SEGUIDORES DO BLOG

.

.

CALENDÁRIO NEGRO – MAIO

1 – Circula em Campos (RJ), o primeiro número do jornal Vinte e Cinco de Março, de propriedade de Carlos Lacerda, inimigo radical da escravatura, contendo matéria onde se insinuava que os abolicionistas daquela cidade utilizar-se-iam mesmos de métodos violentos, se isso se fizesse necessário, com vistas ao alcance de seus objetivos. (1884)
1 – Nasce em Salvador (BA), o poeta José Carlos Limeira Marinho Santos (1951)
2 – Nasce em Miraí (MG), o cantor, compositor e letrista, Ataulfo Alves, autor de: "Ai que saudades da Amélia", "Errei Sim", "Na Cadência do Samba", "Leva meu samba", "Atire a primeira pedra" (1909)
2 – Nasce na Bahia, Maria Stella de Azevedo Santos - Mãe Stella de Oxossi, uma das mais importantes ialorixás brasileiras, sacerdotisa do Ilê Axé Opô Afonjá (1925)
2 – Com a atenção de todo o planeta voltada para a África do Sul e a presença de inúmeras personalidades, entre elas Coretta King, viúva do líder americano Martin Luther King, Nelson Mandela recebe a faixa presidencial de Frederick de Klerk, tornando-se o primeiro negro a presidir o país (1994)
3 – A ordem de São Bento institui o regime de "Ventre Livre" nas suas propriedades (1865)
3 – Nasce numa pequena cabana de madeira na floresta de Barnweel (EUA), o "padrinho do soul", James Brow (1933)
3 – Nasce em Cachoeiro do Itapemirim (ES), Elson Ananias, o famoso mestre-sala Elson PV (1940)
3 – Nascimento do geógrafo Milton Santos, que revolucionou a Geografia, dando-lhe um enfoque humanista (1926)
4 – O
s "Viajantes da Liberdade" - ativistas pelos direitos civis em defesa dos direitos da população negra nos Estados Unidos que, entre o ano de 1961 e os seguintes, viajaram em ônibus interestaduais pelo sul dos Estados Unidos (1961)

4 – Nasce em Indiana, nos EUA, Sigmund Esco Jackson, o Jackie Jackson, um dos primeiros integrantes da banda Jackson Five e o mais velho da família Jackson (1951)

5 – Nasce em Rio Claro, (SP), a cantora Vicentina de Paula Oliveira, Dalva de Oliveira que eternizou através de sua voz, canções como: "Ave Maria no Morro", "Vingança", "Máscara Negra", entre tantos sucessos (1917)
5 – Fundação no Rio de Janeiro, da Associação das Escolas de Samba do Brasil (AESB) (1952)
5 – Nasce em Salvador (BA), o Bloco-Afro Muzenza (1981)
6 – É inaugurada em Salvador (BA), a Casa do Benin (1988)

8 – Nasce em Hazlehurst, Mississipi (EUA), o cantor de blues, Robert Johnson (1911)
8 – Nasce no bairro de Madureira, Rio de Janeiro, Neuma Gonçalves da Silva - D. Neuma, uma das mais tradicionais integrantes da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira (1922)
8 – Em uma noite histórica para o teatro brasileiro, o ator Aguinaldo Camargo no palco do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, viveu o trágico Brutus Jones O'Neill na peça "O Imperador Jones". Era a primeira apresentação do T E N - Teatro Experimental do Negro (1945)
9 – Nasce no Rio de Janeiro o escritor, filólogo, bacharel em Direito, poeta, compositor e sambista Nei Braz Lopes - Nei Lopes (1942)
9 – Fundação em Belo Horizonte (MG), da Casa Dandara, entidade voltada para a promoção da cultura afro-brasileira. (1987)
10 – O líder Nelson Mandela assume a presidência da África do Sul (1994)
11 – Realiza-se no Rio de Janeiro (RJ), organizada pelo Movimento Negro, a Marcha Contra os 100 Anos de Opressão (1988)
11 – Nasce na Rua Fonseca Telles, bairro de São Cristóvão, Rio de Janeiro, o cantor e compositor José Bispo Clementino dos Santos - Jamelão (1913)
12 – Nasce em Ovamboland, fronteira da Namíbia com Angola, o presidente da SWAPO, Shafushuna Samuel Nujoma - Sam Nujoma (1929)

12 – Nasce no Rio de Janeiro, a atriz Ruth Pinto de Souza - Ruth de Souza (1931)
12 – Encenação da "Missa dos Quilombos" pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro (1988)
12 – Dia da Escrava Anastácia
13 – Dia consagrado aos Pretos Velhos
13 – Nasce numa sexta-feira, Afonso Henrique Lima Barreto, uma das maiores expressões da literatura brasileira. Escreveu verdadeiras obras-primas como "Recordações do Escrivão Isaías Caminha", "Triste Fim de Policarpo Quaresma", "Clara dos Anjos", "Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá" (1881)
13 – Assinada pela Princesa Isabel a Lei Áurea declarando extinta a escravidão no Brasil, último país da América a libertar seus escravos (1888)
13 – Nasce em São Pedro da Aldeia (RJ), o artista plástico e único morador da Casa da Flor, Gabriel Joaquim dos Santos. Construção feita com suas próprias mãos utilizando cacos, faróis de automóveis, espelhos, mariscos, etc. (1892)
13 – Fundação em Itapetininga (SP) do Clube Recreativo 13 de Maio (1911)
13 – Nasce nos Estados Unidos o pugilista Joe Louis (1914)
13 – O Jornal "O Clarim da Alvorada", promove uma romaria aos túmulos dos abolicionistas Luiz Gama e Antônio Bento, no Cemitério da Consolação, em São Paulo (1927)
13 – Nasce em Ouro Preto (MG), o compositor Sebastião Vitorino Teixeira Catone, da Portela (1930)
13 – Nasce em Caitité (BA), o cantor e compositor Eurípedes Waldick Soriano - Waldick Soriano (1933)
13 – Nasce em Macaé (RJ), a cantora Abelim Maria da Cunha - Angela Maria (1929)
13 – Nasce no Rio de Janeiro, o ator, escritor e produtor cultural Haroldo Costa (1930)
13 – Nasce nos Estados Unidos, o cantor e compositor Steveland Morris - Stevie Wonder (1950)
13 – Inauguração do Monumento aos Pretos Velhos, no bairro de Inhoaíba, Rio de Janeiro (1958)
13 – A Lei de n. 2 340 de autoria do Deputado Estadual Jorge Leite, muda o nome da Rua Maruim no bairro de Madureira (RJ) para rua Compositor Silas de Oliveira (1974)
13 – Fundação no bairro do Engenho Velho de Brotas, Salvador (BA), do Afoxé Badauê (1978)
13 – Fundação no Rio de Janeiro, do Bloco Afro Cultural Olodumarê dos Palmares (1985)
13 – Dia Nacional de Denúncia contra o Racismo
14 – Os líderes da Revolta dos Malês, os libertos Jorge da Cunha Barbosa e José Francisco Gonçalves e os escravos Gonçalo, Joaquim e Pedro, são fuzilados no Campo da Pólvora, em Salvador (BA) (1835)
14 – Nasce em New Orleans, o músico Sidney Bechet (1897)
15 – Ministério da Justiça do Pará relatava terem os negros escravizados na fazenda "Pernambuco", pertencente ao Convento do Carmo, expulsado o feitor e assenhorando-se na fazenda mantendo em estado de rebelião (1866)
15 – Nasce em Campo Belo (MG), a pintora Maria Auxiliadora (1938)
15 – Nasce em São Paulo, o cantor Mário Ramos - Vassourinha (1923)
15 – Nasce em Muriaé (MG), Geraldo Teodoro, Mestre Teodoro, fundador da Folia de Reis "Estrela Dalva do Oriente, no subúrbio da Penha, Rio de Janeiro (1926)
15 – Nasce em Flint, Michigan (EUA), a cantora Lillie Mae Jones, Betty Carter, uma das grandes damas do jazz norte-americano (1929)

16 – O cantor Michael Jackson lança pela primeira vez em um show o passo Moonwalk (1983)
16 – Nasce em Indiana, EUA,
Janet Damita Jo Jackson, a cantora Janet Jackson (1966)

17 – Nasce no Rio de Janeiro, João Machado Guedes - João da Baiana, compositor, ritmista, autor de sambas, corimá, chulas, batucadas e vários pontos de candomblé (1887)
17 – Nos Estados Unidos, a Suprema Corte bane a segregação racial em escolas públicas (1954)
17 – A gaúcha Deise Nunes de Souza é coroada Miss Brasil. A primeira Miss Brasil negra em todos esses anos de concurso (1986)
18 – O baiano Antônio Ferreira França apresenta projeto de sua autoria fixando a data de 25 de maio de 1881 para a total extinção da escravatura no país (1830)
18 – O arcebispo sul-africano Desmond Tutu, Prêmio Nobel da Paz em 1984,chega ao Brasil para uma visita de uma semana (1987)
18 – Nasce em Omaha, Nebraska, (EUA), o fundador do movimento Black Muslims (Muçulmanos Negros), Malcolm Little, conhecido internacionalmente como Malcolm X (1925)
18 – Criação do Conselho Nacional de Mulheres Negras, no Rio de Janeiro (1950)
19 – Nasce no Rio de Janeiro (RJ) o cantor, compositor e instrumentista Alfredo José da Silva - Johnny Alf (1929)
20 – Nasce no Recife (PE), o músico, compositor e instrumentista Felipe Neri Trindade (1714)
20 – Nasce a bailarina e coreógrafa Mercedes Batista, primeira bailarina negra do Teatro Municipal (1921)
21 – Nasce no bairro da Gamboa (RJ), o pintor Manuel Faria Leal (1938)
21 – Nasce no Brooklin, EUA,
Christopher George Latore Wallace, o The Notorious B.I.G, Biggie ou Biggie Smalls, considerado um dos maiores rappers de todos os tempos (1972)

22 – Nasce em Londres, Naomi Elena Campbell ou Naomi Campbell, top model (1970)

22 – Nasce em Birmigham, Alabama (EUA), Herman Poole Blount ou Le Sony'r Ra, compositor de jazz, bandleader, pianista, poeta e filósofo, conhecido por sua "filosofia cósmica", composições musicais e performances (1914)
23 – Fundação em Salvador (BA), do Bloco-afro Malê Debalê (1979)
23 – Nascimento do poeta Carlos de Assumpção, autor do célebre poema Protesto (1927)

24 – Nasce em Kingston, Jamaica, Cecil Bustamente Campbell ou Prince Buster, uma das figuras mais importantes na história do Ska e do Rocksteady (1938)
25 – Criação da Organização da Unidade Africana - OUA (1963)
25 – Dia da Libertação da África, promovido pela ONU (1972)

25 – Dia de Solidariedade aos Povos da África Austral, instituído pela ONU em 20/05/72
25 – Nasce no bairro do Pilão, Feira de Santana (BA), o ator José Hilton dos Santos Almeida - Hilton Cobra (1956)
26 – Nasce em Mirante do Paranapanema (SP), o ator Antonio Viana Gomes - Tony Tornado (1930)
26 – Nasce em Alton, Illinois (EUA), o genial inovador do jazz, Miles Deney Davis III - Miles Davis(1926)
27 – Nasce em Yonkers, EUA,
Jayson Tyrone Phillips, o Jadakiss, rapper estadunidense (1975)

27 – Nasce em Três Lagos (MG) José Luís Barbosa, o Zequinha Barbosa, atleta campeão mundial indoor dos 800 metros rasos em Indianápolis, 1987, e ganhador de medalhas de prata e bronze em campeonatos mundiais (1961)

28 – Nasce em Pindamonhangaba (SP), o atleta João Carlos de Oliveira, João do Pulo, recordista mundial no salto triplo (1954)

29 – Nasce em Indiana (EUA), Rebbie Jackson, cantora, irmã mais velha de Michael Jackson (1950)
30 – O Centro de Estudos Afro-Asiáticos, a Sociedade de Estudos da Cultura Negra no Brasil (SECNEB) realizam no Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro, as "Semanas Afro - Brasileiras, incluindo exposições de arte afro-brasileira, experiências de danças rituais Nagô, música sacra, popular e erudita afro-brasileira, seminários e palestras, com um público de aproximadamente 6 mil pessoas (1974)

30 – Nasce em Atlanta, EUA, Ralph Harold Metcalfe, atleta e congressista estadunidense, campeão olímpico do revezamento 4X100m nos jogos de Berlim, em 1936 (1910)

31 – Nasce no Rio de Janeiro Paulo Roberto da Costa, o Paulinho da Costa, percussionista brasileiro que se tornou um dos músicos mais requisitados nos estúdios de gravações em Los Angeles, na Califórnia (EUA) e um dos músicos que mais gravou e participou de discos nos tempos modernos, sendo considerado pela revista Down Beat "um dos percussionistas mais talentosos do nosso tempo (1948)

31 – Nasce Darryl "D.M.C." Matthews McDaniels, rapper estadunidense pioneiro da cultura hip hop e um dos membros fundadores do lendário grupo Run-D.M.C. (1964)

31 – Nasce no Harlem, Nova Iorque (EUA), Azealia Amanda Banks, a Azealia Banks, rapper estadunidense (1991)





.

Pesquisa personalizada

domingo, 30 de novembro de 2008

Para mudar, "alter-estima" (Zelinda Barros)

A partir da observação de intervenções de colegas feministas e da experiência de trabalho com estudantes cotistas nos últimos meses, tenho refletido bastante sobre as ações desenvolvidas em oficinas e sobre sua efetividade. Durante muito tempo investimos na “recuperação da auto-estima” dos(as) participantes, como se ela garantisse, em grande parte, o desdobramento satisfatório das intervenções. Claro que é importante que qualquer pessoa reconheça e goste de si mesma, mas hoje penso que a consideração da auto-estima como prioritária na mobilização à ação social transformadora não é suficiente, pois o principal problema não é o “eu”, mas o(a) “outro(a)”. O investimento deve ser feito na “alter-estima”, pois falta muita consideração e respeito ao outro, e muitas vezes a supervalorização de nós mesmos(as) não nos permite ver e considerar as necessidades das outras pessoas com as quais interagimos - mesmo aquelas que consideramos “iguais”. Não falo da coletividade anônima referida nos estudos macrossociológicos. Me lembro de uma queixa feita por um ativista negro a respeito da incoerência entre aqueles(as)que proferem discursos impactantes acerca de questões coletivas, mas são incapazes de sequer dar um “Bom dia” a pessoas que ocupam posições de menor status ocupacional, como porteiros, zeladores(as) e garis, ou até mesmo companheiros de ativismo de menor prestígio.

Atualmente, as pessoas estão tão auto-referenciadas que até mesmo um “Oi, tudo bem?” se tornou um ritual vazio, pois quem pergunta não quer saber a resposta e nem mesmo pára para ouvir se você está realmente bem ou mal. Eu vejo com muito bons olhos o avanço, em termos institucionais, provocado pela ação dos movimentos sociais, mas percebo que necessitamos agora de um redimensionamento. Institucionalmente, muito já foi e ainda precisa ser feito, mas não devemos perder de vista que instituições são feitas por pessoas, que estas pessoas têm sentimentos, aspirações e agem a partir de seus próprios lugares, suas vivências, perspectivas... é preciso tocar as pessoas, trazê-las para a ação coletiva não somente porque têm a mesma religião, cor, gênero ou ideologia que nós, mas porque a vida na terra depende de todos(as). E esta convergência é necessária não apenas entre aqueles(as) que tradicionalmente são vistos(as) e se vêem como oponentes mas, principalmente, entre os(as) chamados(as) “companheiros(as)”, que muitas vezes se calam vergonhosamente quando vêem o(a) outro(a) em perigo ou em situação vexatória. Me lembro de um colega de trabalho de meu pai, “amigo” de farras constantes que, num assalto ao local onde trabalhavam, fugiu e o deixou pra trás sem nem mesmo prestar socorro enquanto o amigo era vítima de um atentado.

Palestra "O Trauma intergeracional da escravidão: resiliência e criatividade, observações no Pelourinho" - BA

O Instituto Junguiano da Bahia convida para a palestra gratuita:

"O Trauma intergeracional da escravidão: resiliência e criatividade, observações no Pelourinho"

Com a Drª Denise Gimenez Ramos*

Lançamentos dos Cursos 2009 de Pós-graduação, Aperfeiçoamento e Extensão do Instituto Junguiano da Bahia.

Dia: 04 de dezembro – quinta-feira – das 19h às 22h
Local: Bahia Othon Palace Hotel - Av. Oceânica, Ondina

Informações : IJBA – 71-3356-1645
e-mail: instituto@ijba.com.br
www.ijba.com.br


Psicóloga clínica, doutora em Psicoterapia Clínica e professora titular da PUC-SP. Autora de vários artigos, pesquisas e livros sobre o fenômeno psique-corpo, membro da Internacional Association for Analytical Psychology e da New York Academy of Sciences.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Pensamento Social Brasileiro e Participação da Juventude - MG

Data: 08 de dezembro de 2008, às 18h
Debatedores:
Prof. Juarez Guimarães (UFMG)
Beto Cury (Secretaria Nacional de Juventude
Secretaria Geral da Presidência da República)
MvBill (CUFA - Central Única das Favelas)

Mediador:
Prof. Leonardo Avritzer (UFMG)

Local:
Auditório da Fundação Casa de Rui Barbosa
Rua São Clemente, 134 - Botafogo - Rio de Janeiro / RJ

Informações:
(31) 3499-3551

Representações do pensamento social acerca do casamento inter-racial (Zelinda Barros)

RESUMO

Alguns estudos demonstram como opera o conceito de raça em nossa sociedade e a persistência da interdição do casamento entre indivíduos considerados racialmente diferentes, o que nos leva a refletir sobre a importância e a influência da raça como categoria social e as representações existentes a respeito do casamento inter-racial. Neste artigo, são apresentadas e discutidas as representações sociológicas dominantes sobre o casamento inter-racial, muitas vezes reduzidas a uma visão monológica das relações raciais. Após criticar esta concepção, discuto as mudanças ocorridas no casamento e, por fim, proponho uma nova maneira de analisar os casamentos inter-raciais.

Palavras-chave: casamento, raça, representações, casais inter-raciais.

Onde encontrar? http://www.enfoques.ifcs.ufrj.br/marco08/03.htm

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Encerramento do Novembro Negro - BA



(Clique nas imagens para ampliá-las)

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Jovem cientista do Instituto Steve Biko recebe prêmio

JOVEM CIENTISTA: BAIANA RECEBE PRÊMIO NESTA QUINTA, 27 DE NOVEMBRO

Sheila Regina dos Santos Pereira, integrante da equipe pedagógica do Instituto Cultural Steve Biko (ICSB) e grande vencedora na categoria Graduado do Prêmio Jovem Cientista 2007, que teve como tema "Educação para reduzir as desigualdades sociais", viaja essa semana a Brasília para, ao lado dos ganhadores das demais categorias, participar da cerimônia de premiação do XXIII Prêmio Jovem Cientista.

A chegada de Sheila à capital brasileira está prevista para o dia 26 de novembro, quando será oferecido, à noite, um coquetel de confraternização com a coordenação do evento. E no dia 27, às 16 h, ela receberá, no Palácio do Planalto, a premiação máxima dessa edição diretamente das mãos do Presidente da República, Luis Inácio Lula da Silva. Sheila será acompanhada por alguns membros do ICSB: Lázaro Passos Cunha (diretor de projetos), Abraão Félix da Penha (orientador de sua pesquisa), Gabriela Pereira Gusmão (coordenadora pedagógica) e Leonardo Souza (colaborador do instituto), que dividirão com ela esse momento tão especial, não somente para a família Biko, mas para toda a comunidade afro-descendente baiana.

Com o desenvolvimento de projetos sócio-educativos que visam a ascensão da comunidade afro-descendente e o resgate de seus valores ancestrais, o ICSB tem sido, desde 1992, uma grande referência na luta contra as iniqüidades sociais que persistem no Brasil. O instituto foi pioneiro na implantação do primeiro curso pré-vestibular para negros (as) do país, responsável pelo ingresso de mais de 1000 estudantes no ensino superior. Hoje, o ICSB abriga outros quatro projetos voltados para discutir e influenciar as políticas de juventude, dando-lhes ferramentas formativas pautadas na promoção da cidadania e valorização de sua identidade. Egressa de um dos programas educativos do Steve Biko, Sheila é um grande exemplo do sucesso desse trabalho, e serve como estímulo para que essa luta cresça cada vez mais.

SOBRE O PRÊMIO

O Prêmio Jovem Cientista existe desde 1981 e tem o objetivo de revelar e estimular talentos na área da Ciência e Tecnologia, bem como a popularização do conhecimento, sobretudo entre os jovens.

Promovido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Grupo Gerdau e a Fundação Roberto Marinho, o prêmio contou nesta edição com um total de 1.748 trabalhos inscritos de todo o Brasil. Sheila é a primeira baiana a vencer a categoria máxima do prêmio, com a pesquisa Oguntec: Uma experiência de ação afirmativa no fomento à educação científica.

No trabalho, a jovem pesquisadora relata o processo de acompanhamento pedagógico que desenvolve junto aos estudantes do programa Oguntec/Steve Biko, cujo objetivo principal é o estímulo e a disseminação da Ciência e Tecnologia entre estudantes negros e negras de escolas públicas baianas. Em sua análise Sheila Regina elenca uma série de dificuldades educativas e sociais comuns aos estudantes de escolas públicas para o acesso ao conhecimento, revela a acentuação expressiva desta problemática entre a parcela negra e feminina da população brasileira e reflete sobre a necessidade de adoção de políticas públicas efetivas em face do quadro social traçado.

MAIORES INFORMAÇÕES

SHEILA REGINA PEREIRA (ASSISTENTE PEDAGÓGICO): (71) 8861.9943

LÁZARO PASSOS (DIRETOR DE PROJETOS): (71) 9906.2400

INSTITUTO STEVE BIKO: (71) 3242 3230

NUCOM - Núcleo de Comunicação
Instituto Cultural Steve Biko16 anos promovendo ações afirmativas


Mesa-redonda "Política Indigenista e Diversidade Lingüística" - SP

No dia 2 de dezembro, às 14h30, no IEA, acontece a mesa-redonda "Política Indigenista e Diversidade Lingüística", abertura do ciclo "Políticas de Direitos dos Povos Indígenas", que terá continuidade em 2009. Segundo a antropóloga Betty Mindlin, uma das organizadoras da atividade, os participantes da mesa-redonda, ao falarem de sua longa trajetória de trabalhos com os índios, darão exemplos de projetos e parcerias com os povos indígenas, em defesa das terras, línguas, sobrevivência física, material e cultural e participação na cidadania brasileira.

Além de Betty Mindlin, co-fundadora do Instituto de Antropologia e Meio Ambiente (Iamá), participam como debatedores: Ana Suelly Arruda Câmara Cabral, professora do Departamento de Lingüística, Português e Línguas Clássicas do Instituto de Letras da Universidade de Brasília (UnB); Aryon Dall'Igna Rodrigues, professor emérito da UnB e pesquisador associado do Instituto de Letras da mesma universidade; e José Porfírio Fontenele de Carvalho, indigenista, sertanista, diretor dos Programas Waimiri-Atroari e Parakanã do Convênio Funai/Eletronorte.

Sobre os temas que serão tratados na mesa-redonda, Betty informa que o caso dos Programas Waimiri-Atroari e Parakanã abrirá o debate sobre diferentes modelos de indigenismo bem sucedidos no Brasil, depois da grande realização que foi o Parque Indígena do Xingu dos irmãos Villas Boas. "Os dramas e impasses da defesa dos direitos indígenas serão colocados em relevo na apresentação da vida e obra de José Porfírio Fontenele de Carvalho, um dos indigenistas mais experientes do país. Ana Suelly Arruda Câmara Cabral e Aryon Dall'Igna Rodrigues, dois estudiosos dos troncos lingüísticos tupi e macro-jê, além de muitas outras línguas, desencadearão o debate em torno dos princípios de política lingüística e de colaboração com os índios para a preservação de suas línguas."

A mesa-redonda é uma realização do IEA, do Programa de Pós-Graduação em América Latina (Prolam) da USP, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP e do Iamá. A organização é de Betty Mindlin (Iamá) e Mauro Leonel (EACH-USP).

Local: Auditório Alberto Carvalho da Silva, Av. Prof. Luciano Gualberto,
Travessa J, 374, Cidade Universitária, São Paulo (mapa)
Internet: transmissão em www.iea.usp.br/aovivo
Informações: com Sandra Sedini (sedini@usp.br), telefone (11) 3091-1688

terça-feira, 25 de novembro de 2008

UNESCO apresenta ao MEC proposta sobre ensino de cultura afro nas escolas - DF

Entrega do documento ao Ministério da Educação marca Dia da Consciência Negra

Brasília, 20/11/2008 – Os preparativos do Governo Federal para introduzir o ensino da cultura africana nas escolas brasileiras ganharam um importante apoio nesta quinta-feira, 20, Dia da Consciência Negra, com a entrega ao Ministério da Educação (MEC), pela UNESCO e outras oito entidades e organizações, da Proposta de Plano Nacional de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana – lei 10.639/2003. O documento foi entregue ao ministro Fernando Haddad pelo Representante da UNESCO no Brasil, Vincent Defourny.

A proposta de Plano Nacional estabelece metas para a implementação efetiva da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), alterada pela lei nº 10.639/2003, que torna obrigatório o ensino de História e Cultura Afro-Brasileira na educação básica. Elaborado por um Grupo de Trabalho Interministerial (GT) coordenado pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad/MEC) e pela UNESCO no Brasil, o documento objetiva a valorização e o reconhecimento da diversidade étnico-racial na educação brasileira com a eliminação de culturas e práticas discriminatórias e racistas presentes no cotidiano das escolas e nos sistemas de ensino.

O documento, que se articula ao Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), também prevê e enfatiza as diferentes responsabilidades dos poderes executivos e legislativos, dos conselhos de educação municipais, estaduais e nacional e de outras instituições públicas no processo de implementação e institucionalização da lei. “A proposta é o resultado de um trabalho em cooperação que espera ser transformado em um plano de ação”, disse Vincent Defourny.

Após a realização de seis encontros regionais, onde foram ouvidos gestores municipais e estaduais dos sistemas de ensino, representantes do movimento negro e dos Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros (Neab), o GT estruturou a proposta a partir de seis eixos estratégicos: fortalecimento do marco legal; política de formação para gestores e profissionais de educação; política de material didático e paradidático; gestão democrática e mecanismos de participação social; condições institucionais (financiamento, sensibilização e comunicação, pesquisa, equipes e regime de colaboração); e avaliação e monitoramento.

100 Anos de Umbanda - RJ

Fundição Progresso
Rua dos Arcos, 24 – Lapa
Metrô Cinelândia
30 de novembro domingo
a partir das 14 horas
Entrada: 2 (dois) quilos de alimentos não perecíveis trocados por um ingresso, na bilheteria, no dia do Evento


CULINÁRIA TÍPICA
ARTESANATO AFRICANO
CAPOEIRA
SAMBA DE RODA
CORAL DE OGANS
AFOXÉ
JONGO
DJ MAM
17h – show com ARLINDO CRUZ

Realização e Apoio:
CCDS
PRETA PRODUÇÕES
ABRAÇA
SEPPIR
Deputado Federal Carlos Santana
Mercadão de Madureira

Seminário "ONGs - Espaço da transformação social da juventude negra?" - BA

O Centro de Pesquisas e Produção Afrodescendente, convida tod@s para participarem do seminário: ONG'S – ESPAÇO DA TRANSFORMAÇÃO SOCIAL DA JUVENTUDE NEGR@???


No mês de novembro na semana da Consciência Negra compondo o calendário das manifestações em discussões em torno das questões raciais, a Som di Pret@ promoverá a II Edição Afro em Cena com o Seminário: Ong`s - Espaço de Transformação Social da Juventude Negra?. O evento acontecerá dia 27 de novembro (quinta-feira), das 08h às 21h, no HOTEL SOL BARRA (Av. Sete de Setembro, 3577 – Porto da Barra - Salvador – BA).

Neste evento estarão reunidos estudantes, educadores e outros profissionais com o intuito de debater, avaliar e divulgar as ações empreendidas por Organizações não-governamentais, que vem atuando em comunidades através de atividades sócio-culturais com a juventude negra.

PALESTRANTES:

- Antonio Carlos dos Santos Vovô – ILÊ AIYÊ

- Silvio Humberto – INSTITUTO STEVE BIKO

- Joselito Crispim dos Santos Assis – BAGUNÇAÇO

- Valmir Assunção – SEDES-GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA

- Vilma Reis – CEAFRO/ CDCN

- MEDIADOR – DJ BRANCO/CMA HIPHOP


PROGRAMAÇÃO:

8:00 - Credenciamento - Distribuição de material

9:00 - ABERTURA - Composição da mesa

9:15 - Performance Teatral e Recital Poético

9:50 - Coffebreak

10:15 – Oficinas /Workshop

12:00 - Almoço

14:00 - Oficinas/ Workshop

17:30 - Coffebreak

18:00 – SEMINÁRIO / PALESTRAS / DEBATE

21:00 - Encerramento


OFICINAS:

- Interpretação Teatral (Transformação com o Teatro)

- Rap Poesia (transformação com o Rap)

- Produção Musical e Novas Mídias

- Gênero e Raça


WORKSHOP:

- Elaboração de Projetos

O quê? Seminário: ONG'S – Espaço de Transformação Social da Juventude Negra ?

Quando? 27 de novembro de 2008 (quinta-feira), das 08h às 21h.

Onde? HOTEL SOL BARRA (Av. Sete de Setembro, 3577 – Porto da Barra - Salvador – BA).


INSCRIÇÕES GRATUITAS NO SITE: www.somdipreto.com.br


Contatos:
Som di Pret@ - Produções Artísticas
www.somdipreto.com.br
somdipret@gmail.com

71- 3494-6954

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Lançamento do filme "Maria Paraguaçu" - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

Hip Hop no 5ª Kizumba - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

Carta Aberta do Povo de Santo de Salvador - BA

Segue abaixo a carta tirada na IV Caminhada do Povo-de-Santo, onde importantes organizações nacionais que atuam no segmento religioso, firmam compromisso de cooperação e ação conjunta. (Marcio A.)


Carta de Salvador – Ações futuras para o povo-de-santo

Nós sacerdotisas, sacerdotes, vivenciados e simpatizantes da tradição de matriz africana, reunidos nesta cidade entre os dias 20, 21, 22 e 23 de novembro, para participar da IV Caminhada pela Vida e Liberdade Religiosa e do Seminário Direitos Humanos e Liberdade Religiosa, sobre as bençãos de Olorum, Nzambi, Mawu lisa, Deus vimos de público afirmar que:

- Devido à importância político-social que hoje representa a Caminhada pela Vida e Liberdade Religiosa e sua confluência na proposição organizativa das comunidades tradicionais de norte a sul, leste a oeste do país, decidimos por maioria torná-la oficialmente a “Caminhada Nacional pela Vida e Liberdade Religiosa, podendo a mesma abrigar todos os segmentos da tradição de matriz africana no território nacional, passando sua organização para o coletivo de entidades signatárias desta carta;

- Devido à importância político-social do recenseamento a ser realizado em território nacional pelo IBGE em 2010 e ao fato de nunca ter sido dada a devida importância ao segmento afro-brasileiro, buscando de fato o estabelecimento do perfil qualitativo e quantitativo da nossa população, definimos pela realização de uma campanha de ação afirmativa nacional protagonizada pelas entidades negras representativas da tradição de matriz africana em parceria com as demais entidades do movimento social negro, elaborada e criada a partir da realidade vivenciada nas comunidades de tradição. Para esta campanha buscar-se-ão as necessárias parcerias com os órgãos governamentais em todas as instâncias.

- Que as organizações signatárias desta carta aberta, têm em comum a luta contra toda e qualquer forma de discriminação, de intolerância religiosa e pressuposto do reconhecimento da humanidade do outro e de seus direitos civis e sociais; estando as mesmas, unidas pelo mesmo objetivo em todo território nacional, exigindo do estado o cumprimento do seu papel, em relação aos seus direitos.

· Coletivo de Entidades Negras – CEN

· Instituto de Tradições da Cultura Afro-Brasileira - INTECAB

· Movimento Nação Bantu - MONABANTU

· Federação Nacional de Culto Afro-brasileiro - FENACAB

· Associação de Preservação da Cultura Afro e Ameríndia - AFA

· Centro de Tradições Religiosas Afro- Brasileira - CETRAB

· Centro de Desenvolvimento das Religiões Afro-Brasileira - CEDRAB

· Rede Ecumênica do Nordeste

· Conselho Nacional de Juventude/CONJUVE

· Rede Religiões Afro–Brasileiras e Saúde

· Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afro-brasileira - CENARAB

· Centro de Integração da Cultura Afro-Brasileira - CIAFRO

Defesa de dissertação sobre reggae - BA

GUERREIR@S DO TERCEIRO MUNDO:
Identidades negras na Música Reggae da Bahia (anos 80/90)

Por Fabricio dos Santos Mota (Posafro/UFBA)

Banca Examinadora:
Profª. Drª. Angela Lühning (orientadora) - UFBA
Prof. Dr. Lívio Sansone (co-orientador) - UFBA
Prof. Dr. "Salloma" Salomão Jovino da Silva - Doutor em História (PUC/SP)

Dia 28/11 às 09h no auditório Milton Santos, Centro de Estudos Afro-orientais (CEAO/UFBA).
Praça inocêncio Galvão, 42, largo 02 de Julho, Centro. Salvador-Ba.

Palestra sobre música africana no século XIX - BA

"Violas D'Angola:
Sobre viagens, imagens e miragens de música africana no Brasil do oitocentos"
com o prof. Dr. Salloma Salomão Jovino da Silva.
Doutor em História (PUC/SP)
Músico, compositor e Luthier
Dia 27/11, às 18h no auditório Milton Santos, CEAO
Rua inocêncio Galvão, 42, Lgo. 02 de Julho
Centro, Salvador-Ba.

SEPROMI promove "Tem dendê na roda" - BA

A Secretaria de Promoção da Igualdade/SEPROMI, através da Superintendência de Políticas para as Mulheres, juntamente com a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres/SPMulheres, a Associação das Baianas de Acarajé e Mingau/ABAM e o Mandinga de Mulher - Coletivo de Capoeiristas convidam para o lançamento do projeto “TEM DENDÊ NA RODA!”, campanha de enfrentamento à violência contra as mulheres.

RODA de capoeira. RODA de samba.

Local: Memorial das Baianas – Praça da Sé

Data: 25 de Novembro (Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher)

Horário: a partir das 10 horas

DENUNCIE A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

DISQUE 180

Workshop para advogados gaúchos visando atuação no Sistema Interamericano de Direitos Humanos - RS

O Programa de Promoção da Igualdade Racial - SOS/Racismo de MARIA MULHER- Organização de Mulheres Negras realiza nesta segunda-feira, 24, e amanhã, 25, o Workshop sobre o Sistema Interamericano de Proteção dos Direitos Humanos com o objetivo de capacitar advogados e advogadas para atuarem nos fóruns de discussão em direitos humanos da Organização dos Estados Americanos – OEA.

O evento com atividades nos turnos da manhã e tarde é exclusivo para operadores do Direito que atuam junto a população negra de Porto Alegre. O local é o auditório do Ponto de Cultura de MARIA MULHER situado na Avenida Moab Caldas, 2035, Vila Cruzeiro do Sul. As inscrições mediante convite já estão encerradas.

Para advogada Letícia Lemos da Silva, que atua no SOS/Racismo, a importância deste workshop reside no repasse de informações, instrumentos, normas e procedimentos internacionais e regionais de proteção aos direitos humanos para militantes com atuação em casos de discriminação racial e racismo.

A representante de MARIA MULHER enfatiza que esta ação tem o intuito de preparar profissionais para que usufruam das ferramentas jurídicas com vista a pressionar o Estado brasileiro para que cumpra seus compromissos internacionais em matéria de direitos humanos.

O workshop é resultado da parceria entre MARIA MULHER, Geledés - Instituto da Mulher Negra, de São Paulo, e Global Rights, e se insere no processo de aglutinação de forças para ampliar o conhecimento do Sistema Interamericano de Proteção dos Direitos Humanos.

Atuam na coordenação desta atividade os advogados Letícia Lemos da Silva, responsável pelo SOS Racismo de MARIA MULHER, Rodnei Jericó da Silva, coordenador do Projeto SOS Racismo do Geledés, e Carlos Quesada, da Global Rights, os dois últimos são especialistas no Sistema Interamericano de Proteção dos Direitos Humanos.

SERVIÇO

O que é: Workshop sobre o Sistema Interamericano de Proteção dos Direitos Humanos

Quando: 24 e 25 de novembro de 2008 – segunda-feira e terça-feira

Horário: das 9h às 12h e das 14h às 17h

Onde: Avenida Moab Caldas, 2035 – Vila Cruzeiro do Sul

Mais informações: 55 51 99. 47.11.06 – c/ a advogada Letícia Lemos da Silva leticia@mariamulher.org.br

Inscrições limitadas e já encerradas


Lançamento de CD e Livro - SP

CONTOS CRESPOS, livro de Cuti / AMOSTRA, CD de Raphão Alaafin

Recital Rima Acima Rima Abaixo, com os autores &

Helen Lucinda, Luciana Santos e Juliana Ferraz.

Data: 05 (sexta-feira) de dezembro de 2008

Horário: 19h30

Local: SESC – Pompéia

Oficinas de Criatividade – Sala 1

Rua Clélia, 93 – Pompéia – São Paulo

Tel. 3871.7700/www.sescsp.org.br

Promoção: CEERT e Mazza Edições

sábado, 22 de novembro de 2008

Ipea lança livro "Desigualdades raciais", com download gratuito


O Ipea lançou, no Dia da Consciência Negra, o livro "Desigualdades raciais, racismo e políticas públicas 120 anos após a abolição".

O livro traz análises inéditas sobre a política de cotas brasileira e sobre os números dos censos e Pnads desde 1890 que confirmam que a população brasileira volta em 2007 a ser de maioria negra como fora no primeiro registro oficial confiável, de 1890.

O mais novo lançamento do Ipea está disponível na íntegra gratuitamente no sítio eletrônico do Ipea (http://www.ipea.gov.br). Basta clicar sobre a reprodução da capa e, na página da sinopse, clicar em "acesse o documento".

"Não é que o Brasil esteja se tornando uma nação de negros, mas está se assumindo como tal", destaca o pesquisador Sergei Soares, um dos autores do livro.

Para o organizador do livro, Mário Theodoro, diretor de Cooperação e Desenvolvimento do Ipea, é muito importante essa tomada de consciência da população negra e a conquista de direitos no Brasil. "Mas os negros vivem ainda hoje uma situação de enorme desigualdade em relação à população branca. Com menos empregos, salários menores, menos acesso a escola e universidade, muito menos acesso a rede de saneamento básico e muito mais pobreza."

O livro apresenta um conjunto de estudos enfocando diversos aspectos da questão racial no Brasil.

* Cap 1. Inicia com um enfoque histórico que analisa a formação do mercado de trabalho brasileiro à luz do passado escravista e da transição para o trabalho livre.
* Cap 2. Sobre a discriminação racial e a ideologia do branqueamento que ganham força, sobretudo a partir da abolição.
* Cap 3. Trata do tema racial tendo em vista as diferentes abordagens do estudo da questão da mobilidade social, proporcionando um rico quadro da trajetória dos estudos sobre o assunto.
* Cap 4 e 5. Tratam dos dados mais recentes sobre as desigualdades raciais, extraídos da Pnad: um sobre os aspectos demográficos outro sobre os diferencias de renda.
* Cap 6. Analisa as políticas públicas de combate à desigualdade racial no Brasil seus limites e abrangência.
* Cap 7. São apresentadas algumas conclusões com base no que foi discutido nos capítulos anteriores.

Autores:

MÁRIO THEODORO (organizador)
A formação do mercado de trabalho e a questão racial no Brasil.

LUCIANA JACCOUD
O combate ao racismo e à desigualdade racial: o desafio das políticas públicas de promoção da igualdade racial.

RAFAEL OSÓRIO
Desigualdade racial e mobilidade social no Brasil: um balanço das teorias.

SERGEI SOARES
As desigualdades raciais no Brasil – a trajetória a partir dos dados da Pnad.

Para baixar o livro basta acessar http://www.ipea.gov.br e clicar na reprodução da capa no link livraria (à direita)

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

1 ano do Programa Evolução Hip Hop - BA

Neste sábado, 22 de novembro de 2008, é aniversário de um ano do programa Evolução Hop Hop, da Rádio Educadora FM 107.5 (rádio pública da Bahia), e para marca esta data o programa sai mais uma vez dos estúdios da rádio, será transmitido ao vivo a parti das 17 horas da Praça Tereza Batista no Pelourinho, dentro da programação da Feira Hype. Com um especial em celebração ao mês da Consciência Negra o Evolução HipHop leva ao palco os grupos de Rap, Fúria Consciente, Império Negro, Nova Saga e Profetas do Gueto.
O Evolução HipHop, que estreou no dia 24 de novembro de 2007 na Educadora FM 107.5, logo em sua 4ª edição ocupou o primeiro lugar no Ranking de audiência dos programas do rádio Baiano, no horário das 17h, às 18h, (sábado). O programa, o mais ouvido de hip hop na Bahia, acaba de ser indicado ao Prêmio Nacional Dinamite de Música Independente, sendo o único programa de música do gênero em rádio do Brasil que está concorrendo.

Saiba Mais:
http://www.rapnacional.com.br/noticias.asp?id=2772
Esta mensagem foi enviada por DJ Branco ..

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Câmara garante 50% das vagas de universidades para alunos da escola pública

20/11 - 14:07 - Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias

BRASÍLIA - A Câmara aprovou nesta quinta-feira um projeto de Lei que destina 50% das vagas das universidades públicas, federais e de escolas técnicas federais para alunos vindos do ensino público. A matéria também divide essas vagas de acordo com a proporção étnica de cada Estado e renda per capita familiar.

"Votar essa matéria no dia da Consciência Negra tem um grande significado, pois trazemos mais justiça social e justiça étnica", disse o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia.

De acordo com o projeto, 50% das vagas das universidades públicas e das federais vão ser destinadas a alunos que cursaram integralmente o ensino médio em escolas públicas. Destas vagas, 25% serão distribuídas de acordo com proporção étnica do Estado, definida pelo IBGE. Ou seja, onde há mais negros, vai haver mais vagas para negros, onde existem mais pardos, haverá mais vagas para pardos e em Estados com mais brancos, vai haver mais vagas para brancos.

Os outros 25% - do total de 50% reservado para oriundos do ensino público – vão levar em conta, além da proporção étnica, a renda per capita familiar. Assim, estas vagas vão ser reservadas para os alunos das escolas públicas que têm renda per capita familiar inferior a um salário mínimo – mantendo-se ainda a proporção étnica.

Os mesmos critérios que valem para as universidades vão valer para as escolas técnicas. A diferença é que as vagas vão ser destinadas para alunos que cursarem integralmente o ensino fundamental em escolas públicas.

Com a aprovação a matéria segue para o Senado, onde precisa ser novamente aprovada antes de ser sancionada pelo presidente Lula.

Relação entre racismo, consumo e violência movimenta debate no Ministério Público - BA

Racismo, violência e consumo. O que essas três palavras podem representar na vida de uma pessoa supera índices e dados apontados em pesquisas e estudos acadêmicos. Para discutir as relações de poder e enfrentamento que permeiam as questões de raça, consumo e poder, o Ministério Público do Estado da Bahia (MP/BA) e o Instituto Pedra de Raio (IPR) promovem o Seminário Racismo, Consumo e Violência, no dia 27 de novembro, mês da Consciência Negra.

As palestras e discussões serão realizadas no auditório do Ministério Público, com presença de estudiosos, juristas, integrantes de movimentos sociais e representantes do poder público (programação em anexo). As inscrições são gratuitas e serão realizadas no dia e local do evento.

A promoção do Seminário Racismo, Consumo e Violência é fruto do convênio firmado entre o Instituto Pedra de Raio – Justiça Cidadã e o Ministério Público do Estado da Bahia- Promotoria de Combate a Discriminação Racial, com o objetivo de, através da produção de estudos, pesquisas e acompanhamento jurídico de casos, melhorar e ampliar os atendimentos às vítimas de injúria racial e fortalecer o combate ao racismo no estado da Bahia.

Casos de racismo

"Sou branca, tenho olhos azuis e tenho dinheiro. Não tenho medo da justiça". Essa foi a resposta de T. S. B., cliente de uma instituição privada de ensino superior, sobre a possibilidade de responder judicialmente às ofensas raciais que dirigiu a funcionários que realizavam a matrícula de seu filho. Uma das vítimas, que prefere não ter o nome divulgado, chegou a procurar uma delegacia para registrar queixa, mas não teve seu pedido plenamente atendido. G. M. A. foi então ao Ministério Público da Bahia relatar o ocorrido. A partir do registro da denúncia, o MP/BA acompanha o caso na justiça criminal e o Instituto Pedra de Raio acompanha a ação civil de indenização por danos morais contra a agressora.

Há cerca de uma semana, um grupo de jovens que voltava de um evento promovido pela Central Única das Favelas no Centro Histórico de Salvador foram acusados de assaltantes pelo taxista que os levava e, além de serem agredidos fisicamente por policiais, tiveram que passar por uma série de constrangimentos e acusações racistas. Em 12 de outubro deste ano, Rita de Cássia, proprietária de uma floricultura em Brotas, foi chamada de "preta descompreendida" por uma consumidora. Rosaneide Leão, além da ofensa direta, completou a cena com a declaração: "preto tem que trabalhar no domingo mesmo porque é escravo".

Se as relações de consumo ainda não figuram entre os temas mais debatidos quando o assunto é racismo, o aumento de casos envolvendo fornecedores e consumidores reafirmam a necessidade de se iniciar este debate em Salvador. Através do convênio, publicado no Diário Oficial do Poder Judiciário no dia 19 de agosto de 2008, outros casos já estão sendo encaminhados e acompanhados reciprocamente pelo Ministério Público e pelo IPR.

SERVIÇO|

O quê: Seminário Racismo, Consumo e Violência

Quando: 8h00 às 18h00, 27 de novembro de 2008

Onde: Auditório do Ministério Público da Bahia, Av. Joana Angélica, Nazaré, Salvador, Bahia

Mais informações: 71 3241-3851 / 71 3243-2375

PROGRAMAÇÃO

8h30min - Inscrição

Mesa: Segurança Pública, racismo, consumo e violência

9h às 10h30min

–Almiro Sena (Ministério Público – Promotoria de Combate a Discriminação)

- Luiza Bairros (SEPROMI)

- Joselito Bispo da Silva (SSP/BA)

10h30min – intervalo

11h – debate – mediador: a combinar

12h - Intervalo

Mesa: Consumo, Violência e Sociedade Multiétnica

14h às 15h30min

- Hélio Santos (USP) – a confirmar

- Dr. Sérgio São Bernardo (IPR)

- Dra. Teresa Cristina (Defensoria Pública/BA)

15h30min – debate – mediador: a combinar

17h – encerramento

Atividades pelo Respeito à Diversidade Religiosa - BA

::Dia 20 – Quinta-feira::

::Sessão especial homenagem ao povo de candomblé e aos 100 anos da Umbanda::
Assembléia Legislativa às 14h

Composição da Mesa:
Representantes:
· Ketu – Babalorixá Silvanilton - Ilê Axé Oxumarê
· Gegê – India - Terreiro do Bogun
· Angola – Raimundo Kewanze - Terreiro Tumba Jussara
· Umbanda – Sacerdote José Raimundo Troccoli
· Ijexá – Everaldo Costa Nogueira
· Capoeira Angola – Mestre Curió
· Capoeira Regional – Boa Gente

Atração Musical: André Araújo

Exibição de Vídeo da 3ª Caminhada pela Vida e Liberdade Religiosa

Expositores/as:
· Deputado Marcelo Nilo – Presidente da Assembléia
· Deputado Estadual - Bira Coroa
· Subsecretário Alexandro Reis – SEPPIR
· Subsecretário de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos / PR - Dr. Perly Cipriano
· Representante do CEN – Marcos Rezende
· Representante da ABAM – Maria Lêda Marques
· Representante do NAFRO – Sargento Erico de Alcântara
· Representante da FENACAB – Jadilson Lopes
· Representante da AFA – Leonel Monteiro
· Representante da INTECAB - Chuchuca Muxifkingoma

Homenagem as seguintes personalidades:
1 – Mãe Tatá – Terreiro da Casa Branca
2 – Mãe Carmen – Terreiro do Gantois
3 – Mãe Stella – Ilê Axé Opo Afonjá
4 – Mãe Senhora de Ewá, Elza Bahia – Ilê Axé Omin Ewá
5 – Margarida Ceciliana da Silva (Senhorazinha) – Terreiro Tumba Junçara
6 – Mãe Valdete dos Santos – Terreiro de Oyá / Lauro de Freitas
7 – Mãe Maria de Lourdes Correia dos Santos – Terreiro Dandalundá / Lauro de Freitas
8 – Mãe Carmem Nascimento – Terreiro Tombebazaze / Camaçari
9 – Mãe Lourdes de Cerqueira – Terreiro de Oyá / Camaçari
10 – Mãe Lídia Queiroz – Ilê Axé Iaomam – Santo Amaro
11 – Mãe Florienita de Jesus
12 – Mãe Carlita (In Memorian) – Terreiro de Xangô / São Francisco do Conde
13 – Francisca – Baiana de Acarajé
14 – Mestre Curió – Capoeira Angola
15 – Mestre Boa Gente – Capoeira Regional
16 – Vera Fonseca – Grupo de Mulheres Monas Odara
17– Suely Santos – 30 anos do MNU
18 – Sacerdote Raimundo Troccoli – 100 anos de Umbanda no Brasil
19 – Promotor Almiro Sena
20 – NAFRO/PM
21 – Alaíde do Feijão
22 – UNEGRO – 20 anos de Combate ao Racismo
23 – Egbomi Valquiria de Oxúm

l Apresentação e Assinatura de Projetos de Lei
l Apresentação cultural
l Encerramento e Buffet

::Dia 21 – Sexta-feira::
Seminário Liberdade Religiosa: Uma Questão de Direitos Humanos
Local: Faculdade de Medicina - Terreiro de Jesus
08h – Credenciamento
09h – Abertura – Saudação com Alabês
09:00h – Mesa Solene
Excelentíssimo Ministro Edson Santos- Secretária Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial/SEPPIR
Dra. Luiza Bairros – Secretária Estadual de Promoção da igualdade / SEPROMI
Domingos Leonelli – Secretário Estadual de Turismo / SETUR
Márcio Meireles – Secretário estadual de Cultura / SECULT
Dra. Maria Teresa – Gerente do escritório do PNUD / Bahia
Deputado Estadual Bira Coroa
Sandro Corrêa – Secretário Municipal de Reparação
Representantes das Religiões de Matriz Africana

10:30h – 1ª Mesa: Intolerância Religiosa é Crime: Instrumentos Normativos de Combate a Intolerância Religiosa e aos Fundamentalismos Religiosos
Apresentação do vídeo com casos de Intolerância Religiosa – Marcos Rezende
Palestrantes:
· Ministério Público Federal – Procurador Federal Israel Gonçalves / BA
· Coordenador da Promotoria do Combate ao Racismo do Ministério Público do Estado da Bahia – Almiro Sena
· Ex. ouvidor da SEPPIR – Dr Luiz Fernando / RJ
· Dra Ione Carneiro - RJ
· NAFRO/PM – Major Paulo Sérgio Peixoto / BA
· Instituto Pedra de Raio - Dr. Sérgio São Bernardo / BA
· Diretor-Presidente do Instituto Brasileiro de Diversidade – Hélio Santos / SP

12:30h – Almoço

14h - 2ª Mesa: Juventude, Gênero e Identidade de Gênero e Homo – Afetividade
Palestrantes:
Samoury Mugabe- Conselho Nacional de Juventude
Renildo Barbosa - Pró – Homo / CEN
Alexandra Camilo – Rede Ecumênica do Nordeste
Rebeca Tárique – Mediadora

16:00 - 3ª Mesa: Terreiros e Interações com o estado e Sociedade: Rediscutindo Relações Históricas
Marco Aurélio- Ministério do Desenvolvimento Social
Billy Arquimimo – Coordenador Estadual de Turismo Étnico
Makota Valdina – Terreiro Tanuri Junçara
Cristina Baumgarten - Presidente da Associação dos Guias de Turismo do EstadoMeire Calheira ABAV – Presidente da Associação Baiana de Agências e Viagens - Jean Paul - Presidente da Agência Baiana de Receptivo

Atividades Paralelas: Das 14:00 às 18:00

Falares de Angola e Toques de Ngoma
Ministrado por Raimundinho Kewanze e Chuchuca Muxifkingoma
- Máximo de 40 pessoas

Estética Afro-brasileiro-Ministrada por Oliver e Sabrina
Oliver e Sabrina Cabeleireiros
- Máximo 30 pessoas

18:00 – Lançamento do Filme: Até Oxalá Vai a Guerra seguido de debate
Direção: Carlos Pronzato e Stéfano Barbi Cinti
Roteiro e Produção: Marcos Rezende
Participação: Mãe Rosa de Yansã, Babá Pecê de Oxumarê, Leonel Monteiro, Egbomy Cidália de Iroko, Makota Valdina, Equede Lindinalva de Paula, Capinan e outros.
Duração: 40 min.

Sinopse: As ações violentas executadas pela Prefeitura de Salvador através da demolição do Terreiro Oyá Onipo Neto conduzido por Mãe Rosa da Avenida Jorge Amado, surpreenderam negativamente por configurar um ato de intolerância Religiosa.
Salvador, a capital da Bahia é uma das cidades que tem o maior número de templos religiosos de todo o mundo, incluindo igrejas católicas e evangélicas, centros espíritas, casas de umbanda e terreiros de candomblé. É também a cidade que possui a maioria dos seus habitantes negros, mas onde o racismo em sua diversidade e sutileza acaba tendo ações devastadoras. Da educação e moradia, até o emprego e religiosidade sem esquecer o genócidio da população negra. O estado tem uma função fundamental na manutenção de tudo isto.
Se o Brasil é o país mais aberto do mundo a todas as religiões e crenças, Salvador é a expressão máxima desta qualidade principalmente pela forte influência e presença das tradições oriundas da África. Nada justifica nos dias atuais ações como esta que causaram danos muito sérios a toda uma construção espiritual de muitos anos e que tiveram então a resposta enérgica e necessária do povo de candomblé. Oxalá vai a Guerra, e todo o Povo de Axé também, sempre que for necessário!

18:30 Feira Cultural e Happy Hour

::Dia 22 – Sábado::
09h – 1ª Mesa: POLÍTICAS PÚBLICAS PARA O POVO DE CANDOMBLÉ
Proposta: * Criação de uma frente parlamentar (municipal, estadual e federal) em defesa das religiões de Matriz Africana
* Campanha Nacional de afirmação da identidade dos religiosos de Matriz Africana voltada para o censo de 2010.
* Criação de uma CPI – apuração dos casos de intolerância religiosa a nível nacional

Apresentação da Campanha de afirmação da identidade religiosa
Lindacy Assis – PE
Márcio Alexandre – RJ
Ana Honorato- GHC/RS
Expositores:
Representante de entidades nacionais que fazem articulações com os terreiros.
Coletivo de Entidades Negras – CEN
Instituto de Tradições da Cultura Afro-Brasileira - INTECAB
Movimento Nação Bantu - MONABANTU
Federação Nacional de Culto Afro-brasileiro - FENACAB
Associação de Preservação da Cultura Afro e Ameríndia - AFA
Centro de Tradições Religiosas Afro- Brasileira - CETRAB
Centro de Desenvolvimento das Religiões Afro-Brasileira - CEDRAB
Rede Ecumênica do Nordeste
Conselho Nacional de Juventude/CONJUVE
Rede Religiões Afro–Brasileiras e Saúde
CEAP
CIAFRO
12h – Almoço
14h – Tarde Livre – Visita a locais sagrados
19:30h – Confraternização / Show – Tributo aos Ancestrais
Belvedere do Memorial das Baianas / Praça da Sé
Atrações:
Aloísio Menezes, Portela, Márcio Vitor, Mariene de Castro, Jerônimo, Rebeca Tárique, Samba de Marujo

:: Dia 23 – Domingo::
08h – Concentração da IV Caminhada Pela Vida e Liberdade Religiosa
Local: Busto de Mãe Runhó – Engenho Velho da Federação
09:30h – Saída da Caminhada
13h – Show no palco do Dique
Atrações:
Tambor de Crioula / Maranhão
Afoxé Oxum Pandá de Olinda / Pernambuco
Filhos de Kakende – Cachoeira /BA
Gege Nagô – Cachoeira / BA
Samba Dança de São Gonçalo / São Francisco do Conde

Rebeca Tárique:
CEN- Coletivo de Entidades Negras/BA- Juventude: http://cenbrasil.blogspot.com/
Contato: 55.71 8742-5727/ 8107-3329

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

CEAO lança 36ª edição da Afro Ásia - BA

O periódico Afro-Ásia vai ser lançado no dia 3 de dezembro, no Centro de Estudos Afro-Orientais a partir das 19h. Mas a 36ª edição da revista já está à venda e pode ser encontrada nas livrarias filiadas à Editora da Universidade Federal da Bahia. A Afro-Ásia é uma publicação semestral do Centro de Estudos Afro-orientais da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFBA. É a única publicação dedicada por inteiro a temas afro-brasileiros, africanos, e, secundariamente, a temas asiáticos no estado. Reflete, também, o processo de construção das identidades baiana e brasileira dentro dos inúmeros conflitos das relações raciais. A revista, dividida em artigos e resenhas, evidencia estes conflitos através de relatos e histórias, além de discutir temas da contemporaneidade.

Lançamento do documentário "Até Oxalá vai à guerra" - BA


Sinopse: As ações violentas executadas pela Prefeitura de Salvador através da demolição do Terreiro Oyá Onipo Neto conduzido por Mãe Rosa da Avenida Jorge Amado, surpreenderam negativamente por configurar um ato de intolerância Religiosa.
Salvador, a capital da Bahia é uma das cidades que tem o maior número de templos religiosos de todo o mundo, incluindo igrejas católicas e evangélicas, centros espíritas, casas de umbanda e terreiros de candomblé. É também a cidade que possui a maioria dos seus habitantes negros, mas onde o racismo em sua diversidade e sutileza acaba tendo ações devastadoras. Da educação e moradia, até o emprego e religiosidade sem esquecer o genócidio da população negra. O estado tem uma função fundamental na manutenção de tudo isto.
Se o Brasil é o país mais aberto do mundo a todas as religiões e crenças, Salvador é a expressão máxima desta qualidade principalmente pela forte influência e presença das tradições oriundas da África. Nada justifica nos dias atuais ações como esta que causaram danos muito sérios a toda uma construção espiritual de muitos anos e que tiveram então a resposta enérgica e necessária do povo de candomblé. Oxalá vai a Guerra, e todo o Povo de Axé também, sempre que for necessário!
Lançamento: Dia 21 de novembro às 18:30h na antiga Faculdade de Medicina.

FONTE: CEN Brasil Comunicação

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Culto Especial de Celebração pela Semana da Consciência Negra - SP

A Igreja da Comunidade Metropolitana convida para a Celebração Especial Pela Consciência Negra.

A Celebração contará com a Presença do Teólogo Africano Bass’Lele Malomalo e acontecerá no dia 23 de novembro na sede da ICM – São Paulo na Rua Conde de São Joaquim, 179 às 18:00.

Será uma alegria tê-los conosco!

A Igreja da Comunidade Metropolitana é uma comunidade mundial de pessoas comprometidas com a mensagem do Evangelho da Inclusão. A luta contra o preconceito e a discriminação é uma das bandeiras da ICM no mundo todo.


Fotos do Encontro de Lideres do Ministério Afros descendentes da ICM / Missouri- USA

http://www.flickr.com/photos/mccchurch/sets/72157604743459841/detail/

Conferencia Afro Descendentes

http://www.mccchurch.org/Content/NavigationMenu/Events/PeopleofAfricanDescentConference/PADConference.htm

ICM – Nigéria

http://www.houseofrainbowmcc.blogspot.com/

IGREJA DA COMUNIDADE METROPOLITANA - SÃO PAULO
Rua Conde de São Joaquim, 179 - próximo ao metrô São Joaquim
São Paulo - SP
Tels: (11) 3685 9850 / 8349 0557
www.icmsp.org
www.icmbrasil.com