SEGUIDORES DO BLOG




CALENDÁRIO NEGRO - ABRIL

1 – Criação do Partido dos Panteras Negras, EUA (1967)

1 – Nasce no bairro da Tijuca, Rio de Janeiro, o cantor e compositor Antônio Moreira da Silva - Kid Morengueira, famoso pelo jeito muito próprio de cantar o samba de breque. Fez sucesso com sambas antológicos como: "Acertei no Milhar", "O Rei do Gatilho" e "Na Subida do Morro" (1902)
1 – Tem início em Dacar, Senegal, o I Festival Mundial de Arte Negra (1966)
2 – Nasce em Santa Maria da Vitória (BA), o famoso escultor de carrancas do Rio São Francisco, Francisco Biquiba dy Lafuente Guarany. (1882)
2 – Nasce em Washington (EUA), o cantor, compositor, baterista, pianista, arranjador e produtor Marvin Gaye. Faz parte de seu repertório, sucessos como: "What's Going On", "Let's Get It On", "Sexual Healing" (1939)
2 – Criação no bairro de Madureira (RJ), do Grupo Afro-Cultural Agbara Dudu, que em iorubá significa "força negra", o mais antigo bloco-afro do Rio de Janeiro (1982)

2 – Nasce Dener Augusto de Sousa, o Dener, famoso jogador de futebol morto precocemente num acidente automobilístico (1971)
3 –
Martin Luther King Jr. profere seu discurso I've Been to the Mountaintop (Eu estive no topo da montanha), na sede da Igreja Mundial de Deus em Cristo, em Memphis, Estados Unidos (1968)

3 – Nasce nos Estados Unidos, o ator Eddie Murphy (1961)

3 – Nasce em São Paulo/SP, Mauro Mateus dos Santos, o compositor, cantor e ator brasileiro Sabotage (1973)

4 – Tem início em São Paulo, o I Encontro de Padres e Bispos Negros (1989)
4 – Nasce nos Estados Unidos, o ator e produtor Eddie Murphy (1961)
4 – Nasce em Rolling Forks, Mississipi (EUA), o músico e cantor de blues Mckinley Morganfield - Muddy Waters, um dos maiores mestres do blues urbano (1915)
4 – Independência do Senegal. (1960)
4 – Nasce em Lins/SP, Nelson Prudêncio, professor e atleta de salto triplo, ganhador de várias medalhas: uma medalha de prata nas Olimpíadas de Verão de 1968, na Cidade do México, uma medalha de bronze nas Olimpíadas de Verão de 1972, em Munique, uma medalha de prata nos Jogos Panamericanos de 1967, no Canadá, e uma medalha de prata nos Jogos Panamericanos de Cali, Colômbia, em 1971 (1944)

5 – Nasce nos Estados Unidos, o educador Booker T. Washington (1856)

5 – Nasce em Salvador (BA), Vicente Ferreira Pastinha - Mestre Pastinha, considerado o maior guardião da capoeira angola (1889)
5 – Nasce o compositor Joaquim Maria dos Santos, Donga, autor de “Pelo telefone”, primeiro samba gravado (1890)

6 – Nasce em Kinshasa/República Democrática do Congo, Fabrice Ndala Muamba, ex-jogador de futebol do Arsenal e Birminghan. Em 2012, teve um mal súbito, ficou com o coração parado por 78 minutos e sobreviveu (1988)
7 – Nasce em Baltimore (EUA), a cantora imortal, Billie Holiday, consagrada através de canções como: "Strange Fruit", "God Bless the Child", "Solitude", "My Man", "Don't Explain", entre outros (1915)

7 – Nasce Antônio Carlos Bernardes Gomes, o Mussum, músico, ator e humorista brasileiro, integrante do grupo Os Trapalhões (1941)
7 – Dia da Mulher Moçambicana - Em homenagem a Josina Mutamba Machel, comandante do destacamento de mulheres da FRELIMO e chefe de Assuntos Sociais do Departamento de Assuntos Exteriores de Moçambique
8 – A atriz Ruth de Souza recebe em Brasília a Comenda do Grau Oficial da Ordem do Rio Branco da República Federativa do Brasil, por sua contribuição ao cenário artístico brasileiro (1988)
9 – Nasce em Princeton (EUA), o ator e cantor Paul Bustill Robeson, Paul Robeson (1898)
9 – Nasce no Rio de Janeiro, o ator Haroldo de Oliveira (1942)
10 – Nasce na cidade de Pirapetinga (MG) o cantor Mário Souza Marques Filho - Noite Ilustrada (1928)
10 – Fundada no Rio de Janeiro, tendo como idealizador o Maestro Abgail Moura, a Orquestra Afro-Brasileira (1942)
11 – Em correspondência a Nina Rodrigues, o Dr. Remédios Monteiro externava sua opinião de que "...a raça negra tende a desaparecer em Santa Catarina por efeito do clima: as crianças anemiam-se, escrofulizam-se e tuberculizam-se enquanto as que não são de tal origem criam-se bem". (1899)
11 – Nasce em Pernambuquinho (RN), a escritora, militante do Movimento Negro em Pernambuco, Inaldete Pinheiro de Andrade, autora de "Cinco cantigas pra você contar", "Pai Adão era nagô", "Palavras de mulher" (1946)
12 – Nasce nos Estados Unidos o bailarino William Henry Lane - Juba, responsável por lançar as bases do sapateado, gênero de dança que consagrou artistas como Fred Astaire e Gene Kelly (1804)
13 – Nasce no Rio de Janeiro, a poetisa, cantora e compositora Yvonne Lara da Costa, D. Ivone Lara, primeira compositora de escola de samba a ganhar projeção com suas canções. (1921)
14 – Dia Mundial do Café, planta de origem etíope que foi a segunda mercadoria mais negociada no mundo por valor monetário, na década de 1980.

15 – Nasce no Rio de Janeiro o compositor e maestro Antônio Francisco Braga. (1868)

15 – Nasce, em São Lourenço da Mata/PE, José Albertino da Silva, o Caju, da dupla de embolada (1962)
16 – Decretada a abolição dos escravos no Distrito de Colúmbia (EUA). (1862)
16 – Nasce em Manhumirim (MG), o escritor e roteirista Júlio Emílio Braz, autor de "Saguairu", "Zumbi - O Despertar da Liberdade" e "Felicidade não tem cor" (1959)
17 – Nasce em Salvador/BA, Hyldon de Souza Silva, o produtor, guitarrista, baixista, compositor e cantor Hyldon, um dos maiores nomes do soul no Brasil (1951)

18 – Independência do Zimbabue. (1980)
18 – Inicia-se em Belo Horizonte, o II Encontro Nacional do MNU.
19 – Criação no Rio de Janeiro, do Grupo Negrícia - Poesia e Arte de Crioulo (1982)

19 – Nasce no Rio de Janeiro/RJ, Ronaldo Jorge Silva, o cantor, compositor e dançarino Naldo Benny (1979)
20 – Fundação no bairro de Miguel Couto, Nova Iguaçu (RJ), pela ialorixá Mãe Beata de Iemanjá, a Comunidade Terreiro Ilé Omi Oju Arô (casa da água os olhos de Oxossi) (1985)
20 – Nasce em Nogales, Arizona (EUA), o compositor Charles Mingus (1922)
21 – Nasce em Juiz de Fora/MG, Jorge Luís Andrade Silva, o ex-jogador e treinador de futebol Andrade, um dos jogadores que mais conquistaram o Campeonato Brasileiro de futebol (1957)

22 – Nasce o cantor e compositor Aldacyr Evangelista de Mendonça - Aldacyr Louro (1926)
23 – Dia consagrado ao orixá Oxóssi
23 – Nasce em Salvador ( BA), a negra Hilária Batista de Almeida, Tia Ciata ou Asseata, uma das tias baianas do samba carioca (1854)
23 – Nasce, em Alagoas, o escritor Jorge de Lima, um dos expoentes da poesia de temática afro-brasileira (1895)
23 – Nasce no bairro da Piedade (RJ), o compositor e músico Alfredo da Rocha Viana Júnior - Pixinguinha. Ganhou a imortalidade compondo músicas como: "Ingênuo", "Lamento", "Rosa" e "Carinhoso" (1897)
23 – Nasce em Juiz de Fora (MG), o cantor e compositor Geraldo Theodoro Pereira - Geraldo Pereira, autor de: "Acertei no Milhar", "Falsa Baiana", "Sem Compromisso" (1918)
23 – A cantora Elisete Cardoso, aos 5 anos de idade estréia como cantora na Sociedade Familiar Dançante e Carnavalesca Kananga do Japão (1926)
23 – Nelson Mandela, aos 47 anos, é condenado. Sua brilhante defesa não o livrou da prisão perpétua. Foi levado para a Ilha de Robben, prisão de segurança máxima para presos políticos (1964)
24 – Fundação em Belém (PA) do Club Amazônia, com o objetivo específico de organizar e promover a abolição da escravatura no vale do Amazonas (1884)
25 – Nasce em Newport New, Virgínia (EUA), a cantora de jazz Ella Fitzgerald, uma das musas da canção americana (1918)
25 – Nasce em Indianola, Mississipi (EUA), o cantor e guitarrista Albert Nelson - Albert King, um dos grandes expoentes do blues (1923)
25 – Nasce em São Paulo (SP) o cantor Agostinho dos Santos (1932)
25 – Criado no Pelourinho, Salvador (BA), o Bloco-Afro Cultural Olodum (1979)
26 – Festa Nacional da Tanzânia (1964)
26 – Iniciam-se as primeiras eleições multirraciais na África do Sul (1994)
26 – Nasce Benedita da Silva, primeira mulher negra a ocupar o cargo de governadora (1942)
27 – Independência do Togo (1960)

27 – Independência de Serra Leoa (1971)
27 – Nasce no Rio de Janeiro/RJ, a atriz e artista plástica Iléa Ferraz (1960)
27 – Fundação no Rio de Janeiro, do G.R.E.S. Arrastão de Cascadura. Cores: verde e branco (1973)
27 – Dia Nacional da Empregada Doméstica
27 – Realiza-se na África do Sul, a primeira eleição nacional livre sem a utilização de critérios raciais (1994)
Com o apoio maciço da população negra sul-africana, que pela primeira vez na história do país comparece às urnas para escolher seus representantes, o CNA - Congresso Nacional Africano conquista 62,6% dos votos e o líder Nelson Mandela é eleito presidente da África do Sul
28 – No bairro de Guaianazes, São Paulo, o trabalhador Robson Silveira da Luz, é morto vítima das torturas policiais. Este fato, aliado a outros, levou a criação do Movimento Negro Unificado. (1978)
28 – A Ialorixá Mãe Stella de Oxóssi recebe da Câmara Municipal de Salvador (BA) a Medalha Maria Quitéria, a mais alta comenda concedida à mulheres de destaque na Bahia (1995)
29 – Nasce em Washington, D.C. (EUA), o músico Edward Kennedy Ellington - Duke Ellington (1899)
30 – Nasce em Salvador (BA), o compositor Dorival Caymmi, autor de "O que é que a baiana tem ", "O Mar", "Dora", "Acalanto", "Oração de Mãe Menininha" (1914)

.

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Palestra "Memória e Ancestralidade: a religião tradicional como promotora das identidades yorubá" - RJ

O Mestrado em Relações Etnicorraciais do CEFET/RJ convida para a Palestra:

Memória e Ancestralidade: a religião tradicional como promotora das identidades yorubá

“O ‘direito’ de se expressar a partir da periferia do poder e do privilégio autorizados não depende da persistência da tradição; ele é alimentado pelo poder da tradição de se reinscrever através das condições de contingência e contraditoriedade que presidem sobre as vidas dos que estão ‘na minoria’[...]", (Bhabha, 2008 p:21).

Jokotoyé Awolade Bankole, 55 anos, é o oluwo chefe do Egbé Adifalá, da cidade de Ogbomoso (Sul da Nigéria). Foi ele que, aos cinco anos, levou o etnólogo Pierre Verger para a floresta e desvendou-lhe as funções das folhas no ritual africano. Deste contato, nasceu o livro "Ewe", que se tornou um dos mais respeitados no Brasil sobre o uso ritual das ervas sagradas. Trata-se de um personagem-testemunha de muitas histórias da História que envolve os mitos e ritos afro-brasileiros, em suas dimensões políticas e religiosas.

De informante privilegiado, Bankole passou a frequentar o Brasil como liderança religiosa, em 1997. Seu objetivo: resgatar a tradição de Ifá, que perdera-se no culto dos Orixás. Registre-se que o Ifá foi reconhecido como patrimônio imaterial da humanidade, em 1997, pela UNESCO. Nascido em uma cidade assolada pelo tráfico negreiro, há pouco mais de um século; praticante de uma religiosidade que hoje está no epicentro de uma "guerra santa", em seu país, Bankole oferece um olhar plural e pouco mistificado de sua condição de africano que busca reivindicar uma identidade africana pós-colonial. É um novo olhar, que está para além das idealizações, porém ainda profundamente desarraigado do poder civilizatório colonial.

A palestra será feita em yorubá, um dos quatro idiomas falados na Nigéria, Togo e Benin. Em África, o yorubá é falado por cerca de 10 milhões de pessoas.
Ekundayo Olalekan Awe, que fala fluentemente o português e mora no Brasil há 16 anos, fará a tradução.

Local: Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca
Avenida Maracanã 229 ou Rua General Canabarro, 135 - Maracanã - RJ
Auditório 2 - primeiro andar.
Horário: 18h

DATA: 13/11/2012

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Aula Pública "Chegando aos 10 anos: a Lei 10.639 e os desafios da superação do racismo na educação", com a Profa. Petronilha Beatriz Gonçalves e Silva - SP


Data: dia 31 de outubro de 2012
...

Horário: 18h30
Local: sala 12 da Ação Educativa (Rua General Jardim, 660 - Vila Buarque)
Inscrições pelo email: jaqueline.santos@acaoeducativa.org //
Mais informações: (11) 3151-2333 ramal 108
SITE OFICIAL:
http://www.acaoeducativa.org/

V Seminário Nacional de Educação das Relações Raciais Afro-Brasileiras - ES

"Lei 10.639/03- Políticas Públicas e Saberes Tradicionais"

O Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB) da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) convida a todos os profissionais de educação, e também alunos Universidade e de outras instituições, para participar do V Seminário de Educação das Relações Raciais Afro-brasileiras que se realizará nos dias 28, 29 e 30 de novembro de 2012.
Cronograma do Evento

20/09 à 20/10 -Prazo para submissão de Comunicações, Mini Cursos, Oficinas e Pôsteres

20/09 -Início do prazo para de Inscrição de colaboradores (executivos)

20/09 – 16/11-Prazo de inscrição para ouvintes

05/11- Data limite para submissão de Propostas (resumos) de Comunicações digitalizadas
Data limite para submissão de Mini- cursos; Simpósios (comunicações) de Iniciação Científica
Data limite para inscrição de apresentação de pôsteres

10/11-Divulgação (no site) das Comunicações, Mini-cursos e oficinas aprovadas


20/11-Data limite para envio de trabalho completo visando publicação no CD’s do Evento


28/11-Início do V Seminário Nacional de Educação das Relações Raciais Afro-Brasileiras - “Lei 10.639/03; Políticas Públicas e Saberes Tradicionais.

30/11-Término da V Seminário Nacional de Educação das Relações Raciais Afro-Brasileiras.

Eixos Temáticos:

1- Projetos Educativos: Conteúdos/Deslocamentos da Lei 10.639/03 para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana em Sala Aula;
2- Reflexões e Possibilidades para Mobilização Social – Fórum de Educação Etnicorracial ;
3- Religiões de Matriz Africana e Afro-Brasileiras ;
4- Artes e corporeidade nas culturas de Matriz Africana e Afro-Brasileira;
5- Educação na Perspectiva da Ancestralidade Africana;
6- Pós- colonialismo, Epistemologias e Diáspora;
7- História dos Afrodescendentes, e Movimentos Sociais no Brasil;
8- Memória e Histórias de Vida, Saberes e Comunidade Tradicionais;
9- Educação, Gênero e Etnicidade;
10- "Das Cotas Sociais às Cotas Raciais".


A taxa de inscrição é de R$: 50,00. Para gerar o boleto clique AQUI.
A ficha de inscrição (baixe aqui) deve ser enviada em anexo juntamente com o boleto devidamente pago e escaneado para o e-mail seminarios.neab@gmail.com, mais informações pelo telefone (27) 4009.2957.

Equipe Neab
FONTE: http://neabufes.blogspot.com.br/2012/08/v-seminario-nacional-de-educacao-das.html?spref=fb&fb_source=message

Lançamento do "Mapeamento dos espaços de religiões de matrizes africanas do Recôncavo e do Baixo Sul" - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

Lançamento do vídeo "O Cuidar nos Terreiros" - BA

Será lançado o vídeo O Cuidar nos Terreiros, realizado pela Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras e Saúde com o apoio do Departamento de DST-AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde.
 
O lançamento em Salvador conta com o apoio da Secretaria Estadual de Saúde da Bahia e da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador, com a colaboração das coordenações de DST-AIDS e Hepatites Virais.
 
Lançamento do vídeo O CUIDAR NOS TERREIROS
Data: 05 de novembro de 2012
Horário: 16:30h
Local: Hotel Sol Bahia -  Avenida Manuel Antonio Gusmão 1075- Patamares -  Salvador

sábado, 27 de outubro de 2012

SEPPIR e UNESCO promovem seminário internacional sobre Educação nas relações étnico-raciais - DF

De 29 de outubro a 1º de novembro, especialistas discutem políticas públicas com enfoque na formação de professores e desenvolvimento curricular
Apresentar as iniciativas bem-sucedidas no Brasil, na área de educação para as relações étnico-raciais, bem como os respectivos indicadores sociais, e ampliar as discussões sobre as políticas públicas voltadas para este campo, com enfoque na formação de professores e de desenvolvimento curricular, são alguns dos principais objetivos do seminário internacional do projeto “Teaching Respect For All”, que a SEPPIR – Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e a UNESCO realizam, de 29 de outubro a 1º de novembro, na Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC), em Brasília. O evento será aberto ao público no primeiro dia.
O seminário, que é realizado em parceria com os ministérios das Relações Exteriores e da Educação, e Fundação Cultural Palmares, visa contribuir para o trabalho que está sendo desenvolvido por um grupo consultivo composto por especialistas dos Estados Unidos, Reino Unido, Bélgica, República da Coréia, Uganda, Cisjordânia, África do Sul, Rússia, Suíça e Brasil. Serão apresentados os marcos legais da questão étnico-racial no Brasil e as experiências sobre elaboração de materiais pedagógicos sobre história e cultura africana e afro-brasileira para professores envolvidos com a educação básica.
As apresentações serão centradas em temas voltados à educação e à formação para o trato com a diversidade cultural e étnico-racial, à medida em que se tornam obrigatórios no Brasil o ensino da História e da Cultura Afro-brasileira e Indígena, estabelecendo que as escolas, professoras (es) e demais profissionais envolvidos na educação de estudantes e os recursos pedagógicos utilizados sejam revistos e problematizados em função do redimensionamento e da reorientação dos estudos sobre a formação da sociedade brasileira.
Entre os marcos legais referentes ao tema, destacam-se as diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana, Leis nº 10.639/2003 e Nº 11.645/2008, assim como o Plano Nacional de Implementação destas diretrizes, publicado pelo Ministério da Educação.
O projeto UNESCO-EUA-Brasil “Teaching Respect for All” tem por objetivo desenhar uma estrutura curricular que promova a tolerância, que os países possam adaptar para os seus contextos e necessidades.
 
Serviço
SEMINÁRIO INTERNACIONAL DO PROJETO “TEACHING RESPECT FOR ALL”
Quando: 29 de outubro a 1º de novembro de 2012.
Onde: Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC).
Endereço: SGAS – 902, Bloco C, CET – Centro de Eventos e Treinamentos Brasília (DF).
Acesso: O evento será aberto ao público apenas no primeiro dia.
 
 
PROGRAMAÇÃO
 
29 de outubro de 2012 (segunda-feira)
9h Acolhimento
9h30 Abertura Oficial
Mário Lisboa Theodoro, Secretário-Executivo da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República – SEPPIR/PR.
Macaé Maria Evaristo, Diretora de Políticas de Educação no Campo, Indígena e para as Relações Étnico-Raciais da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do Ministério da Educação.
Ministra Gláucia Silveira Gauch, Diretora do Departamento de Diretos Humanos e
Temas Sociais do Ministério das Relações Exteriores.
Lisa N. Blonder, Estados Unidos da América.
Eloi Ferreira de Araújo, Presidente da Fundação Cultural Palmares do Ministério da Cultura.
Maria Rebeca Otero Gomes, Coordenadora do Setor de Educação da UNESCO no Brasil.
10h Apresentação do Estado da Arte do Projeto “Teaching Respect For All”
10h30 Coffee Break
10h45 Discussão sobre o Projeto “Teaching Respect For All”
12h30 Almoço
14h Marcos legais com relação à Educação das Relações Étnico-Raciais no Brasil Macaé Maria Evaristo, Diretora de Políticas de Educação no Campo, Indígena e para as Relações Étnico-Raciais da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do Ministério da Educação.
Nilma Lino Gomes, Conselheira do Conselho Nacional de Educação do Ministério da Educação
Maria Rebeca Otero Gomes, Coordenadora da Área de Educação da UNESCO no Brasil.
15h Discussão
16h Coffee Break
16h15 Panorama sobre Experiências Exitosas no Brasil
Maria Aparecida da Silva Bento, Diretora Executiva do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades – CEERT.
Moisés de Melo Santana, Titular da Comissão Técnica Nacional de Diversidade para Assuntos Relacionados à Educação dos Afro-Brasileiros – CADARA.
17h Discussão
18h Encerramento
 
30 de outubro de 2012 (terça-feira)
9h Apresentação dos resultados do mapeamento de políticas relacionadas ao
Projeto “ Teaching Respect For All” (Práticas e Materiais)
10h30 Coffee Break
10h45 Apresentação e revisão do manuscrito do projeto (1) A set of “Key principles”
for policy makers
12h30 Almoço
14h Revisão do manuscrito do projeto (2) Head teacher’s and manager’s kit
15h30 Discussão
16h Coffee Break
16h20 Deslocamento dos Especialistas – Visita Técnica
Escola Classe 47, Escola da rede pública do Distrito Federal, localizada no Setor P Sul, em Ceilândia- DF
Acolhimento:
Josefina Serra dos Santos, Secretária da Promoção da Igualdade Racial do Distrito Federal.
Ana José Marques, Diretora de Diversidade da Secretaria de Educação de Estado do Distrito Federal.
18h Encerramento
31 de outubro de 2012 (quarta-feira)
9h Revisão do manuscrito do projeto (3) A pedagogical tool – clarification of concepts
10h30 Coffee Break
10h45 Revisão do manuscrito do projeto (4) A guide for teachers and educators
12h30 Almoço
14h Discussão sobre o teste-piloto: termos de referência para os países parceiros e entidades
16h Roda de Conversa (Troca de Experiências)
Zélia Amador de Deus, UDESC
Ana Lúcia Silva Souza, Ação Educativa
Clara Suassuna Fernandes, “Apresentação do Plano Juventude Viva em Alagoas”
18h Encerramento
 
1º de novembro de 2012 (quinta-feira)
9h Apresentação dos Grupos (Resultado das discussões sobre o teste-piloto)
10h30 Coffee Break
10h45 Encerramento e encaminhamentos
12h30 Almoço
Fonte Seppir

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Seminário "Universidade: preconceito e inclusão" - BA


SEMINÁRIO Universidade: preconceito e inclusão
O Grupo de Pesquisa Inclusão e Sociedade do Departamento de Educação do Campus I da UNEB convida:
DATA: 13 e 14 de dezembro de 2012
LOCAL: Departamento de Educação 1
Auditório Jurandir Oliveira

Inscrições: gratuita
PERÍODO: 15 de novembro a 01 de dezembro de 201

INFORMAÇÕES: tel.: 71 3117-2331 (NEDE)

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Palestra "Major Cosme de Farias (1875-1972), o anjo da guarda dos excluídos de Salvador" - BA

 
A Fundação Pedro Calmon, por meio do Centro de Memória da Bahia, convida a todo(a)s para o Conversando com sua História. No módulo sobre micro-histórias e biografias, que será discutido durante todo o mês de outubro, teremos a palestra intitulada Major Cosme de Farias (1875-1972), o anjo da guarda dos excluídos de Salvador, que será ministrada pelo profª. Drª. Mônica Celestino Santos - Faculdade Social da Bahia.
Contamos com sua participação!
Local: sala Katia Mattoso, 3º andar da Biblioteca Pública do Estado da Bahia
Data: 22 de outubro de 2012
Horário: 17h
Acompanhe o Conversando com sua História e o Ensino de História da Bahia através de imagens, vídeos e textos em nossa página no facebook http://www.facebook.com/cmb.fpc. Aproveite e curta nossa fun page!

Atenciosamente,

Centro de Memória da Bahia
Fundação Pedro Calmon - Centro de Memória e Arquivo Público da Bahia Secretaria de Cultura do Estado da Bahia
3117-6067

O Grupo de Trabalho de Psicologia e Relações Raciais do CRP 03 - Bahia promove rodas de conversa no mês de novembro

O Grupo de Trabalho de Psicologia e Relações Raciais do CRP-03 (GTPRR) realizará rodas de conversa sobre a saúde da população negra e das comunidades e povos tradicionais entre 07 e 09 de novembro, no CRP-03. Veja agenda do GT abaixo:

Religião, cultura e práticas populares de cuidado
...
07 de novembro de 2012, das 18h às 21h.

Políticas de saúde e intersetoriais para a população negra e comunidades e povos tradicionais
08 de novembro de 2012, das 14h às 17h.

Os efeitos psicossociais da discriminação de gênero e raça na saúde da população negra
08 de novembro de 2012, das 18h às 21h.

Territorialidades
Dia 09 de novembro de 2012, das 14h às 17h.

Educação Popular no campo da Saúde
Dia 09 de novembro de 2012, das 18h às 21h.

Informações: gtprr@crp03.org.br

Lembrando que essas rodas de conversa são eventos preparatórios para o II PSINEP e para o Congresso Nacional da psicologia - CNP

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

UFBA promove "Curso de Formação para o Acesso à Pós-graduaçao - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

domingo, 14 de outubro de 2012

Kit "A Cor da Cultura" disponível para download

Para facilitar o acesso da população brasileira ao segundo pacote pedagógico A Cor da Cultura, a Fundação Cultural Palmares (FCP) disponibiliza o material para download. O pacote é mais uma medida prática adotada a partir da aprovação da Lei 10.639, que torna obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio, oficiais e particulares do País. 
Baixe os arquivos: http://migre.me/b6YZM

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Curso de Formação para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileiras (a distância)

(Clique na imagem para ampliá-la)


Etapa de Ensino a que se destina:
Educação Básica


Natureza do Curso:
Extensão


Tipo de curso:
Atualização


Público:
Professores e Gestores (coordenadores e diretores de unidades escolares) das redes públicas da Educação Básica do Estado da Bahia.


Modalidade:
Educação a distância


Carga Horária:
180 horas


Duração:
6(seis) meses



Objetivos:

a.    Objetivo geral
Estimular a promoção da igualdade étnico-racial na educação a partir formação de profissionais da educação para a inclusão da História e Cultura Afro-brasileiras nos currículos escolares.

b.        Objetivos Específicos:
-          Estimular o conhecimento da história e cultura afro-brasileiras;
-          Fornecer subsídios para a implementação da Lei n. 11.645/08, no que se refere à História e Cultura Afro-brasileiras;
-          Consolidar o Programa de Ações Afirmativas da UFBA.


Ementa:
Proporcionar o conhecimento da história do continente africano a partir do estudo de temas e períodos que guardam maior proximidade com a história brasileira e seus problemas contemporâneos. Discutir como se davam as relações étnico-raciais no passado e suas repercussões no presente, destacando a participação ativa da população negra na formação do Brasil. Distinguir as literaturas africana, brasileira, negra e afro-brasileira, identificando os antecessores da literatura negra e a influência exercida sobre a chamada “literatura afro-brasileira”, bem como discutir o papel dos escritores afro-brasileiros contemporâneos em suas produções. Discutir os impactos do racismo na educação em geral e na escola em particular, apontando como alternativa uma pedagogia antirracista e que contemple, de modo não-hierárquico, as contribuições civilizatórias dos distintos segmentos envolvidos na formação da sociedade brasileira. Fornecer subsídios para a elaboração de projeto pedagógico a ser desenvolvido nas escolas.


Metodologia

O Curso de Formação de Professores para o Ensino da História e Cultura Afro-brasileiras prevê a realização de 3(três) encontros presenciais:
1º encontro presencial: apresentação do curso às/aos participantes;
2º encontro presencial: avaliação escrita, ao final do Módulo IV – Educação e Relações Étnico-raciais;
3º encontro presencial: apresentação dos projetos pedagógicos e oficina de avaliação geral do curso.

Cada aluno(a) fará parte de um grupo de 30(trinta) estudantes, orientado por um(a) professor(a) tutor(a), que mediará o trabalho com os conteúdos propostos, prestará informações sobre o ambiente virtual e sobre como organizar seus estudos.

Para identificação do perfil do aluno e caracterização de suas trajetórias de aprendizagem, será adotado o Moodle, software aberto, dotado de ferramentas para armazenamento e análise dos logs, bem como de ferramentas de controle e retroalimentação de aprendizagem. A garantia do acesso ao ambiente do curso ficará sob a responsabilidade do aluno, que deverá dispor de computador conectado à Internet.

O desenvolvimento do curso prevê a realização das seguintes atividades:
1. Encontros presenciais
2. Atividades no ambiente virtual, que consistirão em:
a)       Aulas virtuais - apresentação de textos-sínteses elaborados por professoras(es) especialistas sobre os temas programados para cada semana. Estes textos motivarão as discussões que acontecerão nos fóruns semanais, mediadas pelas(os) docentes facilitadoras(es).
b)       Fóruns de discussão – onde os conteúdos serão discutidos/trabalhados;
c)       Exercícios de auto-avaliação – tarefas constituídas por questões objetivas com gabarito, aplicadas ao final de cada Módulo.
d)       Tarefas individuais e em grupo – produção de textos sobre a temática; elaboração de projetos para o trabalho com os conteúdos;
e)       Avaliação geral do curso – questionário a ser respondido por toda a equipe para avaliar fragilidades e pontos fortes da ação.

3. Atividades de avaliação formativa, no decorrer do curso, e somativa, ao final de cada Módulo e nos dois últimos encontros presenciais. A avaliação final obrigatória será a apresentação de projeto pedagógico pelas(os) participantes no último encontro presencial previsto no curso.

No decorrer do curso, serão realizadas 4(quatro) videoconferências, no início de cada módulo, com professores especialistas nas respectivas áreas temáticas de cada módulo.


Módulo
Carga horária
Modalidade
Apresentação do curso (presencial)
4 horas
Presencial
Ambientação
10 horas presenciais
8 horas a distância
Presencial e a distância
I – História da África
30 horas
À distância
II – História do Negro no Brasil
30 horas
À distância
III – Literatura Afro-brasileira
30 horas
À distância
IV – Educação e Relações étnico-raciais
40 horas
À distância
1ª avaliação
4 horas
Presencial
2ª avaliação
20 horas
Presencial
3ª avaliação
4 horas
Presencial


Material Didático
O material básico a ser utilizado no curso será composto por 4(quatro) ebooks:
1. História da África
2. História do Negro no Brasil
3. Literatura Afro-brasileira
4. Educação das Relações Étnico-raciais
Os ebooks trarão textos, atividades e indicação de material a ser utilizado pelo/a professor/a.


Avaliação
O curso terá a duração de 6(seis) meses e será avaliado durante todo o seu desenvolvimento, através de atividades de avaliação formativas (fóruns, tarefas e projetos pedagógicos) e somativas (avaliação e projeto pedagógico).  Ao final de cada Módulo e ao final do curso será feita uma avaliação através do site, quando serão identificadas fragilidades do sistema e adotadas medidas para aperfeiçoamento dos Módulos, quando se tratar de curso ainda em andamento, e dos cursos subseqüentes.
A avaliação da aprendizagem será realizada processualmente, a partir da observação da participação da (o) aluna (o) nos fóruns e da realização das atividades e avaliações on line, culminando com o projeto pedagógico apresentado ao final do curso. Cada atividade prevista terá pontuação de 0 a 10 pontos.

Será obrigatório o cumprimento das atividades relativas ao Módulo IV – Educação e Relações Étnico-raciais. O certificado será emitido de acordo com o número de horas cursadas pelo/a participante, considerando os Módulos em que obteve aprovação, podendo variar de 120 (cento e vinte) a 180(cento e oitenta) horas.


Equipe do Curso
Coordenação:
Profa. Dra.  Paula Cristina da Silva Barreto
Profa. Ma. Zelinda dos Santos Barros


Promoção:
Ministério da Educação
Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Universidade Aberta do Brasil


Realização:
Universidade Federal da Bahia
Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas
Programa A Cor da Bahia


Endereço:
Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas
Programa A Cor da Bahia
Estrada de São Lázaro, 197, Salvador – BA, CEP 40.210-730
e-mail: cursoensinoafro.ufba@gmail.com ou educacaoafrobahia2012@bol.com.br 
Blog do curso: http://cursoensinoafroufba.blogspot.com.br/ 

Ciclo de palestras "O Negro no Pensamento Social Brasileiro" - RJ

(Clique na imagem para ampliá-la)

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Seminário Internacional "O trabalho da imaginação na textura do presente" - RJ

 
IMAGINAR E CONHECER
 
O presente seminário internacional está alinhado com uma busca de reconciliação do ato de imaginar com o ato de conhecer. Conta com a participação de antropólogos com diferentes inserções teóricas e que, ainda assim, compartilham o pressuposto que todo ato imaginativo é um fenômeno da experiência. Neste sentido, o foco do seminário não será classificar os atos imaginativos segundo suas propriedades intrínsecas, mas acompanhar etnograficamente as histórias que descrevem seus movimentos, desdobrando assim os caminhos que os conectam com modos de formar e transformar o universo material constituindo a textura do presente.
 
O seminário terá como foco Angola e Moçambique, países africanos marcados por longos períodos de guerra e que, atualmente, são intensamente atravessados por fluxos de pessoas que migram de um canto a outro, entre territórios, cidades e países. Isto quer dizer que neste pedaço do planeta, pessoas adultas e crianças frequentemente são convidadas a dialogar com situações brutais do passado e a promover futuros alternativos. Os pesquisadores aqui reunidos estarão particularmente atentos aos processos imaginativos que tem feito parte desta trama.
 
 
PROGRAMAÇÃO
 
19h -- Conferência de Abertura "O trabalho da imaginação na textura do presente"
Tim Ingold (Universidade de Aberdeen)
 
 
9h -- Conferência "O trabalho da imaginação na antropologia em África"
Ramon Sarró (Universidade de Oxford)
 
10h30h -- Mesa Redonda "Deuses e demônios"
Ruy Blanes (Universidade de Lisboa)
Claudia Wolff Swatowiski (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
Fernando Sabonete (Universidade Federal de Pernambuco)
Debatedora: Roberta Bivar Campos (Universidade Federal de Pernambuco)
 
15h -- Mesa Redonda "O presente da antropologia e o trabalho da imaginação"
Patrícia Birman (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
Carlos Steil (Universidade Federal do Rio Grande do Sul)
Márcia Contins (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
Debatedor: Otávio Velho (Museu Nacional/UFRJ)
 
10h30h -- Mesa redonda "Guerra e reconstrução"
José Nkosi (Universidade Agostinho Neto)
Clara Mafra (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
Nelson Domingos Antônio (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
Maurício Barros de Castro (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
Debatedor: Wilson Trajano Filho (Universidade de Brasília)
 
15h -- Mesa Redonda "Campanhas espirituais, guerras sanitárias"
Ana Monteiro (Universidade Eduardo Mondlane)
Giulia Cavallo (Universidade de Lisboa)
Luiz Henrique Passador (Universidade Federal da Fronteira Sul)
Debatedora: Renata Menezes (Museu Nacional/UFRJ)
  
INSCRIÇÕES ABERTAS! 
Com 70% de presença, serão dados certificados.
 
Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Rua São Francisco Xavier 524 - sala 9043 - bloco F – Maracanã
20250-013 Rio de Janeiro (RJ) – Brasil
tel: 55 (21) 2334 0678
trabalhodaimaginacao@gmail.com