SEGUIDORES DO BLOG




CALENDÁRIO NEGRO - ABRIL

1 – Criação do Partido dos Panteras Negras, EUA (1967)

1 – Nasce no bairro da Tijuca, Rio de Janeiro, o cantor e compositor Antônio Moreira da Silva - Kid Morengueira, famoso pelo jeito muito próprio de cantar o samba de breque. Fez sucesso com sambas antológicos como: "Acertei no Milhar", "O Rei do Gatilho" e "Na Subida do Morro" (1902)
1 – Tem início em Dacar, Senegal, o I Festival Mundial de Arte Negra (1966)
2 – Nasce em Santa Maria da Vitória (BA), o famoso escultor de carrancas do Rio São Francisco, Francisco Biquiba dy Lafuente Guarany. (1882)
2 – Nasce em Washington (EUA), o cantor, compositor, baterista, pianista, arranjador e produtor Marvin Gaye. Faz parte de seu repertório, sucessos como: "What's Going On", "Let's Get It On", "Sexual Healing" (1939)
2 – Criação no bairro de Madureira (RJ), do Grupo Afro-Cultural Agbara Dudu, que em iorubá significa "força negra", o mais antigo bloco-afro do Rio de Janeiro (1982)

2 – Nasce Dener Augusto de Sousa, o Dener, famoso jogador de futebol morto precocemente num acidente automobilístico (1971)
3 –
Martin Luther King Jr. profere seu discurso I've Been to the Mountaintop (Eu estive no topo da montanha), na sede da Igreja Mundial de Deus em Cristo, em Memphis, Estados Unidos (1968)

3 – Nasce nos Estados Unidos, o ator Eddie Murphy (1961)

3 – Nasce em São Paulo/SP, Mauro Mateus dos Santos, o compositor, cantor e ator brasileiro Sabotage (1973)

4 – Tem início em São Paulo, o I Encontro de Padres e Bispos Negros (1989)
4 – Nasce nos Estados Unidos, o ator e produtor Eddie Murphy (1961)
4 – Nasce em Rolling Forks, Mississipi (EUA), o músico e cantor de blues Mckinley Morganfield - Muddy Waters, um dos maiores mestres do blues urbano (1915)
4 – Independência do Senegal. (1960)
4 – Nasce em Lins/SP, Nelson Prudêncio, professor e atleta de salto triplo, ganhador de várias medalhas: uma medalha de prata nas Olimpíadas de Verão de 1968, na Cidade do México, uma medalha de bronze nas Olimpíadas de Verão de 1972, em Munique, uma medalha de prata nos Jogos Panamericanos de 1967, no Canadá, e uma medalha de prata nos Jogos Panamericanos de Cali, Colômbia, em 1971 (1944)

5 – Nasce nos Estados Unidos, o educador Booker T. Washington (1856)

5 – Nasce em Salvador (BA), Vicente Ferreira Pastinha - Mestre Pastinha, considerado o maior guardião da capoeira angola (1889)
5 – Nasce o compositor Joaquim Maria dos Santos, Donga, autor de “Pelo telefone”, primeiro samba gravado (1890)

6 – Nasce em Kinshasa/República Democrática do Congo, Fabrice Ndala Muamba, ex-jogador de futebol do Arsenal e Birminghan. Em 2012, teve um mal súbito, ficou com o coração parado por 78 minutos e sobreviveu (1988)
7 – Nasce em Baltimore (EUA), a cantora imortal, Billie Holiday, consagrada através de canções como: "Strange Fruit", "God Bless the Child", "Solitude", "My Man", "Don't Explain", entre outros (1915)

7 – Nasce Antônio Carlos Bernardes Gomes, o Mussum, músico, ator e humorista brasileiro, integrante do grupo Os Trapalhões (1941)
7 – Dia da Mulher Moçambicana - Em homenagem a Josina Mutamba Machel, comandante do destacamento de mulheres da FRELIMO e chefe de Assuntos Sociais do Departamento de Assuntos Exteriores de Moçambique
8 – A atriz Ruth de Souza recebe em Brasília a Comenda do Grau Oficial da Ordem do Rio Branco da República Federativa do Brasil, por sua contribuição ao cenário artístico brasileiro (1988)
9 – Nasce em Princeton (EUA), o ator e cantor Paul Bustill Robeson, Paul Robeson (1898)
9 – Nasce no Rio de Janeiro, o ator Haroldo de Oliveira (1942)
10 – Nasce na cidade de Pirapetinga (MG) o cantor Mário Souza Marques Filho - Noite Ilustrada (1928)
10 – Fundada no Rio de Janeiro, tendo como idealizador o Maestro Abgail Moura, a Orquestra Afro-Brasileira (1942)
11 – Em correspondência a Nina Rodrigues, o Dr. Remédios Monteiro externava sua opinião de que "...a raça negra tende a desaparecer em Santa Catarina por efeito do clima: as crianças anemiam-se, escrofulizam-se e tuberculizam-se enquanto as que não são de tal origem criam-se bem". (1899)
11 – Nasce em Pernambuquinho (RN), a escritora, militante do Movimento Negro em Pernambuco, Inaldete Pinheiro de Andrade, autora de "Cinco cantigas pra você contar", "Pai Adão era nagô", "Palavras de mulher" (1946)
12 – Nasce nos Estados Unidos o bailarino William Henry Lane - Juba, responsável por lançar as bases do sapateado, gênero de dança que consagrou artistas como Fred Astaire e Gene Kelly (1804)
13 – Nasce no Rio de Janeiro, a poetisa, cantora e compositora Yvonne Lara da Costa, D. Ivone Lara, primeira compositora de escola de samba a ganhar projeção com suas canções. (1921)
14 – Dia Mundial do Café, planta de origem etíope que foi a segunda mercadoria mais negociada no mundo por valor monetário, na década de 1980.

15 – Nasce no Rio de Janeiro o compositor e maestro Antônio Francisco Braga. (1868)

15 – Nasce, em São Lourenço da Mata/PE, José Albertino da Silva, o Caju, da dupla de embolada (1962)
16 – Decretada a abolição dos escravos no Distrito de Colúmbia (EUA). (1862)
16 – Nasce em Manhumirim (MG), o escritor e roteirista Júlio Emílio Braz, autor de "Saguairu", "Zumbi - O Despertar da Liberdade" e "Felicidade não tem cor" (1959)
17 – Nasce em Salvador/BA, Hyldon de Souza Silva, o produtor, guitarrista, baixista, compositor e cantor Hyldon, um dos maiores nomes do soul no Brasil (1951)

18 – Independência do Zimbabue. (1980)
18 – Inicia-se em Belo Horizonte, o II Encontro Nacional do MNU.
19 – Criação no Rio de Janeiro, do Grupo Negrícia - Poesia e Arte de Crioulo (1982)

19 – Nasce no Rio de Janeiro/RJ, Ronaldo Jorge Silva, o cantor, compositor e dançarino Naldo Benny (1979)
20 – Fundação no bairro de Miguel Couto, Nova Iguaçu (RJ), pela ialorixá Mãe Beata de Iemanjá, a Comunidade Terreiro Ilé Omi Oju Arô (casa da água os olhos de Oxossi) (1985)
20 – Nasce em Nogales, Arizona (EUA), o compositor Charles Mingus (1922)
21 – Nasce em Juiz de Fora/MG, Jorge Luís Andrade Silva, o ex-jogador e treinador de futebol Andrade, um dos jogadores que mais conquistaram o Campeonato Brasileiro de futebol (1957)

22 – Nasce o cantor e compositor Aldacyr Evangelista de Mendonça - Aldacyr Louro (1926)
23 – Dia consagrado ao orixá Oxóssi
23 – Nasce em Salvador ( BA), a negra Hilária Batista de Almeida, Tia Ciata ou Asseata, uma das tias baianas do samba carioca (1854)
23 – Nasce, em Alagoas, o escritor Jorge de Lima, um dos expoentes da poesia de temática afro-brasileira (1895)
23 – Nasce no bairro da Piedade (RJ), o compositor e músico Alfredo da Rocha Viana Júnior - Pixinguinha. Ganhou a imortalidade compondo músicas como: "Ingênuo", "Lamento", "Rosa" e "Carinhoso" (1897)
23 – Nasce em Juiz de Fora (MG), o cantor e compositor Geraldo Theodoro Pereira - Geraldo Pereira, autor de: "Acertei no Milhar", "Falsa Baiana", "Sem Compromisso" (1918)
23 – A cantora Elisete Cardoso, aos 5 anos de idade estréia como cantora na Sociedade Familiar Dançante e Carnavalesca Kananga do Japão (1926)
23 – Nelson Mandela, aos 47 anos, é condenado. Sua brilhante defesa não o livrou da prisão perpétua. Foi levado para a Ilha de Robben, prisão de segurança máxima para presos políticos (1964)
24 – Fundação em Belém (PA) do Club Amazônia, com o objetivo específico de organizar e promover a abolição da escravatura no vale do Amazonas (1884)
25 – Nasce em Newport New, Virgínia (EUA), a cantora de jazz Ella Fitzgerald, uma das musas da canção americana (1918)
25 – Nasce em Indianola, Mississipi (EUA), o cantor e guitarrista Albert Nelson - Albert King, um dos grandes expoentes do blues (1923)
25 – Nasce em São Paulo (SP) o cantor Agostinho dos Santos (1932)
25 – Criado no Pelourinho, Salvador (BA), o Bloco-Afro Cultural Olodum (1979)
26 – Festa Nacional da Tanzânia (1964)
26 – Iniciam-se as primeiras eleições multirraciais na África do Sul (1994)
26 – Nasce Benedita da Silva, primeira mulher negra a ocupar o cargo de governadora (1942)
27 – Independência do Togo (1960)

27 – Independência de Serra Leoa (1971)
27 – Nasce no Rio de Janeiro/RJ, a atriz e artista plástica Iléa Ferraz (1960)
27 – Fundação no Rio de Janeiro, do G.R.E.S. Arrastão de Cascadura. Cores: verde e branco (1973)
27 – Dia Nacional da Empregada Doméstica
27 – Realiza-se na África do Sul, a primeira eleição nacional livre sem a utilização de critérios raciais (1994)
Com o apoio maciço da população negra sul-africana, que pela primeira vez na história do país comparece às urnas para escolher seus representantes, o CNA - Congresso Nacional Africano conquista 62,6% dos votos e o líder Nelson Mandela é eleito presidente da África do Sul
28 – No bairro de Guaianazes, São Paulo, o trabalhador Robson Silveira da Luz, é morto vítima das torturas policiais. Este fato, aliado a outros, levou a criação do Movimento Negro Unificado. (1978)
28 – A Ialorixá Mãe Stella de Oxóssi recebe da Câmara Municipal de Salvador (BA) a Medalha Maria Quitéria, a mais alta comenda concedida à mulheres de destaque na Bahia (1995)
29 – Nasce em Washington, D.C. (EUA), o músico Edward Kennedy Ellington - Duke Ellington (1899)
30 – Nasce em Salvador (BA), o compositor Dorival Caymmi, autor de "O que é que a baiana tem ", "O Mar", "Dora", "Acalanto", "Oração de Mãe Menininha" (1914)

.

Pesquisa personalizada

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Não ao "estupro corretivo"


"O estupro corretivo”, a prática cruel de estuprar lésbicas para “curar” sua homossexualidade, está se tornando uma crise na África do Sul. Porém, ativistas corajosas estão apelando ao mundo para pôr fim a estes crimes monstruosos. O governo sul africando finalmente está respondendo -- vamos apoiá-las. Assine a petição e divulgue para os seus amigos!

Millicent Gaika foi atada, estrangulada, torturada e estuprada durante 5 horas por um homem que dizia estar “curando-a” do lesbianismo. Por pouco não sobrevive

Infelizmente Millicent não é a únca, este crime horrendo é recorrente na África do Sul, onde lésbicas vivem aterrorizadas com ameaças de ataques. O mais triste é que jamais alguém foi condenado por “estupro corretivo”.

De forma surpreendente, desde um abrigo secreto na Cidade do Cabo, algumas ativistas corajosas estão arriscando as suas vidas para garantir que o caso da Millicent sirva para suscitar mudanças. O apelo lançado ao Ministério da Justiça teve forte repercussão, ultrapassando 140.000 assinaturas e forçando-o a responder ao caso em televisão nacional. Porém, o Ministro ainda não respondeu às demandas por ações concretas.

Vamos expor este horror em todos os cantos do mundo -- se um grande número de pessoas aderirem, conseguiremos amplificar e escalar esta campanha, levando-a diretamente ao Presidente Zuma, autoridade máxima na garantia dos direitos constitucionais. Vamos exigir de Zuma e do Ministro da Justiça que condenem publicamente o “estupro corretivo”, criminalizando crimes de homofobia e garantindo a implementação imediata de educação pública e proteção para os sobreviventes. Assine a petição agora e compartilhe -- nós a entregaremos ao governo da África do Sul com os nossos parceiros na Cidade do Cabo:

https://secure.avaaz.org/po/stop_corrective_rape/?vl

A África do Sul, chamada de Nação Arco-Íris, é reverenciada globalmente pelos seus esforços pós-apartheid contra a discriminação. Ela foi o primeiro país a proteger constitucionalmente cidadãos da discriminação baseada na sexualidade. Porém, a Cidade do Cabo não é a única, a ONG local Luleki Sizwe registrou mais de um “estupro corretivo” por dia e o predomínio da impunidade.

O “estupro corretivo” é baseado na noção absurda e falsa de que lésbicas podem ser estupradas para “se tornarem heterossexuais”, mas este ato horrendo não é classificado como crime de discriminação na África do Sul. As vítimas geralmente são mulheres homossexuais, negras, pobres e profundamente marginalizadas. Até mesmo o estupro grupal e o assassinato da Eudy Simelane, heroína nacional e estrela da seleção feminina de futebol da África do Sul em 2008, não mudou a situação. Na semana passada, o Ministro Radebe insistiu que o motivo de crime é irrelevante em casos de “estupro corretivo”.

A África do Sul é a capital do estupro do mundo. Uma menina nascida na África do Sul tem mais chances de ser estuprada do que de aprender a ler. Surpreendentemente, um quarto das meninas sul-africanas são estupradas antes de completarem 16 anos. Este problema tem muitas raízes: machismo (62% dos meninos com mais de 11 anos acreditam que forçar alguém a fazer sexo não é um ato de violência), pobreza, ocupações massificadas, desemprego, homens marginalizados, indiferença da comunidade -- e mais do que tudo -- os poucos casos que são corajosamente denunciados às autoridades, acabam no descaso da polícia e a impunidade.

Isto é uma catástrofe humana. Mas a Luleki Sizwe e parceiros do Change.org abriram uma fresta na janela da esperança para reagir. Se o mundo todo aderir agora, nós conseguiremos justiça para a Millicent e um compromisso nacional para combater o “estupro corretivo”:

https://secure.avaaz.org/po/stop_corrective_rape/?vl

Está é uma batalha da pobreza, do machismo e da homofobia. Acabar com a cultura do estupro requere uma liderança ousada e ações direcionadas, para assim trazer mudanças para a África do Sul e todo o continente. O Presidente Zuma é um Zulu tradicional, ele mesmo foi ao tribunal acusado de estupro. Porém, ele também criticou a prisão de um casal gay no Malawi no ano passado, e após forte pressão nacional e internacional, a África do Sul finalmente aprovou uma resolução da ONU que se opõe a assassinatos extrajudiciais relacionados a orientação sexual.

Se um grande número de nós participarmos neste chamado por justiça, nós poderemos convencer Zuma a se engajar, levando adiante ações governamentais cruciais e iniciando um debate nacional que poderá influenciar a atitude pública em relação ao estupro e homofobia na África do Sul. Assine agora e depois divulgue:

https://secure.avaaz.org/po/stop_corrective_rape/?vl

Em casos como o da Millicent, é fácil perder a esperança. Mas quando cidadãos se unem em uma única voz, nós podemos ter sucesso em mudar práticas e normas injustas, porém aceitas pela sociedade. No ano passado, na Uganda, nós tivemos sucesso em conseguir uma onda massiva de pressão popular sobre o governo, obrigando-o a engavetar uma proposta de lei que iria condenar à morte gays da Uganda. Foi a pressão global em solidariedade a ativistas nacionais corajosos que pressionaram os líderes da África do Sul a lidarem com a crise da AIDS que estava tomando o país. Vamos nos unir agora e defender um mundo onde cada ser humano poderá viver livre do medo do abuso e violência.

Com esperança e determinação,

Alice, Ricken, Maria Paz, David e toda a equipe da Avaaz

Leia mais:

Mulheres homossexuais sofrem 'estupro corretivo' na África do Sul:
http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2009/12/09/mulheres-homossexuais-sofrem-estupro-corretivo-na-africa-do-sul-915119997.asp

ONG ActionAid afirma que "estupros corretivos" de lésbicas na África do Sul estão aumentando:
http://virgula.uol.com.br/ver/noticia/lifestyle/2010/03/22/243215-ong-actionaid-afirma-que-estupros-corretivos-de-lesbicas-na-africa-do-sul-estao-aumentando

Acusados de matar atleta lésbica são julgados na África do Sul:
http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,acusados-de-matar-atleta-lesbica-sao-julgados-na-africa-do-sul,410234,0.htm


Apoie a comunidade da Avaaz! Nós somos totalmente sustentados por doações de indivíduos, não aceitamos financiamento de governos ou empresas. Nossa equipe dedicada garante que até as menores doações sejam bem aproveitadas -- clique para doar.

II Festival Alagoano das Palavras Pretas traz o ator Milton Gonçalves - AL

O II Festival Alagoano das Palavras Pretas que acontece dia 31 de janeiro, das 18 às 22 horas, pretende reunir as muitas gentes no entorno das palavras pretas: poesias e poemas, como fonte peculiar de encontros e descobertas.
O Festival Alagoano das Palavras Pretas é na verdade uma provocação literária: juntar as muitas matrizes de gentes: poetizas poetas, quem escreve sobre a temática negra, ou simplesmente gente que queira alimentar a alma com a catarse da palavra, quebrando os distanciamentos geográficos dos humanos com interesses, afetos e poesia.
Gentes daqui e gentes de acolá!
Será um dia da caça a palavra.
Teremos poesias pretas impressas e espalhadas pelos cantos, recantos do Teatro Abelardo Lopes que fica na Galeria Arte Center, Av.Antonio Gouveia, 1113, na Pajuçara.
Palavras impressas plantadas no chão, na entrada, nas cadeiras, etc
No Festival Alagoano das Palavras Pretas as palavras estarão em movimento.
Palavras sem vergonhas reinventando conversas rasgadas de poesia.
Na programação teremos muita gente rica de histórias.
Quer saber?
Contaremos com a especialíssima presença do ator brasileiro e militante do movimento negro a mais de 50 anos, Milton Gonçalves, a atriz alagoana Gal Monteiro, o ator alagoano Chico de Assis, o Grupo Pérolas Negras, da Comunidade de Remanescente Quilombola Pau D’Arco de Arapiraca/AL, e do menino Guilherme, de 06 anos, filho da professora Nanci, da Universidade Federal de Alagoas, que na edição do I Festival, ocorrido dia 07 de dezembro deu show de palavra declamada.
A entrada para o I Festival Alagoano das Palavras Pretas é franqueada ao público, entretanto é preciso que você faça sua inscrição.
E para fazer a inscrição é simples: mande um e-mail dizendo: “Quero participar do II Festival Alagoano das Palavras Pretas”.Coloque seu nome completo, instituição, endereço, telefone/celular,e-mail.
Envie para o seguinte e-mail: instituto-afro@googlegroups.com, com cópia para raizesdeafricas@gmail.com
Você receberá confirmação da inscrição.
Inscreva e fique a vontade. A palavra será toda sua!
Mais informações: (82)8815-5794

FONTE: http://www.cadaminuto.com.br/blog/raizes-da-africa

Usina Conta Zumbi: espetáculo teatral homenageia líder quilombola - BA

 GrupUsina de Teatro faz aniversário, levando ao palco as conseqüências da escravidão

Para comemorar os 10 anos de trajetória na cena teatral baiana, o GrupUsina de Teatro montou o espetáculo cênico-musical Usina Conta Zumbi, uma homenagem ao mais importante líder da luta negra no Brasil. A peça, com direção de Ana Paula Carneiro (Mister Holliday), será encenada nos dias 28, 29 e 30 de janeiro, às 18h30, no Teatro Martim Gonçalves, na Escola de Teatro da Ufba, Canela. A entrada é gratuita.

O espetáculo recria, através de sucessivos quadros e músicas executadas ao vivo, a figura lendária de Zumbi, líder do quilombo de Palmares, símbolo de resistência contra a escravidão e a opressão. Livremente inspirado na histórica montagem de 1965, Arena Conta Zumbi - texto de Augusto Boal e Gianfrancesco Guarnieri e música de Edu Lobo, o espetáculo dialoga com a contemporaneidade, relacionando os acontecimentos e personagens do passado com os fatos políticos, sociais e econômicos da atualidade, como trabalho escravo, ações afirmativas, sistema de cotas, inserção do negro na mídia e no mercado de trabalho, os movimentos sociais e a questão ambiental de Salvador.

“Decidimos celebrar os 10 anos de criação da companhia com a releitura de um clássico do teatro político feito no Brasil. Colocando as nossas idéias e angustias em relação a um passado de horror do nosso Brasil e que deixou marcas profundas em nossa identidade”, explica a atriz e diretora Ana Paula Carneiro.

“Apostamos no trabalho de criação coletiva, investindo igualmente nas características do ator atuador e do sistema Curinga, criado por Augusto Boal”, destaca Ana Paula. O modelo dramatúrgico criado pelo encenador carioca permite a montagem de qualquer peça com elenco reduzido, ao focar na versatilidade dos atores e alterar as tradicionais relações narrativas de gênero, permitindo uma expressiva colagem estética. Fundadora da companhia, ao lado do ator, diretor e dramaturgo Uarlen Becker, Ana Paula Carneiro vem se destacado como atriz, em espetáculo como Três história pra lembrar (Luiz Antônio Jr.), Rubem (direção coletiva, sob supervisão de Fernando Guerreiro), Noite em família (Vida Oliveira), A grande Peleja (Ivo Gato), além das peças do GrupUsina.

A montagem Usina conta Zumbi comemora os 10 anos de atividades do GrupUsina de Teatro, companhia criada com o objetivo de encenar peças de diversos estilos, em palco, rua e espaços alternativos, investindo na pesquisa, na criação de uma dramaturgia própria e na prática constante da investigação dos elementos essenciais de comunicação do teatro. Nesta década de atuação, o grupo se apresentou em diversas cidades brasileiras, participou de importantes festivais, como o Festival de Curitiba, e ganhou prêmios, incluindo o prêmio Braskem de melhor peça baiana do ano de 2007 na categoria júri popular por Gozo Frio.

Entre as montagens do GrupUsina, estão: As Três Marias, Balada do lado sem luz, Poema de Banheiro, o infantil O gênio do livro, O homem que só comia veado, baseado na literatura de cordel, Mister Holliday, Gozo Frio, À maneira de Godard e D’As criadas, entre outros.


SERVIÇO

Usina conta Zumbi
Livremente inspirado em Arena Conta Zumbi

Encenação: GrupUsina
Texto final e direção geral: Ana Paula Carneiro
Elenco: Adilson Passos, Águeda Tavares, Alef Bernardes, Edlene Silva, Evaldo Maurício, Diego Alcântara, Fernanda Silva, Liz Novais, Omar Leoni, Wellington Reis, Tiago Lobo e Uarlen Becker.
Assistentes de direção: Luiz Antônio Jr. e Lincoln Santos,
Direção e preparação musical: Roquildes Jr. e Gabriel Carneiro Costa

Quando: dias 28, 29 e 30 de janeiro (de sexta a domingo), às 18h30
Onde: Teatro Martim Gonçalves, Escola de Teatro da UFBA – Av. Araújo Pinho, Canela.
Entrada Gratuita
Contatos: (71) 8725-0043 - Ana Paula Carneiro
e-mail: grupusina@gmail.com

Araras/SP institui o Dia Municipal de Combate à Intolerância Religiosa


LEI Nº. 4.295, DE 6 DE NOVEMBRO DE 2009.

(Vereador Breno Zanoni Cortella
Proc. CM nº. 296/2009)


INSTITUI O DIA MUNICIPAL DE COMBATE À INTOLERÂNCIA RELIGIOSA.


                                    Dr. NELSON DIMAS BRAMBILLA, Prefeito em exercício do Município de Araras, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e é sancionada e promulgada a seguinte Lei:

                                    Art. 1º) – Fica instituído o Dia Municipal de Combate à Intolerância Religiosa a ser comemorado anualmente no dia 21 de janeiro.

                                    Parágrafo único – As comemorações poderão ser estendidas até o final do mês de janeiro, conforme programação oficial.

                                    Art. 2º) – A data fica incluída no Calendário Cívico do Município de Araras para efeitos de comemoração oficial.

                                    § 1º) – O Município poderá desenvolver atividades cívicas e culturais em referência à data.

                                    § 2º) – O Município poderá desenvolver atividades com o objetivo de estimular o diálogo, a tolerância e a harmonia entre as pessoas e grupos de diferentes identidades religiosas.

                                    Art. 3º) – As despesas decorrentes da execução da presente Lei, correrão por dotação orçamentária própria, suplementada se necessário.

                                    Art. 4º) – Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.


Dr. NELSON DIMAS BRAMBILLA
Prefeito Municipal em exercício


Dr. JOSÉ LUIZ CORTE
Secretário Municipal de Assuntos Jurídicos

                                    Registrada e publicada na Divisão de Comunicações, do Departamento de Comunicações, da Secretaria Municipal de Assuntos Jurídicos, desta Prefeitura Municipal de Araras, aos 6 (seis) dias do mês de novembro do ano de dois mil e nove.

sábado, 22 de janeiro de 2011

CONEN lança campanha em homenagem aos malês - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

XI CONLAB: "Diversidades e (Des)Igualgualdes" - BA

O XI Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais - Diversidades e (Des)Igualgualdes  - está organizado em 11 (onze) Eixos Temáticos. Os proponentes de Grupos de Trabalho devem optar por um dos Eixos abaixo e realizar a inscrição.

1 - Identidades, poder e política no mundo luso-afro-brasileiro
2 - Religiões e religiosidades: identidades e diversidades
3 - Direitos e cidadanias: políticas públicas, educação, sustentabilidade e redes sociais
4 - Cultura, sociabilidades e pluralismos culturais: interseções de gênero, classe, família, raça e etnia
5 - Corpo, saúde e sexualidades
6 - Patrimônios culturais: poder e memória
7 - Territorialidades e identidades: migrações, deslocamentos e diversidade cultural
8 - Linguagens, literaturas e artes: diferenças e diversidades
9 - Relações internacionais, Estado e pluralidade cultural: projetos, conflitos e conexões
10 - Comunicação, ciência e tecnologia
11 - Recursos naturais, campesinato e globalização: mobilização, conflitos e gestão

http://www.xiconlab.eventos.dype.com.br/#

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Terreiro é atacado em Camaçari - BA

O Reveillon de 2011 teve um gosto amargo para os filhos e filhas da casa de axé Ilê Axé Iji Omin Toloyá, localizada em Areias, Camaçari, município componente da Região Metropolitana de Salvador (RMS). Armado com um porrete, um evangélico invadiu o lugar e destruiu artefatos religiosos de valor inestimável. Acuado dentro de casa, onde se refugiou, o babalorixá José Livramento Júnior chamou a polícia, que deteve o agressor. Porém, enquanto a viatura estava a caminho, o estrago foi grande. Após ter destruído a casa dos santos, lugares dedicados a preces e rituais, Gilton avançou furioso sobre um veículo Gol, de propriedade do babalorixá. Em seguida, destruiu completamente uma máquina de lavar, que ficava numa lavanderia fora da casa.
Após lançar sua fúria sobre bens simbólicos e materiais, o rapaz tentou invadir a casa de Livramento, tentando arrombar a porta. De acordo com relatos do pai de santo, ele gritava que teria vindo salvar as pessoas do ‘inimigo’. “Não tenha dúvida da dor, que todos estamos sentindo, mas sabemos também da capacidade histórica que nosso Povo sempre teve e tem para enfrentar todas as formas de violência orquestradas contra nossa fé e patrimônio que herdamos dos nossos ancestrais”, pondera o sacerdote. “Estou aqui de pé diante da dor e luta, de joelhos no chão diante de meu Pai Omolu e acolhido pelos meus”, lamenta.
 
Contato:
Luiz Souza, jornalista
DRT-Ba: 2537

sábado, 15 de janeiro de 2011

4ª Caminhada contra Intolerância Religiosa e pela Paz em Itapuã - BA

 (Clique na imagem para ampliá-la)

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Instituto Steve Biko abre inscrições para cirso pré-vestibular - BA

O INSTITUTO CULTURAL STEVE BIKO (ICSB), abre inscrições para o processo seletivo do curso pré-vestibular 2011. O objetivo é proporcionar aos afro-descendentes possibilidades de igualdade de condições para concorrer às provas dos vestibulares, bem como promover a ascensão social da comunidade negra por meio da educação e do resgate de seus valores ancestrais, contribuindo assim para a redução das desigualdades raciais em nosso país.
O ICSB torna pública a abertura de inscrição para o pré-vestibular 2011 destinado aos candidatos que concluíram ou que estejam cursando o último ano do Ensino Médio ou equivalente.

I – INSCRIÇÕES
1.1 – Estão abertas as inscrições para selecionar os candidatos que comporão a turma do Curso Pré-Vestibular 2011.
1.2 – As inscrições serão feitas na sede do Instituto Cultural Steve Biko sito à Rua do Paço, 04 – Largo do Carmo/Pelourinho de segunda a sexta-feira das 14:00 às 18:00hs no período de 11 a 28 de janeiro de 2011.
1.3 – TAXAS
Valor da inscrição (entrevista + prova): R$ 25,00 (vinte e cinco reais).

II – DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA
2.1 –  No ato da inscrição o candidato obrigatoriamente deverá:
a) Apresentar original ou cópia autenticada do comprovante de conclusão do Ensino Médio ou que está em vias de conclusão no ano de 2011;
b) Original ou cópia autenticada do RG e do CPF;
c) Apresentar Comprovante de Residência;
d) 01 foto 3×4 atual;
e) Entregar a ficha de inscrição, devidamente preenchida;
f) Pegar boleto de pagamento da Taxa de inscrição (R$ 25,00)

III – VAGAS
ÚNICO: Serão oferecidas 60 (sessenta) vagas para o TURNO NOTURNO.

V – SELEÇÃO
A seleção será realizada em duas etapas:
1ª ETAPA – classificatória -  prova escrita e redação
2ª ETAPA –  classificatória -  entrevista e dinâmica de grupo
Serão selecionados por ordem de classificação 200 candidatos da primeira etapa para a realização da 2²etapa, de onde sairá a classificação final dos 60 selecionados.

PROVAS
Língua Portuguesa (15 questões)
Assuntos – Regras de acentuação gráfica;Formação de palavras:derivação; composição; hibridismo; redução; empréstimos e gírias. Concordância verbal e nominal; regência verbal; Semântica:sinonímia;antonímia;  campo semântico – hiponímia e hiperonímia;polissemia.
Matemática (15 questões)
Assuntos  – Raciocínio Lógico; Divisibilidade; Números primos; Mínimo Múltiplo Comum (MMC) e Máximo Divisor Comum (MDC); Potenciação e Radiciação; Números fracionários; Números decimais; Razão e proporção; Porcentagem; Média aritmética e média ponderada; Expressões numéricas; Regra de três simples e composta; Equações do 1º grau; Sistemas de equações do 1º grau.
Conhecimentos Gerais (15 questões)
Redação (de 25 a 30 linhas)

V –  SELECIONADOS
ÚNICO: Serão selecionados inicialmente 60 (sessenta) estudantes obedecendo á ordem crescente de classificação.

VI – DATAS DO PROCESSO
INSCRIÇÕES: 11/01 a 28/01/2011 (de segunda a sexta feira das 14:00h às 19:00h.).
PROVA – DIA 06 DE FEVEREIRO DE 2011 (08h30min às 12h30min) – Local a confirmar
Resultado da Prova: 10 de fevereiro de 2011
Entrevista: de 14 a 17 de fevereiro de 2011
Resultado Final: 24 de fevereiro de 2011, as 15:00hs.
Matrículas: de 28 de fevereiro a 02 de março de 2011 no horário de 08:00h às 12:00h das 14:00h às 19:00h.
Aula inaugural 2011: 12 de março de 2011 as 14h00min – Local a Confirmar
Início das aulas: 14 de março de 2011 – Local Sede do Instituto Steve Biko: Rua do Paço, 04 Largo do Carmo 2º andar Pelourinho-Salvador.

VII –  DISPOSIÇÕES FINAIS
a) A inscrição só será efetivada após a apresentação do boleto bancário pago.
b)  O curso  ocorrerá no período NOTURNO , as aulas serão de segunda a sexta-feira das 18:45h às 22:00hs e aos sábados das 14:00h às 18:00hs.
c) Caso haja desistência dos primeiros classificados, outros candidatos podem ser chamados da lista suplementar que será divulgada no dia 18 de março, com convocação até o dia 21 de março de 2011 para a formação da turma.

Salvador , 10 de janeiro de 2011
Tarry Cristina                    
Diretora Pedagógica

Curso Direitos e Prerrogativas das Religiões Afro-Brasileiras em janeiro de 2011

O conteúdo programático do Curso de Direitos e Prerrogativas das Religiões Afro-Brasileiras, que irá ocorrer na Faculdade Zumbi dos Palmares em São Paulo. http://www2.zumbidospalmares.edu.br/

OBJETIVO
O curso tem como objetivo informar e conscientizar sobre legalização dos templos, isenção de IPTU, direitos do sacerdócio, casamento religioso, legislação sobre os cultos, abate religioso de animais, direito ambiental, cuidados a serem tomados no recolhimento de pessoas, etc.
 
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO•    A igualdade de todas as religiões perante a lei
•    Como legalizar o templo religioso
•    Direitos dos Sacerdotes e Sacerdotisas
•    Intolerância religiosa é crime
 
FACILITADOR
Prof. Dr. Hédio Silva Jr. - Advogado, Mestre em Direito Processual Penal e Doutor em Direito Constitucional pela PUC-SP, Coordenador do Curso de Direito da Universidade Zumbi dos Palmares, Coordenador Executivo do CEERT – Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades e ex-Secretário de Justiça do Estado de São Paulo (2005-2006).
Autor de teses, livros e artigos sobre liberdade religiosa, além de Advogado de Federações e associações religiosas de São Paulo e outros estados.
 
DATA E HORÁRIO
26 ,27, 28 de janeiro das 19 às 22 horas
 
INVESTIMENTO
Público externo R$ 50,00
Aluno, convênio R$ 30,00
Forma de pagamento:  dinheiro ou cartão de crédito
 
Informações
Coordenador:Prof. Dr. Hédio Silva Jr.
e-mail: coordenacao.cursos@zumbidospalmares.edu.br
Atendimento: De segunda a sexta-feira: das 18h às 22h15

Criada Faculdade em Goiás para comunidades quilombolas

O primeiro Curso de Licenciatura Plena em Educação Quilombola ? a Faculdade Kalunga ? que será implantado no país, atenderá as comunidades remanescentes de quilombos do Território Kalunga localizada na Chapada dos Veadeiros, nos municípios de Cavalcante, Monte Alegre e Teresina de Goiás, no estado de Goiás.

Educação
O anúncio foi feito pelo deputado Pedro Wilson (PT-GO), que agradeceu a iniciativa do ministro da Educação, Fernando Haddad, e pediu celeridade no processo para o início do curso, ainda este ano, argumentando que a escola vai atender a demanda de uma comunidade tradicional e preencher a carência de profissionais qualificados para a área em toda a região.
Para Maria Helena Kalunga, de Monte Alegre, uma das principais lideranças na luta pela implantação do curso, esta é uma decisão histórica que coloca o Brasil entre os mais evoluídos países do mundo e resgata a história de um povo preservando sua origem e sua cultura.
Pedro Wilson lembrou que esta é uma luta histórica que envolveu, nos dois últimos anos, as comissões de Educação e Cultura, de Direitos Humanos e de Legislação Participativa da Câmara, com a realização de diversos seminários e audiências públicas, que contou com a participação de representantes da SEPPIR (Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial), do Ministério da Educação (Mec), da Fundação Palmares, das universidades Estadual e Federal de Goiás, a Universidade de Brasília (UnB), e autoridades dos municípios envolvidos e, principalmente das lideranças Kalunga.
O curso atenderá professores e ex-professores da comunidade que já possuem o ensino médio e vinham exercendo a função para cobrir a deficiência de profissionais de educação qualificados na área.

Fonte: Informes PT

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Inscrições abertas para o projeto Bahia Street - BA

Para se candidatar ao processo de seleção, o interessado deve preencher uma ficha de inscrição disponível no próprio projeto.
Podem se candidatar alunas regularmente matriculadas no ensino fundamental e que estudem no turno matutino.

Endereço: Rua do Sodré, 435. Largo Dois de Julho-Centro
Tel: 3322-7680

Cidadania
Teatro 
Educação Étnico-Racial
Artes 
Capoeira 
Inglês 
Complementação da disciplinas regulares
Informática

Quer saber um pouco mais sobre nós? Acesse: http://www.bahiastreet.org/

Seleção de docentes para o Curso Pré-vestibular Alternativo Coequilombo - BA

Desde 1999, Ação Social da Paróquia São Brás (ASPASB) vem desenvolvendo o projeto do Curso Pré-vestibular Alternativo Coequilombo com o intuito de contribuir na luta contra o racismo, o machismo, a intolerância religiosa e todas as formas de preconceito. O curso é fruto da união de estudantes universitários do Subúrbio Ferroviário de Salvador e da Pastoral Afro de Plataforma, que desejavam aumentar a participação de jovens afro-descendentes das classes populares nas instituições de ensino superior públicas da Bahia, e, por conseguinte colaborar para a construção de uma sociedade mais justa e menos desigual.
Ao longo desses 12 anos de atividades, como resultado desse esforço, conseguimos aprovar mais de 200 estudantes nas universidades públicas, alguns deles inclusive tendo participado de programas de intercâmbio nos Estados Unidos e de pós-graduação nas instituições de ensino superior no Brasil.
Para dar continuidade aos nossos trabalhos em 2011, estamos selecionando professor(a) voluntário(a) da disciplina Geografia Física para o Curso Pré-vestibular Alternativo do Coequilombo.
Em virtude de ainda não termos tido a confirmação de nossos professores(as) voluntários(as) para ano letivo de 2011, estamos também fazendo seleção para cadastro reserva das disciplinas de Biologia, Física, Matemática e Químicas Inorgânica e Orgânica.
O valor da nossa hora/aula de 35 minutos é de R$ 15,00 (quinze reais), sendo duas aulas geminadas por semana.
As aulas ocorrerão de segunda a sexta, das 19h às 22h30min, e aos sábados, das 14h às 17h30min.
Os(As) interessados(as) podem enviar currículos para o e-mail: coequilombo@gmail.com e coequilombo1@yahoo.com.
A seleção ocorrerá entre os dias 22 de janeiro e 12 de fevereiro do ano corrente, e será composta por uma aula-teste de 50 (cinquenta) minutos e uma entrevista.
Endereço: Rua Santo Antonio de Plataforma, Plataforma, Salvador –Ba.

Historiadora Kátia Mattoso morreu nesta terça, em Paris

11/01/2011 às 12:12
 ATUALIZADA às 12:12 | COMENTÁRIO (0)
A TARDE On Line

A historiadora e cientista política Kátia Mattoso, 78 anos, morreu na manhã desta terça-feira, 11, em Paris, França. O comunicado foi feito no site da Fundação Pedro Calmon, que informou ainda a realização da missa de sétimo dia, na próxima segunda-feira, 17 de janeiro, às 10h, na Igreja de São Bento, Centro de Salvador.

De acordo com familiares, o enterro será na Grécia, país onde nasceu a professora.


Kátia era especialista em história social da escravidão no Brasil, Doutora Honoris Causa pela Universidade Federal da Bahia e Professora Emérita aposentada da Universidade de Paris V – Sorbonne. Autora, entre outras obras, de Ser Escravo no Brasil (1982) e Bahia Século XIX – Uma Província no Império (1992).

Oficina de danças brasileiras - BA

Conhecer algumas danças regionais brasileiras que fazem parte do ciclo carnavalesco e seus respectivos contextos históricos, políticos, sociais e culturais. A origem e história de cada dança abordada, como o Samba de Roda, Maracatu, Frevo, Jongo, Ciranda e outros . Conhecer os movimentos, evolução espacial e musicalidade das danças brasileiras. Desenvolver o potencial criativo e a expressão corporal. Refletir sobre a importância da valorização da Cultura Popular brasileira.

Onde: Espaço Xisto Bahia
Quando: Segundas e quartas-feiras. 10, 12, 17, 19, 24, 26 e 31 de janeiro. Das 10:00 às 12:00
Quanto: R$ 50,00
Realização: Isis Carla Matos Cardoso
Contato: (71) 3117-6155 / 6156; dancasbrasileiras@gmail.com

domingo, 9 de janeiro de 2011

Edital de Seleção 2011 V Curso de Atualização: “A Teoria e as Questões Políticas da Diáspora Africana nas Américas” - RJ

Criola, através do Programa MultiVersidade Criola , um espaço de formação feminista e anti-racista para mulheres negras, o  Programa de Estudos e Debates dos Povos Africanos e Afro-americanos  (PROAFRO) do  Centro de Ciências Sociais da  Universidade do Estado do Rio de Janeiro, em parceria com a Universidade do Texas em Austin, através do Centro de Estudos Africanos e Afro-americanos (CAAAS), do Departamento de Estudos da África e da Diáspora Africana, e do  Instituto de Estudos Latino Americanos Teresa Lozano Long (LILLAS), torna público a abertura de inscrições para selecionar alunas e alunos para o Curso de Atualização em Estudos da Diáspora Africana, nas datas e sob as condições especificadas no presente edital. 

Objetivo do Curso

Oferecer formação acadêmica e intelectual de alto nível a ativistas, estudantes e intelectuais de todo o país interessados na área de Estudos da Diáspora Africana, a partir das análises críticas produzidas pelo feminismo negro no Brasil em outras comunidades da Diáspora Africana, e em especial nos Estados Unidos. Este Curso de atualização tem como base o Programa de Pós-Graduação em Estudos da Diáspora Africana da Universidade do Texas em Austin, um dos mais respeitados nos Estados Unidos, e oferecido pelo Centro de Estudos Africanos e Afro-americanos (CAAAS) e pelo Departamento de Antropologia, ambos filiados à Universidade.  

Condição do curso

O curso é gratuito. As despesas de alimentação, transporte, hospedagem e do material
didático- pedagógico são de responsabilidade exclusiva do(a) candidato(a). 

Participação 
Poderão se inscrever para a seleção ativistas dos movimentos sociais, negro e de
mulheres negras, bem como estudantes universitárias/os em nível de graduação e pósgraduação. 

Condições para a participação 
a) Domínio da língua inglesa (leitura e compreensão), pois as aulas serão ministradas
parcialmente em inglês e a maior parte da bibliografia é em inglês; 
b) Disponibilidade de tempo para participação e leitura da bibliografia. 

Período e local do curso
7 de junho a 19 de julho

O curso será realizado nas dependências da Universidade do Estado do Rio de Janeiro
(UERJ), às segundas e quartas-feiras, de 13h às 18h, no período de 07 de junho a 19 de
julho de 2011, com carga horária total de 60 horas. Será considerado aprovado(a) o(a)
aluno(a) que atender aos critérios de avaliação do curso, dentre os quais a freqüência de
até 75% do total de horas do curso. Os certificados serão emitidos pela Sub-Reitoria de
Extensão da UERJ. 

Total de Vagas 

20 vagas disponíveis 

Inscrição e seleção
 
A  ficha de inscrição está disponível on-line no site www.criola.org.br. As/os
interessadas/os deverão preencher esta ficha, enviá-la por e-mail para
diasporaafricana@criola.org.br anexando um curriculum vitae (três páginas no máximo)
com informações sobre formação, a ação anti-racista e feminista, participação em eventos
acadêmicos e/ou ativistas e até 3 (três) referências de artigos acadêmicos e/ou
informativos de autoria do(a) candidato(a) e pertinentes ao tema do curso. A ficha de
inscrição e o curriculum vitae  só serão aceitos por e-mail e deverão ser enviados no
período de 20/12/2010 à 28/02/2011. 

Os critérios para seleção, com base na ficha de inscrição e no curriculum vitae
apresentados  são: experiência ativista na luta  antirracista e/ou feminista, conhecimento
acadêmico sobre questão racial, domínio  da língua inglesa .
A lista com o nome dos selecionados para o curso será publicada no site de Criola (www.
criola.org.br) e do PROAFRO(www.neabuerj-proafro.com.br) no dia 25/03/2011. 
A seleção das/os alunas/os e a decisão final e irrevogável cabe à coordenação do curso.

Coordenação do Curso
• João Costa Vargas (Ph.D., University of California in San Diego)
Professor Associado, Depto. de Antropologia e Centro de Estudos Africanos e Afroamericanos da Universidade do Texas em Austin.  
• Magali da Silva Almeida (Me., Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro -
UNIRIO, Doutoranda em Serviço Social, Pontifícia Universidade Católica do Rio de
Janeiro). 
Professora da Faculdade de Serviço Social, e Coordenadora do Programa de Estudos
e Debates dos povos Africanos e Afro-americanos (PROAFRO), Universidade do
Estado do Rio de Janeiro. 
• Sônia Beatriz dos Santos (Ph.D., University of Texas at Austin)
Coordenadora do Programa MultiVersidade (CRIOLA)
Pesquisadora Associada  

Informações adicionais no PROAFRO
Tel: 2334-0140 de 13 às 18h, de segunda à sexta feira.
Pavilhão João Lyra Filho, R. São Francisco Xavier, 524, 8º andar, Bloco E, sala 8017.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

"Preconceito nunca se apresenta claramente", diz 1º embaixador negro do Brasil; leia relato

DEPOIMENTO A JULIANA ROCHA
DE BRASÍLIA

Meu pai foi agente de portaria, um contínuo (...) O preconceito nunca se apresenta claramente. No campo das relações humanas, você nota reação positiva ou negativa (...) É preciso que haja ações afirmativas (...) Eu não me beneficiei de nenhuma política. Na minha época, isso não havia.
Filho de um contínuo, Benedicto Fonseca Filho, 47, foi promovido em dezembro a embaixador, o primeiro negro de carreira. E o mais jovem. Passou por Buenos Aires, Tel Aviv e Nova York. Vai chefiar o departamento de Ciência e Tecnologia. Ele declara orgulho de ser negro e filho de pais humildes que o educaram para chegar ao topo na casa mais aristocrática do país.
Nasci no Rio, em 1963. Mudei para Brasília em 1970 porque meu pai veio ser funcionário do Itamaraty. Ele foi agente de portaria, que é um contínuo. Quando eu tinha nove anos, toda a família foi para a [antiga] Checoslováquia [no leste europeu], quando meu pai foi removido para Praga por três anos.


Sergio Lima/Folhapress
Embaixador Benedicto Fonseca Filho, na escadaria do

                Itamaraty, em Brasília
Embaixador Benedicto Fonseca Filho, na escadaria do Itamaraty, em Brasília

Naquele tempo, todos os funcionários das embaixadas eram de carreira. Hoje, esses são terceirizados. Foi essa experiência internacional que me despertou o interesse pelo Itamaraty. Talvez por ter estudado em escolas internacionais, na escola francesa e na americana.
Meu pai e minha mãe, na sua humildade, nunca pouparam esforços para nos proporcionar as melhores condições de estudo.
Hoje, meu pai tem 84 anos, já é aposentado há 14. Minha maior satisfação foi eu ser promovido com ele ainda vivo. Ele ficou tão ou mais contente do que eu.
Fiz o concurso [do Itamaraty] em 1985 e entrei de primeira, aos 22 anos. Quando saiu a lista dos aprovados, um jornal de Brasília fez uma matéria que dizia: "Mulher e negro passam em primeiro lugar no Rio Branco". A mulher foi o primeiro lugar e eu, o segundo.
Vinte e cinco anos depois, uma mulher passar em primeiro lugar já não causa tanto espanto. Naquela época, tinha só uma mulher embaixadora.
Hoje, são várias mulheres embaixadoras, acho que 20, ocupando postos importantes. Talvez chame muito mais atenção quando um negro ascende na carreira do que uma mulher.
Em relação à diversidade racial já avançamos muito, mas ainda temos muito que avançar. Houve um olhar para essa questão na gestão do ministro Celso Amorim. 

PRECONCEITO
O preconceito nunca se apresenta claramente. No campo das relações humanas, você nota reação positiva ou negativa das pessoas.
Mas seria leviano dizer que eu experimentei uma situação que pudesse identificar como preconceito [no Itamaraty]. Nunca houve.
Me lembro de um caso [de reação positiva]. A primeira vez que fui à ONU em 2004, um colega do Caribe me chamou no canto para dizer que pela primeira vez via um diplomata negro na delegação brasileira.
Ele enfatizou: "It's the first time ever, ever. We are proud" [É a primeira vez. Estamos orgulhosos].
Eu faço um paralelo com os EUA, que tiveram um sistema de cotas importante para criar uma classe média negra que se autossustenta, que agora pode seguir em frente sem a necessidade de políticas diferenciadas.
No Brasil, as cotas das universidades vão produzir uma diversidade salutar. 

COTAS NO ITAMARATY
É preciso haver políticas de ação afirmativa. No ministério, damos bolsas para proporcionar condições financeiras adequadas para que os afrodescendentes se preparem, o que tem tido um resultado muito positivo.
O objetivo é dar condições para pessoas que têm talento. Algumas vezes é visto como se estivessem recebendo um privilégio. Temos o cuidado de preservar as condições de preparação.
Eu não me beneficiei de nenhuma política. Na época, não havia. Mas olhando retrospectivamente, creio que me beneficiei de certas circunstâncias.
Tive oportunidades que raramente os negros têm. Morei no exterior, estudei idiomas com a ajuda do Itamaraty, porque ajudavam nos estudos dos filhos dos funcionários.
Os críticos das cotas têm uma contribuição que não é irrelevante. Eles dizem que, cientificamente, não há raças, não há diferenças entre brancos e negros.
É uma desmistificação para quem acha que há diferenças intrínsecas. Mas há uma falha no argumento. Do ponto de vista humano e das relações sociais, existem diferenças.
Basta ver os índices sociais, condições de saúde e de moradia para ver que existe um problema. Isso não é tratado de maneira séria e aprofundada [pelos críticos].
Nosso país tem muitos passivos. A preocupação social e racial tem que andar lado a lado. Ou deixamos as coisas acontecerem, ou tentamos uma intervenção. O assunto não pode ser jogado para debaixo do tapete. 

ÁFRICA
Nos últimos anos, houve uma preocupação de diversificar as relações externas, ter um olhar novo não só em relação à África. Resgatar elementos de nossa identidade, cultura e sociedade.
Mas também avançamos na área comercial, levando em conta nosso interesse econômico. Tenho orgulho de ser negro. Faz parte da minha identidade. E de ser brasileiro. Mais do que isso, tenho orgulho de ser filho dos meus pais.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Inscrições abertas para o pré- vestibular feminino gratuito Bahia Street - BA

São poucas as pessoas com condições para pagar as mensalidades de um cursinho pré-vestibular. Para ajudar as interessadas em conseguir a aprovação, a ONG Bahia Street abriu as inscrições para a seleção do curso pré-vestibular gratuito.
As
aulas terão início no mês de março e serão realizadas no projeto Bahia Street, localizado na Rua do Sodré, 435, Largo do Dois de Julho- Centro, todos os dias à noite.

As inscrições para o curso pré-
vestibular já estão abertas e podem ser feitas no próprio projeto.
O Projeto Bahia Street é uma instituição sem fins lucrativos, fundada em 1997, com a missão de romper o círculo da pobreza com educação e cidadania. A proposta do Projeto é combater a discriminação racial e de gênero, visando a garantia dos direitos humanos, por meio de ações educacionais e sócio-culturais. O trabalho se justifica pela constatação da desigualdade de oportunidades, principalmente entre mulheres negras.

Para esclarecer dúvidas sobre o pré-vestibular e obter mais informações, os interessados podem entrar em contato com o Projeto Bahia Street pelo telefone 71-3322-7680.

Unilab abre inscrições para ingresso em cinco cursos


Estarão abertas, entre 10 e 31 de janeiro, inscrições ao processo seletivo da Unilab, que inicia suas atividades este ano, oferecendo cinco cursos de graduação, em seu campus no município de Redenção.
Podem concorrer os que concluíram ou estão em vias de concluir o Ensino Médio ou que possuam certidão de exame supletivo e que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). A inscrição, realizada somente via internet, é gratuita.O candidato que prestou o ENEM 2010 deverá acessar o endereço eletrônico www.unilab.ufc.br, preencher integralmente o formulário de inscrição, fornecendo todos os dados solicitados, e imprimí-lo.
Aqueles que cursaram o Ensino Médio em escola pública, de forma integral ou parcial, deverão declarar e comprovar tal situação, visando subsidiar sua classificação no processo seletivo. O candidato poderá optar por dois entre os cinco cursos de graduação oferecidos pela Unilab: Agronomia (bacharelado), Administração Pública (bacharelado), Ciências da Natureza e Matemática (licenciatura), Enfermagem (bacharelado) e Engenharia de Energias (bacharelado).
A Unilab oferece 36 vagas em cada um dos cursos, num total de 180, para ingresso no primeiro e no terceiro trimestres de 2011. Estudantes de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste fizeram suas inscrições nas missões diplomáticas brasileiras naqueles países e o processo seletivo será realizado sob a coordenação da Pró-Reitoria de Graduação da Unilab.
Fonte: Secretaria da Unilab  - fone (85) 3366.9496

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Chamada de trabalhos para o I Encontro Internacional de Estudos Africanos do NEAF/UFF

Universidade Federal Fluminense - Niterói, Campus do Gragoatá. - 24 a 26 de maio de 2011.
O campo de estudos africanos vem se desenvolvendo rapidamente no Brasil nos últimos anos. Tal desenvolvimento pode ser vislumbrado na ampliação do número de professores especialistas nos departamentos de universidades públicas e privadas, no aumento significativo do número de doutorados defendidos relacionados com a área e no surgimento de espaços de debate e discussão das pesquisas em âmbito regional e nacional.
Assim, pretendendo estabelecer um fórum permanente de discussão de temas relativos à história da África, e fomentar a consolidação deste amplo campo de pesquisas, o NEAF (Núcleo de Estudos Brasil-África) e o Departamento de História da Universidade Federal Fluminense convidam pesquisadores em vários níveis de formação à participar do Primeiro Encontro Internacional de Estudos Africanos da UFF, em Niterói nos dias 24,25 e 26 de maio de 2011.
A seleção de trabalhos propositadamente não se restringe a temas específicos abrindo possibilidades para variadas abordagens quer metodológicas, quer temáticas que envolvam a pesquisa relacionada ao continente africano, suas populações e histórias.

SUBMISSÃO DE TRABALHOS
Os resumos expandidos (de até 4,5 mil caracteres) deverão ser enviados até o dia 21 de Fevereiro de 2011 para o endereço de e mail semanadaafricauff@yahoo.com.br, na seguinte formatação:
  • Formato de arquivo “.doc” ou “.odt”;
  • Fonte Times New Roman, tamanho 12;
  • Espaço entre linhas de 1,5.
No resumo deverá constar nome do autor, filiação institucional e maior nível de formação.
Os aceites dos trabalhos serão enviados entre os dias 28/02 e 04/03/2011.
As inscrições são gratuitas e o evento não fornece cobertura de custos aos participantes. Recomenda-se que os autores dos trabalhos selecionados apresentem o texto completo na data do encontro. Os melhores trabalhos na avaliação da comissão científica serão selecionados para eventual publicação.

Comissão organizadora:
Alexsander Lemos de Almeida Gebara (UFF)
Alexandre Vieira Ribeiro (UFF)
Marcelo Bittencourt Ivair Pinto (UFF)
Mariza de Carvalho Soares (UFF)

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Dona Zuzu, do bar Aconchego da Zuzu, morre aos 103 anos - BA

Luiz Lasserre, do A TARDE
Eduardo Martins | Ag. A Tarde | Arquivo
Dona Zuzu tinha 103 anos
Dona Zuzu tinha 103 anos
O bairro do Garcia (e todos que frequentavam ou conheciam o tradicional espaço Aconchego da Zuzu) está de luto com a notícia do falecimento da matriarca que dava nome ao restaurante. Juvência dos Santos Marinho – ou simplesmente Dona Zuzu — faleceu em casa e foi sepultada às 16h deste domingo, 2, no cemitério do Campo Santo.
Com uma trajetória de 103 anos, ela nasceu no Politeama de Baixo, tendo vivido também no bairro do Tororó.
Símbolo de alegria e entusiasmo, com atuação marcante na época de ouro do Carnaval das escolas de samba — que tinham no Garcia um celeiro de artistas —, ela se estabeleceu no bairro, vivendo com os seis filhos, 16 netos e 9 bisnetos.
Dona Zuzu morava numa pequena "ilha", em que estão distribuídas várias casas, cujo pátio central abriga o restaurante que lhe presta homenagem, o Aconchego da Zuzu.