.
A medida proíbe aulas que promovam solidariedade étnica, que tenham como principal alvo os alunso de uma raça particular ou que promovam ressentimento contra um certo grupo étnico.
O programa do Distrito Escolar Unificado de Tucson oferece cursos especializados em estudos sobre afro-americanos, mexicano-americanos e americanos nativos, com foco em história e literatura, e que incluem informações sobre a influência de um grupo particular.
Por exemplo, no programa de estudos mexicano-americanos, um curso de história americana explora o papel dos hispânicos na guerra do Vietnã (1959-1975), e um curso de literatura focado em autores latinos.
No distrito, 56% da população é de origem hispânica, com cerca de 31 mil alunos latinos.
Cerca de 1.500 alunos em seis escolas de Ensino Médio no distrito estão matriculados nos cursos.
 
Motivos alegados
 
Horne disse acreditar que o programa de estudos mexicano-americanos ensina alunos latinos que eles são oprimidos pelos brancos. Escolas públicas não deveriam encorajar alunos a se ressentirem de uma raça particular, alega ele.
Republicano concorrendo a promotor geral, Horne vinha tentando restringir o programa de estudos étnicos desde que soube que a ativista hispânica de direitos civis Dolores Huerta disse a alunos em 2006 que "Republicanos odeiam latinos".
"O governo acredita que alunos de escolas públicas deveriam ser ensinados a tratar e valorizar aos outros como indivíduos e não serem ensinados a se ressentirem ou odiarem outras raças ou classes de pessoas", disse o porta-voz da governadora, Paul Senseman.
Jan Brewer assinou a lei menos de um mês depois de ter assinado a lei mais dura dos EUA contra a imigração ilegal --uma atitude que disparou críticas mundiais, acusando-a de encorajar a discriminação racial dos hispânicos.
 
Defesa
 
Autoridades do distrito defenderam que o programa não promove ressentimento, e acreditam que estaria de acordo com a nova lei.
Sean Arce, diretor do programa de Estudos Mexicano-Americanos, disse no mês passado que alunos vão melhor na escola se eles veem no currículo pessoas que se parecem com eles.
"É um programa atraente, e é uma pena que a lei estadual possa ir tão longe a ponto de censurar essas aulas", disse.
Seis especialistas em direitos humanos da ONU divulgaram um comunicado nesta terça-feira expressando preocupação sobre a medida. Todas as pessoas têm o direito de aprender sobre sua própria herança cultural e linguística, disseram.
A lei não proíbe aulas que ensinam sobre a história de um grupo étnico particular, desde que o curso seja aberto a todos os alunos e não promova solidariedade étnica ou ressentimento.

Com Associated Press e Efe

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Aniversário da Casa do Benin - BA

 (Clique na imagem para ampliá-la)

POSAFRO/UFBA promove "Seminário sobre o Museu Digital da Memória Afro-Brasileira" - BA

Convidamos todos os interessados a participar do Primeiro Seminário do projeto de Museu Digital da Memória Afro-Brasileira que se realiza no CEAO nos dias de 10 e 11 de Junho com o apoio do Programa Pró-Cultura da Capes, que une o PPG em Estudos Étnicos e Africanos da UFBA(programa coordenador do projeto), o PPG em Antropologia da UFPE e o PPG em Ciências Sociais da UFMA. Participam deste seminário, entre outros, Sérgio Ferretti e Carlos Benedito (UFMA), António Motta (UFPE), Myrian Santos (UERJ) e pesquisadores de outras instituições de Pernambuco, Rio de Janeiro e Bahia. Neste seminário visamos debater os desafios e as possibilidades proporcionados pelo processo de construção do Museu Digital da Memória Afro-Brasileira, um projeto de abrangência nacional que já dispõe de bases em S.Luis, Recife, Salvador e Rio de Janeiro e recebeu apoio de diferentes entidades (Finep, Prins Claus Foundation, Capes, Faperj, Fapesb e CNPq) e que conta com a colaboração de importantes arquivos no exteriro (Smithsonian, Melville Herskovits Library, UNESCO). Nosso Museu Digital está agora filiado á Rede da Memória Virtual da Fundação Biblioteca Nacional, pretende se cadastrar na lista de museus digitasi mantida pelo Insttuto Brasileiro do Museu (IBRAM) e escolheu a Biblioteca Nacional para ser nosso depositário digital (é lá que será quardada cópia de todos os documentos em formado de alta definição).
Pela manhã o encontro é reservado aos pesquisadores júnior e sénior que já integram as equipes do projeto. Duas sessões do seminário estão abertas ao público, nas tardes de quinta e sexta feiras dia 10 e 11 de Junho.
 
Programação:

Qunta feira dia 10:
9-12.30 h: sessão de trabalho sobre o sistema de arquivação
 
14.30-18h : Sessão publica: Como funciona nosso Museu Digital? Apresentação do trabalho das equipes no Maranhão, Pernambuco, Bahia e Rio de Janeiro
 
Sexta feira dia 11 de junho:
9-12.30 h: segunda sessão de trabalho dedicada ao termos de cessão e responsabilidade digital.
 
14.30-18h : Sessão Pública: Politica e prática de um museu digital da memória afro-brasileira.
 
18.hs Coquetel de lançamento do Museu Digital da Memória Afro-Brasileira.
 
Os interessados em participar podem se inscrever por Email no fabrica@ufba.br ou pelo telefone 71-33226813.
 
Aqui segue uma breve descrição de nosso projeto, cuja homepage, ainda em consntrução, é www.arquivoafro.ufba.br. O propósito do primeiro Museu Digital da
Memória Afro-Brasileira é disponibilizar e intercambiar cópias de documentos por
internet, reunindo num só acervo documental digital os fundos de arquivo relativos aos Estudos Afro-Brasileiros que hoje se acham dispersos em várias instituições e coleções privadas, tanto nacionais como internacionais.
Este projeto se inicia como uma iniciativa de pesquisa e extensão do Programa Fábrica de Idéias, hoje lotado no Centro de Estudos Afro-Orientais/CEAO da UFBA, em parceria com outras universidades nacionais (sobretudo UFPE, UFMA, UERJ e UEFS) e estrangeiras, bem como com arquivos e fundos documentais tanto nacionais quanto internacionais. Para tal, conta ainda com a participação de pesquisadores de outras unidades e instituições, a exemplo da Faculdade de Educação da UFBA, da Universidade Federal do Recôncavo Baiano /UFRB, do Arquivo Histórico de Moçambique (AHM) e o apoio da Associação Brasileira de Antropologia/ABA.
Propor a construção de museu totalmente virtual para resgate da memória afrobrasileira é também uma estratégia para fomentar a relação entre a Universidade,
museus físicos, os centros de pesquisa e a sociedade. Em um sentido mais geral,
nosso objetivo é também a criação de melhores condições para a institucionalização e o fortalecimento em nível de pesquisa dos Estudos Étnico-Raciais.
 
Nossos propositos são:
 1.      Digitalizar documentação, acervos particulares, inventariar memórias vivas das
culturas afro-descendentes;
2. Estimular a produção de tecnologias sociais; e ferramentas interativo-colaborativas
que possibilitam ampliar a construção de novas bases de dados e fontes para
pesquisadores interessados na temática dos estudos étnicos e africanos e áreas afins;
3 Desenvolver em parceria com diversos arquivos e pesquisadores um
ambiente/plataforma, (posteriormente um software para fins educativos) para a
preservação de arquivos no Brasil e na África (sobretudo, em Moçambique, Cabo Verde, Guiné Bissau, Angola e Senegal).
 
Nosso Lema
Generosidade digital, isto é, a idéia de um museu sem dono;
Repatriação digital, ou seja, incentivo a que os arquivos retornem a seus locais de origem;
Doação digital e preservação da Memória das populações subalternizadas.
 
Aos interessados em participar da construção do nosso acervo através de sugestões e/ou doações de documentos de qualquer tipo, é possível fazê-las mediante
contato via e-mail (arquivoafro@ufba.br) ou telefone (71) 3283-5509.
 
Coleções on line
Alguns catálogos e acervos já se encontram digitalizados. Demos preferência neste
momento incial do projeto em reunir os fundos de arquivo correspondentes ao
período 1930-1960 com trabalhos produzidos por antropólogos e etnólogos. Será possível ver também documentos do Arquivo Histórico de Moçambique, um dos nossos parceiros no desenvolvimento de novas técnicas e abordagens, bem como registros de áudio.
 
Acervo:
Já estão on line algumas coleções, entre outras:
Ruth Landes
Franklin E. Frazier
Melville Herskovits
Donald Pierson
Arquivo Histórico de Moçambique (AHM)
Luiz Cleber Moraes Freire
UNESCO – Projeto UNESCO no Brazil e Declaração sobre a Raça
Áudio (gravações de M. Herskovits e L. Turner)
 
Já se encontram digitalizadas e, em breve,estarão on line outras coleções, a exemplo
de:
Fundos de Arquivo de outros membros doProjeto UNESCO;
Fundos de arquivo de outros cientistas sociais que atuaram na Bahia (1930-60).

Livio Sansone
Programa de Pós-Graduação em Estudos Étnicos e Africanos (POSAFRO)
Centro de Estudos Afro-Orientais
Universidade Federal da Bahia
Largo Dois de Julho, Centro
40025-010 Salvador - Bahia - Brasil
tel.55-71- 33226813 cel. 55-71-87970122
sansone@ufba.br   e  liviosansone@yahoo.com
www.arquivoafro.ufba.br, www.fabricadeideias.ufba.br