SEGUIDORES DO BLOG




CALENDÁRIO NEGRO - ABRIL

1 – Criação do Partido dos Panteras Negras, EUA (1967)

1 – Nasce no bairro da Tijuca, Rio de Janeiro, o cantor e compositor Antônio Moreira da Silva - Kid Morengueira, famoso pelo jeito muito próprio de cantar o samba de breque. Fez sucesso com sambas antológicos como: "Acertei no Milhar", "O Rei do Gatilho" e "Na Subida do Morro" (1902)
1 – Tem início em Dacar, Senegal, o I Festival Mundial de Arte Negra (1966)
2 – Nasce em Santa Maria da Vitória (BA), o famoso escultor de carrancas do Rio São Francisco, Francisco Biquiba dy Lafuente Guarany. (1882)
2 – Nasce em Washington (EUA), o cantor, compositor, baterista, pianista, arranjador e produtor Marvin Gaye. Faz parte de seu repertório, sucessos como: "What's Going On", "Let's Get It On", "Sexual Healing" (1939)
2 – Criação no bairro de Madureira (RJ), do Grupo Afro-Cultural Agbara Dudu, que em iorubá significa "força negra", o mais antigo bloco-afro do Rio de Janeiro (1982)

2 – Nasce Dener Augusto de Sousa, o Dener, famoso jogador de futebol morto precocemente num acidente automobilístico (1971)
3 –
Martin Luther King Jr. profere seu discurso I've Been to the Mountaintop (Eu estive no topo da montanha), na sede da Igreja Mundial de Deus em Cristo, em Memphis, Estados Unidos (1968)

3 – Nasce nos Estados Unidos, o ator Eddie Murphy (1961)

3 – Nasce em São Paulo/SP, Mauro Mateus dos Santos, o compositor, cantor e ator brasileiro Sabotage (1973)

4 – Tem início em São Paulo, o I Encontro de Padres e Bispos Negros (1989)
4 – Nasce nos Estados Unidos, o ator e produtor Eddie Murphy (1961)
4 – Nasce em Rolling Forks, Mississipi (EUA), o músico e cantor de blues Mckinley Morganfield - Muddy Waters, um dos maiores mestres do blues urbano (1915)
4 – Independência do Senegal. (1960)
4 – Nasce em Lins/SP, Nelson Prudêncio, professor e atleta de salto triplo, ganhador de várias medalhas: uma medalha de prata nas Olimpíadas de Verão de 1968, na Cidade do México, uma medalha de bronze nas Olimpíadas de Verão de 1972, em Munique, uma medalha de prata nos Jogos Panamericanos de 1967, no Canadá, e uma medalha de prata nos Jogos Panamericanos de Cali, Colômbia, em 1971 (1944)

5 – Nasce nos Estados Unidos, o educador Booker T. Washington (1856)

5 – Nasce em Salvador (BA), Vicente Ferreira Pastinha - Mestre Pastinha, considerado o maior guardião da capoeira angola (1889)
5 – Nasce o compositor Joaquim Maria dos Santos, Donga, autor de “Pelo telefone”, primeiro samba gravado (1890)

6 – Nasce em Kinshasa/República Democrática do Congo, Fabrice Ndala Muamba, ex-jogador de futebol do Arsenal e Birminghan. Em 2012, teve um mal súbito, ficou com o coração parado por 78 minutos e sobreviveu (1988)
7 – Nasce em Baltimore (EUA), a cantora imortal, Billie Holiday, consagrada através de canções como: "Strange Fruit", "God Bless the Child", "Solitude", "My Man", "Don't Explain", entre outros (1915)

7 – Nasce Antônio Carlos Bernardes Gomes, o Mussum, músico, ator e humorista brasileiro, integrante do grupo Os Trapalhões (1941)
7 – Dia da Mulher Moçambicana - Em homenagem a Josina Mutamba Machel, comandante do destacamento de mulheres da FRELIMO e chefe de Assuntos Sociais do Departamento de Assuntos Exteriores de Moçambique
8 – A atriz Ruth de Souza recebe em Brasília a Comenda do Grau Oficial da Ordem do Rio Branco da República Federativa do Brasil, por sua contribuição ao cenário artístico brasileiro (1988)
9 – Nasce em Princeton (EUA), o ator e cantor Paul Bustill Robeson, Paul Robeson (1898)
9 – Nasce no Rio de Janeiro, o ator Haroldo de Oliveira (1942)
10 – Nasce na cidade de Pirapetinga (MG) o cantor Mário Souza Marques Filho - Noite Ilustrada (1928)
10 – Fundada no Rio de Janeiro, tendo como idealizador o Maestro Abgail Moura, a Orquestra Afro-Brasileira (1942)
11 – Em correspondência a Nina Rodrigues, o Dr. Remédios Monteiro externava sua opinião de que "...a raça negra tende a desaparecer em Santa Catarina por efeito do clima: as crianças anemiam-se, escrofulizam-se e tuberculizam-se enquanto as que não são de tal origem criam-se bem". (1899)
11 – Nasce em Pernambuquinho (RN), a escritora, militante do Movimento Negro em Pernambuco, Inaldete Pinheiro de Andrade, autora de "Cinco cantigas pra você contar", "Pai Adão era nagô", "Palavras de mulher" (1946)
12 – Nasce nos Estados Unidos o bailarino William Henry Lane - Juba, responsável por lançar as bases do sapateado, gênero de dança que consagrou artistas como Fred Astaire e Gene Kelly (1804)
13 – Nasce no Rio de Janeiro, a poetisa, cantora e compositora Yvonne Lara da Costa, D. Ivone Lara, primeira compositora de escola de samba a ganhar projeção com suas canções. (1921)
14 – Dia Mundial do Café, planta de origem etíope que foi a segunda mercadoria mais negociada no mundo por valor monetário, na década de 1980.

15 – Nasce no Rio de Janeiro o compositor e maestro Antônio Francisco Braga. (1868)

15 – Nasce, em São Lourenço da Mata/PE, José Albertino da Silva, o Caju, da dupla de embolada (1962)
16 – Decretada a abolição dos escravos no Distrito de Colúmbia (EUA). (1862)
16 – Nasce em Manhumirim (MG), o escritor e roteirista Júlio Emílio Braz, autor de "Saguairu", "Zumbi - O Despertar da Liberdade" e "Felicidade não tem cor" (1959)
17 – Nasce em Salvador/BA, Hyldon de Souza Silva, o produtor, guitarrista, baixista, compositor e cantor Hyldon, um dos maiores nomes do soul no Brasil (1951)

18 – Independência do Zimbabue. (1980)
18 – Inicia-se em Belo Horizonte, o II Encontro Nacional do MNU.
19 – Criação no Rio de Janeiro, do Grupo Negrícia - Poesia e Arte de Crioulo (1982)

19 – Nasce no Rio de Janeiro/RJ, Ronaldo Jorge Silva, o cantor, compositor e dançarino Naldo Benny (1979)
20 – Fundação no bairro de Miguel Couto, Nova Iguaçu (RJ), pela ialorixá Mãe Beata de Iemanjá, a Comunidade Terreiro Ilé Omi Oju Arô (casa da água os olhos de Oxossi) (1985)
20 – Nasce em Nogales, Arizona (EUA), o compositor Charles Mingus (1922)
21 – Nasce em Juiz de Fora/MG, Jorge Luís Andrade Silva, o ex-jogador e treinador de futebol Andrade, um dos jogadores que mais conquistaram o Campeonato Brasileiro de futebol (1957)

22 – Nasce o cantor e compositor Aldacyr Evangelista de Mendonça - Aldacyr Louro (1926)
23 – Dia consagrado ao orixá Oxóssi
23 – Nasce em Salvador ( BA), a negra Hilária Batista de Almeida, Tia Ciata ou Asseata, uma das tias baianas do samba carioca (1854)
23 – Nasce, em Alagoas, o escritor Jorge de Lima, um dos expoentes da poesia de temática afro-brasileira (1895)
23 – Nasce no bairro da Piedade (RJ), o compositor e músico Alfredo da Rocha Viana Júnior - Pixinguinha. Ganhou a imortalidade compondo músicas como: "Ingênuo", "Lamento", "Rosa" e "Carinhoso" (1897)
23 – Nasce em Juiz de Fora (MG), o cantor e compositor Geraldo Theodoro Pereira - Geraldo Pereira, autor de: "Acertei no Milhar", "Falsa Baiana", "Sem Compromisso" (1918)
23 – A cantora Elisete Cardoso, aos 5 anos de idade estréia como cantora na Sociedade Familiar Dançante e Carnavalesca Kananga do Japão (1926)
23 – Nelson Mandela, aos 47 anos, é condenado. Sua brilhante defesa não o livrou da prisão perpétua. Foi levado para a Ilha de Robben, prisão de segurança máxima para presos políticos (1964)
24 – Fundação em Belém (PA) do Club Amazônia, com o objetivo específico de organizar e promover a abolição da escravatura no vale do Amazonas (1884)
25 – Nasce em Newport New, Virgínia (EUA), a cantora de jazz Ella Fitzgerald, uma das musas da canção americana (1918)
25 – Nasce em Indianola, Mississipi (EUA), o cantor e guitarrista Albert Nelson - Albert King, um dos grandes expoentes do blues (1923)
25 – Nasce em São Paulo (SP) o cantor Agostinho dos Santos (1932)
25 – Criado no Pelourinho, Salvador (BA), o Bloco-Afro Cultural Olodum (1979)
26 – Festa Nacional da Tanzânia (1964)
26 – Iniciam-se as primeiras eleições multirraciais na África do Sul (1994)
26 – Nasce Benedita da Silva, primeira mulher negra a ocupar o cargo de governadora (1942)
27 – Independência do Togo (1960)

27 – Independência de Serra Leoa (1971)
27 – Nasce no Rio de Janeiro/RJ, a atriz e artista plástica Iléa Ferraz (1960)
27 – Fundação no Rio de Janeiro, do G.R.E.S. Arrastão de Cascadura. Cores: verde e branco (1973)
27 – Dia Nacional da Empregada Doméstica
27 – Realiza-se na África do Sul, a primeira eleição nacional livre sem a utilização de critérios raciais (1994)
Com o apoio maciço da população negra sul-africana, que pela primeira vez na história do país comparece às urnas para escolher seus representantes, o CNA - Congresso Nacional Africano conquista 62,6% dos votos e o líder Nelson Mandela é eleito presidente da África do Sul
28 – No bairro de Guaianazes, São Paulo, o trabalhador Robson Silveira da Luz, é morto vítima das torturas policiais. Este fato, aliado a outros, levou a criação do Movimento Negro Unificado. (1978)
28 – A Ialorixá Mãe Stella de Oxóssi recebe da Câmara Municipal de Salvador (BA) a Medalha Maria Quitéria, a mais alta comenda concedida à mulheres de destaque na Bahia (1995)
29 – Nasce em Washington, D.C. (EUA), o músico Edward Kennedy Ellington - Duke Ellington (1899)
30 – Nasce em Salvador (BA), o compositor Dorival Caymmi, autor de "O que é que a baiana tem ", "O Mar", "Dora", "Acalanto", "Oração de Mãe Menininha" (1914)

.

Pesquisa personalizada

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Escravidão doméstica X Escravidão mercantil

Escravidão doméstica

Forma de escravidão na qual os cativos são absorvidos, em uma posição subalterna, a um grupo de parentesco, e passam a ser empregados na produção de alimentos e utensílios a serem consumidos pelo próprio grupo.
Via de regra, em sociedades onde vigora esse tipo de escravidão os cativos são pouco numerosos. De modo geral, a pessoa passa à condição de escravo por dívidas contraídas por ela mesma ou por membros de sua família, como punição por crimes ou por ter sido capturada em uma guerra. Ela não pode ser comprada, vendida ou trocada. É comum que a pessoa escravizada, segundo essa forma, se case dentro do próprio grupo de parentesco, que incorpora sua descendência, seja em uma posição subalterna ou em uma situação de igualdade potencial com os demais membros da mesma idade.
Na África, nos locais onde a centralização política foi mais marcante, a escravidão doméstica começou a passar por transformações. O número de escravos crescia constantemente e eles passavam a ser cada vez mais importantes na produção de alimentos, em geral para sustentar uma classe de guerreiros ou de funcionários palacianos. No entanto, eles continuavam a ser obtidos por meio de guerras, e não por transações comerciais. Em outras palavras, o escravo não era uma mercadoria, nem era usado para produzir mercadorias.


Escravidão mercantil

Sistema econômico no qual a produção da riqueza de uma sociedade, geralmente inserida em um amplo circuito de trocas comerciais, baseia-se fundamentalmente no trabalho escravo. Para essas sociedades, o escravo é uma mercadoria, destinada a produzir outras mercadorias a serem vendidas no mercado externo.
Embora a utilização de mão-de-obra escrava tenha praticamente desaparecido na Europa durante a Idade Média, ela continuou a existir nos litorais do Mediterrâneo e no Oriente Médio, especialmente nas zonas sob a jurisdição do Califado, que era então um enorme império que unificava todos os muçulmanos, da Península Ibérica e do sul da Itália às fronteiras da China e dos diversos Estados da Índia, passando pelo norte da África. Com o tempo, seus mercadores alcançaram a África Ocidental e os portos da África Oriental, integrando essas duas regiões no comércio mundial e contribuindo para a introdução, em alguns desses locais, da escravidão mercantil.
Excetuando-se o Império Bizantino, a Europa era então uma região periférica, pobre e desorganizada politicamente, e que servia apenas como zona de captura de escravos e de saque para os exércitos muçulmanos. Apenas a partir do século X, com a fragmentação política do Califado, a Europa começaria lentamente a se fortalecer, em grande medida através da incorporação de diversas inovações técnicas, econômicas e culturais trazidas de diversas partes do mundo pelos muçulmanos.
A partir do século XIV, Portugal passou a se interessar pelo comércio africano, especialmente em duas mercadorias: ouro e escravos. O ouro era necessário para cunhar as moedas aceitas pelos comerciantes hindus, islâmicos ou chineses em troca de especiarias e artigos de luxo, como seda e perfumes. Os escravos continuavam sendo utilizados no sul da Europa para a produção de alimentos, vinho e azeite de oliva.
A primeira experiência portuguesa com a escravidão mercantil ocorreu nas ilhas atlânticas: para Cabo Verde eram levadas pessoas escravizadas no golfo do Benim para que produzissem têxteis, que, por sua vez, era trocado por ouro nas regiões produtoras da África Ocidental. Na ilha da Madeira, o vinho, vendido na Europa, também era produzido com mão-de-obra escrava. Mais tarde, os escravos comprados na região do Congo-Angola foram incorporados a esse circuito, que passou a incluir também a produção de açúcar em São Tomé. Essas experiências escravistas foram mais tarde aplicadas às possessões portuguesas nas Américas, no território que viria a ser o Brasil.
A escravidão mercantil apresenta com frequência dois desenvolvimentos colaterais.
O primeiro é que, por ser uma mercadoria cara, o escravo torna-se um item fundamental do consumo conspícuo, ou seja, ele passa a ser adquirido e exibido publicamente como prova do status social superior de quem o possui. No Brasil, esse processo foi bastante comum – os viajantes estrangeiros que passaram por aqui registraram isso muito bem. [ver escravidão conspícua]
O segundo é que, em ocasiões em que a demanda militar não é suportada pelo contingente populacional de homens livres, sociedades escravistas tendem a formar contingentes militares de escravos. Isso pode ocorrer quando há pretensões de expansão territorial, quando há necessidade de defesa contra um inimigo mais poderoso, ou quando é necessário conter dissensões e revoltas internas (nesse caso, os homens livres que compõem os exércitos comuns poderiam simplesmente aderir à revolta, em função de lealdades familiares ou locais). Esse processo ocorreu, por exemplo, no império de Oyó, na África Ocidental. [ver escravidão ancilar].
No cômputo geral, entretanto, a quantidade de escravos soldados ou de escravos utilizados apenas como indicativo de status sempre foi incomparavelmente menor que o número de escravos empregados na produção de mercadorias. É essa preponderância que nos permite falar de um sistema de escravidão mercantil.
É importante salientar que, no mundo muçulmano, a escravidão não tinha inicialmente um caráter racial, como parece ter tido desde muito cedo na Europa. Os escravos eram de muitas cores e vinham de qualquer lugar – dos campos da Europa Ocidental, das planícies da Ásia Central, do entorno do Mar Negro ou da Índia. Entretanto, enquanto, nessas regiões, diversos fatores contribuíram para limitar e mesmo extinguir a captura e o comércio de escravos entre os séculos XIV e XVII, a região africana se consolidou como a principal região fornecedora para o mundo muçulmano, papel que desempenhou até o fim do século XIX. Como resultado disso, passou a haver uma correlação entre escravidão e raça, baseada principalmente nas formulações cristãs europeias sobre o tema, em especial as que envolviam o episódio bíblico dos filhos de Noé.

FONTE: FIGUEIREDO, Fábio Baqueiro. Glossário. In: História da África. Salvador: CEAO/UFBA, 2011.